Review / Tutorial de Samurai Warriors 5

* Esta análise foi feita com o código cedido pela Koei Tecmo (versão PS4/PS5)

Distribuidora: Koei Tecmo
Produtora: Omega Force
Plataforma: PS4 / PS5 / Xbox One / Xbox Series S / Xbox Series X / Switch / PC
Mídia: Física e Digital
Ano de Lançamento: 2021

Samurai Warriors 5 é um hack’n’slash do subgênero musou, desta vez focado na vida de Oda Nobunaga, desde o início das batalhas até o incidente no Templo Honnoji.
Além de novos personagens na franquia, os antigos foram reformulados em versões mais jovens e com grande diferença na identidade visual. O jogo conta ainda com um novo estilo gráfico, mais voltado ao cartunesco.

ODA NOBUNAGA, O DAIMYO* AMORAL

*Daimyo é um poderoso senhor de terras, abaixo apenas do Xogum em termos de poder. “Dai” (大) significa “grande” e “myō” vem de myōden (名田), que significa “terra particular”.

Nascido em 23 de Junho de 1534, no castelo de Nagoia, filho de Oda Nobuhide e Gozen Tsushida, foi chamado na infância de Kipposhi (era costume os meninos japoneses possuírem diferentes nomes na infância e/ou sofrerem modificação do nome próprio na vida adulta).
Garoto excêntrico, costumava brincar com as crianças da região, independente de status social; foi apelidado Owari no Ooutsuke (尾張の大うつけ ‘Tolo de Owari’) pelo seu comportamento fora da normalidade até o início da adolescência.

Nobunaga retratado pelo jesuíta Giovanni Nicolao

Aos 14 anos (1548), casou-se com Nohime, filha de Saito Dosan (ou Saito Toshimasa, denominado “Víbora de Mino” pelas estratégias implacáveis em batalha). Sendo Nohime considerada estéril, foram as concubinas de Nobunaga, Kitsuno e Senhora Saka, que lhe geraram filhos. Oda Nobutada, primeiro filho de Kitsuno, seria o herdeiro de Nobunaga.

Nohime em seu novo visual

Em 1551, morreu em Owari o pai de Nobunaga, Nobuhide. Durante o funeral, Nobunaga joga incenso cerimonial sobre o altar, fato que muitos consideraram ultraje e indisciplina do jovem, tendo o irmão Nobuyuki sido favorecido na sucessão do clã.
Tal fato envergonhou profundamente o mentor de Nobunaga, Hirate Masahide (que também servira Nobuhide), que cometeu seppukku (suicídio ritual, também conhecido como harakiri).
Diz-se que o sacrifício de Masahide mudou o comportamento de Nobunaga.

Oda Nobunaga em sua versão jovem

O clã Oda estava dividido em diversas facções. Embora Nobunaga fosse o legítimo sucessor de Nobuhide, o clã ainda encontrava-se sob o controle do Shugo* de Owari, Shiba Yoshimune. Oda Nobutomo, tio de Nobunaga e deputado para o Shugo, manipulou Shiba para se tornar o novo comandante de Owari, no lugar do sobrinho. Mais tarde Nobutomo mataria Yoshimune por conspiração.

* Shugo era o cargo determinado a servidores do governo que deveriam vigiar terras para o Xogunato. Como os shugos passaram a adquirir as terras antes administradas, transformaram-se gradualmente nos daimyo.

Nobunaga convenceu seu tio, Oda Nobumitsu, a aliar-se contra Nobutomo; eles derrotaram Nobutomo no castelo Kiyosu, onde ele cometeu seppukku.
Shiba Yoshikane, filho de Yoshimune, passou a ser o novo Shugo, fato que Nobunaga aproveitou para forjar uma aliança com os clãs Imagawa e Kira (respectivamente de Suruga e Mikawa); tendo ambos os clãs o mesmo Shugo, a aliança foi aceita, motivo do cessar de ataques de Imagawa à Owari.

Saito “Víbora de Mino” Dosan, o curioso sogro de Nobunaga

Nobunaga enviou um exército para Mino, em ajuda ao sogro, Saito Dosan, contra seu filho, Saito Yoshitatsu. Apesar dos esforços, Dosan é assassino e Yoshitatsu se torna o comandante de Mino, em 1556.
Meses depois, Nobuyuki se une a Hayashi Hidesada e ambos se rebelam contra Nobunaga, mas são derrotados na Batalha de Ino; contudo, foram poupados pela intervenção da mãe de Nobunaga e Nubuyuki, Gozen. No ano seguinte, Katsuie Shibata informa Nobunaga que seu irmão tentaria traí-lo mais uma vez; fingindo-se de doente, Nobunaga assassina Nobuyuki no castelo Kiyosu.

