Review / Tutorial: Infernax

Queremos você pra caçar demonios, aliste-se já.

Ola, aqui é o Pena e hoje vamos na nostalgia dos jogos da era de 8 bits com o Infernax.

O jogo foi produzido pela Berzerk Studio, responsável pelo jogo Just Shapes & Beats e o Zombidle : REMONSTERED, enquanto a publicação dele nos consoles ficou a cargo da The Arcade Crew (uma subdivisão da DotEmu), responsável pelos jogos Blazing Chrome e The Last Spell. Diretamente da DotEmu já fizemos review do Windjammers 2 e do Streets of Rage 4.

Ele foi iniciado a partir da campanha no Kickstarter e tem lançamento geral para PlayStation 4, Nintendo Switch, Xbox One e PC pela Steam. Ele também está disponível desde o lançamento no serviço Gamepass da Microsoft.

Concorda? Então continua lendo o review

Um aviso antes de continuar o texto, como explicado ai na imagem do jogo, ele contem bastante gore, então terá tripas em pixel art e outros detalhes nas imagens desse review, está avisado.

Review feito em base da versão do PlayStation 4
(código cedido pela The Arcade Crew)

Titulo: Infernax
Produtora: Berzerk Studio
Distribuidora: The Arcade Crew
Gênero: Metroidvania / Plataforma / Ação
Plataformas: PlayStation 4, Nintendo Switch, Xbox One (Incluso no Gamepass) e PC (Steam)
Mídia: Física e Digital
Textos: Português, Inglês, Espanhol, Francês, Italiano, Alemão, Russo, Japonês, Coreano, Chines Tradicional e Simplificado.

História

Depois de varias batalhas sangrentas durante as cruzadas, o duque retorna para a suas terras, só pra descobrir que lá as coisas não estão nada pacíficas ou seguras.

No tempo que ficou fora, trouxeram um livro amaldiçoado e com ele começou a aparição de diversos monstros para assolar as terras. Agora fica por conta do jovem duque descobrir uma maneira de acabar com essa loucura, por bem ou por mal.

A premissa e o desenvolver da história são relativamente simples, mas da já o campo para a aventura que conta com o sistema de carma, não foi a toa o trocadilho final do paragrafo anterior ahahahah.

Gráficos

Tripas e sangue pixelados para tudo que é lado.

O jogo utiliza a engine da Unity pra trazer gráficos que remetem a época do 8bits, mas que mesmo sendo mais simples, tem uma quantidade enorme de detalhes e uma variação grande de inimigos e cenários, o que vai satisfazer bem os saudosistas dessa era.

Algo legal aqui é que como eles usam e abusam do gore, direto o personagem fica sujo de sangue e outros fluidos coloridos durante a partida.

e continuamos com o gore, essas cenas são muito boas

Durante certos momentos temos essas artes bem mais trabalhadas, mostrando que só foram utilizados gráficos mais simples pela nostalgia mesmo, por que em termos de competência artística, não deixa nada a desejar.

Áudio

O áudio geral do jogo também remete aos 8bits, com músicas e efeitos sonoros em chiptunes pra manter o clima retro proposto pelo jogo. As musicas realmente ficaram muito bem feitas, tem várias bem agitadas pra manter o clima tenebroso da campanha e bastante variação dependendo do período do dia que está.

Como já é de se imaginar, o jogo não tem dublagem, mas não é algo que vá atrapalhar a diversão, mas é sempre bom avisar pra aqueles que fazem questão disso.

Jogabilidade

Como já é bem claro, o jogo segue o mesmo estilo dos primeiros Castlevanias, sendo um jogo de plataforma com bastante backtrack. Logo de inicio você escolhe qual das dificuldades pretende jogar, que são:

  • Modo Clássico: Pra jogadores experientes no gênero, não tem auxílios extras além do que é o pretendido pro jogador. Você pode trocar para o modo casual a qualquer momento, mas não pode retornar depois da troca;
  • Modo Casual: O jogo salva em pontos mais críticos automaticamente, quando perde todas as vidas mantém um pouco da experiência e do dinheiro recolhido e já inicia com uma vida extra.

Menu

O menu principal é bem simples e direto, mas já ajuda bastante o jogador na campanha. A aba do mapa mostra todos os pontos já explorados dele e divide bem cada área, facilitando a sua visualização.

Na aba de Magias, você pode equipar tanto as magias como os potes que você já adquiriu, ver uma explicação sobre eles e ver quanto de mana gasta cada uma das magias.

Na aba de missão você tem uma visualização geral de todas as missões já encontradas seja elas novas ou já concluídas. Aqui também mostra os passos principais de cada uma delas, assim você não fica perdido.

Já na aba Herói você pode equipar qualquer um dos equipamentos que já adquiriu (não que seja lá muito esperto usar equipamentos mais fracos haahahah), verificar informação e comandos de uso das técnicas e como está a evolução do seu personagem.

Exploração

Durante a exploração do jogo você encontrará diversos monstros perambulando pela região, sendo que inicialmente você tem apenas a maça e o escudo pra se proteger.

Logo no topo da tela você tem informação de quanto de vida, mana, experiencia, dinheiro e quantas chaves você tem. Caso estiver enfrentando um chefe ou sub-chefe, a energia dele também é mostrada, senão no lugar mostra um mini-mapa de onde você está.

