Review/Tutorial: Andro Dunos II

Neo Geo nos trouxe grandes referências de jogos, principalmente os de luta, como Garou Densetsu / Fatal Fury, Ryüko no Ken / Art of Fighting, Samurai Spirits / Samurai Shodown e The King of Fighters…

Mesmo assim, Neo Geo possuia uma biblioteca vasta, e incluía diversos gêneros principalmente em seus jogos mais antigos, um deles o Shoot’em Up / Shmup.
Jogos como Blazing Star, Last Resort, Sonic Wings, são apenas alguns dos exemplos.
No meio disso tínhamos Andro Dunos, que era desenvolvido pela Visco Games, e claro, distribuído pela SNK em 1992.

Eis que em 2022, fomos surpreendidos pela Picorinne Soft que lançou uma sequência do jogo, sendo publicado pela PixelHeart / Just For Games.

Picorinne Soft (site oficial via exA-Arcadia)

Criado por 2 irmãos, Picorinne Soft cria RPGs e shooters. Estes últimos são dirigidos por Ryo, que desenvolveu a série Infinos e trabalhou com o compositor musical Hyakutaro Tsukumo.

PixelHeart (site oficial)

PixelHeart é uma empresa que distribui e publica videogames independentes em múltiplas plataformas como Dreamcast, Super Nintendo ou Nintendo Switch, mas também trabalha em projetos como jogos de tabuleiro, jogos de cartas… a oportunidade de trabalhar com a produtora JoshProd e estúdios como Storybird, Visco, Invictus Games ou Mr. Paul Cuisset, pai de Flashback e Fade to Black. Um verdadeiro trabalho de pesquisa é feito para encontrar belas contas retrô/próxima geração, encontrando os legítimos proprietários dessas licenças. Queremos reavivar a alma de seus gamers/retrogames oferecendo produtos de qualidade, tanto na embalagem quanto no conteúdo dos cartuchos/CD. Mas vamos ainda mais longe trabalhando também em projetos Next Gen e estamos constantemente à procura de novos projetos. Quer seja um estúdio profissional ou uma equipa de designers amadores, apresente-nos as suas criações contactando-nos através do formulário de contacto do site. Sinta-se à vontade para enviar seus comentários para que possamos melhorar nosso site e nossos produtos e garantir um serviço ideal. PixelHeart.

Just For Games (site oficial)

Fundada em 2011 por Philippe Cohen, a JUST FOR GAMES é uma das maiores editoras e distribuidoras da França.
PUBLICAÇÃO:
Fundada em 2011 por Philippe Cohen, a Just For Games é uma grande empresa francesa na publicação e distribuição física de videogames. Just For Games tem o maior catálogo de distribuição de varejo francês, incluindo os melhores editores do mundo, como Frontier, Merge Games, Team17, CI Games, Skybound Games, GameMill, Epic Games, 505 Games, Marvelous e muitos outros…
Just For Games conseguiu evoluir adicionando novos pilares de distribuição ao redor do universo dos videogames, como a distribuição de hardware de retrogaming (Sega Toys, SNK, ATGames, 8bitDo) e trilhas sonoras de videogame e cultura pop em formato de vinil. (MONDO, Laced Records, iam8bit…)
A Just For Games se posiciona desde 2019 como uma editora com valores próximos aos de seu negócio original: criar jogos acessíveis a todos os gamers. Encontra imediatamente seus primeiros sucessos graças a marcas como INSTANT SPORTS, Fantasy Friends ou 30-in-1 Game Collection.
Just For Games faz parte do grupo sueco Zordix.
PUBLICAÇÃO E DISTRIBUIÇÃO DE JOGOS PREMIUM:
Just For Games trabalha com muitas editoras francesas e internacionais como Sold Out, Skybound Games, Marvelous, Maximum Games, Microïds, SCS software, PQUBE, Merge Games e muitas outras… para encontrar o que eles querem. Os jogadores encontrarão os maiores e mais recentes sucessos da atualidade e a família encontrará jogos para brincar com as crianças JUST FOR GAMES oferece através do varejo a todos os melhores jogos em todos os formatos, desenvolvidos pelos estúdios mais famosos: Rebellion (Sniper Elite), Team 17 ( Worms, Overcooked), Frontier (Planet Coaster, Jurassic World Evolution), D-Pad (Owlboy), Avalanche (The Hunter: Call Of The Wild), Nicalis (The Binding Of Isaac), Marvelous (FATE Extella), Arc System Works (Blazblue Central Fiction), Motion-Twin (Dead Cells), OSome (Astérix XXL2), Eden Games (Gear Club Unlimited)…

