Review / Tutorial: Blaster Master Zero 3

Visual do Jason no 3º jogo

Ola, aqui é o Pena e hoje trago o Blaster Master 3, que veio pra finalizar a trilogia dessa série de metroidvania com tiro de visão superior.

Como nos anteriores, ele é produzido e distribuido pela Inti Creates, mesma desenvolvedora do jogo Dragon Marked for Death e que já fizemos review dos jogos da série Gunvolt (Pack 1 & 2 e Luminous Avenger IX) e Bloodstained: Curse of the Moon 2.

Também fizemos review dos jogos anteriores, sendo que o do primeiro jogo você encontra aqui e o do segundo aqui. Como boa parte do jogo usa base dos jogos anteriores e provavelmente tem jogadores veteranos da série interessados de saber o que tem de novo, vou deixar uma marcação de “(Novidade)” quando for coisa nova pra facilitar a vida deles sem descartar as informações necessárias pros novatos da série.

Review feito em base da versão pra PS4
(código cedido pela Inti Creates)

Titulo: Blaster Master Zero 3
Produtora: Inti Creates
Distribuidora: Inti Creates
Gênero: Metroidvania / Plataforma / Tiro com Visão superior
Plataformas: PlaySttation 4, Nintendo Switch, Xbox One, Xbox Series X/S e PC (Steam e GOG)
Mídia: Digital e Físico
Textos (PS4): Inglês, Japonês, Chinês e Coreano
Textos (PC): Português, Inglês, Espanhol, Francês, Italiano, Alemão, Japonês, Coreano e Chinês Tradicional

Importação da coletânea da trilogia em versão física com inglês

História

Seguindo diretamente os acontecimentos do segundo jogo, Jason e Eve chegam ao seu destino final, Planeta Sophia, planeta natal da Eve e de onde surgiu a tecnologia pra enfrentar a ameaça dos mutantes.

Só que nem tudo sai como planejaram. Assim que eles chegam no planeta são apreendidos pela força militar do planeta e separados quase que imediatamente.

Jason só consegue escapar por causa dos tumultos que estão ocorrendo no planeta e descobre que os mutantes estão atacando o planeta Sophia novamente. Agora cabe a Jason e seu tanque G-Sophia SV sobrevivem a esse ataque enquanto procuram por Eve.

A história é bem simples e direta no começo, mas o desenrolar fica bem mais interessante que os anteriores e da um ótimo fechamento para a trilogia. Claro que eu não vou entrar em detalhes aqui, mas pessoalmente curti bastante o desenrolar da história, teve uns pontos que fugiram bem de clichês que me agradaram bastante.

Gráficos

a variação entre os 3 jogos

Os gráficos são todos em pixel art, assim como os jogos anteriores, mas como dessa vez foram feitos diretamente para consoles de mesa, tem como reparar que eles estão mais nítidos. Isso além que o jogo todo tem mais detalhes.

Não é falha na captura, é doideira da mudança de dimensão

Os efeitos especiais também ficaram bem legais, ainda mais quando você muda de dimensão no jogo, ai que o ambiente fica estranho e interessante. Isso eu comento posteriormente.

Áudio

As musicas e efeitos sonoros também seguem o estilo dos anteriores, usando chiptunes pra manter um clima mais retro, mas continuam tão boas como antes, com uma grande variação entre os locais que você explora no jogo.

Como não achei a ost do jogo no Spotify nem no Soundcloud, vou deixar o tema de chefes que está no Youtube pra você entender como está no jogo.

Quando a dublagem, depende da versão que você pegar. Caso pegue somente o 3º jogo digital, ele não tem dublagem, mas se pegar a versão da Trilogia completa, ele tem dublagem (o review foi feito a partir da versão separada sem dublagem). Segue o vídeo introdutório dos dubladores:

Pela curiosidade, segue uma lista rápida dos trabalhos de alguns dos dubladores:

  • Kensho ono: Dublador do Jason, faz o Hathaway Noa no Mobile Suit Gundam Hathaway e o Shikamaru Nara do Boruto;
  • Tamako Miyazaki: Dubladora da Eve, faz a Mayu Hanasaki no Lupin III e Iori Kobayashi em Tamayomi: The Baseball Girls;

Jogabilidade

Como comentei inicialmente, esse jogo usa bastante base dos anteriores, o que agiliza bastante a adaptação dele pros veteranos da série, mas mesmo que nunca jogou nada deles consegue pegar rápido como se joga ele, já que ele não é muito complicado, mas vai precisar treinar pra certas batalhas.

