Kratos, Atreus e o Ragnarok


Estamos nos aproximando do lançamento de God Of War Ragnarok.
Vários trailers foram lançados e é possível fazer algumas especulações baseando-se no que foi mostrado neles.

Portanto este não é um texto com spoilers de God Of War Ragnarok, mas haverá, sim, alguns spoilers de God Of War (2018).
Esteja avisado a partir deste ponto!

O objetivo do texto é abordar a mitologia nórdica e suas possíveis interpretações no universo de GOW, uma vez que adaptações são feitas para o roteiro do jogo.
Dito isto, vai novamente o aviso de spoilers, para não pegar de surpresa os olhos desavisados que tenham corrido rapidamente pela página.

Ok, agora que todos já foram avisados, vamos começar o assunto propriamente dito.

Em 2018 God Of War foi lançado, não possuindo um subtítulo, justamente por tratar-se de um soft reboot.
A trama, no entanto, segue os acontecimentos dos jogos anteriores, mas vemos um Kratos mais maduro e controlado (na medida do possível).

A MORTE DE BALDUR

Baldur, deus da justiça e sabedoria, é retratado como um ser amargurado no título, já sendo aqui uma diferença considerável com a mitologia nórdica em si.

Baldur (ou Balder) é filho de Odin e Freya (Frigg, que pode ou não ser a mesma deusa) e um deus admirado por todos, o que desperta a ira de Loki.
Baldur passa a ser atormentado por sonhos premonitórios de sua morte, motivo pelo qual Odin (O Pai de Todos) consulta as Volvas (videntes, algumas nomenclaturas e nomes no texto podem variar pelos diferentes países) e confirma a premonição.

Hoder lamenta a morte de Baldur


Temendo a morte do filho, Odin envia Freya em missão, para obter um juramento de todos os seres vivos e não-vivos, de que não iriam ferir Baldur.
O visco, no entanto, por tratar-se de uma planta considerada inofensiva, não é cogitada por Freya e fica sem fazer o juramento.
Loki descobre isto e faz um flecha da planta, entregando-a a Hoder, o irmão cego de Baldur, que estava em uma festa com os outros deuses, os quais divertiam-se arremessando objetos no deus até então indestrutível.

A flecha perfura o coração de Baldur, matando-o instantaneamente.
Em pânico pela morte do filho, Freya envia Hermod até o submundo, para que o traga de volta.
Hela, a deusa do reino dos mortos (filha de Loki e Angrboda), impõe a condição de que todos os seres vivos derramem uma lágrima pelo morto, mas Loki recusasse.

LOKI

A identidade de Atreus, revelada no final do jogo de 2018, causa espanto e surpresa aos jogadores.
Sua origem e suas ações em God Of War diferem bastante de sua identidade mitológica, embora hajam paralelos.

Hela, Fenrir e Jormungandr, filhos de Loki e Ungrboda


Loki é o deus da trapaça e da travessura, não sendo necessariamente um deus maligno, mas um personagem de índole duvidosa e intenções dúbias.
Loki é muitas vezes tido como um deus “independente”, não sendo Aesir ou Vanir (as duas “famílias” de deuses nórdicos).
Em algumas versões ele é filho de um deus (geralmente Odin), com uma Jotun*, embora em outras seja apenas filho de dois Jotun; no jogo, a versão adotadé pelo estúdio Santa Monica, Kratos é seu pai e sua mãe Laufey, é uma Jotun.

* Os Jotun são geralmente considerados gigantes, embora esta não seja exatamente uma definição de seu tamanho. Os Jotun são o povo de Jotunheim, um dos nove reinos. No jogo é explicado que os Jotun não são necessariamente gigantes em altura, embora existam aqueles de estatura exagerada.

Loki é pai do lobo Fenrir, da serpente Jormungandr e da deusa Hela, todos filhos da Jotun Angrboda (Vali, Narvi e Nari são seus outros três filhos, fruto de seu segundo, casamento com Sygn, deusa da fidelidade).
Há, no entanto, o cavalo de oito patas, Sleipnir, ao qual Loki é… mãe.

Odin monta Sleipnir, o cavalo de oito patas


Preocupados com as constantes incursões dos Jotun, Odin contrata um estranho para construir um muro em volta de seu castelo.
O construtor informa que pode concluir a obra em apenas três dias, se obtiver a mão de Freya.
Acreditando não ser possível, Odin e os outros deuses aceitam a proposta.
O trabalhador, no entanto, é um Jotun disfarçado, portador de uma força descomunal e acompanhado do cavalo Svadilfari, capaz de concluir a construção no prazo estipulado.

Percebendo a trapaça do gigante, Odin convoca Loki para executar um plano que impeça a conclusão dentro do prazo.
Loki então transforma-se em uma égua branca e atrai o poderoso cavalo do construtor, fazendo com que a construção não seja concluída nos três dias.
Após descobrirem tratar-se de um Jotun, Thor mata-o; Loki retorna junto de Sleipnir, seu filho, e o oferece a Odin. Sleipnir pode cavalgar sobre terra, água e ar.

Sygn recolhe o veneno para evitar que toque o rosto de Loki


Dentre as inúmeras aventuras de Loki, ele por vezes prega peças nos deuses, em outras os ajuda.
No entanto, dada a sua natureza imprevisível e após a morte de Baldur, Loki é preso pelos deuses em uma caverna, com uma serpente a lhe pingar veneno sobre o rosto. Sygn, sua esposa, apara o veneno com uma vasilha, mas cada vez que esta se enche, algumas gotas caem sobre o rosto do prisioneiro; seus gritos de dor, potentes, acabam por causar terremotos.

