Review / Tutorial: Gley Lancer

Mais uma vez temos um clássico revivido pela Ratalaika, e mais uma vez um shoot’em up, para minha alegria.

Gley Lancer (também conhecido como Advanced Busterhawk Gley Lancer) foi originalmente lançado exclusivamente no Japão em 1992 para Mega Drive, sendo desenvolvido pela NCS (Nippon Computer System) Corporation e distribuído pela Masaya Games, que foi a responsável por Langrisser no ano anterior.

O cartucho da versão japonesa

O jogo teve diversas versões, inclusive uma ocidental não oficial do cartucho para o Genesis, com tradução feita por um fã, além de um relançamento para o Virtual Console da Nintendo e uma nova artwork para a capa do jogo em um outro relançamento para Mega Drive.

Fonte: Blog Tec Toy

Mas… o que tem de interessante nele??? É o que vamos aprender agora…

Flyer japonês da versão original

Código cedido para review pela Ratalaika, versão Playstation 4

Nome: Advanced Busterhawk Gley Lancer
Gênero: Shoot’em Up
Produtora: NCS Corporation (original)
Distribuidora: Masaya Games (original) / Columbus Circle (relançamento MD) / Ratalaika Games (port para consoles Xbox, PS e NSW)
Plataformas: Mega Drive (original) / Virtual Console / Playstation 4 & 5, Xbox One & Series, NSW
Lançamento: 1992 (17 de julho, original) / 2008 (Virtual Console) / 2019 (relançamento Mega Drive) / 2021 (14 de Outubro, port)
Mídia: Cartuchos físicos e Digital

Tela Título

OBS: Extreme é o atual nome da Masaya Games, definido assim em 2014, enquanto a Shinyuden é uma distribuidora de mangás, animes e jogos no Japão, além de fazer localização.

História / Enredo

Gráficos

Para quem lembra dos jogos no Mega Drive, seu chip VDP possui uma coloração bem viva e saturada, porém com elementos isolados em sua paleta na entonação das cores, sendo perceptível as “diferentes camadas” de cores nas suas variações. Os efeitos obviamente, usarão a própria paleta de cores para mostrar as explosões.

Nessa versão de port, há opções de proporção de tela diferenciada para todos os gostos, além da inclusão de um papel de parede para cobrir as laterais de tarjas pretas.

As cenas de história por sua vez, contam com cenas em arte de anime / mangá, algo memorável para a maioria dos jogos do Mega Drive, tendo a arte de Masanori Sakurai, Aizawa Hiroshi (geralmente conhecido por suas artes mais adultas).

Som / OST

O jogo conta com músicas em estilo variante em batidas rápidas e medianas, no estilo eletro rock, algo típico de shmups.
Tendo a composição de Isao Mizoguchi, Masanori Hikichi, Noriyuki Iwadare

Por sinal, achei a trilha no Soundcloud, por cortesia do usuário “The Real IP Man”.

Jogabilidade

O esquemático de controles é bem simples, mantendo o clássico do Mega Drive com 3 botões de funções e adicional para as funções do port / emulador.

Sistema de Jogo

O jogo se desenvolve em rolagem apenas horizontal, sendo constituído de fases progressivas, sem opções de rotas e com dificuldade de acordo com sua escolha, porém moderada conforme avança.

Um protótipo pronto para batalha…

Uma das grandes implementações da CSH-01-XA (aka Gley Lancer), é ter um acoplamento de 2 artilharias para acompanhar na jornada, quando apanhadas. O diferencial é a opção de formação das artilharias em conjunto com a nave, sendo um total de 7.
No HUD, é mostrado como “MOV”.

  • Normal: As artilharias ficarão na mesma direção em que a nave está se movendo. Enquanto o botão de função LOCK é pressionado, o revestimento das artilharias é bloqueado, independentemente de como a nave se move.
  • Reverse: Como a ‘Normal’, exceto que as artilharias enfrentarão a direção oposta do movimento da nave.
  • Search: As artilharias apontarão automaticamente para o inimigo mais próximo. Pressionar LOCK alternará entre as artilharias visando alvos iguais ou diferentes.
  • Multi: Cada artilharia é restrita ao arco superior ou inferior de 180 graus da nave. O movimento horizontal fará com que as artilharias girem nessa direção. Embora isso impeça o fogo concentrado em qualquer direção, exceto as horizontais, permite o disparo em três direções. Segurar LOCK, ou apenas mover-se verticalmente, manterá as artilharias mirando nas mesmas direções.
  • Multi-R(everse): Como a ‘Multi’, exceto que as artilharias girarão na direção oposta ao movimento horizontal da nave.
  • Shadow: As artilharias imitam todos os movimentos da nave, seguindo uma curta distância atrás. No entanto, eles só podem disparar para a frente. Segurar LOCK fixa suas posições em relação à nave.
  • Roll: As artilharias constantemente giram em torno da nave a 180 graus um do outro. Normalmente, eles se afastam um do outro, resultando em um tipo de padrão de fogo espiral. Pressionar LOCK alterna entre este e as artilharias, ambas disparando para frente.

