Review / Tutorial: Legend of Heroes: Trails from Zero

Mishy, o mascote da Falcom, faz a sua 1ª aparição nesse jogo, com direito até parte temático

Ola, aqui é o Pena e hoje vamos com um “elo perdido” da série Legend of Heroes que finalmente temos ã localização, o Legend of Heroes: Trails from Zero.

O jogo foi produzido pela Nihon Falcom, responsável pelas séries “Ys” e Brandish (todos os nossos reviews deles você encontra aqui), enquanto a publicação dele ficou a cargo da NIS no ocidente (reviews deles aqui) e pela Clouded Leopard no oriente (reviews deles aqui).

Para os jogos da série “Legend of Heroes”, temos dois especiais dando um bom geral sobre os ocorridos que você encontra aqui:

Mais pra aqueles que não conhecem a série, Legend of Heroes: Trails from Zero foi lançado inicialmente para o PSP em 2010, bem no final do seu ciclo de vida (incluindo o posterior “Trails of Azure”), assim não teve uma localização na época e isso manteve nas versões posteriores para PC de 2011 / 2013, além de até a versão Evolution que saiu para Ps Vita em 2012.

Com isso, o grupo de tradução feitas por fã chamado “Geofront” (remetendo ao local aonde a rede de internet principal de Crossbell se localiza) criou a tradução para a duologia e agora, 10 anos depois do lançamento original, num trabalho conjunto com a NIS, finalmente recebemos uma tradução oficial dessa fase importante da série.

Essa versão que recebe a tradução é a que sai como “Kai” no Japão, que usa praticamente todas as melhorias da versão Evolution com alguns extras e pequenos ajustes para condizer com os eventos que apareceram posteriormente na série.

Review feito em base da versão para PS4. Código cedido pela NIS Europa.

Titulo: Legend of Heroes: Trails from Zero
Produtora: Nihon Falcom
Distribuidora: NIS America / Europa (ocidente) & Clouded Leopard Entertainment (oriente)
Gênero: JRPG / Turno
Plataformas: PlayStation 4, Nintendo Switch e PC (Steam, GOG e Epic Games)
Mídia: Físico e Digital
Textos: Inglês
Dublagem: Japonês

História

Trails from Zero ocorre 6 meses depois dos ocorridos do Trails in the Sky 3rd, dessa vez focado na cidade estado “Crossbell” e na nova divisão da policia local, a “Sessão Especial de Suporte” (Special Support Section, abreviado para SSS).

Esse sendo a primeira metade da duologia, tem um desenrolar mais lento, mostrando toda a situação de Crossbell, que vive no meio da disputa territorial do Império de Erebonia e da Republica de Calvard.

Um ponto importante aqui é o fato dos eventos desse jogo ocorrerem EM PARALELO com os do Cold Steel 1, não antes, o que pode confundir um pouco aqueles que não conhecem a série ou já terem alguns spoilers dos ocorridos caso tenha jogado ele antes (ambos dão alguns spoilers do outro jogo, o ideal seria joga-los juntos, pulando de um pro outro a cada capitulo, mas nem sempre é possível fazer isso).

Personagens

Lloyd Bannings

Jovem cadete que passou alguns anos fora de Crossbell após certos eventos enquanto estudava pra conseguir o certificado de detetive. Utiliza tonfas como armas e tem um bom raciocínio lógico.

Elie MacDowell

Ela tem um grande conhecimento em diversos campos políticos e econômicos, entrou para a policia pra abranger os seus horizontes. Ela utiliza pistolas durante os combates.

Tio Plato

Jovem que trabalha no setor de tecnologia da fundação Epstein, tenho um alto conhecimento na rede orbal e no uso dos novos cajados orbais. Apesar de ser a mais nova da equipe, tem uma maturidade fora do normal.

Randy Orlando

O mais velho da equipe e também o mulherengo, sempre com bom humor e relaxado, mas sem deixar de cumprir com os seus deveres quando realmente são necessários.

Gráficos

Randy, o alivio cômico do grupo mas que é um dos melhores personagens da série (não só pela piada)

Esse é um port quase que direto da versão Evolution com mais alguns extras, então se você está esperando um jogo usando a engine do Cold Steel ou do Reverie, desculpe, você está esperando errado…

Esse usa a engine anterior dos jogos da Nihon Falcom, com cenários em 3D e personagem criados em 3D mas pre-renderizados em 2D, num estilo chibi.

A qualidade deles, pelo menos no PlayStation 4 ficam boas, já que ele foi portado para essa qualidade, com cenários diversos e sprites de personagens e monstros bem bonitos, mas claro, pode causar estranhamento pra aqueles que conheceram a série pelo Cold Steel ou nunca jogaram nenhum jogo mais antigo da produtora (como o Ys 6 e o Originais, que utilizam exatamente o mesmo estilo de arte).