TYR

Apresentado nos trailers como o deus da guerra nórdico, Tyr é um deus possivelmente mais antigo que Odin, embora seja considerado seu filho.
Tyr não é exatamente o deus da guerra, mas sim do combate, filho originalmente do gigante Hymir.

Quando Fenrir, o lobo que Odin levou para Asgard e tornou-se gigante começa a atacar os seres do local, Tyr ajuda a capturá-lo, com a ajuda dos anões ferreiros Sindri e Brok (sim, os mesmos que forjam o machado Leviatã em GOW), que criam Gleipnir, uma corda capaz de conter a fera (até o Ragnarok).
Gleipnir é uma corda com a leveza da seda, composta por materiais de grande raridade: o cuspe de uma ave, os nervos de um urso, o fôlego de um peixe, a raiz de uma montanha, as barbas de uma mulher e o som da queda de um gato.

Tyr tem sua mão devorada por Fenrir


Para convencê-lo a aceitar ser amarrado pela corda, Tyr coloca sua mão dentro da boca de Fenrir, como prova de confiança. Ao contrário das correntes anteriores, as quais Fenrir facilmente soltava-se, Gleipnir não cede e o lobo arranca a mão do deus.

THOR

O deus do trovão e o mais violento do panteão, Thor utiliza seu martelo Mjolnir com grande habilidade, sendo este capaz de tornar às suas mãos após ser arremessado.
Mjolnir, também forjado por Sindri e Brok, é tão poderoso que Thor precisa manipulá-lo com a ajuda de um cinto e luvas mágicas, para suportar seu peso.

A carruagem puxada por bodes de Thor percorrer os céus


O martelo possui a capacidade de transformar-se em uma versão minúscula, que Thor carrega no pescoço (um amuleto comum aos vikings como símbolo de sua fé no deus e usado até mesmo hoje em dia, como adorno).
Sua capacidade de reduzir de tamanho é uma característica sugerida por Loki, como uma brincadeira.

ODIN, O PAI DE TODOS

O principal deus do panteão nórdico, Odin é o deus da guerra e da sabedoria, chamado Wotan pelos povos germânicos (de onde provém a quarta feira no inglês, Wednesday, o dia de Wotan ou Odin).

Em busca de conhecimento e da magia, pendurou-se na Yggdrasil, a árvore que engloba os nove reinos da mitologia, tendo ferido-se com a lança e oferecido um de seus olhos a seu tio, Mimir, responsável pela fonte da Sabedoria.
Após nove dias sob estas condições, Odin bebe da fonte, passando a conhecer a magia e as runas.

Odin sacrifica-se por 9 dias em busca de conhecimento


Mimir, após sua morte na guerra entre os deuses Aesir e Vanir, é ressuscitado como uma cabeça falante por Odin, capaz de responder qualquer dúvida.
No jogo, no entanto, Mimir não possui (até onde sabemos) parentesco com Odin.

Em seu palácio em Valhalla, Odin, agora sem um dos olhos, consegue observar e saber tudo que se passa nos nove reinos, graças aos seus dois corvos Huggin (pensamento) e Munnin (memória).
As valquírias, suas “servas” aladas, recolhem dos campos de batalha as almas dos bravos guerreiros, para que estes adentrem Valhalla e possam comemorar e lutar diariamente, até o dia do Ragnarok.


HATI E SKOLL

Em um dos últimos trailers, vemos Atreus disparar uma flecha aos céus, com dois lobos ao seu lado.
Estes são Hati e Skoll, que perseguem, respectivamente, a lua e o sol, para devorá-los.
Quanto isto acontecer, terá início o Ragnarok.

Hati e Skoll perseguem os astros para devorá-los


É sugerido que Hati e Skoll sejam filhos de Fenrir e, portanto, netos de Loki.
Durante os eclipses, um dos lobos está prestes a cumprir seu objetivo, ou seja, nos eclipses lunares Hati se aproxima do astro para devorá-lo e, nos solares, é Skoll quem está perto de conseguir alcançar seu alvo.

RAGNAROK

O evento que dá nome ao jogo é o mesmo que prenuncia o fim dos tempos na mitologia nórdica.
O Ragnarok é o inevitável embate entre Loki, seus filhos e os Jotun contra Odin e o panteão.
Fimbulwinter, o longo inverno de três anos sem interrupções é o prenúncio do Ragnarok.

Odin é engolido por Fenrir, Freyr é morto por Sutr (o Jotun que guarda Muspelheim), Vidar mata Fenrir com sua lança, Jormungandr é morta por Thor, mas o esforço é muito para o deus do trovão, que tomba logo em seguida. Loki e Heimdall matam um ao outro.

Ragnarok, o “Apocalipse” nórdico


O sol torna-se negro enquanto a terra afunda no mar, as estrelas desaparecem e o vapor sobe, com as chamas tocando os céus, causadas por Sutr e os Jotun de fogo.
O Ragnarok é o fim, mas existe um recomeço depois dele, com dois humanos sobreviventes: Lif e Lithrasir, que irão repovoar Midgard (o reino humano).
Alguns deuses sobrevivem, incluindo Modi e Magni, filhos de Thor e é sugerido que Baldur pode ressuscitar neste novo tempo.

Não se sabe até que ponto o Ragnarok foi influenciado pela disseminação da cultura cristã, uma vez que o tempo após o Ragnarok assemelha-se ao pós-Apocalipse cristão.
O ressurgimento de Baldur e os humanos Lif e Lithrasir poderiam ser influências referindo-se a Jesus, Eva e Adão, respectivamente.

Concluindo, a ideia do texto era cruzar informações entre a mitologia e aquilo que se sabe a partir de God Of War (2018) e os trailers.
Como estes aspectos serão representados descobriremos assim que God Of War Ragnarok for lançado.

Um comentário sobre “Kratos, Atreus e o Ragnarok