Review / Tutorial: Yurukill: The Calumniation Games

Os logos dos 5 times do jogo.

Ola, aqui é o Pena e hoje vamos com um jogo bem peculiar que mistura os mistérios e puzzles encontrados nos Visual Novels e a ação doida e apelona dos Shump’s do sub-gênero Bullet-Hell, o Yurukill: Calumniation Games.

O jogo foi produzido pela Izanagi Games, que também produziu jogos como “Death Come True” e “World’s End Club“, enquanto a publicação dele ficou por conta da NIS, dos quais já fizemos vários reviews, entre eles R-Type Final 2 e Disaster Report 4 (todos os jogos que fizemos review com eles envolvidos você encontra aqui).

Bullet-Hell

Traduzindo literalmente para “Inferno de Tiros” são jogos de shoot’em up (os famosos “jogos de navinha“) aonde a quantidade de tiros na tela chega a pontos absurdos que podem cobrir quase toda a visualização, precisando que o jogador tenha movimentos precisos e muito treino de padrões dos tiros pra conseguir desviar de tudo.
Review feito em base da versão para PS4. Código cedido pela NIS EUROPA

Titulo: Yurukill: The Calumniation Games
Produtora: Izanagi Games
Distribuidora: NIS AMERICA / EUROPA
Gênero: Visual Novel / Shump’s / Bullet-Hell
Plataformas: PlayStation 4, PlayStation 5, Nintendo Switch e PC (Steam)
Mídia: Físico e Digital
Textos: Inglês, Francês, Alemão, Japonês e Chinês Simplificado
Dublagem: Japonês

História

O jogo inicia com Sengoku acordando numa cela que ele não conhece e tenta entender o que está acontecendo até termos as explicações básicas…

… que são no mínimo inusitadas. Ele e outros prisioneiros que dizem ter sido julgados culpados erroneamente estão a caminho do parque temática “Yurukill Land”, onde eles participaram de um jogo em que o vitorioso poderá reverter a sua pena.

Agora, cada time que consiste em prisioneiros e executores precisam passar por diversos jogos que podem por a sua vida a risco pra conseguir o que mais desejam, mas claro que nada é tão fácil ou simples como aparenta.

A história tem um pouco de “Jogos Mortais” junto com o mistério envolvendo cada um dos crimes que eles foram presos, tendo um desenrolar interessante e meio maluco.

Gráficos

Esse Keiichi é o que tem a arte mais estranha entre os personagens XD

O jogo divide seus gráficos entre o 2D e 3D dependo da parte que está jogando. Durante os pontos de novel temos gráficos em 2D aonde os personagens tem designs que puxam pro estilo de anime, junto com cenários com vários detalhes pra explorar.

Agora durante as partes de Shump são todos em 3D, desde cenário e naves que aparecem na campanha. Como acontece em boa parte dos jogos de Shump com movimentação vertical, temos uma tela reduzida pra manter o visualização do jogo no estilo que a maioria dos Bullet-Hell utilizam, isso sem contar a quantidade absurda de tiros que aparecem em vários pontos.

Áudio

Enquanto a ação dos setores de Shumps chamam bastante a atenção pelo seu estilo, algo que realmente marca no jogo é a trilha sonora. Durante os novels eles conseguem manter bem o clima tenso que esses pontos pedem devido a história.

Agora durante os Shumps que as “musicas brilham” mesmo, com uma variedade razoavel no começo do jogo, mas que melhora demais conforme avança pra as partes finais da campanha, com musicas agitadas e contagiantes pra as batalhas monstras com o chefes.

Como temos a OST dele no Spotify, segue ela pra você curtir enquanto termina de ler o review aqui (aconselho ouvir pelo menos as músicas “Suspicion” e “Final Requiem for Absolution”, além da versão cantada da “Black Innocence”, excelentes musicas).

A maior parte do jogo conta com uma dublagem em japonês que segura bem o clima anime do jogo e temos uma boa seleção de dubladores aqui, entre eles:

  • Yu Kobayashi: Dubladora da Binko, vez a Ayame da sérei Gintama e a Sasha do Attack on Titan;
  • Saori Hayami: Dubladora da Rina, faz a Yor do Spy X Family e a Shinobu do Demon Slayer;
  • Takuya Eguchi: Dublador do Sengoku, trabalha junto com a Saori como Loid no Spy X Family e também faz o Kurt da série Legend of Heroes.

Jogabilidade

Yurukill: The Calumniation Games_20220717183845

O modo principal (Main Story) do jogo mistura os 2 gêneros em momentos distintos da campanha, então se prepare pra usar a cabeça e reflexos aqui.

Logo no inicio você decide a dificuldade que deseja jogar, mas ela só afeta a parte do Shump, então escolha a que estiver mais confortável. É possível reduzir a dificuldade posteriormente, mas não aumenta-la.