Poder de Fogo

Além das diversas formações, o protótipo ainda pode alterar a munição dos canhões da artilharia.

Os tiros podem ser definidos como primários na tela de seleção de movimento

  • Twin Shot: Dispara um fluxo rápido de pulsos duplos de energia azul. Arma básica.
  • Laser: Dispara lasers brancos finos. Não é tão poderoso quanto o tiro duplo, mas perfura os inimigos e inflige vários ataques em grandes inimigos.
  • 5-Way: Dispara um arco de cinco pulsos de energia púrpura. Embora o alcance seja excelente, ele sofre com uma baixa taxa de disparo – apenas uma salva de cada artilharia pode estar na tela de uma só vez.
  • Burner: Dispara bolas de fogo de alcance moderado que podem rastrear ao longo de quaisquer superfícies sólidas que atingirem.
  • Spread Bomb: Dispara bombas azuis cintilantes. As bombas têm baixa velocidade e taxa de disparo, mas criam explosões secundárias ao atingir uma superfície inimiga ou sólida.
  • Saber: Gera um feixe contínuo de curto/médio alcance de energia púrpura.
OBS: ambos canhões ficam com o sabre mas o flick em 30fps pareceu que não… xD
  • Bound Shot: Dispara um fluxo de pulsos rápidos de energia verde que refletem em superfícies sólidas.

Além disso, a Gley Lancer também tem variação na combustão para sua velocidade de voo, variando de 1 à 4 em tempo real e conforme sua necessidade de desvios.

Extras

O port conta com save state por ser uma emulação, rewind para voltar o jogo caso morrer, modo modern e vintage (e cheater), além da mudança do desbloqueio do modo mania, que antes era feito via cheat no MEGA DRIVE e nesse port fizeram como requisito, terminar o jogo no hard.

O modo moderno permite alternar a velocidade e formação das artilharias em qualquer momento.

Troféus / Conquistas

Dificuldade : 1/10 (com recursos do port), 5/10 (sem recursos do port)

Os troféus do jogo, literalmente, é a separação de quem é velha guarda e quem não quer incomodações, já que o jogo permite save state ou rewind quando algo der errado…
Ratalaika é conhecida também por fazer set de troféus e conquistas simples, que exigem que tu termine o jogo, ou as vezes nem isso…
De forma resumida, você precisa:

  • Terminar o jogo com final bom (não deixe a nave aliada ser derrubada no final do stage 10)
  • Fazer 1 milhão de pontos.

Considerações Finais

Os aspectos de gráficos não podemos comentar muito, tendo em vista que é um emulador do jogo portado para os consoles atuais, levando em consideração a era 16 bits, o Mega Drive sempre chamou atenção por alguns jogos serem bonitos e outros terem uma coloração mais destratada, no caso de Gley Lancer, a intensidade das cores agrada, além da variação entre os ambientes que a nave visita. Mesmo sendo um jogo de shmup, não há muitos efeitos de flashes, algo que era comum nessa época.

A trilha sonora é um dos melhores pontos do jogo, o chip Yamaha do Mega Drive, muito criticado no seu aspecto de “ame ou odeie”, para esse jogo lida bem com as entonações e sintetizações, como é possível verificar na playlist lá em cima. Em contra partida, sabemos sobre o quão ruim é o som para vozes no console.

A jogabilidade aprimorada nos recursos adicionados mostra que é possível incrementar os jogos antigos com algumas funções adicionais, tendo em vista que no jogo original, limitado inicialmente à 3 botões de funções, não permite a alternância de formações das artilharias.

A performance do port é fixa em 60fps e não houve fechamentos repentinos em nenhum momento durante a jogatina.

A duração do jogo é de bom tamanho para o shmup, sendo até 11 fases com alternada longevidade. O desafio do jogo é totalmente progressivo e irá pregar algumas pegadinhas em você, se não estiver preparado. além de uma sólida diferenciação entre modo fácil, médio e difícil, com inimigos mais agressivos e disparos de projéteis mais rápidos conforme sua dificuldade escolhida.

Gley Lancer retorna mais uma vez pelas mãos da Ratalaika / Shinyuden para dar a chance aos que ainda não tiveram a oportunidade de conhecer um shmup clássico, além de dar a oportunidade para a geração nova ter uma experiência de jogar um Mega Drive / Genesis emulado e/ou deixar o saudosismo bater na sua porta.

E você irá escolher entre Vintage ou Modern para salvar o pai de Lucia?

Um comentário sobre “Review / Tutorial: Gley Lancer