Review / Tutorial de Evil West

* Esta análise foi feita com o código cedido pela Focus Home Interactive (versão PS4/PS5)

Distribuidora: Focus Home Interactive
Produtora: Flying Wild Hog
Plataforma:  PS4 / PS5 / Xbox One / Xbox Series S / Xbox Series X / PC
Mídia: Física e Digital
Ano de Lançamento: 2022


Evil West é um jogo de tiro em terceira pessoa onde um caçador de vampiros precisa lidar com uma infestação no Velho Oeste americano.

INSTITUTO RENTIER

Evil West se passa no “velho oeste” americano, um local sombrio, habitado pelos sanguineus, uma raça vampírica que já estava presente na America quando os Pais Fundadores começaram os Estados Unidos da América.

William Rentier é o diretor do Instituto Rentier, o pai linha dura de Jesse
Um homem de fortes ligações com o governo americano


O Instituto Rentier, administrado por William Rentier possui ligações com o governo americano, agindo como linha de defesa contra os vampiros.
Jesse Rentier, filho de William, é o personagem principal do jogo e um agente de campo, cuidando diretamente das ameaças, junto de seu parceiro, Edgar Gravenor, que pretendia se aposentar.

Jesse e Edgar adentram Calico, uma das sedes do Instituto


Durante a perseguição e captura do vampiro Chester Morgan, que se tornará um refém “informante não-voluntário” de Jesse e Edgar, a dupla se vê às voltas com uma ameaça maior, quando Peter D’Abano e sua “filha” Felicity desafiam o Concílio vampírico, temendo a rápida expansão tecnológica dos seres humanos.

GUNS, LOTS OF GUNS

Jesse conta com um arsenal considerável para combater os sanguessugas.
Sua ferramenta principal é a manopla, capaz de concentrar e disparar descargas elétricas, além de aumentar o impacto de socos, transformando-se em uma soqueira adaptada e com três lâminas cortantes.

Melhorias de armas também podem ser encontradas em blueprints
A manopla pode ser evoluída através da compra de perícias com os pontos de experiência


As arma de escolha são o revólver, o rifle, a besta, o lança-chamas, a escopeta, o kit de explosivos e a cruz*.
Elas podem receber melhorias compradas com dinheiro, cada uma com duas melhorias disponíveis.
Não há preocupação com munição ao usá-as, embora a escopeta, o lança-chamas, a metralhadora e a cruz possuam tempo de recarregamento, funcionando como habilidades, não sendo armas de uso contínuo.

* A cruz serve com poder de atordoamento, eletrificando temporariamente os inimigos na tela.

A cruz é um grande artefato para combate, atordoando todos o inimigos próximos
A besta é uma das melhores armas do jogo, depois dos upgrades


Voltando à manopla, ela recebe upgrades com pontos de experiência, conforme Jesse sobe de nível, recebendo mais funcionalidades de combate e bônus de ataques.
A descarga de energia é habilidade máxima utilizando boa parte da eletricidade acumulada na manopla. Durante seu uso, Jesse ataca em velocidade acelerada (como um teleporte curto, no melhor estilo Noturno dos X-Men) e dispara tiros concentrados de energia pura.

A Sobrecarga torna Jesse superpoderoso por alguns segundos

EXPLORANDO O OESTE SOMBRIO

O título utiliza o sistema de fases, sendo cada cenário um capítulo próprio.
Embora o jogo seja bastante linear, há caminhos secundários com coletáveis (cartas, diários e jornais) e dinheiro para ser coletado em baús quebráveis e escondidos em objetos; também é possível encontrar dinheiro nos corpos enforcados, para isto sendo preciso acertar um tiro na corda, e em grandes baús da sorte. Tais baús possuem grande quantidade de dinheiro, habilidades e melhorias para a manopla e as armas, além visuais alternativos para as roupas e acessórios.

Baús grandes contêm bônus especiais
Como o set Fantasma para roupas e armas


Para navegar por diferentes obstáculos, Jesse conta com um chicote que pode ser usado para prender-se em vigas e tomar impulso.
Correntes para escalada e pedaços suspensos de madeira (que servem de ponte) podem ser acessados atirando em pontos fracos.
A manopla é um condutor de eletricidade, bastando o protagonista encostar em transformadores para reter temporariamente uma carga elétrica, que deve então ser transferida para uma caixa de força, ligando equipamentos.

O lança-chamas pode abrir passagem em meio às teias de aranha
Além de torrar inimigos, claro!


Ao juntar uma corda com a besta, é possível criar tirolesas improvisadas, mas apenas nos locais pré-determinados.
Há também momentos em que o agente entrará em um carrinho de mineração, descendo em alta velocidade os trilhos, precisando atirar em explosivos para desbloquear passagens obstruídas e mecanismos que mudam a direção dos trilhos.