Evidentemente não vamos focar no jogo original, apesar dele ser referência no review/tutorial.
Sem mais delongas, vamos lá:

Código cedido para review pela Just For Games / PixelHeart, versão Playstation 4
Review baseado no Playstation 5 através da retrocompatiblidade

Nome: Andro Dunos II
Gênero: Shoot’em Up / Arcade / Shooter
Desenvolvedora: Picorinne Studios / JoshProd, sob licenciamento da Visco Games
Distribuidora: Just For Games / PixelHeart / Storybird SARL
Plataformas: Playstation 4, Nintendo Switch, PC, Xbox (Dreamcast e Nintendo 3DS em breve)
Lançamento: 2022 (10 de março)
Mídia: Digital e Física por prints limitados

Edição Física

Edição de print limitado MVS EDITION

As edições físicas podem ser encontradas nas lojas da Just For Games (em francês) e PixelHeart, e como somos bem legais vamos deixar o link de cada uma das lojas, assim você escolhe qual edição quer :), basta clicar no banner promocional de uma das duas abaixo.

E como de costume, aqui vai o aviso de sempre:
Os cálculos são feitos apenas com o valor de venda do jogo adicionado ao valor de frete para sua residência. Caso for preciso o pagamento de importações adicionais no seu serviço postal, deverá ser feito por sua total responsabilidade.

Tela Título

História / Enredo

A premissa da história é apenas a simplista frase:
“Lutar contra extraterrestres, uma última vez…”

Gráficos

Mantendo o revival de jogos antigos, o jogo é feito em arte cartoon / desenho e usando o estilo de pixelart. A paleta de cores é em nível moderado (ao contrário do Neo Geo que era conhecido por ter cores fortes) e os efeitos usam as variações de cores e intensidade de branco para as explosões, não havendo quaisquer efeitos tridimensionais, de fato.
O jogo não possui sequências de animações ou filmes que sejam relacionados à história, apenas o bom e velho jogo linear de nave com fases diretas.

O jogo conta com formato de tela 4:3 com opções de bordas (ou sem elas) e 16:9, além de simular as TV’s CRT.

Som / OST

O jogo não possui dublagens.
Composta por Allister Brimble (Alien Breed, Body Blows, Project-X, Colonization, Driver ou Superfrog), a trilha sonora possui arranjos eletrônicos e trance com o uso de sintetizadores, que remetem aos anos 80.
A trilha sonora é cortesia no Spotify pelo próprio compositor, vou deixar aqui para você escutar enquanto acompanha o texto.

Jogabilidade

O jogo usa 2 botões de funções, um para disparo e um para hiper disparo, além 2 shoulders para a troca de armas.
As opções, entretanto, ficam limitadas às combinações pré definidas que o jogador poderá escolher para os botões de funções, enquanto na rotação de armas fica apenas o critério de sentido de troca, normal ou reverso.

Sistema de Jogo

Colete power ups e lute contra naves alienígenas em 7 fases lineares.

Uma última vez…

Nossa carismática nave Yellow Cherry, possui um grande poder de fogo.
Seus equipamentos se dividem em 3 slots:
S (Shot) – disparo de arma principal
M (Missiles) – armas secundárias
U (Units) – unidades de defesa

Seu mecanismo de troca de armas principais, secundárias e unidades de defesa, por sinal os mesmos sets de armas do primeiro jogo, tem suas vantagens e desvantagens, além de alternar suas formações internas.
Cada arma terá seu Hyper Shot individual e com poderes diferenciados.

Normal Shot – o disparo padrão da nave com projéteis em direção única, os mísseis ficam em fformato bombardeio e as unidades de defesa ficam na frente da nave.

Bullet Shot – o disparo fica com munições menores, porém com tiros auxiliares nos sentidos frontal e traseiro, os mísseis no estilo tomahawk, com dano maior e frequência menor e a formação das unidades de defesa ficam na parte traseira da nave.

Laser Shot – o disparo troca para uma arma laser com tiros auxiliares na parte traseira e diagonais, os mísseis ficam teleguiados e as unidades de defesa ficam em formação de giro em sentido-horário.

Spread Shot – os disparos sofrem mais dispersão e com dano menor, sua evolução aumenta a dispersão e rajadas de tiros, os mísseis dão lugar aos lasers e a formação das unidades ficam na parte superior e inferior da nave.

Hyper Shot – poder máximo de cada set de arma, cada um com suas variações.

O hypershot ativa um cooldown na nave, que é exibido logo abaixo dela, necessitando a espera do recarregamento.

