Review / Tutorial: Caligula Effect 2

Capa do cd especial da χ com a Regret

Ola, aqui é o Pena e hoje vamos com um RPG puxa um pouco pro lado psicológico, o Caligula Effect 2.

O jogo foi produzido numa parceria entre a FuRyu, responsável por jogos como Monark e The Aliance Alive, e a Historia Inc., produtora de jogos como Airtone e Last Survivor, enquanto a publicação ficou a cargo da NIS, do qual já fizemos vários reviews, entre eles The Cruel King and the Great Hero e o Poison Control (todos os reviews deles você encontra aqui).

Ele foi lançado inicialmente em Outubro de 2021 no ocidente para PlayStation 4 e Nintendo Switch, sendo que dia 23 de Junho de 2022 teremos um port para o PC nas plataformas da Steam e da Epic Games.

Review feito em base da versão para PS4. Código cedido pela NISA

Titulo: Caligula Effect 2
Produtora: Historia Inc., FuRyu
Distribuidora: NIS America / Europa
Gênero: RPG / Estratégia
Plataformas: PlayStation 4, Nintendo Switch e PC (Steam e Epic Games)
Mídia: Digital e Física
Textos: Inglês
Dublagem: Japonês

História

O jogo ocorre em Redo, um mundo virtual aonde aqueles com grandes arrependimentos na vida são chamados pela virtual-doll Regret, aonde perdem a memória do mundo real e vivem uma nova vida.

Os dias passam pacificamente nesse novo mundo sem nenhuma preocupação, apenas vivendo a vida que faltou pro seus habitantes.

Não é falha da imagem, é erro no mundo virtual mesmo

Mas como toda a fantasia, uma hora esse conto de fadas acaba com a chegada da virtual doll χ (leia “Qui”) que veio pra destruir esse mundo e trazer de volta ao mundo real os seus residentes.

Agora, com o novo time nomeado “Go-Home Club” (um trocadilho com a piada de animes escolares aonde os personagens que não participam de clubes dizem que estão no clube de “ir pra casa”) conseguir escapar desse mundo ao enfrentar os músicos da Regret.

Os músicos do primeiro jogo

Enquanto esse é uma sequencia direta do primeiro jogo e usa praticamente a mesma base pra contar a sua história, não é exatamente necessário ter jogado o anterior, já que o necessário pra compreender a história é passado durante a campanha, mas claro que se você jogou o primeiro jogo vai conseguir curtir bem mais, já que tem diversas referências durante a partida e puxa muita coisa da trama original nesse.

Gráficos

O jogo utiliza o motor gráfico Unity para trazer modelos em 3D puxando para o estilo de animes, aonde os personagens e cenários tem bastante detalhes e variação entre eles, mesmo que a diferença entre os inimigos não seja tão grande assim.

Os efeitos gerais dos combates e algumas cenas são bem legais, agradam bastante, só que alguns movimentos são um pouco duros, não é algo que vá estragar a partida, mas é algo que ocorre.

Áudio

As musicas são focadas nas cantadas pela Regret, que seria algo como se a Miku Hatsune ganhasse vida, com uma boa variedade de estilos nas canções e mesmo com a repetição delas, são boas o suficiente pra não ficar enjoativo, já que você escutará as mesmas musicas com bastante frequência durante as explorações.

A OST completa do jogo está no Spotify, então coloquei ela aqui pra você aproveitar enquanto termina de ler o texto.

O jogo só tem dublagem em japonês, tanto pra manter o clima anime dele como também pra manter as vozes das cantoras que interpretam a χ e a Regret. Entre os dubladores temos:

  • Mayu Mineda: Dubladora da χ, faz a Lola nos jogos da série Gunvolt e a KMS U-96 do Azur Lane;
  • Arisa Kori: Dubladora da Regret, faz a Kaori do The Idolmaster: Starlit Season e a Mu Kusunoki do MILGЯAM;
  • Yuto Uemura: Dublador do Kobato, faz o Shinki do Boruto e o Yusuke do I’m Standing on a Million Lives.

Jogabilidade

A base desse jogo é essencialmente a mesma do primeiro Caligula Effect com algumas pequenas alterações, então se você já jogou o primeiro jogo, muita coisa será familiar.

Logo no inicio do jogo você decide o nome e sexo do seu personagem, isso não afeta em nada a jogabilidade, mas agrada quem faz questão disso no jogo, mas não temos customização de aparência dele.

Menu

O menu principal do jogo já é bem direto, mas claro que não temos acesso a todos os pontos dele. Na parte principal já temos as informações básicas dos personagens que estão no seu grupo, o dinheiro e o χ points (no ponto correto eu comento sobre esses pontos).

A área de Status é apenas pra verificação dos pontos do personagem, mostrando as características deles e pra qual delas o personagem tem preferência na evolução. Também tem como verificar as técnicas deles nesse ponto e entender as estratégias dele.

