Review / Tutorial: azure striker gunvolt: striker pack

Ola, aqui é o Pena e continuando os posts de jogos de plataforma, dessa venho com a coletânea dos dois primeiros jogos da série Gunvolt, o Azure Striker Gunvolt: Striker Pack.

Produzido e distribuído pela Inti Creates, é da mesma produtora que produziu os jogos “Dragon Marked for Death“, os dois “Bloodstained: Curse of the Moon” (temos review do 2º jogo aqui), além da tetralogia do “Mega Man Zero” e os dois “Mega Man ZX“, então algumas semelhanças com esse dois últimos não é mera coincidência.

Como os dois jogos desse pack tem grandes semelhanças, tanto em gráficos e jogabilidade, esse review vai abordar ambos de uma vez e aonde tiver alguma diferença significativa, eu marcarei da seguinte maneira:

  1. Azure Striker Gunvolt 1 = ASG1 (em azul pra chamar a atenção)
  2. Azure Striker Gunvolt 2 = ASG2 (em vermelho pra diferenciar logo de vista)
Review feito em base da versão do PlayStation 4
(código cedido pela Inti Creates)

Titulo: Azure Striker Gunvolt: Striker Pack
Produtora: Inti Creates
Distribuidora: Inti Creates
Gênero: Ação / Plataforma
Plataformas: PlayStation 4, Nintendo Switch e 3DS (Striker Pack) / PC (Separados)
Mídia: Física e Digital
Textos: Inglês, Coreano, Chinês, Japonês, Francês, Italiano, Alemão, Espanhol, Português.
Dublagem: Japonês

Links pra compra:

História

Azure Striker Gunvolt 1

Num mundo aonde surgiram humanos com poderes especiais que são classificados como Adeptos, a Sumeragi, uma das mais antigas organizações do mundo, controla boa parte desses humanos e usa eles como bem entendem, mantendo a população numa “falsa paz“.

Nesse cenário controlamos o Adepto conhecido como Azure Striker Gunvolt, ou GV pra facilitar, que trabalha em conjunto com a Quill, que é tida como uma organização terrorista que quer acabar com o controle da Sumeragi.

Muita coisa ocorre logo no começo que muda um pouco a premissa inicial, mas não vou entrar detalhes pra não estragar as surpresas.

Azure Striker Gunvolt 2

Pouco tempo depois dos ocorridos do primeiro jogo, Gunvolt não trabalha mais em conjunto com a Quill, realizando trabalhos por conta, tentando de alguma forma melhorar a relação entre os humanos e Adeptos.

Mas claro que nada sai como planejado, agora a organização Eden, que promete um paraíso SOMENTE para os Adeptos e começa diversos ataques visando os humanos.

Personagens

Gunvolt no ASG1

Gunvolt

Usuário da Septima “Azure Strike”, que lhe da controle sobre correntes elétricas, podendo usar tanto para ataque e defesa, além de usar até pra hackear equipamentos eletrônicos.

Copen

Humano que por vários motivos está caçando os Adeptos e jurou acabar com todos eles.
Usa tecnologia que lhe permite roubar as técnicas dos Adeptos que derrota, tornando-se uma grande ameaça.

Copen no ASG1

Gráficos

ASG1 Vs. ASG2

Ambos os jogos usam gráficos em pixel art puxando pro estilo anime, ambos bem detalhados.
Em termos SÓ DOS SPRITES, a qualidade de ambos são praticamente as mesmas, mas quando levamos em consideração os EFEITOS ESPECIAIS, o ASG2 tem uma grande melhoria, principalmente nos efeitos da esquiva “Prevasion“, além de diversos ataques.

Só lembrando, o jogo original é de 3DS, mas os ports pra console e PC ficaram com uma qualidade gráfica muito boa, deram um bom trato na arte nele.

Também vale comentar que os menus no segundo jogo também ficaram mais limpos, tem uma visualização melhor deles.

Uma das diversas artes do jogo

Em diversos pontos do jogo temos essas artes mais detalhadas, agrada muito os olhos quem curte esse tipo de arte.