Katsuie Shibata em versão mais jovem (e com mais cabelo)

Em 1559, Nobunaga já não possuía mais oposição dentro do clã e em Owari, continuando sua relativa paz com outros daimyos utilizando Shiba Yoshikane, mas este tramaria contra ele mais tarde, em favor do clã Shiba. Nobunaga então o destituiu de seu cargo e desfez as alianças com os Shiba.

Ok, o texto já está enorme, então aqui encerramos a introdução de Oda Nobunaga, dado que muito de sua história será contada no jogo.

MUSOU MODE

O modo Musou é a campanha tradicional da série, desta vez focada em dois personagens: Nobunaga e Mitsuhide.
É possível controlar até dois personagens por batalha, alternando-os com o toque no touchpad (PS4 e PS5) e dando ordens de movimento e ataque para o personagem em “stand by”, desta forma ajudando a proteger aliados e/ou cumprir múltiplos objetivos.

Cada campanha possui dois caminhos

Ambas as campanhas possuem duas rotas, sendo o Caminho A focado nos principais momentos e o Caminho B focado em momentos menos importantes, incluindo algumas batalhas onde o personagem principal não precisa participar. 
Além de ambas as campanhas, há uma terceira, a Devaneio (Reverie), mostrando alguns cenários ficcionais e momentos de outros clãs.

Os objetivos concluídos liberam bônus e melhoram a avaliação

Ao final de cada batalha, uma avaliação baseada na conclusão de missões principais e secundárias, bem como velocidade de conclusão e número de abates irá determinar as recompensas, entre ouro, materiais para construção e upgrade, itens de experiência para personagens e armas, além das armas e gemas coletadas durante a fase.

Nobunaga e Mitsuhide fazem um juramento de lealdade

As campanhas principais exaltam as diferenças entre Nobunaga, de temperamento mais explosivo e direto, e Mitsuhide, mais centrado e comedido.
Por se passar anos antes dos jogos anteriores da série, alguns personagens clássicos ficam de fora, como Sanada Yukimura, Date Masamune, Mitsunari Ishida, Sakon Shima, Yoshihiro Shimazu, Ginchiyo Tachibana, Kanetsugu Naoe, Kotaru Fuma, Ranmaru Mori e Miyamoto Musashi (deixaram o Musashi de fora, dá pra acreditar nisso???).

Imagawa deixa de lado seu aspecto medroso do restante da série e incorpora sua versão mais valente

Alguns fatos foram modificados (mas vou evitar spoilers aqui), além da personalidade de Yoshimoto Imagawa, o motivo de Shibata sempre acompanhar e proteger Oichi, além de outras parcerias/alianças já conhecidas na série, mas que não eram explicadas em jogos prévios.


CITADEL MODE

No modo Citadel, você escolhe dois personagens e precisa defender a base em um território repleto de inimigos.
As batalhas do modo Citadel não contam como canônicas, mas servem para upar personagens e conseguir mais materiais para upgrade nas construções.

Tropas de apoio podem ser usadas para defender temporariamente a base

Neste modo é possível usar tropas de apoio, unidades escolhidas (inicialmente) entre espadachins, lanceiros e arqueiros.
Ao receberem upgrade conforme seu uso, as unidades podem ser transformadas em variações especiais, como ninjas, atiradores, tocadores de tambor, cavalaria e outras.

Conforme escolhe dois personagens para utilizar na fases, eles criam vínculos de amizade, que vão se expandindo conforme o número de fases conjuntas.
Ao ser preenchida a barra, é possível assistir eventos entre ambos na Cabana do Eremita; os personagens precisam ser compatíveis, sendo mostrado o possível vínculo entre ambos com uma barra e o símbolo de duas mãos sobre a cabeça do personagem, na tela de seleção.

