Review / Tutorial: The Wizard And The Slug

* Esta análise foi feita com o código cedido pela Ratalaika Games (versão PS4/PS5)

Distribuidora: Ratalaika Games
Produtora: Silkworm / Meridian4
Plataforma:  PS4 / PS5 / Xbox One / Xbox Series S / Xbox Series X / Switch / PC
Mídia: Digital
Ano de Lançamento: 2020 / 2022

The Wizard And The Slug é um jogo de plataforma 2D sobre a improvável amizade entre um mago e uma lesma.

Após intenso combate nos céus, um “mago” em fuga encontra uma pacata lesma com braços.
Bom, na verdade é a lesma que encontra o suposto mago, que perdeu uma perna e um braço, mas continua vivo.

Charm apresenta-se, inicialmente, como um mago


Disposta a ajudar, a lesma busca os membros perdidos e o mago os recoloca, formando então uma aliança.
O mago, que acaba por revelar-se um Imortal, está em missão e leva consigo o pequeno animal, que possui a habilidade de atirar partes do próprio corpo como projéteis, bem como saltar mais vezes através da redução da própria massa corporal.

As plataformas temporárias de Charm


A habilidade de atirar projéteis receberá upgrades com a morte de alguns chefes, incluindo múltiplos projéteis simultâneos (semelhante ao tiro de uma shotgun) e um disparo de fogo.
No entanto, sempre que atira, a lesma fica menor, sendo que ao tornar-se apenas uma pequena bolinha, ela fica suscetível à morte (do contrário, vai reduzindo sua massa corporal).

O tiro shotgun causa menos dano, mas espalha-se melhor
O tiro de fogo é potente, mas co projéteis pesados e com baixo alcance


Além do pulo triplo, o animal ganha como upgrade a habilidade de usar o dash horizontal, também ao custo de reduzir seu tamanho.
Os saltos e os dash podem ser combinados com as plataformas em formato de coração que o imortal, Charm, cria, servindo como boost entre os saltos.

O dash é indispensável para avançar por grandes abismos ou lava
Alguns animais servem como plataformas móveis


Charm, inclusive, é controlável em pequenas partes do jogo, com a locomoção através do voo e da habilidade de transformar-se em uma pequena esfera de energia, capaz de atravessar pequenas passagens.
O tiro de Charm não mata os inimigos, apenas os atordoa e paralisa, permitindo a passagem segura por eles, sem sofrer dano.

Charm possui um disparo capaz de paralisar inimigos
Essas instruções estão meio confusas…


Os cenários são variados e apresentam bom desafio nos saltos entre plataformas, especialmente em áreas mais restritas, como cavernas repletas de espinhos, onde o dash horizontal torna-se indispensável.
Há também cenas de fuga, onde é necessário quebrar obstáculos rapidamente enquanto escolhe a rota correta, cuidando para que as plataformas quebradas não interrompam o fluxo de movimento.

As perseguições podem se dar através de gangues de pinguins…
… ou através desta criatura gigante dos esgotos


Os inimigos são variados e coloridos, indo de “inofensivos” como insetos e plantas, passando por peixes cuspidores de projéteis, gatos com armadura e espadas ou arco e flechas, até pinguins com clavas e harpias.

As fases aquáticas apresentam inimigos mais ágeis em seu próprio ambiente
Tenha certeza antes de decidir fugir de uma luta, você pode acabar tendo de lidar com uma grande quantidade de inimigos


As lutas contra chefe apresentam um alto nível de desafio e reflexos, geralmente com grandes monstros em tela ou duplas de personagens.
Nestes momentos, Charm participa mais diretamente do combate, auxiliando a lesma com escudos temporários ou enfraquecendo pontos vitais.

Charm ajuda a enfraquecer alguns chefes para que você possa feri-los
Duplas de chefes podem criar um bullet hell com facilidade


A trilha sonora assemelha-se ao chip tune, com uma pegada bem nostálgica, remetendo a jogos das plataformas 8 e 16-bits.

O mais surpreendente do título é o extenso lore sobre a raça dos imortais e sua correlação com a criação do mundo e suas disputas internas.
Além dos diálogos com chefes, uma parte deste lore é exposto em sonhos que Charm passa a ter pós-batalhas.

A trama é mais complexa do que parece ao primeiro olhar
Uma Fênix do Oriente Médio?


O jogo conta com um humor bem característico, inserindo uma série de personagens, como Banana Man, a identidade secreta de Banana Max e outros NPC’s, que podem inclusive ajudar temporariamente no avanço pelas fases ou lutas contra chefes.
Existe, inclusive, um jogo de vôlei disponível na sede do grupo revolucionário Dust Mite, liderado por um gato de tapa-olho e uma dupla de pulgas.

Um herói incomum
Um grupo revolucionário com um grande nome…
… mas com tempo para um pouco de diversão!


A platina não apresenta mistérios, focada em grande parte na derrota dos chefes e com dois troféus específicos relacionados ao primeiro ato.
O jogo conta com um modo Arcade, caso você prefira jogar sem a trama (e sabemos que você só fará isto se estiver mais interessado na platina do que no jogo), um modo Desafio baseado nas fases do jogo e um Boss Rush.

RESUMO DA ÓPERA:
The Wizard And The Slug
é um desafiador jogo de plataforma sidescrolling com uma curiosa dupla de um imortal e uma lesma.

Um desafio no escuro, pra aumentar a emoção


Através de fases repletas de inimigos e longos e mortais saltos, a lesma precisa utilizar sua capacidade de dismorfia e da ajuda de Charm, que pode criar plataformas temporárias para auxiliar em saltos mais complexos.

Humor peculiar…


O jogo apresenta um extenso lore e um humor característicos, o que pode gerar longas sequências de diálogos; caso não seja o seu perfil de jogador, há sempre a opção do modo arcade. Há três finais disponíveis.

Um pequeno (mas completo) pacote, The Wizard And The Slug surpreende pela quantidade de material contido na aventura da dupla incomum.

Deixe uma resposta