Review / Tutorial: F.I.S.T

Metroidvanias sempre tiveram a fama de serem jogos mais curtos, seja pela sua aposta de replay em retornar em áreas que antes não era possível explorar, por consequência do ganho de novas habilidades conforme se avança no jogo…

Distribuído pela Shanghai Hode Information Technology Co.,Ltd. (aka BiliBili) e desenvolvido pela TiGames, F.I.S.T é um metroidvania que foge dessa regra, tendo uma duração um pouco maior do que se é acostumado em ver nesse gênero e com uma mecânica bem aplicada na sua batalha, misturado com um hack n slash bem funcional…

TiGames (site oficial)

TiGames é uma equipe de pesquisa e desenvolvimento de jogos hardcore formada por um grupo de criadores de jogos ávidos, que estabelecemos oficialmente em Xangai em 2016.
Em 2017, lançamos com sucesso nosso primeiro jogo, Wonderland Watch, em plataformas de realidade virtual, como Playstation VR, Oculus, Steam VR, HTC Viveport e muito mais. O jogo foi bem recebido pelos jogadores e pela indústria. Até agora, lançamos dois pacotes de expansão DLC para o jogo, tornando Wonderland Guardians um representante do campo de jogos de ação VR.
Hoje, estamos desenvolvendo um jogo totalmente novo e esperamos conhecê-lo em breve.

BiliBili (site oficial em chinês)

Bilibili é um site chinês de compartilhamento de vídeo com sede em Xangai, com tema de animação, quadrinhos e jogos, onde os usuários podem enviar, ver e adicionar comentários sobrepostos aos vídeos. Bilibili usa Adobe Flash ou HTML5 player, para reproduzir vídeos enviados por usuários hospedados por ela ou por fontes de terceiros. Desde meados da década de 2010, Bilibili começou a se expandir para um público mais amplo de seu nicho de mercado original que se concentrava em animação e jogos, e se tornou uma das principais plataformas chinesas de streaming over-the-top de vídeo sob demanda com programas aclamados pela crítica e documentários populares, programas de variedades e outras programações originais.
Bilibili hospeda vídeos sobre vários temas, incluindo anime, música, dança, ciência e tecnologia, filmes, drama, moda e videogame. Bilibili oferece um serviço de streaming ao vivo onde o público pode interagir com streamers. Além de vídeos, Bilibili também oferece jogos, principalmente para celular, como a versão chinesa de Fate / Grand Order.

Vamos então aprender e analisar o que Forged in Shadow Torch oferece para nós???

Código cedido pela Bilibili para review, versão Playstation 4

Nome: F.I.S.T (Forged in Shadow Torch)
Gênero: Metroidvania / Plataforma / Hack n Slash
Desenvolvedora: TiGames
Distribuidora: BiliBili (Playstation) / Antiidelay (PC)
Plataformas: Playstation 4 / Playstation 5, PC
Lançamento: 2021 (7 de setembro)
Mídia: Física e Digital

Tela Título

História / Enredo

A Cidade Caída
Seis anos atrás, a organização chamada The Legion, invadiu Torch City, a chamada Resistência tentou lidar com essa invasão, mas fracassou, sendo tomada por forças hostis em todos os lugares no entorno da cidade.
Seus cidadãos lutam para sobreviver mediante o regime opressor que ali constava. Rayton, um ex soldado de elite, também vivia em reclusão na cidade

A Volta do Soldado
O governo da Legião, no entanto, tornou-se cada vez mais brutal, e a paz não poderia durar muito, quando o amigo de Rayton foi preso, ele não teve escolha há não ser colocar seu punho
Embarque em uma jornada para salvar seu amigo… a batalha contra Legion estava prestes à recomeçar.

A Conspiração
As forças subterrâneas na cidade, os resquícios da resistência fora da cidade e a figura familiar de alguém estando no topo da Legion… todos esses fatores envolveram Rayton em uma conspiração ainda maior. Rayton percebeu que ele deve descobrir todos esses segredos de Torch City e acabar com todas as injustiças.

Gráficos

O jogo conta com cenas em CG’s e com os eventos do jogo rolando ingame.
F.I.S.T tem um detalhamento de gráficos bem satisfatório, com efeitos de luz e texturas bem construídos usando a Unreal Engine 4, porém, como é normal de se ver nessa engine, caso estiver indo rápido demais na progressão e troca de telas, haverá ocasionais erros de pop-in nas texturas do jogo.

Som / OST

A trilha sonora é composta por Caisheng Bo, e possuem diversificados gêneros e arranjos, como músicas orientais, cômicas, orquestradas e sintetizadas.