Atrações em Yurukill (a parte do Visual Novel e Puzzles)

Algo interessante aqui é que os quadros de comentários mudam dependendo do humor dos personagens.

Durante a parte do Novel, a historia vai avançando normalmente até chegar na parte dos puzzles (que tem parte da historia durante eles também).

O menu dele é bem direto, contendo poucas opções, mas sendo o suficiente pra completar a campanha.

Na área “Yurukill Memory” ficam as informações relevantes ao capitulo que você está no momento, ajudando na hora de resolver os puzzles do jogo.

A dublagem da Binko ficou muito boa, nem parece a mesma pessoa em vários pontos.

No “Dialogue History” você tem acesso as conversas anteriores, assim se precisar verificar algo falado anteriormente pra avançar na história, não precisa depender só da memória.

Na área “Characters” temos um breve resumo sobre cada um dos personagens da trama que é atualizado conforme avançamos na história.

Na hora dos puzzles temos a liberdade de vasculhar as salas disponíveis a procura de objetos e dicas pra concluir essa parte, podendo alterar o campo de visão da sala. Qualquer objeto que tem interação mostra o ícone de lupa, indicando o local, geralmente com alguma parte importante do puzzle do momento.

A quantidade de puzzles é razoável e as suas dificuldades variam entre bem fáceis a médio (dependendo se você está REALMENTE acompanhando a história). Quando o puzzle necessita de informações extras de objetos, no canto da tela mostra os itens relacionados.

Conforme avança no capitulo, as vezes entramos no chamado “Maji-Kill Time“. Aqui o Executor faz uma sequencia de comentários e perguntas, sendo que você precisa responder o mais coerente possível pra evitar que ele lhe execute ali mesmo.

Em vários pontos você precisa entregar itens para um robo ou usa-los pra ativar algum puzzle novo, sempre que for necessário isso, o jogo mostra essa tela de seleção de itens.

Yurukill Jugdment (a parte do Shump Bullet-Hell)

Após passar pelos puzzles do capitulo, entramos no “Yurukill Judgement“, que é a parte do shump do jogo.

Antes de realmente iniciarmos a parte do Shumps entramos num ponto aonde são apresentadas 5 perguntas relacionadas ao capitulo e cada resposta correta lhe garante uma vida extra pra a parte da ação.

Aqui o básico do gênero entra em ação, precisando destruir as naves inimigas enquanto desvia dos inúmeros tiros lançados contra você.

Os tiros de cada personagem é diferente (dependendo do capitulo) e alguns inimigos deixam power ups pra melhorar os tiros da sua nave, sendo que temos 2 tipos de tiros por personagem:

  • Espalhado: Esse daqui os tiros são mais espalhados, que varia de ação dependendo do personagem, mantendo a velocidade normal da nave;
  • Concentrado: Aqui os tiros são mais concentrados num ponto, que também varia entre os personagens, mas a nave fica com um movimento mais lento.

A troca entre os tipos de tiro é o botão utilizado, no PS4 é entre o e o .

Escondido nas tela temos o ícone da Binko (1 vida extra) que aparecem ao usar o Overburst nele

Além dos tiros básicos da nave temos o especial “Overburts”. Esse especial carrega conforme coleta os cristais deixados pelos inimigos e você precisa de pelo menos 20% carregado pra utiliza-lo.
Tem 2 tipos de uso:

  • Básico: como age nesse tipo varia entre cada um dos personagens, mas o gasto da barra e pequena.
  • Explosão: aqui o uso é igual para todos, causando uma explosão em volta da nave que varia de tamanho dependendo de quanto tiver de especial guardado, gastando tudo.
O Overbust em 100% causa uma explosão que destroi tudo na tela

Nas dificuldade Fácil e Normal, caso tenho pelo menos 20% carregado e receba um tiro, ele ativa automaticamente a explosão, impedindo que você morra.

Ambos os especiais servem como proteção contra os tiros e conforme eles absorvem os tiros ou derrotam inimigos, inicia a contagem de combo e enquanto estiver ativo, temos bônus na pontuação.

As batalhas dos chefes são muito boas

Durante as batalhas de chefes de cada área, conforme destrói as barras de energia deles…

Esses momentos quebram um pouco o ritmo das batalhas dos chefes…

… entramos no “Prejudice Synapse“. Aqui você precisa escolher o item correto para a pergunta do momento…

… e na parte final entramos no “Mind Maze“. Aqui é uma sequencia de perguntas também relacionadas ao capitulo. Em ambos os casos, caso erre uma das alternativas, você perde 3 VIDAS nisso, então preste atenção na história.

