Review/Tutorial: Returnal & Ascension

Returnal sempre foi um jogo que me chamou atenção, desde sua primeira aparição na revelação de 2020, o combate parecia frenético e conforme o jogo foi se revelando, mais minha sede e vontade por joga-lo viria à tona: roguelike + bullet hell…

Desenvolvido pela Housemarque e sendo seu jogo de estreia no console, vamos então embarcar em uma análise nossa, que demorou muito tempo (não me julguem) perante motivos externos ao site e que vocês provavelmente já tenham visto diversos reviews… mas esse é o único site que… TEM GIFS!!!! 😛 (sim, eu não canso dessa piada em reviews atrasados)
Pra compensar o atraso, por que não falarmos já da DLC ASCENSION lançada este ano???

Housemarque (site oficial)

Fundada em 1995, a Housemarque é um estúdio de desenvolvimento de jogos premiado com o objetivo de criar experiências de jogos memoráveis. Nossa paixão é criar jogos de classe mundial com uma jogabilidade intuitiva e precisa.
Aqui, o lema é “Jogo é Rei”.
Housemarque juntou-se à família Sony PlayStation Studios em junho de 2021. O PlayStation Studios é uma coleção de estúdios de desenvolvimento de jogos de classe mundial, responsáveis por algumas das franquias de jogos mais reverenciadas e bem-sucedidas do mundo.

Sem mais delongas, vamos lá:

Código cedido para review pela Sony Interactive Entertainment Europe

Nome: Returnal
Gênero: Third Person Shooter, Roguelike, Bullet Hell
Desenvolvedora: Housemarque
Distribuidora: Sony Interactive Entertainment
Plataformas: Playstation 5
Lançamento: 2021 (30 de abril)
Mídia: física e digital

Título disponível no catálogo* de lançamento da Playstation Plus Extra / Premium
*Sujeito à retirada do serviço com o passar dos meses

Tela Título

Não tem, uma vez que o jogo é iniciado com as configurações e introdução no seu primeiro momento, e após criar um save e voltar ao jogo em outra sessão, ele começa diretamente no local de acidente.

História / Enredo

Selene Vassos é uma astronauta pertencente à ASTRA Corporation, que por desobedecer às ordens da mesma, acaba se aproximando do planeta Atropos, que se encontra fora dos limites da área regida pela corporação. Sua intenção é investigar um sinal que ela chama de “SOMBRA BRANCA” e que soa familiar para ela.

Ao chegar próximo do planeta para reconhecimento, Selene é atingida por um raio causando uma aterrisagem forçada no planeta. Sua nave Helios está danificada e Selene se vê presa no planeta, sendo obrigada à explora-lo…

Ao começar o reconhecimento do planeta, ela encontra o corpo de um astronauta com um uniforme parecido ao seu, ao verificar o capacete, o nome SELENE está nele. Confusa e extremamente frustrada, Selene se pergunta, o que seu corpo está fazendo caído ali?? Ao lado do corpo estava sua arma, confirmando ainda mais que algo está errado…

Ao continuar o reconhecimento, Selene encontra criaturas hostis e se vê obrigada à entrar em combate. Ainda com a confusão do seu corpo ter sido encontrado, eventualmente ela acaba perdendo uma das batalhas…

Eis então que Selene se vê novamente em Atropos, no lado do acidente com a Helios…
Sim, ela está presa em Atropos, e toda vez que abandona o local do acidente, o planeta se modifica, novas ameaças surgem… e assim, começa um ciclo de retorno eterno…

Abaixo deixo o trailer feito para uma breve teaser da história do jogo no canal da Playstation Portugal.

Gráficos

Returnal conta com gráficos trabalhados na Unreal Engine 4, há pequenas partes de CG’s, entre alguns pontos da história, mas a grande maioria da progressão de narrativa é feita in-game. Os efeitos de luz do jogo são bem trabalhados e com ambientações escuras e diversas luminosidades com relação aos biomas que o planeta possui. Entretanto, pessoas que sejam sensíveis à epilepsia devem jogar com cuidado e com ambientes bem iluminados, pois o jogo possui diversos efeitos de luz perante a quantidade exagerada de projéteis que há nos combates de armas e dos inimigos.

Selene foi interpretada pela modelo Anne Beyer para modelagem e captura de face.

Som / OST

Em termos de dubladores, vou citar apenas as dublagens em inglês e português de Portugal.
Selene é dublada em inglês pela Jane Perry e em português de Portugal pela Ana Água.