Power-Ups e Pick-Ups

As armas sofrem upgrade de acordo com o power up que sai dos drones (ou de inimigos miniboss), ao serem atingidos eles irão ficar presentes na tela, isso envolve um certo timing para a mudança de power up entre S / M / U, mas como todo shmup, o power up pode sair depois de um tempo flutuando.

Cada arma tem seu nível máximo para 7, tornando o poder de fogo cada vez mais potencializado. O nível é demonstrado pelos números próximos ao set de cada slot.

O hyper shot não possui upgrade e melhoria de dano, sendo um nível único.
Enquanto estiver em cooldown, o nível da arma fica em vermelho, sinalizando seu desativamento temporário pelo fato da nave ficar com disparo em nível 1.

Ainda temos o power up ALL que irá fazer um upgrade em todos os slots e armas simultaneamente.

E o LIFE UP, que concede uma vida extra.

Os Pick-Ups são pequenos bônus coletados durante as fases e são armazenados no canto inferior da tela. Eles podem aparecer em pequenas formações de inimigos ou inimigos grandes na tela.

Haverá um máximo de 30 por fase que, ao coletar 10 darão 1 ponto de upgrade para o jogador escolher entre as armas após a conclusão das fases.

Extras

O jogo possui 3 níveis de dificuldade: JOURNEY/ ARCADE / ANDROID.
O hyper shot, diferente da versão original, não causa a perda em um nível da arma normal após o seu uso, mas há o cooldown em nível 1. Entretanto, as dificuldades ARCADE e ANDROID causam a perda de um nível ao ser atingido, enquanto na dificuldade JOURNEY não há perda de nível.

O jogo possui 3 fases extras, além das 7 normais.
As fases são modos isolados e que podem ser jogados na seleção de fases do menu do jogo.

Boss Rush – enfrente os chefes do jogo com 4 vidas e sem continues.

Respect 1992 A & B– relembre o jogo na versão NEO GEO de 1992 com 2 fases específicas.

OBS: a fase especial A de 1992 só libera após a conclusão do BOSS RUSH, e a B após a conclusão da fase A.

Troféus / Conquistas

Dificuldade: 3/10
O jogo não possui platina e tem apenas 10 troféus no seu set.
De forma resumida, você precisa terminar o jogo em quaisquer dificuldade e terminar o Boss Rush e as homenagens à 1992.

Considerações Finais

Graficamente o jogo é agradável e remete aos 16 bits da época do Neo Geo, porém com uma coloração mais opaca que o nosso eterno sistema de arcades / console. Os efeitos de branco para as explosões e efeitos das armas não incomoda a luminosidade e nem há frequência exorbitante.

A trilha sonora agrada pelas variações de arranjos em um mesmo gênero, principalmente pelo revival de sintetizadores dos anos 80, que apesar de ser um jogo curto, tem um número considerável.

A jogabilidade adaptada aos controles atuais tornam o jogo divertido e dinâmico, tendo em vista que o Neo Geo contava com 2 botões de funções, dos 4 que tinha. Enquanto o hyper shot era usado para carregar o disparo e o B trocava as armas, no segundo jogo há mais formas diretas para usar o poder da nave.

A performance do jogo é impecável, não havendo slowdown, travamentos ou fechamentos repentinos durante sua execução, mesmo que em grandes períodos.
O desafio é moderado alto e de forma progressiva. Os inimigos irão ficar mais agressivos e os padrões de formações são alteradas no decorrer do jogo. A dificuldade ANDROID irá aumentar o número de projéteis dos inimigos, velocidade e a frequência de tiros, beirando alguns pequenos momentos de pseudo bullet hell. Os chefes também possuem desafios versáteis, uma vez que alguns possuem pontos fracos de fácil acesso e outros com diversas fases de combate e padrões agressivos, dando um belo nível de desafio, somado ao fato de cada chefe ter armas mais fáceis para serem destruídos, aumentando o dinamismo dos tipos de disparos que a arma tem.

Um dos pontos negativos porém é a falta de multijogador, sim, Red Fox não está entre nós nessa continuação (apesar dela estar na arte promocional do jogo hahaha).

De forma resumida, Andro Dunos II nos traz de volta os velhos tempos do shmup de Neo Geo, em um jogo que tem mais sentimento de homenagem do que uma sequência de fato. Muitos dos inimigos vistos aqui são remanescentes do primeiro jogo, porém com pequenas mudanças de armamentos ou fases de combate, mas há também fases com inimigos criados para essa continuação e com sequências bem divertidas de progressão.
Quem jogou o primeiro certamente irá se divertir e se desafiar com o bom e velho shmup linear e sem cenas de história, apenas tiroteio…

E você??? Pronto pra destruir aliens uma última vez????