AKECHI MTSUHIDE, O EQUILÍBRIO DO TEMPERAMENTO

Akechi Jūbei Minamoto-no-Mitsuhide (明智 十兵衛 源の光秀), nasceu no ano de 1528, embora não se saiba exatamente quando, na província de Mino (atual Kani, em Gifu).
Descendente da família Toki-Akechi, do clã Toki, Mitsuhide iniciou o serviço para Nobunaga em 1566, após a última conquista de Mino, recebendo o feudo de Sakamoto, em 1571.

Na versão mais velho, Mitsuhide usa espada e rifle

Embora Nobunaga não costumasse confiar totalmente em seus vassalos, Mitsuhide era um dos três que gozava de sua confiança parcial, junto de Katsuie Shibata e Hideyoshi Hashiba (que mais tarde se tornaria Toyotomi Hideyoshi).

Toyotomi Hideyoshi, ainda sob o nome original, em versão mais jovem (e não tarado como o habitual)

Servo legal de Nobunaga, Mitsuhide passou por uma série de humilhações de seu senhor, culminando na morte de sua mãe, pelos familiares de Hatano Hideharu.
Em 1579, Mitsuhide havia capturado o castelo Yakami, de Hideharu, mediante um tratado de paz, que Nobunaga traiu, matando Hideharu.

Mitsuhide com o cabelo “visual key” na juventude

Cansado dos tratamentos recebidos e culpando Nobunaga pela morte da mãe, Akechi Mitsuhide rebelou-se e, em 21 de Junho de 1582, cumpriu sua vingança durante o incidente no templo Honnoji, forçando Nobunaga ao seppukku por traição e pelo assassinato de sua mãe.
O incidente é famoso em diversas obras pela cultura pop, inclusive nos games, sendo retratado geralmente como o embate entre Mitsuhide e Nobunaga em um duelo até à morte.

O Incidente em representação pintada na Era Meiji

Após o suicídio de Oda Nobunaga, Tokugawa Ieyasu e Toyotomi Hideyoshi apressaram-se em tentar vingar a morte, para assumirem o lugar de Oda.
Toyotomi conseguiu tal feito conspirando com Hosokawa Fujitaka e outros aliados de Akechi, que o traíram.
Sobrevivendo por 13 dias, Akechi seria derrotado e morto por Hideyoshi na batalha de Yamazaki, em 1582.

Tenkai em Nioh

Entre as outras versões conhecidas, Akechi Mitsuhide teria sobrevivido e tornado-se um sacerdote, de nome Tenkai (o qual também faz sua participação em Nioh, da Koei Tecmo).

A sucessão de Toyotomi Hideyoshi a Oda Nobunaga marca o fim do turbulento período Sengoku, sendo Hideyoshi considerado um dos três grandes unificadores do país, ao lado de Nobunaga e Tokugawa.

POLINDO ALMAS

A evolução dos personagens se dá através de uso nas fases, mas também mediante o gasto de pontos de experiência, método útil para upar personagens menos utilizados no decorrer do jogo.

Ao subir alguns níveis, novas habilidades tornam-se disponíveis para compra.
Os pontos de habilidade são obtidos ao subir níveis de experiência com o personagem, mas podem também ser comprados na loja.
Cada árvore de habilidades possui seu próprio estilo, comportando habilidades de aumento de vida, defesa, ataque, equitação e musou.

Precisando upar rapidamente um personagem? Gaste pontos de experiência

Já as armas possuem níveis definidos, mas podem ser upadas sacrificando-se outras armas e incrustando gemas de poder. As armas possuem letras classificatórias quanto ao seu poder, devendo o personagem possuir a afinidade correta para poder empunhar a arma em questão.
Cada categoria de arma possui modelos “normais” e a Arma Rara, a versão mais poderosa de cada categoria, sendo obtida apenas sob requerimentos específicos para cada personagem.

A melhora na afinidade permite usar versões melhores da arma

De igual forma, as montarias podem ser compradas, melhoradas e ganhar habilidades na Estrebaria, sendo a evolução dos cavalos obtida através do seu uso em batalha (apenas equipar já basta), ficando vinculada ao uso do general em questão. Semelhante ao processo das armas, cavalos podem ser sacrificados para subir o nível de outro, bem como para o ganho de habilidades.

Habilidades de montaria podem ser ganhas sacrificando-se outros cavalos

AS NOVAS CORES DO SENGOKU

Um dos pontos de destaque do novo título, o estilo artístico de SW5 combina a técnica de pintura Sumi-e* e Shodô** com arte pop japonesa e um gráfico que se assemelha ao cel shading.