A trilha sonora do jogo é composta por Bobby Krlic com o codinome The Haxan Cloak, que trabalhou em Red Dead Redemption 2.

O volume dois foi trazido esse ano perante a dlc ASCENSION, e conta com 3 novas músicas.
Além das músicas não incluídas no volume anterior.

Jogabilidade

O jogo conta com o uso de todos os botões de funções, shoulders, triggers e touchpad.
Apesar disso, tem um esquemático confortável, e há a opção de usar os comandos com a pressão dos gatilhos, o que torna o combate mais dinâmico no uso de tiros secundários das armas.

Sistema de Jogo

Selene deve explorar o planeta Atropos e batalhar contra criaturas hostis a fim de descobrir mais sobre a Sombra Branca e os mistérios que assolam o planeta. Por ter elementos roguelike, cada ciclo irá trocar o design do mapa, além de perder itens e upgrades não fixos de progressão e os combates são em ritmo rápido em terceira pessoa e com elementos de bullet hell.

O começo dos diversos retornos…

Para melhor entendermos o chamado “ciclo”, precisamos entender como funciona a distribuição de áreas que irão mudar em cada vez que começar o jogo.

Caminhos principais e secundários são facilmente identificados nos portões do mapa…

O planeta possui padrões de cada sessão que Selene entra.
O aspecto roguelike está em como esses padrões irão se mesclar em cada tentativa de ciclo que ela está, isso envolve diversas combinações, uma vez que nem todos os padrões podem ser gerados em um ciclo corrente, ou seja, os biomas podem ser curtos, médios e longos.

Selene irá encontrar diversos itens e armas durante um ciclo, porém os upgrades que não são de progressão de jogo, irão ser perdidos em cada ciclo novo, sim, mesmo que você pegue uma arma poderosa e vier à morrer, Selene volta para a sua pistola, enquanto a espada, que é um item adquirido no decorrer do jogo, ficará com ela em todos os ciclos, por exemplo.

Isso inclui inimigos novos e que fará os já descobertos se adaptarem conforme suas habilidades, o jogo irá criar spawns de inimigos conforme seu estilo de jogo.

Uma estranha tecnologia em combate…

Selene tem consigo sua pistola, e com seu traje, possui algumas funcionalidades adicionais no combate, um deles é o OVERLOAD que é feito do mesmo estilo de mecânica de outros jogos de TPS, com um timing correto para recarregar a arma e conceder bônus no seu ataque.

O número à esquerda é o dano atual, e o número entre [] é o dano total…

A barra abaixo da mira é o tempo de carregar a arma, porém a parte destacada é o timing correto para aplicar o Overload, caso errar o timing, Selene precisará de mais tempo para carregar a arma, porém sem bônus adicional.

Uma carabina alien, quem imaginou isso????

Selene terá à sua disposição diversas armas, recorrentes de cópias de tecnologia terrestre, porém com sua própria tecnologia e atributos.
Diferente do que somos acostumados em vernos jogos, Selene só carrega uma arma de fogo por vez, não sendo possível “alternar” equipamentos, o que irá exigir uma atenção de escolhas para seu poder de fogo.

Como dito antes, cada arma tem seus próprios atributos e ao se aproximar de alguma arma, o sistema irá fazer um pequeno comparativo pra você decidir se troca ou permanece com a que tens.
No exemplo acima, a pistola possui os atributos Bonus Damage, Overload Projectiles e Firerate.
Bonus Damage – dano adicional por cada disparo
Overload Projectiles – projéteis adicionais enquanto está em overload
Firerate – frequência dos disparos

Agora perceba que há uma pequena porcentagem abaixo desses atributos, no caso o Snubnose Barrel. Isso é o que chamamos de Traits, que são características adicionais para a arma, e que irão ser adquiridas conforme derrotar inimigos e a porcentagem de pesquisa for concluída (indicada no canto esquerdo acima das informações de Selene).

No caso do snubnose barrel, ele irá causar mais dano com o custo da sua precisão de mira, ou seja, quanto mais certeiro em pontos vitais dos inimigos, maior será o dano da pistola.
As características da arma podem variar e parte disso irá ser um dos pontos cruciais de trocas de armas no decorrer do jogo. Os traits podem ser mais de 1 para a mesma arma no decorrer do jogo, mas isso darei detalhes mais para frente.
As armas serão os itens em vermelho no ambiente ou com indicativo de uma pistola no mapa.

Perceba a mudança de zoom com relação à pressão do gatilho…

O tiro alternado possui funcionalidade de pressão do Dualsense, a primeira metade do gatilho irá fazer os disparos normais, a segunda metade do gatilho irá ativar a mira mais precisa, além do carregamento de tiro secundário (dependendo da arma).

