Review / Tutorial: A Plague Tale Requiem

* Esta análise foi feita com o código cedido pela Focus Home Interactive (versão PS5)

Distribuidora: Focus Home Interactive
Produtora: ASOBO Studio
Plataforma: PS5 / Switch / Xbox Series S / Xbox Series X / PC
Mídia: Física e Digital
Ano de Lançamento: 2022

A Plague Tale Requiem é um jogo de ação e stealth que segue acompanhando a jornada dos irmãos De Rune em busca de cura e respostas sobre a Mácula, doença que afeta o pequeno Hugo.

UMA NOVA JORNADA

No primeiro título, A Plague Tale Innocence, Amicia e Hugo De Rune fogem da Inquisição, pois Hugo é portador da Mácula, a doença/maldição ligada à praga dos ratos, que está destruindo reinos na Europa.
No decorrer do jogo, descobrimos que a Mácula de Hugo torna-o capaz de utilizar os ratos ao seu comando, embora também os atraia com sua simples presença no local.

O grupo inicial, Beatrice, Lucas, Hugo e Amicia


É deste ponto que Requiem começa, com os irmãos e sua mãe, Beatrice De Rune, e seu alquimista aprendiz, Lucas, buscando a cura para Hugo.
Após consultarem o Magistrado em Provença, Vaudin, a trupe parte em direção à Marselha, sede d’A Ordem (sociedade de alquimistas à qual Beatrice e Lucas fazem parte), onde Hugo poderia ser tratado mais adequadamente.

O Magistrado Vaudin
Arnaud, o guerreiro em busca de vingança
Sophia, a pirata de bom coração


O garoto, no entanto, tem constantes sonhos com uma ilha onde um pássaro guia-o até um lago de águas curativas.
O grupo, separado por eventos que evitaremos aqui por questões de spoiler, segue então primeiramente em busca da misteriosa ilha, na companhia de Arnauld, um cavaleiro que busca vingança pela morte do filho, e Sophia, uma pirata contrabandista.

UM NOVO ARSENAL

Se no primeiro título Amicia podia usar apenas sua atiradeira, agora além dela há uma balestra, capaz de disparar virotes com diferentes efeitos (assim como a atiradeira) e pequenas facas, que são gastas com apenas uma utilização, seja para defender-se em um momento crítico, apunhalando um adversário, ou abrindo baús secretos.

O stealth ainda é a melhor opção…
… mas há outras opções de combate agora


A atiradeira continua sendo a arma primária, com munição infinita de pedras para o arremesso simples.
As munições com características especiais dependem da fabricação por parte de Amicia, consistindo em Ignifer (fogo), Extinguis (apaga tochas e outras fontes de calor), Piche (serve para aumentar o fogo, cegando inimigos ou criando grandes labaredas) e Odoris (atrai os ratos na direção disparada).
Para criar tais munições, é importante vasculhar baús e inimigos mortos à procura dos compostos específicos: Enxofre, Álcool, Pimenta, Resina e Tecido.

Baús e caixas são ricas fontes de recursos
Os potes potencializam a explosão do impacto


Já a Pirita funciona como um último recurso ao ser atacado pelos ratos, consistindo em uma pedra presa à uma corda que, chacoalhada, gera faíscas temporariamente, afastando os roedores.

Pirita é um material raro, que pode salvá-lo dos ratos em medidas extremas
Piche aumenta o fogo, causando luz forte e dispersando ratos


Os potes de cerâmica funcionam para concentrar e aumentar a área de impacto das substâncias, espalhando-as sobre as superfícies onde são jogadas.
Eles podem também ser usados como atrativo sonoro, para despistar guardas, em qualquer superfície; as pedras funcionam neste esquema apenas ao serem jogadas em caixas com armaduras e outras peças de metal.

ESCOLHENDO A MELHOR TÁTICA

Requiem possui mais opções de combate e, portanto, mesmo o stealth sendo a melhor solução, ao ser descoberto ainda é possível lutar, diferente do que acontecia no primeiro título.

Balestra em ação, com virotes de fogo (ainda acoplada ao barco)


A pedra normal na atiradeira pode matar um soldado sem capacete, já o fogo, por si só, causa dano e atrai a atenção, mas não mata (apenas se usado combinado ao piche).
O virote da balestra mata apenas soldados sem armadura ou acertando pontos desprotegidos. Soldados com armadura pesada, precisam ser antes desarmados, o que pode ser feito com uma pedra arremessada na junção das partes da armadura (peito ou costas, dependendo do soldado), preferencialmente após tê-lo atordoado com extinguis.