Os dubladores temos: Arthur Vogel, Brandon Hearnsberger, Anairis Quinones, Chris Tergliafera, entre outros…

Jogabilidade

Como dito anteriormente, o jogo conta com o formato 2.5D e plataforma, com progressões de câmeras variadas em alguns pontos.
Os combos de Rayton são com leituras rápidas ou gravadas, onde você pode misturar os ataques e o jogo irá reconhecer normalmente mesmo com ataques mais demorados.

Outro detalhe interessante do esquemático, é a opção de trocar os botões de movimentação e inventário, além de trocar os ataques entre botões de função, shoulders e triggers

Sistema de Jogo

F.I.S.T é do gênero metroidvania, ou seja, usa o método de um cenário interligado em vários ambientes e áreas, com opções de viagens rápidas.

Rádio Informativo

O rádio deixado por Urso para Ray, é o responsável para mostrar o mapa pra você, além de mostrar diversos ícones para ajudar na sua navegação, seus equipamentos, e memorandos sobre o universo do jogo…
OBS: o mapa é adquirido por meio de implementação no decorrer da história.

O Combate Improvisado…

O combate do jogo é com uma mecânica que beira o hack n slash, com funções muito comum no gênero. Entretanto, algo que define a diversão do jogo é a forma que Ray combate seus inimigos… através do punho de sua antiga armadura robótica, dando assim a origem para o nome do jogo e o trocadilho usado na sigla.

Ray possui dois tipos de ataque base e um de proximidade.
O leve tem uma frequência maior de golpes para o combo, enquanto o pesado tem mais força de dano e menor velocidade, além do grab, que é o simples ato de agarrar seus inimigos e atirar longe

Ray possui 3 barras indicativas.
HP – health point, saúde de Ray
SP – skill point, responsável para usar técnicas das armas
EP – equipment point, número de uso para os dispositivos

O combate aperfeiçado…

Algumas das similaridades com o hack n slash, é o fato de poder executar golpes brutais, deixando os inimigos em condição de stagger, ficando piscantes em vermelho e a indicação na parte inferior da tela:

Outro detalhe é a mistura entre ataques leves e pesados que irão resultar em combos maiores para os dispositivos que o Ray encontra, criando golpes novos por meio de upgrade nas centrais, sobre elas, darei detalhes mais pra frente.

Os combos também permitem a troca entre os dispositivos para incrementar seus ataques, podendo haver troca retroativa e progressiva.

Outro fator que deve ser levado em consideração é que alguns inimigos exigem habilidades específicas para serem derrotados…

… além de abrir portas específicas e outras passagens.

Um soldado renovado…

Como já era de se esperar, Ray irá aprender algumas habilidades enquanto progredir na história.
Para isso, ele deve entrar nas câmaras de upgrade de habilidades.

Não vou expor todas as habilidades para não estragar sua descoberta, mas algo que posso citar por exemplo é o wall jump.

Dispositivos

Ainda como auxílio, Ray pode contar com até 4 dispositivos que irão servir de suporte, ataque ou defesa.
É indicado pela barra inferior da tela, sendo unificado entre os 4 dispositivos…

Carrot Juice ajuda à recuperar HP

Os Segredos de Torch City

Um dos fatores mais interessantes no metroidvania, é a criatividade de criar um design para achar todos os segredos das áreas e fazer 100% do jogo…
F.I.S.T não é diferente, Torch City tem diversos segredos, pode haver coletáveis, arenas, itens para melhorias e até mesmo outras áreas ocultadas…

Como parte da descoberta, você poderá encontrar alguns itens como:

Pôsteres – coletáveis que podem modificar a skin das armas

HP Extract – colete 3 e aumenta a HP máxima de Ray

SP Essence – colete 3 e aumenta a SP máxima de Ray

EP Compound – colete 3 e aumente a EP de Ray

Plant Seed – colete para tentar salvar Torch City de forma ambiental

Data Disks – aprimoramentos de alguns golpes de Ray

Ainda haverão as Skull Keys, que são as chaves para abrir um baú específico que você encontra no mapa…

Ray e o comércio…

Apesar de um combate difícil na prática, Ray não está sozinho…
Claro, a maioria dos personagens não podem ajudar na luta, mas ajudam em outros meios…
Entretanto, alguns personagens devem ser resgatados em determinados pontos do mapa…

Urso – entregue os pôsteres pra ele poder criar skins e pinturas para suas armas.

Chuan – fará algumas comidas que irão dar slots extras para HP de Ray, porém não é permanente, se tomar dano, deverá comer novamente gastando dinheiro.