* Sumi-e, originalmente uma técnica de pintura nascida na China (lá chamada de Shuimohua), nasceu no século II, difundindo-se principalmente pelo Japão.O Sumi-e mistura elementos de pintura com caligrafia oriental, consistindo em passar a mensagem de modo resumido, baseando-se na sombra das imagens, feito com tinta negra semelhante ao nanquim, pincel e papel feito de arroz (técnica chinesa) ou washi (papel japonês à base da casca de amoreira).

Exemplo de Sumi-e

** Shodô, técnica caligráfica japonesa baseada na caligrafia chinesa, aprendida nas escolas, ainda durante a infância, para a escrita de caracteres (hiragana, katakana e kanji), utilizando-se pincel, tinta nanquim e papel à base de arroz (atualmente a fudepen, caneta que simula o pincel, pode substituir o uso tradicional pela praticidade).
Shodô requer alta precisão, além de fluidez nos traços, os quais possuem ordem correta ao serem escritos no papel. 

As técnicas caligráficas no extremo oriente são levadas a sério

O resultado é um estilo mais colorido e vistoso, com cores como que “salpicadas” sobre o papel, desvanecendo nas extremidades e mais concentradas no centro das roupas e armaduras (por exemplo). Já os contornos são mais grossos, como tinta nanquim em rápidos e precisos traços de caligrafia, dando sensação de dinamismo e movimento.

O final de um Musou Frenzy é uma pintura por si só

Tais aspectos ficam mais evidentes durante a execução do True Musou, o ataque mais forte do jogo, executado em sua última forma quando a energia do personagem está no vermelho, durante o uso do Frenesi, ou quando é executado em dupla com o outro personagem controlável.
Ao final do ataque, o personagem faz uma pose final e a tela congela por alguns segundos, mostrando a cena como uma pintura.


A trilha sonora mistura a música tradicional japonesa, com instrumentos como shamisen e flauta shakuhachi, com música eletrônica, uma combinação já clássica na série.
Embora temas já tradicionais da franquia estejam presentes, diversos novos surgem, acompanhando as diferentes novas batalhas.

YASUKE, O SAMURAI NEGRO

Personagem em voga na atualidade, Yasuke é um indivíduo “folclórico” na história do Japão e, principalmente, na de Oda Nobunaga.

A vida de Yasuke possui diversas versões, chegando alguns historiadores a contestar sua veracidade.
No entanto, sua versão mais aceita é a de que ele era moçambicano, tendo chegado ao Japão em 1579, como servo do jesuíta italiano Alessandro Valignano, tendo sido este nomeado Visitante das Missões nas Índias*, pela Companhia de Jesus.

*As Índias eram consideradas, pela Companhia de Jesus, como Índia, Japão e China.

Yasuke, o fiel servo estrangeiro de Nobunaga

Ao chegar à capital, em 1581, causou alvoroço na população.
Nobunaga foi verificar o motivo da agitação no templo e quis conhecer Yasuke. Surpreso com a cor negra da pele, exigiu que Yasuke esfregasse o corpo da cintura para cima, acreditando ser a cor apenas uma tinta, eventos registrados pelo jesuíta português Luís Fróis para Lourenço Mexia, em 1581 (via carta) e, em 1582, no Relatório Anual da Missão Jesuíta no Japão.

Quando percebeu ser real a cor de pele do estrangeiro, Nobunaga mostrou simpatia por Yasuke, que ficaria a serviço do daimyo (segundo os japoneses, o próprio Yasuke teria se apresentado e oferecido seus serviços).
Nobunaga descrevia a força de Yasuke como a de dez homens normais.

Yasuke ao lado de Nobunaga

Em maio de 1581, Yasuke acompanhou Nobunaga até o castelo Azuchi, onde pode ter-se tornado nobre. Matsudaira Ietada descreveu que ele media 6 shaku 2 sun (o equivalente a 1,88m), o que o tornaria um homem mais alto que a maioria japonesa. Ietada também descreve-o como sendo negro e tendo a pele como carvão.* Conta que então foi nomeado Yasuke ((弥介, seu nome prévio é desconhecido).

* Cabe ressaltar aqui que tais descrições japonesas referentes à pele e cor de Yasuke estão mais para o caráter de curiosidade de uma etnia pouco conhecida por eles e não necessariamente de racismo.