Em Formation montamos o nosso time para os combates. O limite de personagens na equipe são 4 deles, sendo que o protagonista sempre precisa participar.

Na área de Equipment podemos equipar os estigmas nos personagens do grupo. Alguns desses equipamentos tem técnicas, que ao equipa-los já ativam, mas podem ser aprendidas conforme batalha e acumula pontos com elas.

Na mesma área ainda, podemos equipar até 6 técnicas aprendidas dos equipamentos, entre as que melhoram características e técnicas especificas para cada um dos personagens. Só não adianta equipar técnicas que estão em equipamentos equipados no momento, não é acumulativo.

Na área de Items temos um visual geral dos equipamentos e outros itens que temos com o grupo. Aqui não é possível utilizar esses itens, já que ao terminar a batalha, todos os status dos personagens são recuperados.

Na área de Casuality Link mostra todos os residentes de Redo que você já conversou. Também temos acesso a todas as missões que pegamos com eles, mostrando aonde encontramos cada um deles (o que facilita bastante em relação ao primeiro jogo).

Quando você finaliza a missão de um dos personagens, as vezes aparece um símbolo de presente no ícone dele, indicando que ele tem item novo pro grupo.

A sessão Wire é um ponto de bate papo online entre o protagonista e qualquer um dos personagens que ele tenha feito amizade, tanto com os do seu grupo como os outros residentes de Redo. Aqui é mais pra conhecer mais deles caso tenha curiosidade, não afeta o desenvolver da campanha no jogo.

Na área da χ mexemos nas configurações dela de apoio no combate. Conforme avança na campanha, ela aprende novas músicas, cada uma com efeito diferente, como aumentar força ou defesa.

Também é possível gastar os χ points pra melhorar os bônus durante o uso dela no combate e alternativas pra carregar a barra de uso dela mais rápido.

Trem da χ

Esse trem é a base de operações, então você entrará aqui com bastante frequência.

Aqui você pode iniciar os capítulos de cada um dos personagens do seu grupo conforme melhora a amizade com eles e avança na campanha.

Enquanto esses episódios são simples e diretos, algumas dessas conversas podem ser bloqueadas dependendo da sua ação nelas, precisando gastar χ points pra libera-los novamente.

Tem também um toca disco com as musicas já liberadas do jogo, pra curtir elas enquanto anda no trem e interage ali.

Conversando com a χ temos algumas opções:

  • Viajar pra qualquer localidade já liberada e disponível no momento da campanha;
  • Entrar na loja de compra que utiliza χ points;
  • Entrar na loja que utiliza o dinheiro normal do jogo;
  • Desbloquear um capítulo bloqueado de algum personagem.

Exploração

Qualquer atualização aparece no canto esquerdo da tela

Seguindo o padrão do primeiro jogo, não existem cavernas e outros locais específicos pra evolução, toda a ação dele ocorre na cidade e você encontrará inimigos e NPCs normais andando nelas ao mesmo tempo.

NPC que tem um nome são aqueles que entram na lista de amizades do protagonista e conversar com eles pode liberar uma missão nova. Ao contrário do primeiro jogo, aqui esses personagens realmente são apenas NPCs, você não tem a possibilidade de coloca-los no grupo (o que facilita em muito isso, já que não tem missão que precisa levar um desses personagens pra outro local).

Agora temos o detalhe que esses NPCS TAMBÉM pode virar inimigos caso a sua barra de dependência esteja em 50% ou acima, precisando derrota-los pra conseguir interagir novamente com eles.

Tanto com os NPCs que perderam o controle como os inimigos normais (da pra distinguir pelos nomes), você pode iniciar o combate acertando um ataque nas costas deles, tendo uma vantagem inicial nesse combate.

Itens você encontra nesses cristais e nessas esferas no meio dos locais explorados. Os cristais são renovados ao sair da região e tem um conteúdo aleatório, enquanto as esferas tem um conteúdo fixo e não renovável.

Nos save points, além de salvar você pode viajar rapidamente pra qualquer outro save já desbloqueado dentro da mesma área ou voltar pra o trem, mas as vezes a trama do jogo impede isso.

Combates

Os combates misturam um pouco de estratégia nele usando um sistema de ATB (Active Time Battle). Conforme chega turno dos personagens, o combate para, podendo escolher o comando e formular a estratégia.

Quando estamos escolhendo o comando e alvo, o jogo entra num sistema de simulação do que vai ocorrer, aonde você pode acertar quando inicia. Olhando pela barras podemos dividir os tempos delas do seguinte modo:

  1. A primeira parte da barra é quando o personagem carrega o ataque. Dependendo do ataque que ele receber, pode cancelar o ataque;
  2. Na segunda parte é quando o personagem age, aonde cada ponto brilhante é um dos acertos do ataque (quando está em verde são comandos de cura ou melhoria);
  3. Depois que o ataque é realizado, o personagem entra no modo de espera e assim que termina a barra desse modo, pode entrar um novo comando.