Os tiros secundários também podem ser pesquisados para as armas, e terão sua porcentagem um pouco mais demorada que os TRAITS, e diferente deles, cada arma pode haver apenas 1 tiro alternado.

Agora veja o pequeno indicador de estrela, tanto no HUD do jogo no canto inferior esquerdo quanto na troca de arma.

Trata-se da Proficiency, que em termos mais resumidos, é o nível de poder de Selene com relação às armas, o que pode fortalecer novos equipamentos com traits e atributos melhores.

A proficiência é adquirida ao derrotar inimigos ou pegar diversos tipos de calibradores no mapa. Entretanto, a proficiência possui um limite, darei detalhes mais para frente.

Conhecendo seu Traje…

Basicamente as informações de defesa, recursos e aprimoramentos fixos estão nessa tela, não vou explicar tudo com detalhes para não estragar a experiência, mas irei explicar apenas os fatores de defesa e recursos.

Augments são pequenos incrementos que o traje pode sofrer com itens coletados no Fabricator Pods, isso pode incluir aspectos específicos e gerais do traje.
Damage – adiciona dano às armas
Protection – adiciona resistência à integridade do traje
Proficiency Rate – frequência de proficiência por inimigo e calibrador
Repair Efficiency – eficiência de reparos via recursos ou ativação de artefato
Alt-Fire Cooldown – diminuição do cooldown de tiros alternados

Os slots do lado esquerdo da tela de status são relacionados à parasitas que Selene encontra no planeta, eles podem buffar seu traje ou dar características modificadas para ele, porém sempre irão causar o chamado malfunction.

Porém o malfunction também pode ocorrer através de malignidade encontrada no planeta, onde é um efeito randômico nos itens dessa condição.
O malfunction gera um defeito e um requisito para reparar a condição, porém em alguns casos, haverá casos do defeito se manter de forma passiva/ativa.
OBS: o traje pode ter 5 parasitas simultâneos, porém apenas 2 malfunctions em paralelo ativado, se for detectado uma terceira, o traje sofre um CRITICAL MALFUNCTION, que irá destruir algum item / recurso e artefato do seu traje. Os parasitas podem ser destruídos através de uma tecnologia xeno.

A vida de Selene é indicada pela integridade de seu traje, que é a barra verde acima da proficiência. Haverá 2 aspectos que interagem diretamente com o quanto essa integridade pode ser duradoura ou curta.

Perceba que fiz imagens lado a lado para melhor comparação ao que eu me refiro, em uma a integridade está normal, na imagem central ela está maior e na direita ela está menor.
A integridade aumenta através do recurso chamado Resina Silphium, que é acoplado ao traje através de slots do lado esquerdo da barra, coletando 3 resinas o upgrade é feito.
A integridade diminui através das MALFUNCTIONS encontradas em parasitas e malignidade de recursos.
OBS: o slot de resina pode sofrer uma melhoria (não fixa entre ciclos) através de um artefato intensificador, diminuindo de 3 para 2 slots.

Os combates dão adrenalina para Selene, que é o indicador no centro inferior da tela.
A adrenalina é identificada pelo seu sistema nervoso acoplado ao sensor do traje, e seu multiplicador (máximo 5.0) aumenta enquanto Selene não sofrer dano nos combates.

Isso adiciona algumas habilidades adicionais e que irão buffar Selene, como por exemplo, velocidade e coleta de recursos mais eficazes.

Recursos e Itens de Atropos…

Os recursos do planeta são apenas 3: Silphium, Ether e Obolites
Silphium é usado para reparar ou aumentar a integridade do seu traje.
Ether é usado para purificar malignidade de itens, podendo ser usado também em dispositivos tecnológicos xeno e se mantém nos diferentes ciclos (enquanto não for gasto).
Obolites são usados em cápsulas para fabricação de itens, artefatos e incrementos, porém são perdidos em cada ciclo novo no jogo.

Os recursos podem conter malignidade.
Ether também pode ser adquirido vingando jogadores mortos e completando desafios (mais abaixo do review/tutorial).

Atropos possui itens divididos em tecnológicos, consumíveis e chaves.
Tecnológicos – dispositivos, artefatos e armas fazem parte dessa categoria.

Consumíveis – itens que podem ser usados em quantidade limitada.

Chaves – chaves atropianas que abrem baús e portas, além de itens chave de progressão de jogo e história.