Áudio

Na falta do Oliviert, temos o Lechter cantando uma baladinha XD

Aqui eles utilizam as musicas remixadas do Evolution, tendo uma variedade enorme e sempre combinando com as situações, coisa que sempre tempos nos jogos da Falcom. Um detalhe que ocorre aqui é que em alguns pontos as musicas estão muito altas em relação as conversas, mas nada que você não possa alterar nas configurações do jogo.

Achei a OST do jogo no Spotify, está dividido nos 3 CDs, coloquei aqui no post pra você curtir enquanto termina de ler o post.

Esse jogo só tem a dublagem em japonês que foi introduzida na versão “Evolution”, tendo uma boa equipe de dubladores no time, entre eles:

  • Tetsuya Kakihara: Dublador do Lloyd, faz o Natsu Dragneel do Fairy Tail, o Simon do Guren Laggan e o Jin da série Blazblue;
  • Aya Endo: Dubladora da Elie, faz a Sword Maiden do Goblin Slayer, a Viola do Pokemon Masters e a Sumire Kakei do Boruto;
  • Kaori Mizuhashi: Dubladora da Tio, também dubla a Roselia dentro da série Legend of Heroes, a Mami Tomoe da série Puella Magi Madoka, como também o Laharl e a Pleinair da série Disgaea;
  • Shinichiro Miki: Dublador do Randy, faz o Kisuke Urahara do Bleach, Roy Mustang do Fullmetal Alchemist e o Zenkichi Hasegawa do Persona 5 Strikers.

Jogabilidade

Esse segue a linha mais antiga dos jogos da Falcom, com bastante itens perdíveis e com uma dificuldade um pouco elevada, mesmo no normal, então selecione bem a dificuldade que pretende jogar, já que não é possível trocar durante a campanha.

Menu Principal

O menu principal do jogo é simples e direto, mostrando como estão os seus personagens, tempo e dinheiro, além de acesso rápido aos outros pontos dele.

Status

A área de “Status” é mais pra ter um geral do seu time, já que mostra todos os pontos deles e as suas técnicas, mas não tem como alterar nada por aqui.

Equip

Na aba “Equip” podemos equipar os personagens, sendo que cada personagem tem um tipo de arma diferente e as armaduras podem ser unissex ou dividido por gênero. Além disso, cada personagem pode equipar até dois acessórios.

Orbment

Quanto mais “linhas”, menor a afinidade com magia do personagem

Aqui é uma das parte mais interessantes da série, aonde você configura as magias e alguns extras nos personagens. Esse daqui é um intermediário entre o que vimos entre a trilogia Sky e o começo do Cold Steel.

Cada quartzo tem afinidades diferentes com os 7 elementos presentes no jogo.

Cada personagem tem uma configuração diferente, relacionado a sua pericia com magias e cada slot pra equipar os quartzos são diferentes, então vamos separar por partes:

  • Slots: Cada slot liberado comporta 1 quartzo. Normalmente os slots comportam qualquer quartzo, mas caso ele tenha um elemento especificado, só comporta o do mesmo elemento. Cada quartzo também tem técnicas extras, como aumentar força ou mostrar inimigos no mini-mapa;
  • Linhas: Conforme equipa os quartzos, a linha recebe os pontos elementais (que mostra em “Line”). Cada linha é individual e dependendo das combinações, são liberadas as magias (por isso que quanto menor a quantidade de linhas, melhor com magia o personagem é).

Depois de equipado alguns quartzos, você tem acesso as magias liberadas pelas combinações deles e as de cura são utilizáveis pelo menu.

Items

A área de “Items” é normal que conhecemos, podendo utilizar os itens de cura fora das batalhas e verificar quando “Sepith” você tem de cada elemento. Algo legal aqui é que nem ocorre nos outros jogos da franquia, qualquer livro encontrado você pode ler aqui e tem umas histórias legais neles.

Status

Na aba “Tactics” podemos trocar a ordem dos personagens, quais participam das batalhas e o posicionamento inicial deles durante os combates, ajuda bastante entender essa parte junto com a função de cada um deles.

System

Aqui podemos salvar o jogo a qualquer momento, não precisando achar um check point, como também mudar algumas configurações do jogo.

Também encontramos a parte de “Records” com os desafios internos do jogo. Para as plataformas que utilizam o sistema de conquistas, esses desafios são os relacionados a elas.

Menu Secundário

Além do menu principal, temos um secundário de acesso rápido para partes extras que não temos no outro menu que são bem importantes pra aqueles que se perderam na história ou querem completar todas as atividades do jogo.

