Review / Tutorial: The Psychoduck

* Esta análise foi feita com o código cedido pela Ratalaika Games (versão PS4/PS5)

Distribuidora: Ratalaika Games
Produtora: Nibb Games
Plataforma:  PS4 / PS5 / Xbox One / Xbox Series S / Xbox Series X / Switch / PC
Mídia: Digital
Ano de Lançamento: 2021 / 2022


The Psychoduck é um jogo 2D de stealth onde um pato precisa assassinar garças para coletar coroas.

O estúdio Nibb é brasileiro, então o nome do jogo é um trocadilho perfeito em português (Psicopato), mas que infelizmente não funciona tão bem no inglês.
Dito isto, The Psychoduck é um jogo 2D de stealth onde um pato psicopata quer uma coleção de coroas, para isto precisando apunhalar garças pelas costas.

Mais um dia normal na vida de um pato… um pato sem COROAS!!!
Mas isto não é um problema para um PSICOPATO!


Os comandos são simples, sendo quadrado para abaixar e x para todas as ações (matar, empurrar, esconder-se, etc).
O objetivo é simplesmente matar a garça no final do cenário, para isto sendo necessário evitar os guardas, seres verdes armados com lanças.
Não é possível matar os guardas, apenas evitá-los escondendo-se. Há também caracóis coletáveis nas fases.

Blocos de pedra são covers naturais


Blocos quadrados de pedra servem como esconderijo/cover básico, bastando ficar atrás de uma para não ser visto.
Após aguardar a ronda do soldado passar, você precisa rapidamente sair de seu esconderijo e avançar, preferencialmente agachado, para evitar o barulho.
O campo de visão dos guardas não é revelado, cabendo ao jogador aprender o quão na diagonal eles enxergam para poder mover-se com segurança.
Os guardas olham apenas para a direção em que caminham, podendo ser facilmente despistados assim que se aprende seu padrão de movimento.
Caso seja visto, no entanto, é game over na hora: não existe possibilidade de fuga ou combate.

A foto ficou estranha, mas eu juro que isso foi uma facada…


Adicionalmente, blocos móveis de pedra surgem, podendo ser empurrados nas quatro direções.
Você pode optar por simplesmente diminuir a distância com o guarda, avançando em linha reta (nunca enquanto ele está no campo de visão), encurralá-lo, diminuindo seu espaço de deslocamento ou movendo o bloco de lugar, para que o guarda possa caminhar mais do que a rota normal.

Blocos marcados com uma coroa podem ser empurrados


Mais à frente, surgem as moitas, que permitem esconder-se “em plena vista”.
A moita obviamente não pode ser movida, mas serve para encurtar distâncias com relação à rota dos guardas.

Moitas são esconderijos rápidos


O gráfico simples e colorido do título é bem desenhado, com personagens grandes em tela e um campo de visão limitado com relação ao mapa, sendo a distância dos guardas fora de tela notificada por balões com cores, sendo o vermelho distante, amarelo meia distância e verde bem próximo da tela.

À noite, tenha cuidado ao se aproximar de focos de luz


A trilha sonora é discreta e com tema único, não ganhando necessariamente destaque, mas também não atrapalhando o jogador.

Caminhando atrás dos guardas, você não terá problemas, desde que permaneça agachado


A platina do título é tranquila, pedindo que o jogador complete o nível 14 (são 50 ao total) e colete um caracol.

RESUMO DA ÓPERA:
The Psychoduck
é um competente jogo de stealth 2D, apostando no básico do gênero, valendo-se apenas do ato de esconder-se, sem precisar de grandes aparatos.

O gráfico simples e a sonora trilha discreta cumprem bem seu papel.
A adição das blocos móveis e das moitas acompanha a dificuldade progressiva do título, que é bem balanceada.

Para quem quer um stealth sem grandes complicações, The Psychoduck é um prato cheio.
Liberte o (psico) pato dentro de você!