Review / Tutorial de Dungeon Slime Collection

* Esta análise foi feita com o código cedido pela Ratalaika Games (versão PS4/PS5)

Distribuidora: Ratalaika Games
Produtora: Pequi Studios
Plataforma:  PS4 / PS5 / Xbox One / Xbox Series S / Xbox Series X / Switch / PC
Mídia: Digital
Ano de Lançamento: 2022

Dungeon Slime Collection é a coletânea dos dois jogos de puzzle do estúdio Pequi: Dungeon Slime e Dungeon Slime 2.


Um pequeno slime cai em uma dungeon e agora precisa utilizar sua habilidade de modificar o corpo conforme bate nas paredes do local, para então escapar de seus labirintos.

Sim, este slime tem não apenas um rosto, mas também sobrancelhas


Com esta premissa simples, Dungeon Slime é um puzzle de movimento, onde você precisa adaptar-se aos formatos do labirinto para avançar por estreitas passagens.
A dinâmica consiste em bater nas paredes para modificar o seu formato em vertical ou horizontal, dependendo da necessidade.

Chocando-se contras as paredes, você muda de formato


Enquanto nos estágios iniciais a modificação morfológica é necessária apenas para passar pelo labirinto, nos estágios mais avançados espinhos surgem em algumas paredes, sendo necessário redobrar a atenção para não encostar neles, o que mata automaticamente.
O título conta com 22 estágios.

Cuidado com os espinhos!


Já em Dungeon Slime 2, apesar da dinâmica de movimento e modificação ser semelhante, há mais perigos envolvidos, como plantas carnívoras, que são acordadas e adormecidas conforme o slime interage com botões de pressão (sendo necessário estar no formato correto para ativá-los). Estes botões também servem para abrir passagens, onde espinhos são removidos.
O título conta com 23 estágios, sendo que na dificuldade Hard o número de movimentos é limitado.

O totem do grito acorda a planta carnívora
Já o totem com a flauta faz a planta adormecer

Em ambos os títulos, a jogabilidade é completamente intuitiva: você utiliza o analógico esquerdo para mover o slime e círculo caso queira reiniciar a fase… e é só isso!

A planta está devorando o slime e não fazendo alongamento


O gráfico é menos colorido no primeiro título, que utiliza um tema de masmorra cinzenta nos cenários (apesar do personagem verde) e mais colorido no segundo, onde há temas florestais, com a presença das já citadas plantas carnívoras e também totens de madeira com formatos humanoides e flautas, capazes de manipular as plantas.
O personagem principal é risonho e apresenta expressões de dor e outras vezes de “prazer” (cada um com seu fetiche!) conforme é jogado de um lado para o outro do cenário.

“Yamete kudasai!”


A trilha sonora é discreta, não chamando a atenção, mas também não atrapalhando o jogador, como é tradicional na maior parte dos puzzles.

As marcas na paredes indicam cada ponto por onde você passou (tá achando que é fácil, é?)


A platina de DSC é “fácil”, se você considerar que basta completar o nível 12 do primeiro jogo e o 13 do segundo título.
A dificuldade fica justamente por conta do desafio dos jogos: sempre que você passa por uma fase, a solução parece óbvia, mas só depois que você passa por ela…

Botões de pressão removem espinhos “móveis”


RESUMO DA ÓPERA:

Dungeon Slime Collection é uma divertida experiência em formato “puzzle puro”, isto é, com desafio simples e difícil.
A utilização apenas do analógico esquerdo para jogar torna o título recomendado para todas as idades, embora você possa torrar alguns neurônios durante as soluções.

Direto e reto, Dungeon Slime Collection é um puzzle bom para passar o tempo, com um personagem simpático e desafio escalando na proporção correta de dificuldade.