Detective Notebook

Essa é a parte que vai te ajudar no avanço da campanha e das side-quests, mantendo diversas informações aos acontecimentos do jogo.

Aqui também tem uma área de ajuda que tem diversas dicas e até mesmo as combinações de quartzos para liberar as magias.

Recipe Note

A culinária faz parte da franquia e aqui não podia faltar ela. Conforme aprende as receitas, podemos criar diversos pratos especiais pra ajudar nas batalhas.

Cada personagem tem uma especialidade com um tipo de prato e cada receita tem 3 variações, além de que eles podem falhar na criação do prato e criar coisas inusitadas, como comida de gato.

Combat Note

Conforme avança na campanha e enfrenta os inimigos do jogo, todas as informações dos seus adversários são marcadas aqui, tudo dividido por áreas que facilita bastante encontrar cada um dos inimigos.

Fishing Note

Assim como a culinária, a pesca faz parte da série e a Guilda dos Pescadores “fisgaram” mais um protagonista pra as suas atividades. Aqui fica marcado cada um dos peixes que foram pescados, com informações como locais aonde encontramos eles e quais itens eles deixam.

Explorando as cidades

Crossbell tem um centro enorme dividido em diversos setores, além de pequenas vilas e outros locais fora da capital. A exploração é com câmera fixa com uma visão isométrica.

Pelo menos na cidade central é possível navegar rapidamente entre os setores usando o mapa da região, o que te polpa tempo.

Compra e venda de itens não foge do normal que encontramos na maioria dos RPGs, mas aqui os inimigos não deixam dinheiro, mas sim os “Sepith” elementais. Eles tem diversas utilidades dentro do jogo, como por exemplo vende-los por mira, a moeda da série.

Outra utilização é para desbloquear ou melhorar os espaços nos Orbments de cada personagem, como também pra criar novos quartzos, então não da pra concentrar só em uma parte a sua utilização.

Existe também lojas de trocas e melhorias de armas. Qualquer item necessário pra essas ações fica marcado na área direita da tela.

Na base do SSS temos um terminal aonde aceitamos e reportamos as missões do jogo (tanto as obrigatórias como as paralelas). Só não foque apenas nas missões daqui, já que tem várias escondidas com os NPCs das cidades.

Randy tem bom gosto pra decoração

Na base também tem como decorar o quarto dos personagens e certas ações durante a campanha também afetam a amizade entre os personagens (é bem mais simples do que ocorre no Cold Steel)

Mini-games

Não poderia faltar um easter egg de Ys aqui né

Na área de entretenimento da cidade temos um cassino, precisando trocar “mira” por “medal” pra jogar as atrações do estabelecimento e conseguir as recompensas disponíveis. Temos os seguintes mini-games aqui:

  • Black Jack (conhecido como “21” no Brasil);
  • Poker;
  • Roleta;
  • Caça-Níquel.

Há diversos pontos de pesca espalhados pelo jogo, tanto a cidade, como nos campos e dungeons. A pesca é bem simples, após escolher a varinha e a isca, precisa aguardar o balão de pensamento com a Exclamação “!” pra apertar o botão de confirmar.

Exploração nas áreas perigosas

Dentro das dungeons e campos do jogo encontramos os inimigos vagando por lá. Caso encoste neles, já inicia a batalha, mas você pode ataca-los e deixa-los paralisados por alguns momentos. Caso consiga deixar eles tontos atacando por trás e iniciar a batalha, você incia elas com vantagem, mas se eles te pegarem de surpresa ou muitos perto do grupo, inicia com desvantagem e com sequencia de batalhas.

Crossbell é bem urbanizado e conforme avança na campanha, libera a opção de usar o transporte publico pra as regiões mais remotas.

Esses totens servem pra recuperar o seu time, geralmente aparecem antes de chefes ou em locais fechados que não dá pra sair por algum motivo da história.

Batalhas

Os personagem tem alcance de ataque e movimento diferentes

As batalhas são por turno, mostrando a sequencia no cano esquerdo da tela. Junto com a imagem da unidade pode aparecer símbolos na frente, indicando que naquele turno tem um efeito extra.

Repare que tem uma mensagem mostrando um “Delay 64“. Isso indica o tempo de aguardo para a próxima ação do personagem e isso afeta a sequencia de turnos, podendo usar a seu favor pra roubar efeitos dos inimigos.

Pra ataques especiais temos 2 tipos diferentes:

  • Arts: Essas são as magias (utilizam EP) que são liberadas com as combinações dos quartzos nos Orbments, sendo utilizáveis por todos os personagens. Cada magia tem um tempo de carga e existem ataques que cancelam esse carregamento;
  • Crafts: Essas são as técnicas específicas de cada personagem (utilizam CP) e são de ação instantânea.