É jogo de plataforma, mas tem MUITAS conversas nos dois jogos

Enquanto a parte de ação é toda em pixel art, nas diversas conversas que ocorrem no jogo são mostrados avatares dos personagens mais limpos, tanto dos aliados como dos vilões, ficaram muito bonitos também.

Áudio

As musicas do jogo LEMBRAM um pouco os chiptunes, mas não são feitas neles. Boa parte é mais puxado pro eletrônico, algo bem recorrente nos jogos de plataforma, muito boas.
Como na história do jogo envolve a Idol Virtual Lumen, dependendo do que você faz no jogo, entra musicas do estilo JPOP cantadas pela personagem, da uma boa quebra no ritmo, mesmo quem não curte tanto esse estilo (eu incluso) consegue aproveitar bem elas, agradam bastante.

As musicas do primeiro jogo estão no SoundCloud, então vou deixar o player aqui pra você curtir elas enquanto lê o review.

Outro ponto bom é que o jogo é todo dublado, mas somente em japonês, mas quem curte anime, provavelmente prefere assim.

  • ASG1: Um detalhe do primeiro jogo é que as vozes só aparecem caso você deixe a opção “English with Japanese voice” nas opções antes de iniciar o jogo, qualquer outra língua, fica sem as vozes.

Sobre os dubladores, vale comentar sobre alguns deles:

  • Kaito Ishikawa: Dublador do Gunvolt, dublou o Nero no Devil May Cry 4 e Genos no One Punch Man;
  • Kosuke Masuo: Dublador do Copen nos 2 primeiros jogos e no anime, só dublou um outro personagem, o Taichi Betsuyaku do anime World Trigger;
  • Megu Sakuragawa: Dubladora da Lumen e da Joule, dublou a Ako Udagawa do anime BanG Dream! e Ashe Rufflette Sakuragi de Wagamama High Spec
A Idol virtual Lumen

Jogabilidade

Tela inicial da coletânea

Logo no inicio da coletânea, você escolhe qual dos 2 jogos você quer jogar.
Nas opções gerais você só consegue acertar a língua de cada jogo e a vibração do controle, qualquer outra configuração é feita dentro de cada jogo.

Um detalhe, você só consegue trocar de jogo ao fechar o programa e inicia-lo novamente, não tem como alternar entre eles dentro do jogo.

Menu das missões

Menu de missão do ASG1
Menu de missão do ASG2 com o Copen

Boa parte dos dois jogos usam a mesma estrutura de jogo é igual pra ambos os jogos, com algumas melhorais no segundo jogo.

Vale pontuar que, no ASG2 você tem o controle de ambos os personagens no mesmo save e cada um deles tem algumas missões próprias, então nem todo o jogo é repetição da outra campanha, além de claro partes da história que você só vê jogando com os dois personagens.

No menu de missões, além de escolher qual área você quer explorar, tem toda a parte de preparação do personagem, então vamos aos poucos.
Só vou pular o primeiro ícone do menu ( e ) pois eles somente retornam pra a escolha de missão, nada além disso.

Loadout

Menu no ASG1

Essa parte é aonde você prepara o personagem para as missões, colocando novos equipamentos e técnicas, além de ver o inventário.
No ASG1 também tem a opção de ver os status nessa parte, enquanto no ASG2 mostra direto no menu de Loadout.

ASG1
ASG2

Gunvolt pode equipar quatro técnicas, especificando qual direção você deseja deixar as técnicas. Repare que no lado de cada técnica tem um número, esse é o gasto de SP (Skill Point) deles, na parte das missões eu entro em mais detalhes de como funciona.
No ASG2, além de especificar qual direção você quer deixar a técnicas, você pode especificar uma com um atalho rápido, sem ter que acionar a direção do comando.

Um detalhe final é que no ASG1 você só pode equipar as técnicas nesse menu, enquanto no ASG2 você consegue escolhe-las durante as missões também.

ASG1
ASG2

Em Gear você pode equipar os equipamentos que tiver no inventário.