A atiradeira pode ser usada como contra-ataque, se Amicia estiver encurralada, mas apenas para retardar o inimigo

A faca, como citado anteriormente, pode salvá-lo em momentos cruciais, como golpe para apunhalar após atordoar o soldado com golpes diretos da atiradeira (usando o couro como arma) ou ao se aproximar sorrateiramente.
Como alternativa, você pode apagar tochas e fogueiras que estejam protegendo os soldados dos ratos, para que sejam devorados rapidamente ou, ainda, empurrá-los aos ratos ou a grandes fontes de fogo (apenas depois de evoluir a personagem) ou apedrejando sacos de enxofre, o que causará uma nuvem temporária.

Você pode deixar os ratos fazerem o trabalho sujo, apenas cuidado para não se tornar vítima deles no processo


O stealth pode ser usado completamente, passando entre vegetações altas e usando estratégias envolvendo causar sons ou ruídos para desviar soldados de suas rotas, seja arremessando pedras em caixas de metal, potes diretamente no piso ou paredes, apagando tochas à distância (o que irá causar alerta, mas fará o guarda avançar para ver o que aconteceu) ou, ainda, recorrendo ao arremesso de piche em tochas (o que irá cegar temporariamente soldados próximos).

Gravetos são seus amigos para cruzar áreas rapidamente, mas eles queimam rapidamente
Braseiros com rodas são uma ótima opção de movimento protegido


Já com os ratos, o fogo ou outras fontes de luz podem afastá-los, bem como o odoris, quando arremessado na superfície certa, pode atraí-los para a fonte do cheiro.

Arnaud pode ser enviado para combater, mas ele é bem barulhento
Já Sophia pode usar seu prisma para criar pequenos princípios de incêndio e distrair guardas…
… ou refletir a luz de fogueira e braseiros, criando passagem de luz segura entre os ratos


NPC’s ajudantes também recebem comandos que podem ser usados para combate ou situações de stealth, como Arnauld, que avança ruidosamente para batalha, podendo abater um soldado por vez em combate (mas atraindo rapidamente atenção para si) ou Sophia, que utiliza prisma para causar foco de incêndio em vegetações, distraindo soldados.

EVOLUÇÃO E UPGRADES

Amicia evolui conforme o estilo de abordagem do jogador, em três estilos diferentes:

Prudência – evolui conforme o jogador passa sem ser detectado pelos guardas;
Agressividade – evolui conforme o jogador entra na maior parte dos combates e mata os inimigos;
Oportunismo – o “meio termo”, se dá pela evolução com a utilização de mais truques para matar inimigos com armadilhas ou fatores do cenário e menos em combate, além de escapar de situações após ser detectado.

O estilo de jogo determina o caminho de evolução da personagem


As habilidades adquiridas são correspondentes aos três estilos, sendo Prudência mais focado em stealth, como a redução de som ao disparar a atiradeira; Agressividade focada no combate, como a habilidade de empurrar um inimigo para o fogo ou os ratos; já Oportunismo é focado nos itens, ajudando a criar mais rapidamente munições, por exemplo.

Mesas de trabalho são o local perfeito para melhorar equipamentos
Os upgrades necessitam de peças e ferramentas


Já os Upgrades, que podem inicialmente ser feitos apenas na Mesa de Trabalho (incluindo aquelas em Baús Secretos), serve para melhorar itens e armas, como Atiradeira, Balestra, Alquimia, Equipamento e Instrumentos.
Além das peças para os upgrades, é necessária uma quantidade de ferramentas, mais raras e geralmente achadas próximas à Mesa de Trabalho; contudo, com os upgrades certos, é possível reutilizar ferramentas, não precisando mais se preocupar com elas.

SOBREVIVENDO À PRAGA

Como não poderia deixar de ser diferente, a infestação de ratos continua aqui, desta vez ainda mais letal.
Não apenas grandes quantidades, como no primeiro título, mas verdadeiras ondas de roedores, destrutivos como a ação do mar, obliterando cidades e derrubando castelos.

A Praga está ainda mais devastadora em Requiem
Não pense duas vezes em correr!


A Pirita pode salvar em momentos críticos, mas você só carrega uma por vez, então cuidado: se eles pegarem você, já era.
Mas os ratos também podem servir como armas letais, quando as chamas são apagadas, mas especialmente na mente de Hugo, que pode controlá-los para atacar soldados desprotegidos.