Menu

Seguindo os padrões anteriores, o menu é dividida em três abas distintas, uma para a G-Sophie SV, a do Jason e do Mapa.

A aba da esquerda é a da G-Sophie SV, mostrando os seus equipamentos e passageiros:

  • Armas principais: Os tiros principais do jogo. Dessa vez você não precisa segurar nenhum comando pra utiliza-los, mas eles tem uma carga própria (entro em mais detalhes na parte da exploração);
  • Armas secundários: Todas as armas dessa categoria utilizam SP, precisando ter um maior controle do seu uso, mas elas tem uma boa variação no seu uso;
  • Melhorias: Aqui mostra todas as melhorias que estão equipadas nela. Elas estão divididas em duas partes.
    • As que estão no lado esquerdo podem ser desativadas;
    • As que estão no lado direito não é possível desativa-las.

Como no segundo jogo, você pode criar atalhos para as armas, tanto das principais como as secundárias, assim da pra montar maiores estratégias e agir mais rápido nas batalhas.

Um detalhe final aqui é que se Jason está fora da G-Sophia SV mas ainda na mesma tela, se acionar o Fred (o sapo), ele te traz de volta pro veículo, não precisando voltar tudo a pé.

Na aba central é para o Jason. Aqui você tem acesso à:

  • Armas principais: os ataques básicos do Jason, podendo ver o nível delas pela parte de informação. Elas não tem gasto de energia ou munição;
  • Armas secundárias: As armas de apoio do Jason. Essas tem uma quantidade limitada, precisando ter controle do seu uso;
  • Contra-Ataques (Novidade): Aqui mostra todos os equipamentos relacionados aos contra-ataques. Diferente do segundo jogo, você pode deixar todos equipados, já que o modo de ativação deles são diferentes;
  • Extras (Novidade): Qualquer melhoria ao uniforme do Jason é colocado aqui, mais pra controle do que você tem, podendo ver as informações deles.

Assim como na aba da G-Sophia SV, você pode deixar preparado dois equipamentos nos atalhos, agilizando os combates;

Na aba da direita é a parte do Mapa. Aqui você tem um visualização geral da área que está investigando e se pegou o mapa dali, dá pra ver quais os pontos que ainda não foram investigados e aonde estão os itens. Além disso dá pra ver quais equipamentos faltam na área, claro, não tem como saber quais são, mas dá pra ter uma base pelo menos.

Exploração com a G-Sophie SV

Na exploração usando a G-Sophie SV, a jogabilidade é no estilo metroidvania, com bastante exploração e procura de equipamentos para passar pontos que não dava pra acessar antes.

Apesar de começar sem a maioria dos equipamentos do segundo jogo (pelo menos deram a desculpa de terem retirado pra analise enquanto ele estava preso, não simplesmente esqueceu eles no bolso da outra calça XD), o Sistema Gaia continua ativo. Com ele, ao cair de um ponto muito alto ou receber dano, você recarrega a energia das duas armas, só precisa tomar cuidado pra não abusar e morrer com tanto dano.

Sem carga na arma principal
Sem carga na arma secundária
Sem carga em ambas as armas
(no estilo “Destroyer” do 1)

(Novidade): Agora G-Sophia SV tem duas barras de energia de armas, a das principais e a das secundárias e ao consumir tudo delas as cores do veiculo mudam pra indicar o que está carregando (quando esgota recarrega automaticamente).

  • Quando estiver sem carga da arma principal, os tiros ficam fracos, não conseguindo usar as outras versões;
  • Quando estiver sem carga das armas secundárias, não dá pra usar nenhuma delas e nem as habilidades que utilizam SP dessa barra.

(Novidade): outro detalhe da recarga da arma principal é que, caso você atire bem no momento que a recarga estiver completa, solta um laser bem forte. Só cuidado em ficar sem carga em ambas, pois dependendo do momento, você pode morrer num único ataque, mesmo que esteja com a vida completa.

Você pode selecionar as armas principais e secundárias diretamente na tela do jogo sem precisar entrar no menu, assim também fica fácil responder aos ataques durante as explorações.

Repare que o mutante até te cumprimenta haahahaha

(Novidade): uma coisa nova é a utilização dessas 4 pernas, que libera conforme avança no jogo. Além de andar em certas superfícies sem tomar dano ou quebrar, consegue enganar alguns mutantes.