  • Bolts: O tipo de tiro que sua arma irá utilizar.
    No ASG1 os dardos determina o tipo tiro E a qualidade de miras (Tags) possíveis.
    No ASG2 os dardos determina APENAS o tipo do tiro;
  • Clips: Exclusivo do ASG2, ele determina a quantidade de Tags e afeta o flashfield;
  • Left / Right Eye: Equipamentos com diversos efeitos, que afetam restauração de EP, itens que os inimigos deixam e vários outros.
  • Ring: Outros efeitos, tal como permitir pulo duplo / triplo e dash aéreo;
  • Pendant: A maioria deles afeta o Flashfield no ASG1, enquanto no ASG2 é mais focado pra seleção das musicas da cantora.

No ASG1 pra melhorar os equipamentos é apenas na parte de sintetização deles, enquanto no ASG2 eles melhoram enquanto são utilizados nas missões, recebendo exp aos poucos

Menu do Copen é um pouco diferente

Copen tem uma jogabilidade diferente do Gunvolt e está disponível apenas no segundo jogo, então não estranhe que eu só comento dele nele.

Em Ex Weapon você acessa as técnicas que você adquiriu ao derrotar os chefes.
Pra aqueles que conhecem a série Mega Man, vai reparar a semelhança e o funcionamento é quase o mesmo estilo, escolhendo a técnica tanto no menu como selecionando direto durante a ação das missões

Equipando as subrotinas

Em vez de equipamentos, Copen equipa sub-rotinas na sua armadura.
cada uma delas necessita de um espaço de memória, marcado no número a frente do nome.
Enquanto tiver espaço na memória e a sub-rotina não ultrapassar esse limite, você pode equipar quantas quiser.
A quantidade de memória é aumentada ao encontrar itens específicos nas missões.

Pra ambos os personagens, o limite de equipamentos / sub-rotinas que você pode guardas é 50 unidades, mas dificilmente chegara nesse limite.

Stats do Gunvolt no ASG1

Isso é mostrado em ambos os jogos, mas usando o do ASG1 que é maior.
Os personagens recebem exp ao derrotarem inimigos e sobem de nível. Quando evoluem, recebem mais HP e em alguns níveis, tem também:

  • Gunvolt: aprende novas técnicas de combate;
  • Copen: recebe mais espaço de memória no seu equipamento.

Talk

Aqui é somente uma interação com os NPCs dos jogos, bom pra pegar algum detalhe da história, mas é mais útil no primeiro jogo por certos motivos que eu não entrarei em detalhes.

Challenges

ASG1
ASG2

Conforme você avança no jogo, vai liberando alguns desafios não obrigatórios. Ao completa-los, você recebe itens, que estão marcados na parte de Rewards.
Boa parte deles estão relacionados a certas ações dentro de missões especificas, mas tem um porem, você precisa finalizar a missão pelo menos uma vez pra liberar os desafios e o jogo só reconhece depois que é liberado, então se por exemplo um deles é finalizar uma missão em 10 minutos, mesmo que você tenha ja feito isso, precisa retornar na missão pra fazer de novo.

  • ASG1: no primeiro jogo você precisa aceitar o desafio antes de realiza-lo, senão não vai contar e tem um limite de 3 desafios por vez;
  • AGS2: já no segundo jogo não precisa aceitar o desafio, só precisa liberar ele, se conseguir fazer 4 desafios, todos são reconhecidos.

Um detalhe final no ASG2 é que você pode filtrar as conquistas pra facilitar a visualização delas.

Dealer / Synth

A loja do primeiro jogo

Apesar dos nomes serem diferentes, ambos tem a mesma função, criar e vender itens.

Synth no segundo jogo com o Copen
  • Gunvolt: em ambos os jogo, você cria os equipamentos dele;
  • Copen: com ele você cria as sub-rotinas da sua armadura.

Independente de qual dos personagens ou jogos você estiver jogando, pra criar os itens são necessários materiais e créditos recolhidos nas missões.
As quantidades necessárias, preço e efeito são marcados na pagina do lado esquerdo.

Outro detalhe, conforme você vai criando os itens, mais aparecem, então claro que os melhores não estão disponíveis desde o começo.

Save

Joule te lembrando que o ~jogo não tem save automático

Tal como a Joule e outros NPCs nos jogos falam esse jogo não tem save automático e você só consegue salvar ele entre as missões.