Nas descidas de carrinho, olhos atentos aos obstáculos
Um passeio de tirolesa, porque diversão não tem época

OS SANGUESSUGAS

Os vampiros de Evil West possuem diferentes formas, sendo apenas aqueles mais poderosos em forma humana.
Os serviçais, humanos que trabalham para os vampiros em troca de poder e uma possível futura transformação, tornam-se criaturas bestiais quando alimentadas com sangue ancestral.

Felicity e seu pequeno exército
Aquele mini ataque de pânico quando a galera inteira avança


Grandes morcegos humanoides, seres insectóides voadores, criaturas com tentáculos capazes de causar cegueira temporária e lobisomens são alguns dos serviçais em estágio mais avançado de transformação.
Aqueles ainda em processos iniciais possuem sua forma humana preservada, embora já apresentando sinais de corrupção e o ganho de super habilidades, como pistoleiros que se teleportam e curam (a si mesmo ou companheiros) concentrando sangue e brutamontes usando tacapes.

O inimigo “toupeira” gosta de surpreender surgindo do chão em meio aos combates com outros adversários
A metralhadora com upgrade máximo: grande poder de fogo, longo tempo de recarga


Os vampiros propriamente ditos possuem a habilidade de criar sortilégios, ilusões que escondem a verdadeira natureza do local, como uma barreira invisível ao olho humano.
A manopla de Jesse é capaz de revelar os sortilégios e seus pontos fracos, conectados através de “veias”, que precisam ser destruídos.

Sortilégios são alimentados à distância por um sistema de veias/fios

ARTE SOTURNA

O gráfico de Evil West possui seus altos e baixos.
Os personagens são bem modelados e possuem vestimentas distintas, além de traços característicos (como o tapa-olho de Edgar ou a roupa preta com detalhes em vermelho e dourado de Jesse).

Um passeio pelo pântano à noite: que escolha, Jesse!
O poeirento Velho Oeste!


Os cenários são vastos e fazem bom uso do sistema de luz e sombra, especialmente no que tange à eletricidade, disparada pelas armas e pela manopla de Jesse, causando belos efeitos brilhantes.
A água, no entanto, especialmente em um cachoeiras, fica com um tom artificial, destoando do restante.

Embora seja um jogo de ação, EE flerta com o terror
Se esse jogo fosse no Brasil, seria uma missão praticamente impossível…


A trilha sonora é baseada no gênero western, com elementos sombrios e atmosféricos incorporados.

A dublagem em inglês possui as marcantes vozes de Derek Hagen (Jesse), Damian Lynch (Edgar) e Antonia Bernath (a Dra. Emilia Blackwell), além da macabra Emma Ballantine (Felicity D’Abano).
Os personagens possuem temperamentos fortes e muitas vezes mal humorados (dada a situação da invasão vampírica), gerando diálogos interessantes e muitas vezes cômicos.

PLATINA AO ENTARDECER

A platina de Evil West mostra-se desafiadora por pedir que o jogador finalize na dificuldade Evil (equivalente ao Very Hard).
Não é recomendável ir diretamente neste nível, pois os inimigos causam muito dano e suportam mais ataques, sendo a melhor estratégia jogar primeiro no normal e fazer o máximo de upgrades e melhorias possíveis, para só então encarar a dificuldade Evil, já no New Game Plus.

É a partir daqui que a dificuldade recebe um aumento considerável
Este mecanismo permite redistribuir os pontos de experiência, caso queira mudar perícias da manopla


Os outros troféus estão relacionados à coleta de todas as melhorias e dinheiro das fases e mortes específicas de chefes.

Os inimigos em amarelo são suicidas: cuidado com eles, especialmente na dificuldade Evil

RESUMO DA ÓPERA:
Evil West é uma grata surpresa
já perto do final de 2022.
Um jogo divertido aos moldes antigos, recheado de ação direto ao ponto.
Em uma época que os elementos de RPG e títulos de mundo aberto distribuem sidequests para todos os lados, jogar algo mais linear e focado é um alívio.

Autópsia em morto-vivo é considerada cirurgia exploratória?


Os personagens marcantes e carismáticos (ao seu próprio estilo carrancudo) e os os cenários de atmosfera sombria são complementados por uma jogabilidade fluída e rápida, com boa performance no PlayStation 5.

Faça como a Felicity e abra bem os olhos para Evil West!


Um diamante bruto, Evil West possui uma proposta mais simples, mas não menos divertida.
Um jogo que não tenta esconder que é, de fato, um jogo de video game.

Deixe uma resposta