Yasuke provavelmente falava japonês de forma aceitável (por conta de Valignano). Nobunaga gostava de conversar com Yasuke, tendo sido este provavelmente o único estrangeiro em sua comitiva.
Eventualmente, Yasuke foi feito samurai, tendo recebido residência própria e o direito de portar espadas, tendo sido o primeiro samurai estrangeiro, segundo registros japoneses. Ele é mencionado também no texto Shincho-ki, na Sonkeikaku Bunko (biblioteca com os registros do clã Maeda).

Yasuke em Nioh, como “Obsidian Samurai”

Após o suicídio de Nobunaga, no templo Honnoji, Yasuke foi entregue a Akechi Mitsuhide, que teria dito para não o matarem, mas enviarem de volta aos jesuítas.

A história de Yasuke é envolta em mistério do início ao fim, embora sua provável origem moçambicana e sua posição como guardião de Nobunaga sejam mais conhecidas.
Retratado em diversas obras da cultura pop, sua aparição em video games se dá em algumas versões de Nobunaga’s Ambition e Nioh (todos também da Koei Tecmo).

CONQUISTANDO TERRENO

A jogabilidade é bastante rápida, especialmente graças ao sistema de Hyper Attacks (ataques rápidos com triângulo), que fazem o personagem avançar rapidamente pela tela.
É possível convocar o cavalo a qualquer momento, bastando tê-lo equipado antes da batalha.

Tadakatsu Honda executa um hyper attack

Na maior parte dos confrontos utiliza-se dois personagens simultaneamente, alternando entre ambos com a touchpad.
Através do menu de pausa ou pressionando para cima no digital, pode-se dar comandos para o personagem que está temporariamente sendo controlado pela máquina. Desta forma, é possível mandar que ele acompanhe outro NPC, aguarde em uma área específica (ideal para protegê-la) ou comandá-lo para atacar algum oficial específico no mapa (apenas se não houver barreiras de impedimento).

Nobunada dando aquele ataque em área pra limpar o cenário

Assim que uma missão surge, o personagem que não está sendo controlado pelo jogador irá automaticamente ser direcionado para ela, cabendo-se a você mudar sua rota ou missão, caso ache necessário.

Quando ambos os personagens estão com a barra de musou cheia, a proximidade de ambos possibilita o uso do Musou Frenzy Attack (True Musou), sem a necessidade da barra de tensão ser preenchida.

Nobunaga e Mitsuhide ativam o Musou Frenzy simultaneamente

Falando sobre as missões, múltiplos objetivos são acionados durante a batalha, sendo a sua completude responsável por melhores notas de avaliação, bem como mais itens de recompensa e mesmo podendo alterar o rumo do conflito.

Em tempos de modo online (também disponível no jogo), a tela dividida local ainda vive!

O jogo permite o co-op local, com tela dividida, ou online
A clara vantagem do co-op é que o outro jogador fica mais ativo durante a batalha, enquanto o personagem em “modo NPC” não é tão efetivo.

GRINDAR PARA PLATINAR

Nenhuma platina da franquia é rápida.
Embora não necessariamente difíceis, os títulos da série costumam exigir diversas horas de gameplay, não sendo diferente neste caso.

No entanto, dado o menor número de oficiais presentes (39) em comparação ao título anterior (55 em SW 4), é acelerado o processo da aquisição da Arma Rara de todos os personagens.
A campanha mais enxuta também facilita a obtenção de S em todos os rankings, bem como a completude de todos os objetivos.

Todos os vínculos de amizade, um troféu para gastar bastante tempo no modo Citadel

É necessário upar os quatro estabelecimentos até o nível máximo (Dojô, Estrebaria, Forja e Loja), bem como completar todas as batalhas do modo Citadel.

Upar as habilidades de uma montaria 20 vezes, gastar 300 mil em ouro, usar itens 100 vezes, conseguir um combo de 10 mil hits, usar Ultimate Skills 500 vezes, usar um Musou Frenzy Attack (o antigo True Musou) 50 vezes, atingir 2 mil KOs em uma batalha, finalizar uma batalha do modo Musou na dificuldade Nightmare (esteja com personagens bem upados antes de tentar este troféu).