ASG1
ASG2

Em ambos os jogos você tem 4 slots pra salvar o seu jogo.
Na tela da esquerda tem as informações básicas da sua partida, como LV, tempo e quais missões já foram completadas

Controls

Nessa tela você configura os comandos do jogo, dai você pode adaptar eles do jeito que você quiser, sem muito segredo aqui.

Playlog

Essa só tem no primeiro jogo

Exclusivo do ASG1, aqui mostra as estatísticas do jogo, mais pra controle e curiosidade do jogador mesmo.

Selecionando a missão

Menu de confirmação de missão do ASG1

Em ambos os jogos, independente de qual personagem estiver usando, ao selecionar uma das missões, esse menu aparece. Somente no primeiro jogo mostra quais os desafios estão ativos, já que como foi explicado, você precisa aceitar o desafio pra contar.

O Briefing mostra um pequeno resumo da missão que você escolheu, além de mostrar quais materiais você tem chance de receber ao completar o estágio.

O Kudo Style é a configuração usada pra adquirir os Kudos (explico melhor na parte das missões), tendo 3 configurações

ModoEfeito
GutlessnNo perde Kudos ao receber uma ataque,
mas o menos multipicador de pontos é menor
CautionsO padrão do jogo, você consegue segurar os Kudos adquiridos por até 2 ataques, no 3º reseta o contador
FearlessPerde os Kudos acumulados no primeiro ataque,
mas o multiplicador de pontos é maior
Escolha um que você se adapta melhor no jogo

Missões (Geral)

Antes de explicar o funcionamento das missões no geral e entrar nos detalhes de cada personagem, só adiantar um detalhe do ASG2.

Como comentei, no mesmo save dele você tem os dados dos 2 personagens, mas pra trocar o personagem que você quer jogar, precisa retornar pra a tela titulo do jogo, carregar o seu save e ali escolher qual deles deseja continuar a sua partida.

Como comentei, esse é um jogo de plataforma e tiro, mas com uma ação relativamente rápida, principalmente nos chefes, neles precisa decorar uns padrões pra conseguir passar.

Kudos acumulados no modo Cautions

Esse “X10.0 / 54” são os multiplicadores e os tais Kudos que eu comentei agora pouco no texto.
Ambos os jogos tem pontuação e conforme você acerta e derrota inimigos, vai acumulando os Kudos que depois são convertidos em pontos conforme o multiplicador.
Quanto mais inimigos derrotar em sequencia, maior o multiplicador, mas dependendo do estilo que você está usando, pode perder tudo.

Aqueles três retângulos logo abaixo do 54 indica a quantidade de vezes que você tem pra ser acertado antes de perder todos os pontos.

O ganho de Kudos varia entre o Gunvolt e o Copen, já que as suas jogabilidades são bem diferentes, mas essa parte de ganho eu não entrarei nos detalhes justamente pra deixar você descobrir as melhores estratégias

Lumen ajudando Gunvolt
Lola ajudando Copen

Em ambos os jogos, quando você alcança 1000 Kudos, a sua parceira começa a cantar, trocando a musica do estágio por uma das cantadas. Nesse momento, o personagem fica mais forte.
Por motivos da história, só no ASG2 que elas aparecem assim, não vou entrar em detalhes.

Caso você sofra um dano fatal, tem uma chance da sua parceira te reviver, mas não é garantido, então não dependa muito disso.
No ASG2, além de reviver, os personagens ganham alguma técnica extra, mas não consegue mais acumular Kudo até morrer novamente.

Checkpoints no ASG2

Durante as missões você vai encontrar esse símbolos (no ASG1 é uma “Pena“), eles são os checkpoints. Caso você morra, sendo por ataque, caindo num buraco ou até nos espinhos (que não são letais ao ponto de tocar e já morrer), você reinicia a missão desse ponto.
Mas claro que não é de graça. Ao tocar no símbolo, ele contabiliza os seus Kudos direto pra a sua pontuação, perdendo qualquer bônus que a sua parceira estiver lhe dando.