Desafios Diários

No decorrer do jogo, Helios irá permitir acesso ao computador de desafios diários, que nada mais é um bioma específico do jogo com modificações e sistema de pontuação.

Coletáveis

Atropos tem diversos coletáveis que irão enriquecer um pouco a história por trás do mistério do jogo.
Há 4 tipos de coletáveis, sendo eles:
Áudio Logs – gravações de ciclos temporais de Selena onde ela dá seu depoimento de situações e descobertas
Xenocyfers e Xenoglyphs – o planeta possui glifos não traduzidos, para poder entender eles, você deve encontrar as cifras nos cenários.
Xenoarchives – salas que irão mostrar um pouco mais do passado do planeta, como sua civilização e destino.
O último tipo de coletável não irei dar detalhes.

DLC: Ascension (atualização gratuita)

Em 22 de março de 2022 o jogo teve a dlc gratuita ASCENSÃO via update gratuito na versão 3.0, onde consiste algumas modificações na forma geral do jogo e com a inclusão de 2 modos adicionais.

O modo cooperativo é ativo através do dispositivo Chronosis, encontrado no lugar de acidente da Helios e em outros pontos estratégicos.

OBS: como não testei esse modo até a publicação do review, vou deixar em forma de quote o artigo do Playstation Blog (link em inglês).

Returnal Coop

Em co-op, o jogo funciona de forma semelhante ao Returnal single-player. No entanto, se os jogadores ficarem muito distantes, eles serão amarrados novamente. Isso é para garantir que o foco permaneça na jogabilidade cooperativa e ambos os jogadores se sintam conectados aos destinos um do outro. Se um dos jogadores for abatido, ainda há esperança: o outro tem a opção de revivê-lo. Mas tenha cuidado, pois isso exigirá algum investimento de tempo e, no calor da batalha, você precisará estar atento às inúmeras ameaças ao redor, para não se juntar ao seu companheiro caído no esquecimento.
Além de conectar as histórias dos jogadores e criar um senso de camaradagem, o conforto fugaz que você obtém ao se envolver com outros jogadores também pode permitir que você avance no jogo se estiver travado. A progressão está ligada ao anfitrião, então se você está lutando para superar um certo chefe ou bioma, trazer outro jogador para ajudar pode abrir seu caminho para o triunfo. Os jogadores clientes que se juntarem para ajudar também conseguirão manter algum progresso que fizerem – como coletar logs e xenoglifos – e quanto mais jogos eles ajudarem, mais seu Rank de Scout crescerá.

Resolvi deixar o artigo na íntegra já que não testei o modo cooperativo por preferir ficar imersivo ao enredo do jogo.

Tower of Sisyphus

A área adicional do jogo fica no local de acidente, no lado direito de quando o jogo começa.
Para acessar é necessário ter vencido pelo menos o bioma 2, porém é aconselhável terminar o jogo antes de acessar essa área para não ficar à ver navios no enredo.

A torre funciona como um complemento ao enredo do jogo, porém focado em outro aspecto.
Resolvi não falar do Enredo como faço geralmente com dlcs, por simplesmente estar muito além do que é possível comentar sem spoiler.

Porém em termos de mecânicas, temos algo como uma espécie de “survival”, onde Selene irá subir a torre, enfrentar inimigos, coletar recursos para combate, e em cada 20 salas, um dos seus tormentos da mente.

Selene irá passar por salas geradas de forma procedural, com design misturados entre os ciclos. Toda a parte de combate do jogo se mantém, exceto que há pontuação.
O multiplicador irá se manter ativo enquanto Selene fizer ações, seja derrotar inimigos ou interagir com itens e dispositivos.

A barra abaixo do multiplicador é o timing que ele irá se manter no valor, ao se extinguir, o multiplicador de pontos fica em vermelho e começa à diminuir.

O multiplicador ativa uma trava em ambientes únicos da torre, isso inclui salas com itens de 1 escolha, itens gerais e dispositivos tecnológicos.
Agora perceba que a gif acima aparece “SPEED BONUS”. Ao terminar as salas rapidamente, você ganha essa bonificação que adiciona obolites para Selena.

Como mecânicas novas, temos os Disgorgers (Regurgitadores), que são itens consumíveis poderosos em forma de armas com munição e tempo limitados.
Como dito antes, à cada 20 andares, Selene enfrenta o chefe da torre, ao concluir a batalha, ela adquiri uma MALFUNCTION PERMANENTE até o fim do ciclo.

Derrotando o chefe, ela passa para a próxima fase da torre, mais 20 salas e uma nova batalha com chefe acontece.