Como nos anteriores, você pode sair do veículo e andar com o Jason nessas áreas, mas é perigoso pois ele fica muito vulnerável (mas muitas vezes é necessário). Esses pontos são os save points do jogo. Se estiver fora da G-Sophia SV, você pode chamar ela nesses pontos e também utiliza-los para viagem rápida aos pontos que você já liberou.

(Novidade): Outra coisa que adicionaram pro Jason nesses pontos é a possibilidade de planar, já que se ele cair de algum lugar alto sem isso, morre na hora, há não ser caia na água.

(Novidade): Outro detalhe agora é que existem esses dois itens no jogo. Eles servem para adicionar um escudo protetor no Jason e no G-Sophia SV, mas eles são descartáveis.

Você pode ter até 16 pontos de defesa com eles e caso perca, não recupera automaticamente, precisando esperar que reapareçam no estágio ou encontre novos.

Explorações com o Jason

(Novidade): Enquanto a exploração nessa parte segue praticamente os mesmos moldes dos anteriores, tem uma grande modificação aqui (que eu agradeço muito). Dessa vez, você não perde as armas quando recebe dano, então você sempre tem as 5 armas do jogo. O que perde aqui é a força delas. Por causa disso, agora temos switchs que ativam com o uso da arma correta (siga pela cor dos ícones).

A variedade das armas é menor, mas pelo menos menos dessa vez você consegue atacar com todas elas sem se preocupar em perder as armas, dai deixando elas configuradas nos atalhos te facilita bastante, mas também tem como trocar dentro da área de ação.

(Novidade): Agora você também tem como se esquivar sem o uso dos contra ataques, o que ajuda bastante durante os combates e também é utilizado pra passar em certos pontos, como essas esteiras. Só precisa se atentar que ela usa a mesma barra de energia dos contra ataques.

Os contra ataques continuam no jogo, quando aparecer a mira no inimigo após algum dos seus ataques, basta apertar o botão necessário pra desferir o ataque, contanto que tenha energia.

Sistema VRV (Novidade)

Animação ficou muito boa

A maior novidade desse jogo é o Sistema VRV. Com ele você tem acesso a espaço super-dimensional, o mesmo aonde ocorre algum pontos principais dos outros 2 jogos.

Esses buracos são o acesso a nova dimensão, que ao utiliza-la, você terá acesso a pontos antes inacessíveis do jogo.

Enquanto a navegação em si não muda entre as dimensões, algumas regras de físicas mudam. Quando você está nessa nova dimensão nas partes do Jason, o layout e inimigos que aparecem nele mudam a cada acesso, então não adianta decorar caminhos nessa parte.

Já na exploração com a G-Sophie SV, dependendo da área ela muda completamente, podendo inverter a gravidade ou aparecer quebras dimensionais que podem te matar com o simples toque. Em ambos os casos, usar a super-dimensão é extremamente necessária para alcançar vários pontos secretos no jogo, então abuse dela o quanto puder.

Conquistas

Conquistas censuradas pra evitar spoiler

O jogo mantém a mesma dificuldade dos anteriores e é possível conseguir todas as conquistas num único save se você souber exatamente o que precisa fazer. Os mais trabalhosos são:

ConquistaDescrição
???????????????Fazer o final verdadeiro
Gaia System Master Usar muito o Gaia System
Beyond the MetafightDerrotar o Metal Attacker
Warrior of SophiaDerrotar o ultimo chefe com o 2º personagem
Careful CollectorPegar todos os itens
Primeira conquista não está com o nome pra não ter potencial spoiler

Conclusão

Essa arte ficou muito bonita

Blaster Master Zero 3 finaliza a trilogia da série com bastante novidades e um final satisfatório pra a saga, puxando muita coisa dos anteriores justamente pro aproveitamento daqueles que conhecem a série.

A parte gráfica do jogo ficou boa pra aqueles que curtem pixel art, deram mais detalhes ao seu veículo e sprites nas duas variações do jogo, além que vários efeitos especiais de luz também receberam uma boa atenção, agradando bastante os olhos.

As musicas mantiveram o mesmo estilo dos seus predecessores, sendo em chip tunes que agitam bastante durante as batalhas de chefes, enquanto nas explorações deixam umas mais misteriosas (dependendo do ponto do jogo, claro) pra manter o clima do momento.

As novidades das mecânicas de combate também adicionaram um ponto interessante ao jogo, uma pena que, igual ao segundo jogo, não temos nenhum extra ao finaliza-lo, mas ainda assim continua com uma exploração muito boa pros fãs de metroidvania.

Se você jogou os anteriores e gostou, pode ir sem medo nesse que a diversão é garantida.