No jogo tem blocos quebráveis, alguns só são destrutíveis com o Copen, mas em todos os casos, liberam alguns caminhos ou itens secretos.

Ambos os personagens tem o pulo na parede, será bem útil na exploração das missões.

Nos dois jogos você encontra esses containers distribuídos no cenário. Alguns tem dinheiro ou item de cura, mas também podem conter essas medalhas.
Elas servem pra conseguir mais materiais no final da missão.

Em alguns pontos das missões, você fica preso numa sala com essa sirene.
Enquanto não destruir ela ou todos os inimigos, você não consegue fugir dela.

Esses portal, conhecido como Hexapyle, tem que ser destruído pra avançar pra a próxima área da missão, geralmente tem um checkpoint logo na entrada da próxima área.

No jogo tem bastante conversa no meio da missão e o texto fica na tela, dependendo da ação vai te atrapalhar bastante, mas tem como desativar eles, só que vai perder um pouco da conversa.
Mais recomendado usar isso depois que você já completou a missão e voltou nela pra tentar um dos desafios, sem se preocupar com a história.

No final de cada missão, tem um calculo de rank, baseado na sua pontuação e velocidade pra completar o estágio.
Dependendo da sua velocidade, você recebe um bônus ou penalidade na pontuação, então não enrole muito se estiver tentando fazer ranks altos.

Depois da contagem de pontos, você recebe “tentativas” baseado no rank somando com a quantidade de medalhas que você coletou no estágio.
Logo em seguida aparece essa tela com várias “caixas” e você pode abrir uma a cada tentativa acumulada, só decida rápido pois tem 30 segundo total, se passar, ele abre automaticamente com as tentativas restantes.

Vale lembrar que os materiais utilizados pra criar itens são conseguidos APENAS nessa tela final e com os desafios.

No ASG2, caso você conclua um desafio ou um equipamento melhore, ele avisa, assim você não precisa verificar toda hora.

Jogando com o Gunvolt

A jogabilidade do Gunvolt é um pouco diferente do clássico “atire sem pensar muito“, você precisa montar umas pequenas estratégias pra usar os poderes dele com eficácia.

Antes de usar o flashfiled de forma ofensiva, você precisa atirar os dardos nos inimigos pra criar as TAGs (essa mira que aparece no inimigo).
Tem 3 cores:

  • Azul: 1 tag;
  • Amarelo: 2 tags;
  • Lilas: 3 tags.

O tipo de dardo que você utiliza determina como será o tiro da arma, tendo efeitos como sair 2 dardos ao mesmo tempo, direcionar o tiro, entre outros.

Gunvolt no ASG2

Assim que algum inimigo ou objeto tiver uma tag, ao acionar o flashfield, um raio sai do Gunvolt em direção da tag e enquanto você segurar o comando, o ataque continua enquanto tiver EP (Energy Point), que é aquela barra que aparece debaixo do personagem e também é aquela PORCENTAGEM debaixo da barra de vida.

Dependendo da quantidade Tags no inimigo, o dano é maior, mas você pode acertar vários alvos ao mesmo tempo, levando em consideração a quantidade máxima de tags do equipamento.
Eu comentei isso na parte dos equipamentos, mas relembrando:

  • ASG1: o limite de Tags está no próprio dardo;
  • ASG2: o limite é designado pelo equipamento Clip.
Plataforma ativada pela energia

Essa mecânica das tags e do flashfiled também são utilizados nos puzzles das telas, então você vai precisar entender bem como funciona pra avançar várias partes enquanto jogar com ele.

O Flashfield também pode ser utilizado de forma defensiva. Misseis e outros objetos físicos pode ser destruídos com ele, evitando o dano

Outra função do Flashhfield é planar enquanto ele está ativado, isso ajuda bastante pra passar algumas áreas com buracos grandes.

O efeito do Prevasion no ASG2 ficou bem mais detalhado

Outra habilidade do Gunvolt relacionada ao EP é o Prevasion. Enquanto o Flashfield estiver desativado e você ainda tiver EP, ele consegue evitar a maioria dos ataque, não todos, assim não tomando dano, mas consome uma certa quantidade de EP a cada ativação.
Mas um detalhe, ele evita O DANO, mas como mostra na gif, ele não evita o HIT caso esteja utilizando o estilo de Kudos Cautions e Fearless.