A exploração da torre nada mais é que um combate frenético com todos os inimigos do jogo base, com exceção de 2 que são exclusivos desse local.
A proficiência é limitada até a 45, e há os mesmos coletáveis do jogo base na torre.

Boa sorte…

Troféus / Conquistas

Dificuldade: 10/10 antes do patch 2.0, 4/10 após o patch 2.0

Os troféus são em sua maioria ocultos, então para evitar quaisquer spoiler, prefiro dizer que o jogo tem um set relacionado à toda exploração do planeta Atropos, além de fazer 5 overloads em sequência, atingir nível 30 de proficiência, completar um desafio diário, atingir integridade 200, chegar na adrenalina 5.0, ter 5 parasitas simultaneamente, encontrar 10 audio logs, descobrir uma tradução completa de xenoglifo, concluir um conjunto de xeno-arquivo.

Ascension possui troféus relativos ao enredo, além de matar 100 hostis com Disorgers.

Considerações Finais

Graficamente o jogo cumpre bem o seu papel, com diversos efeitos de luzes e diferencianção na ambientação dos biomas. A modelagem de Selene in-game é um misto de cenas engraçadas (aka cenas de mortes) e detalhadas. Podemos ver a aplicação do ray tracing de forma agradável, pois o jogo lida com efeitos de iluminação em quase 90% do tempo.

A trilha sonora é agradável, com temas que lidam com a situação de cada bioma e ao entrar em combates. Os arranjos são bem variados e a performance de Ana Água me agradou em alguns momentos, apesar de ter um voice act em número pequeno no jogo, não chega à incomodar já que é um jogo de ter a imersão de solidão em busca de respostas.

A jogabilidlade é o ponto alto do jogo, com combates rápidos, esquemático confortável e respostas dinâmicas. O uso da pressão dos gatilhos foi bem aplicada, dando uma versatilidade nos combates e uso dos recursos de Selene.

A performance é impecável em aspectos de não haver fechamentos repentinos e ser constante nos seus frames. Porém há pequenos bugs que podem tornar a experiência frustrante:

… apesar de serem bugs ocasionais, não deixa de frustrar.

A duração do jogo é algo relativo, pode ser curta ou longa, isso mexe imediatamente com sua habilidade em jogos de ritmo rápido e bullet hell. Alguns inimigos possuem danos altos e podem matar Selene com 1 tiro, o que torna o desafio alto, até certo ponto…
Talvez as mudanças impostas no decorrer das atualizações tenham sido para tirar proveito dos que adoram salvar prints do jogo (photo mode) e rebalancear o jogo de forma justa, porém com o interesse de alcançar um nicho de jogadores não tão hardcore assim, digo isso pela inclusão da suspensão de ciclos em suas jogadas feito no update 2.0, algo não existente antes.
A ideia é simples, você poderia suspender o jogo, sair de forma segura, upar seu save e continuar posteriormente, o que de fato facilita a vida de muitos jogadores não hardcore, porém a essência da alta dificuldade se perde, algo que antes era o terror de muita gente para platinar esse jogo.

Mas voltando ao aspecto de duração, o jogo possui 3 atos: 3 biomas no ato 1, 3 biomas no ato 2, o ato 3 é finalizado perante o final secreto do jogo, uma vez que o enredo é complexo e exige a leitura do jogador nos diversos coletáveis e informativos que ele possui para poder entender o que acontecesse no mundo do jogo. Isso meu amigo é o fator versátil do jogo, que separa os que adoram enredo dos que gostam de mecânicas…

O mesmo vale pra Ascension, que precisa ser lido e entendido para as conclusões feitas ali, além de uma interpretação minuciosa da história. Entretanto, a DLC é mais fácil que o jogo base no meu ver, uma vez que Selene fica facilmente overpower com relação ao mundo da torre, principalmente para os jogadores que terminaram o jogo base em 100% e se acostumaram com os combates e padrões.

Um detalhe interessante porém, é o fato de que a versão européia possui legendas em português de Portugal apenas na narrativa, sendo a interface em inglês. Enquanto na versão com o português do Brasil tem interface e narrativa localizados.

De forma resumida, Returnal se mostrou uma excelente demonstração do que esperar de um jogo e ele cumprir o que promete, com um enredo complexo e com pitadas de horror psicológico, sistema de combate rápido e divertido, desafio alto e, que causa o choro de muitos jogadores não acostumados com o gênero, ao ponto de criarem mecânicas acessíveis aos diversos tipos de jogadores…
Com certeza leva o selo de recomendação do site….

Pronto pra quebrar o ciclo?