Ao derrotar os inimigos você recebe experiência e as vezes também cai dinheiro, então cace eles pra evoluir no jogo.

O escudo não está só pra enfeite, você consegue se proteger de lanças e pequenos projeteis físicos, mas nada de magias. Já ajuda bastante nos combates e evitar armadilhas.

Como todo bom metroidvania, você encontra técnicas que te ajudam no combate e na exploração. Essas não tem gasto algum. Agora magias consomem Mana, então precisa acertar os momentos certos pra usa-las.

Pra recuperar mana e energia você pode usar potes conseguidos nas cidades, mas tem uma quantidade limitada de quantos pode carregar.

Seguindo os padrões antigos, ele tem o sistema de vidas e a cada morte você perde uma. Só que aqui como funciona é um pouco diferente. Você compra “estoque máximo” de vidas nas cidades em vezes de encontrar alguma no meio da exploração.

Gore pra todos os lados. Cada morte tem uma cena diferente também hahahah

Quando você morre, o que vai acontecer bastante, tem a opção de trocar a dificuldade, mas como falei anteriormente, caso faça isso, não pode mais retornar pro clássico.

Em vários pontos você encontra essas estátuas, que servem como save point. Ao encostar nelas já recupera todas as vidas, energia e mana.

Ainda nas estátuas, é nelas que você utiliza a experiência acumulada pra melhorar a sua força, energia e mana. Claro que a a cada nível o custo aumenta, então vai de como você joga pra fazer a evolução.

Nas cidades você gasta o seu rico dinheirinho com equipamentos, magias, potes e espaços pra mais potes, só que os valores são altos, então ajude o pessoal pra colher recompensas e conseguir coisas novas.

O jogo também tem um sistema de horas interno, variando entre dia e noite. Cada período muda os monstros que aparecem e até mesmo algumas ações dos NPCs, então é bom ficar de olho pra conseguir fazer tudo da campanha.

Essa é só uma das inúmeras escolhas que fará no jogo, mas nem tudo que afeta o seu carma é na base da escolha.

Ele também conta com o sistema de carma, aonde você decide entre ações opostas que afetam a moral do personagem e como os NPCs o vê. Isso tem um grande impacto no jogo, tanto nas missões que libera durante a campanha, magias disponíveis e claro, qual final você alcançará.

Tem também um livro catalogando todos os inimigos que você derrotou e até a quantidade derrotada, mas não dá nenhuma informação extra, é mais pela curiosidade mesmo (mas ele marca literalmente tudo que é possível matar ahahah).

Extras

Conforme faz os diferentes finais do jogo, libera livros extras na biblioteca, com informações do jogo e códigos para liberar mais modos dentro dele.

No melhor estilo old school, também temos um livro de trapaças com o Game Wizard (quem lembra do Game Genie?), aonde você libera algumas trapaças no jogo, mas claro, precisa do código correto pra isso.

O antigo amigo das trapaças XD

Entre eles é o “Modo Contra“, que você libera ao utilizar o famoso “Konami Code” na tela titulo do jogo. Isso não é spoiler, já que tem até trailer dos produtores sobre isso. A seguir eu vou colocar os códigos com os diversos modos liberados nele (não vou colocar as trapaças)

Conquistas

Falta pouco pra sair a platina, mas não to achando um dos requisitos e falhei 2 vezes já no “Free Will Sacrifice” ><

Esse é um jogo com dificuldade mediana pra difícil, mas nada extremamente complicada, mas precisa treinar um pouco certos detalhes pra conseguir avançar e claro que pra completar a lista de conquistas dele precisa fechar mais de uma vez pra fazer tudo.

Entre os mais complicados temos:

ConquistaDescrição
Madness at the Core of TimeDerrotar Azazel
Free Will SacrificeFinalizar o jogo na rota boa depois de iniciar a maligna
Here Comes the TearsFechar o jogo no modo Clássico

Conclusão

Beber com estranhos, o que pode dar de errado ahahah

Infernax traz a nostalgia dos jogos da era dos 8 bits sem aquela jogabilidade travada dessa época, com uma jogabilidade mais fluida, mas ainda assim punitiva em vários pontos.

Os gráficos abusam do gore, tendo tripas e sangue em pixel pra tudo que é lado, com cenários macabros que dão o clima perfeito pra a ideia do jogo e mesmo que sejam em artes mais simples, ainda assim tem uma quantidade enorme de detalhes, principalmente nos chefes e nas artes que aparecem durante a campanha.

As musicas também seguem o padrão da época em que se baseia, usando chip-tunes com trilhas bem agitadas e macabras pra acompanhar a jornada contra (ou a favor) das forças do mal.

A jogabilidade geral é bem ao estilo dos Castlevanias mais antigos, mas como já comentei e friso novamente, os comandos não são travados, na verdade são muito precisos, dificilmente você cairá num buraco por erro de controle, mais por falha no calculo (ou algum inimigo sacana te empurrar ahahah). Os sistema de escolhas também aumenta bem a vida útil do jogo, já que muita coisa varia dependendo da rota que seguir, tanto nas missões paralelas como nas magias que você encontra na campanha.

Enfim, se você curte os jogos de plataforma com um bom desafio e um “humor errado”, vai em frente e não faça a heresia de passar esse jogo, senão será caçado pela inquisição de Infernax aahahaha.