Pippin – na tentativa de arborizar Torch City, entregue as sementes para Pippin lhe dar recompensas, como dinheiro, data disks e as cápsulas de upgrades.

Jingle – venderá diversos itens, com seu preço…

Haverão ainda outros NPC’s, mas deixo pra você mesmo conhecer…

Terminal e Fast Travel

O terminal é responsável para recuperar as barras indicativas de Ray e fazer upgrade nas armas para aprender mais golpes…
A vantagem do terminal é não precisar gastar dinheiro para reparar os equipamentos e curar Ray, sendo totalmente favorável fazer isso sempre que precisar, mesmo que uma cura pífia.

Já a parte de Fast Travel porém, é específico em alguns pontos, a grande maioria das áreas tem 1 ponto para acesso, enquanto algumas é possível visitar apenas por exploração subsequente.

Obviamente, ele não é possível até determinado ponto da história, sendo sua opção primária o uso da estação central que irá te deslocar para outras áreas, que são limitadas também.

Claro, há muitos outros fatores que não vou mostrar no review / tutorial, mas faz parte da diversão do jogo que você explore e descubra por conta própria.

Troféus / Conquistas

Dificuldade: 4/10

Diferente do que faço em listar o que é necessário, acho que nesse review seja mais fácil comentar de forma resumida o que eles irão exigir.

Apesar de ter opções de dificuldade, os troféus não exigem que você termine o jogo em uma dificuldade específica, há troféus de progressão de história e a necessidade de uma certa habilidade em cumprir algumas coisas relacionadas ao combate e extras, além de achar todos os coletáveis, upgrades e descobrir 100% do jogo.

Considerações Finais

Graficamente o jogo chama atenção por seus altos níveis de detalhamento e efeitos de luz. Seu cenário, apesar de ser 90% com ambientes internos, varia bastante entre os ambientes diversos de Torch City, os poucos ambientes externos que ele possui, há uma clara tentativa de modificação da paleta de cores de acordo com a exploração feita, o que particularmente anima na continuidade de jogar o jogo e não deixar de lado.

A trilha sonora do jogo é um dos pontos de ame ou odeie, mesmo eu tendo adorado, digo isso por ter músicas muito bem compostas e que são agradáveis de ouvir em sua maioria. Porém, as músicas são tocadas em uma área inteira, fazendo com que os amantes de exploração demorada acabem talvez, enjoando de algumas músicas por simplesmente as áreas serem deveras extensas.
A dublagem em inglês tem uma atuação que razoável mas com cenas mais diretas, isso talvez ocorra por refletir na tradução mais direta que o jogo possui. Não cheguei à testar as falas em chinês.

A jogabilidade com certeza é o fator primoroso do jogo, pois funciona bem com a mecânica imposta nos combates e na leitura dos combos, além da resposta rápida para ações de desvios e saltos de Ray. A criatividade também toma conta da sua jogatina por grande parte dos golpes poderem ser linkados com os inimigos, até mesmo quando eles estão caídos no chão, sendo possível fazer um launch novamente e continuar espancando eles…

A dificuldade do jogo é moderada alta, principalmente se houverem quantidades excessivas de inimigos, tanto mistos quanto do mesmo tipo. Ao progredir no jogo, notará uma evolução da ofensiva da máquina e as investidas de cada personagem, trazendo um combate satisfatório, incluindo com os chefes que apesar de alguns repetirem, há algumas batalhas divertidas.
A duração do jogo talvez seja outro fator que irá dividir opiniões, digo isso porque, somado ao design do mapa (que é criativo) e o fast travel ser mais limitado, alguns jogadores podem ficar descontentes em ter que se deslocar em determinados pontos para escolher onde ir, e algumas áreas são maiores que as outras.

A performance do jogo é satisfatória num geral em sentido de executar o jogo por muito tempo, não havendo crashes repentinos, mas o pop-in ocorre em demasiada frequência se for rushar no cenário, principalmente enquanto for fazer a limpa para os 100% do jogo.
A taxa de frames na versão PS4 é de 30fps fixos, enquanto no PS5 é 60fps.

De forma resumida, F.I.S.T com certeza foi uma surpresa para mim nesse ano, sendo um dos melhores metroidvanias que joguei pelo seu excelente sistema de combate, possibilitando uma imensa gama de criatividade nos combos e batalhas com chefes, além de usar uma excelente forma de exploração e uso das habilidades e itens adquiridos conforme avançar no jogo.

E você? Pronto para ajudar Rayton em parar com a violência de Legion e os Iron Dogs?