Os ataques utilizam AP e eles são recuperados conforme a batalha prossegue ou usar o comando Surge Soul.

Nos combates também temos alguns detalhes interessantes, tal como:

  • Alguns ataques tem propriedade de contra-ataque, tal como contra ataque físico ou a longa distância. Caso acerte no momento certo, o inimigo é arremessado no ar;
  • Também tem ataques que quebram a defesa, saber usa-los no momento certo (e se defender também), ajuda bastante nos combates;
  • Todos os inimigos tem uma contagem de risco que vai de 0 a 6. Quando chega ao máximo, ele sofre com “Risk Break”, recebendo mais dano nesse período, mas não interrompe os seus ataques.

Conforme o combate avança, os personagens carregam a barra de stress. Quando ela chega ao máximo, podemos usar o ataque especial deles, dando uma ótima vantagem no combate.

Durante os combates e ao destruir os cristais no mapa carrega a barra de Voltage. Quando ela enche por completo, podemos acionar o apoio da χ. Nesse momento ela começa a cantar a musica que você deixou especificada antes dos combates e adiciona diversos bônus no combate, podendo reverter batalhas que quase perdendo com isso.

No final do combate temos a pontuação e aumento da quantidade de experiência recebida que varia pela quantidade de hits nos combos e “risk break” que você realizou no combate. Os personagens que não participaram recebem metade da experiência total e depois todos os personagens recarregam as suas energias.

Extras

Depois que você finaliza o jogo, libera a opção do New Game +, podendo trazer praticamente tudo da sua partida anterior pra a nova campanha. Também libera uma opção de aumentar o nível dos inimigos caso queira mais desafio.

Carregando o seu save finalizado, você entra na parte do pos-game. Uma das partes que libera é a opção de enfrentar uma versão mais forte dos chefes do jogo e, além de um equipamento forte pros seus personagens, também tem informações sobre os seus oponentes.

Por ultimo também libera o acesso a Torre do Prometeus. Aqui é uma sequencia aleatória de 100 andares com inimigos mais fortes. Além de ser um dos pontos mais compridos do jogo, tem algumas regras específicas pra esse local:

  • Só é possível levar 4 personagens na exploração;
  • Não leva nenhum item de cura pra dentro da torre;
  • Não é possível salvar o jogo;
  • Não é possível acessar o menu, impedindo qualquer mudança do time enquanto estiver na exploração;
  • Dependendo do andar que você alcançar e decidir sair, pode retornar a partir de um ponto especifico.

DLCs

O jogo conta com algumas DLCs, todas são estigmas extras pra ajudar no combate. É possível comprar eles separados ou num único pacote, indo da preferência do jogador.

Conquistas

O jogo não é muito complicado e o fato da dificuldade não afetar a lista de conquistas dele agiliza bastante a vida do jogador, mas ainda assim demora um pouco já que precisa de bastante grind e realizar tudo que tem no jogo. Entre os mais trabalhosos temos:

ConquistaDescrição
World PeaceAlcançar o nível máximo de amizade com todos os residentes de Redo
Songstress UnleashedLiberar todas as técnicas da χ.
Topical ConversationalistConseguir todos os tópicos de conversa no Wire

Conclusão

Caligula Effect 2 traz melhorias em relação ao primeiro jogo mantendo a formula do RPG com estratégia com um toque de psicologia nele.

Ele utiliza o motor gráfico Unity, trazendo arte em 3D no estilo anime, no geral são bem detalhados, tanto nos personagens como nos cenários, só alguns movimentos são um pouco travados, mas nada absurdo ao ponto de estragar a partida.

As músicas mantém o mesmo estilo do primeiro jogo, focando mais nas músicas cantadas pelas virtual-doll, então na maior parte do jogo você escuta a versão instrumental ou a cantada delas, mas pelo menos elas são bem feitas, então não chega ao ponto de enjoar delas pela repetição que temos em cada área do jogo.

A jogabilidade deu uma melhorada em relação ao primeiro jogo, tiraram algumas coisas desnecessárias, tal como a enorme quantidade de personagens genéricos e a necessidade deles nas missões paralelas, enquanto o combate deu uma melhorada em como ele desenrola e o apoio da χ ficou bem legal para quebrar certas batalhas difíceis.

A história segue o padrão do primeiro jogo, mostrando o lado mais psicológico dos personagens em vez do “vamos salvar o mundo da destruição” com umas reviravoltas interessantes, principalmente perto do final.

No geral, se você gosta de RPG com estratégia ou se já jogou o primeiro jogo e gostou, esse é uma boa pedida pra passar um bom tempo jogando, mesmo que não seja um dos RPGs mais compridos (fazendo tudo deu cerca de 45 horas de jogo).