Um jovem Tokugawa Ieyasu, muitos quilos mais magro…

Desbloquear todos os personagens, assistir todos os Eventos de Personagem, evoluir um personagem ao nível máximo, ultrapassar o nível máximo de um personagem, usar as unidades de suporte 100 vezes no modo Citadel, atingir 100% de conclusão de objetivos no Cofre (Vault), desbloquear 100% dos eventos no Cofre, desbloquear 100% das músicas no Cofre e obter a montaria mais poderosa do jogo.

Os demais troféus estão relacionados à conclusão do musou mode de Nobunaga e Mitsuhide.

RESUMO DA ÓPERA:
Samurai Warriors 5 é reboot da franquia, focado na vida de Oda Nobunaga e Akechi Mitsuhide no início do período Sengoku.
Um movimento ousado do estúdio, já que vários personagens clássicos da série acabaram de fora do título.

Dentre as novidades, o estilo artístico misturando pintura e caligrafia japonesas com cultura pop destaca-se com cores menos intensas que nos títulos anteriores, mas de uma maior diversidade, mesclando-se ao estilo cel-shading gráfico.
O resultado é um estilo mais leve e com menos glitchs gráficos nas armaduras e cabelo, com um visual mais cartunesco. Durante o Musou Frenzy Attack, o especial mais forte do jogo, o personagem assume o tom de uma pintura ao final do golpe, com ênfase no traçado forte do Shodô (caligrafia japonesa).

Sena, novata na série, mostrando toda a beleza do novo estilo gráfico

A trilha sonora retorna com clássicos da série, mas também uma nova leva de temas mesclando instrumentos tradicionais japoneses e música eletrônica.
Houveram também algumas mudanças de dubladores, possuindo o jogo apenas o áudio japonês.

Kanbei mudou de arma e aparência, mas continuação a apelação em pessoa

Mudanças no design de alguns personagens e em suas armas, já habitual entre os títulos da série, são mais facilmente percebidas aqui, como no caso do ninja Hattori Hanzo, deixando de lado a tradicional e sóbria roupa shinobi, passando a usar máscara de raposa e uma roupa mais vistosa e solta, com várias cores; a kusarigama deu lugar à espada ninja-to e à shuriken.
Kuroda Kanbei surge em uma versão mais jovem, sem os traços da doença pulmonar que o acometia nos títulos anteriores, substituindo os canhões de mão pelos Ofudas (talismãs  xintoístas de papel).

Shikanosuke faz sua estreia em grande estilo

Entre os iniciantes, destacam-se Yasuke, o samurai africano, usando a calça hakama japonesa combinada com manto e colar mais ao estilo africano, personagem focado no combate meele, usando como armas “soqueiras”Yamanaka Shikanosuke, samurai de extravagante roupa e armadura rosas, utilizando uma viseira com um par de pequenos chifres e duas katanas.

Hanzo e Momochi se enfrentam em um duelo de ninjas

A trama tem um tom mais dramático, focando na dualidade de Nobunaga e Mitsuhide, mostrando a transformação de ambos com o passar dos anos, especialmente a frieza que toma conta de Nobunaga.
Relações entre personagens são explicadas e o destino de alguns é mudado, bem como suas idades e o seu tom de comportamento e/ou sua aparência, como por exemplo Matsunaga Hisahide, mais comedido nesta versão, de visual menos espalhafatoso e com voz também mais discreta. Seu tema ainda continua sendo a aranha, mas sua foice e suas bombas dão lugar ao canhão de mão.

Matsunaga e seu amor por aranhas


A jogabilidade continua fluida, aproveitando-se bem do sistema de hyper attacks, que serve para atacar e cruzar longas distâncias em movimentos rápidos.
O novo estilo gráfico influencia também na leveza do gameplay, com loadings muito rápidos quando jogados no PS5.

Apesar de manter-se fiel ao seu estilo de gameplay, SW5 é uma aposta de alto risco do estúdio Omega Force, sacrificando personagens importantes da franquia ao retroceder na linha do tempo. O novo estilo gráfico causa um bom impacto visual e os personagens (em sua maioria) mais sóbrios e com visual menos anime combinam com a trama mais madura e dramática.

Kenshin em uma versão mais jovem

Um refrescante novo capítulo da franquia irmã de Dynasty Warriors, Samurai Warriors 5 aposta numa renovação de elenco e estilo, mantendo os pilares de sucesso, mas com uma roupagem mais atrativa para novos públicos, agradando também aos veteranos.