Extra

Conforme você avança no modo história libera os estágios no “Score Attack Mode”. Aqui é o puro Shump sem as partes de novel (e não tem aqueles pontos que quebram o ritmo do tiroteio na história). Tem 3 modos:

  • Pratice: Aqui literalmente é pra praticar cada um dos estágio, a pontuação aqui não é contada pro rank mundial;
  • Stage Score Attack: Aqui você pode jogar um estágio específico ou todos em sequencia, sendo que o que é feito aqui vai pro rank mundial;
  • All Play Score Attack: Aqui é somente a sequencia completa dos estágios, tendo um rank especifico pra ele.
Não existe continue nesse jogo.

Independente de qual modo você escolhe, entra essa tela, aonde temos algumas seleções:

  • Stage: essa parte só fica liberada pra alteração no “Pratice” e no “Stage Score Attack“, podendo escolher qual estágio pretende jogar;
  • Character: Disponível em todos os modos, aqui você escolhe qual personagem usará na partida. Aqui pode usar qualquer personagem já liberado em qualquer estágio, não fica limitado que nem no modo história;
  • Difficulty: A seleção de dificuldade da partida, que não pode ser alterada durante a partida.
  • Lives: Quantas vidas você inicia. No “Pratice” você pode alterar livremente (até 99 vidas), mas nos outros modos fica limitado a quantidade inicial de cada nível de dificuldade.
Só deu pontuação boa aqui, então deixa eu me gabar XD

O jogo conta com um rank online pro pessoal que curte a disputa, separado por estágios e dificuldade, demora alguns minutos pra atualizar o rank. Também é possível desativar o update de pontuação caso não queria participar.

Conquistas

Adorei o jogo (e olha que pessoalmente não sou fã de Shump Vertical e Bullet-Hell), mas o modo Hell ta longe das minhas habilidade, vai ficar faltando esse :/

Enquanto a parte do Novel não temos puzzles tão complicados (principalmente se você está acompanhando a história) e uma grande quantidade das conquistas dessa parte são por avançar na história, a lista tem também da parte de Shump que pede pra fechar em todas as dificuldades, o que vai dar um bom trabalho e treino. Entre as mais trabalhosas temos:

ConquistaDescrição
SS-Rank Yurukill Fighter -HELL-Finalizar o Score mode na sequencia total de estágios no Hell
Bin-credible Super Collector!Encontrar todas as vidas secretas no Score mode na sequencia de estágios em qualquer dificuldade

Into the Unknown
Completar 10 puzzles no modo história sem utilizar dicas do jogo

Conclusão

Yurukill traz uma mistura inusitada de Visual Novel com Shumps, que de primeira apela para um publico bem específico que gosta do dois gêneros, mas que ainda assim pode ser aproveitado por aqueles que curtem apenas um deles.

A arte do jogo varia entre o 2D durante as partes de Novel, todos puxando para o estilo anime bem feitas e com vários detalhes e estilos diferentes entre os personagens da trama, enquanto durante as seções de Shumps são todos em 3D de boa qualidade e uns designs de inimigos interessantes, com alguns easter-eggs pros mais atentos. Um ponto que valor comentar aqui é que em alguns momentos de troca de cena muito rápido durante os novels ou na cena inicial de alguns estágios da parte de Shumps o jogo da umas pequenas travadas, não vai atrapalhar a jogada, mas é algo que não tem como não notar.

A parte musical é um dos pontos fortes dele, durante as partes novels eles conseguem manter o clima tenso no momentos necessário, enquanto durante as partes de Shumps tem umas musicas sensacionais, principalmente durante os chefes das partes finais, dão uma energia extra pra a apelação que temos que enfrentar nele.

Em termos de jogabilidade, a parte de Novel tem vários pontos com puzzles pra quebrar a monotonia que a leitura pode proporcionar, mas no geral, se você está prestando a atenção de verdade na história, são relativamente simples (com uns 3~4 puzzles um pouco mais complicados, mas nada absurdo), enquanto a sessão dos Shumps traz dificuldades diferente para as diversas habilidades, sendo o nível Hell fazendo jus ao nome, trazendo um bullet hell bem complicado que vai desafiar bem os fãs do gênero.

Como o jogo mistura dois gêneros que não temos juntos normalmente, vale a pena comentar pros gostos diferentes separadamente:

  • Caso você seja o publico alvo do jogo, gostando de ambos os gêneros, vá em frente e jogue Yurukill, conseguiram misturar ambos os estilos muito bem aqui;
  • Caso você seja um fã de Visual Novel e não tenha muita habilidade em Shumps, jogue no fácil que só afeta essa sessão, sem atrapalhar as partes de puzzles e aproveite a história maluca que temos nele;
  • Agora caso você seja um fã somente de Bullet Hell, como a parte completa dessa sessão só libera depois que fecha a história principal, procure um detonado pra te facilitar nesse ponto pra assim poder curtir a parte que mais gosta, já que a ação do jogo ficou muito boa.