Hugo pode controlar hordas de roedores, mas o poder piora a Mácula
É possível dar ordens para que NPCs executem pequenas tarefas


O uso dos ratos, no entanto, limita-se à quantidade deles, não podendo o menino controlar grandes massas, apenas pequenos grupos.
Hugo pode, ainda, utilizar a presença dos roedores para geolocalização dos inimigos.
O poder também surte efeito na Mácula, estressando o garoto. Ao utilizar o poder, uma barra indica o quão estressado Hugo está, piorando conforme o tempo de uso; caso a barra se encha, Hugo perde o controle.

Hugo funciona como um poderoso condutor para a Mácula
Pilhas de corpos daqueles que sofreram a Mordida são queimadas à noite


Mas como vemos no decorrer da aventura, os ratos são um grande problema, mas também o é o ego humano.
Requiem é uma jornada cruel de aprendizado para o pequeno Hugo, que amadurece antes do tempo, exposto à maldade dos adultos.
Um capítulo verdadeiramente brutal na franquia, onde corpos são descartados às pilhas e carregados em carroças lotadas, escondendo da população geral o poder da praga, até que seja tarde demais.

A HIPNÓTICA BELEZA DO CAOS

O gráfico de APTR salta aos olhos já nas primeiras cenas.
Personagens muito bem modelados (incluindo NPC’s que normalmente seriam genéricos), com traços bem definidos e realistas, desafiando o vale da estranheza que reside em todos nós.

Belos gráficos e boas atuações permeiam Requiem


O efeito de luz e sombra é também notável pela qualidade, especialmente por boa parte do jogo passar-se durante as noites, onde as fogueiras acentuam a proteção contra os ratos.
Florestas com densa vegetação, castelo e calabouços, bem como cavernas e o mar, todos vividamente representados em cores brilhantes e expressivas.

Luz e sombra desempenham um papel importante na ambientação


Os ratos surgindo abruptamente em grandes quantidades do chão ou avançando freneticamente em grandes paredões de roedores também impressionam pela fluidez, com a engine segurando tranquilamente as generosas infestações.

Ninhos infestados de ratos são uma armadilha por si só, mas a única alternativa de rota em alguns casos
Um pouco de ar puro no barco de Sophia


O trabalho de dublagem ganha destaque com as brilhantes atuações do elenco, em especial Amicia, interpretada por Charlotte McBurney e Hugo, interpretado por Logan Hannan, nas vozes em inglês.
Destacam-se também Kit Connor (Lucas), Anna Demetriou (Sophia), Harry Myres (Arnaud) e Alistair Petrie (Conde Victor de Arles).

Logan Hannan (Hugo) e Charlotte McBurney (Amicia) retornam em Requiem como os irmãos De Rune


A trilha sonora utiliza alguns instrumentos clássicos de música medieval e um coro de vozes femininas, muito bem empregado, destacando a dramaticidade do título.
O jogo, aliás, já nos brinda com um “vislumbre” do coro na tela título.

VÁRIAS JORNADAS, UMA PLATINA

A platina de APTR vai consumir algum tempo do jogador, especialmente no que tange à masterização de cada um dos três estilos de gameplay: não é possível fazer todos em uma única run, precisando ser empregado o uso do New Game + para tal.

Baús secretos, abertos apenas com facas


Além destes, troféus relacionados aos coletáveis (Flores, Penas e Memórias) dão as caras por aqui, ajudados pela seleção de capítulos (cada um com vários segmentos internos).
Abrir os 10 baús secretos requer uma faca para cada um, então cuidado para não gastá-las em combate.

Hugo pode passar por pequenas aberturas e destrancar portas


De resto, troféus relacionados ao aprimoramento de todos os equipamentos consumirão algum tempo; troféus relacionados a ações específicas por capítulos e troféus relacionados à trama completam a lista.

RESUMO DA ÓPERA:
A Plague Tale Requiem é um jogo impressionante.

A qualidade entregue pelo estúdio Asobo, tanto na parte técnica e artística, quanto em uma trama profunda e sombria, se dá do início ao fim do título.

A arco final mostra uma corajosa decisão do estúdio, criando uma situação mais “realista”, na medida do possível.

Amicia e Hugo De Rune embarcam em uma jornada melancólica, enquanto a garota tenta proteger o pequeno irmão das agruras do mundo, mas o menino amadurece precocemente, exposto à crueldade humana, enquanto precisa lutar contra uma doença que o está debilitando e também ao mundo que o cerca.

A Plague Tale Requiem é um título marcante, melhorando o combate do seu antecessor e expandido em riqueza de detalhes o lore do mundo criado, entregando um roteiro pesado e denso, em um mundo onde a felicidade parece um delírio.