Velocidade reduzida na gif pra mostrar o efeito

Pra recuperar rápido o EP, basta estar em algum terreno, independente de ser chão ou uma plataforma flutuante, e apertar 2 vezes para baixo, Gunvolt faz essa animação e recupera todo o EP dele de uma vez

Se gastar tudo, tem que esperar um pouco pra reutilizar

Enquanto não estiver usando o flashfiled ou qualquer outra técnica que utilize EP, ele recupera automaticamente, mas caso gaste tudo, Gunvolt sobreaquece, a barra e números da porcentagem ficam vermelhos. ficando impossibilitado de utilizar os poderes e vulnerável.

Eletricidade na água não dá certo

Claro, uma das fraquezas do Gunvolt é água, enquanto estiver nela, nada de usar o flashfield. Caso tente, ele entra no estado de sobreaquecimento na hora.

Gunvolt consegue realizar uma rápida corrida. Juntar ela com o pulo e flashfield vai te ajudar a cobrir maiores distâncias na exploração, além de ajudar na corrida contra o tempo dos ranks.

Ele também tem pulo duplo / triplo e dash aéreo, mas é necessário equipar um amuleto correto pra ativar essas habilidades.

No canto inferior esquerdo você encontra essa barra:

Ela é a sua marcação de SP (Skill Points) usadas pra ativar as técnicas extras do Gunvolt e recarregam aos poucos.

  • Técnicas ofensivas causam um bom dano, mas força a contabilização dos Kudos, resetando o contador;
  • Técnicas de suporte, como a cura, não forçam a contabilização dos Kudos, podendo usar mais livremente mesmo enquanto está tentando acumula-los.

Qualquer técnicas utilizada precisa aguardar um tempo para utilizar novamente.

Um detalhe final, caso derrote os chefes e subchefes usando uma skill como golpe final, você recebe um bônus de Kudos (isso também funciona com o Copen).

Jogando com o Copen

O veteranos da série Mega Man vão se adaptar mais rápido com a jogabilidade do Copen, que tem boa base nela, mas tem vários detalhes próprios que, dependendo da sua habilidade, deixar a partida bem mais agressiva do que com o Gunvolt.

Uma das técnicas roubadas dos chefes

Como nos jogos da série Mega Man, quando você derrota um chefe, você rouba a habilidade dele, podendo utiliza-la conforme tem energia pra utilizar elas, que é indicado pela barra logo abaixo da vida do Copen.
Quem muda de cor e forma ao escolher uma arma não é o Copen, mas sim a Lola, além dos outros bots que te acompanham.

Mas temos um bônus aqui, você não precisa pegar item pra recarregar a barra, ela recupera automaticamente. Os chefes também tem fraquezas pra certas armas, só precisa descobrir quais são elas, algo que eu não vou deixar aqui.

Com uma delas você consegue destruir blocos que não conseguiria com qualquer outro ataque, nem mesmo com o Gunvolt.

Se você estiver com a barra de EX Weapon cheia, aparece um escudo logo abaixo dela.
Enquanto estiver nesse estado, qualquer projétil físico que entrar em contato com os seus bots é repelido. Essa proteção NÃO CONTA como hit na contabilidade dos Kudos.

Enquanto Gunvolt tem a corrida, Copen usa dash. Só que ele funciona um pouco diferente.
Ele pode ser utilizado como um dash normal de jogo de plataforma, dando um impulso pra frente, como também usando pra movimento rápido usando paredes, chão e teto como apoio, avançando rapidamente os cenários.

Quando ele é utilizado somente como impulso frontal, não há gasto algum, mas se usar ele no ar ou pra um impulso aéreo, ele utiliza 1 bala .
Se você conseguir fazer o ricochete nas paredes e tetos, a cada impulso você recupera 1 bala pra cada impulso.

Copen no ASG2

E o dash é um dos pontos da jogabilidade agressiva dele, já que se você acertar um inimigo com o dash, além de recuperar balas, aciona a mira no oponente, aonde todos os seus tiros e EX Weapons são direcionados a ele, mesmo que não esteja olhando pra direção do seu alvo.