Sobre a energia de cada estilo, EP só é recuperado ao descansar ou itens de cura, enquanto CP recuperam conforme eles recebem e causam dano.

Além dos Crafts normais existem os S-Crafts, que são os especiais mais forte de cada personagem e tem umas utilizações especiais:

  • Necessita acumular pelo menos 100 CP pra usar a versão mais básica, enquanto se estiver com o máximo carregado (200 CP), o ataque sai bem mais forte;
  • É possível ativar o especial a qualquer momento, podendo roubar o turno dos inimigos;
  • Usar esse especial consome todo o CP do personagem, mesmo que não esteja no máximo;
  • Depois da utilização, demora bastante para chegar o próximo turno dele.

Um dos símbolos de turno nesse jogo é o de “ataque em grupo“, mandando todos os personagens atacarem ao mesmo tempo numa grande área de efeito. Isso não afeta o turno dos outros personagens, então abuse dele quando tiver oportunidade.

Outra coisa que começou nesse jogo é o ataque em dupla, que libera conforme avança na campanha, o gasto de CP é pra ambos, mas também é bem forte.

Em certos pontos do jogo alguns personagens extras acompanham o quarteto. Nessas horas, quem está de suporte (fora do combate) as vezes pode aparecer na batalha pra auxiliar, usando um especial especifico pra isso.

No final do combate, dependendo das suas ações, recebemos multiplicadores de experiência, o que agiliza a evolução dos personagens (mesmo aqueles que não estão dentro do combate recebem experiência também).

Extras

Assim como a maioria dos jogos da Falcom, esse tem o sistema de “New Game Plus”, mas esse segue um sistema de desbloqueio, aonde você compra o que será liberado.

Nessa nova partida, além desses extras, tem uma dungeon nova pra desafiar o pessoal que curte um desafio, tendo os inimigos mais difíceis dele aqui.

KeA faz o trabalho de desbloquear as coisas pra você XD

Na área de Extras que libera depois que finalizou o jogo, além de desbloquear o que pode levar no NG+, também libera informações extras, videos e até mesmo os mini-games, cada um com o seu preço, claro. Os pontos pra liberar esses extras são adquiridos conforme completa os desafios da área “Record“.

Um ponto extra que adianta bastante a vida do pessoal é a aceleração do jogo, deixando todas as ações bem mais rápidas, ideal pra quem tem pouco tempo pra jogar e quer avançar rápido certos pontos ou até pra aqueles que já fecharam o jogo e querem chegar em algum ponto rapidamente pra completar algum desafio.

Conquistas

Atualizado: Falei que ia sair a platina, demora por causa do NG+ e passar o “pente fino” nas coisas que passaram.

Assim como na maioria dos jogos da Falcom, a lista de conquistas dele é bem trabalhosa e fácil de perder um detalhe que fará com que necessite re-jogar todo o jogo. Entre as mais complicadas temos:

ConquistaDescrição
Sweet DreamsFinalizar o jogo no Nightmare
Following in His FootstepsAlcançar o rank de Detetive de 1ª Classe
Your Friendly Neighborhood SSSCompletar todas as missões do jogo
Rise and Don’t GrindFinalizar o jogo com até nível 40 pra todos

Nota do Editor: só pela curiosidade, ele utiliza exatamente a mesma lista de troféus utilizado na versão Evolution que saiu para PS Vita (que foi nele que também recebeu a dublagem).

Conclusão

Trails From Zero traz o esperado “elo perdido” da saga Legend of Heroes, usando o estilo clássico da Falcom para os consoles e PC.

Como esse é um port com melhorias de um jogo de PSP de 2012, os gráficos são mais simples em comparação aos jogos atuais da série, usando o uma mistura de cenários em 3D com personagens 3D pre-renderizados no estilo chibi, tudo bem carismático e que agrada bastante quem curte esse estilo e arte.

As musicas são um show a parte como sempre, com uma boa variedade e com diversas musicas agitadas e bem feitas, principalmente durante as batalhas contra os chefes e pontos mais importantes.

A jogabilidade, mesmo sendo de um jogo mais antigo, segue o padrão que vemos na franquia, com batalha em turno com bastante estratégia, uma vasta exploração e customização dos personagens.

A história tem um andamento bem lento, típico da série, montando todo o cenário que da a base pro eventos que ocorrerão no 2º jogo e posteriormente no arco de Erebonia no Cold Steel.

No geral, se você curte JRPGs com uma boa história e combates por turno, esse é um excelente jogo pra entrar na franquia, só vale lembrar que ele é uma sequencia direta dos ocorridos do Trails in the Sky, então alguns detalhes podem passar batido caso não conheça os eventos da trilogia anterior.