Copen copiou a técnica Prevasion do Gunvolt, mas como ele é um humano e não tem EP, ela é acionada gastando 1 bala, mas o funcionamento dela é a mesma, a maioria dos danos são evitados, mas CONTAM como hit pra contagem de Kudos.

velocidade reduzida pra mostrar a animação
Pouso forçado recarregando as balas.

As balas vão recarregando aos poucos também, mas é possível recarrega-las de uma vez apertando 2 vezes pra baixo, acionando a animação da primeira imagem.
Se você estiver planando, também consegue recarregar as balas, ele vai realizar um pouso forçado, causando dano em inimigos perto e recarregando as balas no processo.

Esse quadrado que o Copen está pra pegar é um cartão de memória, só aparece enquanto joga com ele. Serve pra aumentar a capacidade de sub-rotinas que ele pode equipar.

Copen também tem técnica extras, mas funciona um pouco diferente do Gunvolt.
Ele só tem duas técnicas:

  • Ofensiva: Funciona que nem as técnicas de ataque do Gunvolt, também força a contabilização dos Kudos;
  • Cura: A técnica de cura é ativada dentro do menu, não tem atalho durante a ação e como as de Suporte, não força a contabilização dos Kudos.

Copen não tem SP, já que cada técnica tem sua utilização separada, mas ambas precisam aguardar um tempo pra utilizar novamente.

Extras

No ASG1, além de ter 2 finais, existem outras duas dificuldades liberadas desde o inicio. Não é possível trocar a dificuldade do seu save e cada dificuldade tem seus próprios slots de save separados, tendo 4 pra cada dificuldade.
Algumas especificações importantes das dificuldades:

DificuldadeDetalhes
Easy ModeFlasfield é mais forte;
Prevasion ativa mesmo durante o Flashfield;
Kudos não são perdidos quando tomar dano.
Hard ModeHP bem menor;
Espinhos causam morte instantânea ;
Não dá pra criar itens;
Recebe bem mais Kudos;
Flashfield é bem mais forte.
A alergia a espinhos é ativada no Hard

Já no ASG2, quando você faz o final verdadeiro dele, além de liberar missões secretas pra ambos os personagens, também aparecem dois novos modos:

ModoDetalhes
Score AttackO jogo recebe novas regras, deixando ele bem mais difícil,
enquanto você tenta fazer altas pontuações.
SpeedrunParecido com o Hard Mode do ASG1, não tem Prevasion,
criação de itens e outros detalhes.

Conquistas

Minha habilidade não vai me permitir fazer a platina tão cedo

Ambos os jogos, se for jogar sem se preocupar tanto com os desafios extras, não são muito difíceis, mas se estiver atrás das conquistas, pode sentar e chorar por que a história é bem diferente, pegaram pesado numa delas.
A lista do segundo jogo é bem mais tranquila em comparação ao do primeiro jogo, que é bem mais punitivo na parte de rank.

Apesar da lista do PlayStation 4 unir as conquistas de ambos os jogos numa lista só, a lista deles são iguais a versão da Steam, então segue separados por jogos pra você entender:

Azure Striker Gunvolt 1

ConquistaDescrição
My Songs Will Be Your WingsConseguir o final verdadeiro
Surmount the InsurmountableConseguir rank S+ em todas as missões
Seeker in BlueCompletar todos os Desafios
The Muse’s VoiceEscutar todas as musicas do jogo

Azure Striker Gunvolt 2

ConquistaDescrição
I’m Happy Like ThisVer o epilogo secreto do jogo
This is My Stage!escutar todas as músicas do jogo

Conclusão

A coletânea dos dois jogos da série é muito bom, aqueles que curtem jogos de plataforma clássicos vão aproveitar muito ele, justamente por ter dois ótimos jogos em mãos.
Ainda mais no segundo jogo, com a possibilidade de jogar com o Copen, que tem uma mecânica bem diferente que o Gunvolt, da uma oportunidade extra pra curtir o jogo de outra maneira.

Um comentário