Review/Tutorial: After Wave: Downfall

Desenvolvido entre uma parceria da 7 Raven Studios (outros reviews deles aqui) e da SleepPlaying, After Wave: Downfall nos traz a nostalgia dos shooters / shmups de arcade com visão traseira.
A 7 Raven Studios ficou a cargo da distribuição para as versões console do jogo, enquanto o desenvolvimento é feito pela SleepPlaying que, devemos destacar que é um solodev tailandês chamado Viratchai Tanoi.

7 Raven Studios (site oficial)

Localizada em Nova York, EUA e Phuket, Tailândia, a 7 Raven Studios cria vários tipos de jogos e experiências de jogadores desde sua fundação em 2006. O fundador da empresa começou a criar jogos nos computadores domésticos Commodore 64 e Amiga na Itália.
Desde então, continuando o desenvolvimento de jogos no Super Nintendo Entertainment System, Gameboy Color, Gameboy Advance, Nintendo DS, 3DS, Windows, Mac, plataformas móveis como iOS e Android.
Desde 2017, desenvolvemos e publicamos jogos para Xbox, PlayStation e Nintendo Switch.
Somos apaixonados por jogos. Como empresa, nossa missão é criar experiências divertidas para os jogadores. Entre em contato conosco se estiver interessado em que publiquemos seus jogos.

Sem mais delongas, vamos ver como ficou o trabalho desse desenvolvedor solo que traz o saudosismo dos jogos arcades nesse simples e promissor shooter?

Código cedido para review pela 7 Raven Studios, versão Playstation 4
Review baseado no Playstation 5 através da retrocompatibilidade

Nome: After Wave: Downfall
Gênero: Action, Shooter, Shmup, Indie
Desenvolvedora: SleepPlaying
Distribuidora: 7 Raven Studios
Plataformas: Playstation 4, Xbox One, Nintendo Switch
Lançamento: 2022 (3 de agosto no Xbox, 4 de agosto no NSW e 5 de agosto no Playstation 4)
Mídia: até o momento do review, apenas digital

Tela Título

História / Enredo

As sirenes de alerta soavam acusando uma invasão no espaço. Megacat, responsável pela guarnição da Terra, foi investigar e encontrou uma horda de naves alienígenas de Deathtrix, conhecida por sua crueldade.
Eles dominaram planetas vizinhos…

Megacet tentrou enfrentar Deathtrix, porém sem êxito, e enviou um sinal para todos se prepararem na Terra. Deathtrix então, enviou um meteorito em direção ao nosso planeta e o impacto dele causou grandes ondas de inundações e tsunamis em quase todos os lugares.
Por ser de natureza alienígena, um teor de radiação se espalhou e todos os animais que tiveram contato ficaram enfurecidos, causando o caos no planeta.

Todos os times que receberam o sinal de Megacat pediram ajuda para seus respectivos heróis, com o objetivo de combater os animais, destruir Deathtrix e os meteoritos, para então, restaurar a paz e o equilíbrio natural.

OBS: eu adaptei o texto da história, uma vez que há pequenos erros de localização do idioma Português no jogo.

Gráficos

Os gráficos do jogo possuem uma paleta de cores intensa, com efeitos de luminosidade baseado em feixes de luz e assets básicos. As texturas são simples nos cenários e a modelagem dos personagens e inimigos são em formato super deformados.
As cenas de história ocorrem diretamente no jogo, não havendo cenas separadas.

Som / OST

O jogo não possui dublagens, então ficamos à cargo de sonoplastia simples e músicas com pouca quantidade, digo isso porque o jogo é dividido em 10 fases (dependendo da dificuldade) mas as músicas são as mesmas à cada segmento de jogo.

Os arranjos das músicas são orquestrais e com composições rápidas.
Infelizmente não encontrei a trilha sonora pra demonstrar pra vocês.

Jogabilidade

O jogo usa os triggers e shoulders e apenas 2 botões de funções, sendo um esquemático agradável e confortável num geral. As poucas funções remetem ao estilo arcade dos shooters, de fato.
O jogo não possui mapeamento personalizável.

Sistema de Jogo

O jogo possui 10 fases divididas em 3 partes de onde os meteoritos caíram, entretanto, essas fases são desbloqueadas apenas quando termina o jogo em cada uma das dificuldades anteriores, ou seja, 4 fases no EASY, 7 no Medium e 10 no HARD.

A rolagem do jogo é visto de trás pra frente, com a profundidade do jogo sendo limitada em área demarcada para sua nave se mover no campo de batalha, o efeito tridimensional e as câmeras podem variar dependendo da fase.

As forças de defesa

Inicialmente, você tem à disposição 3, dos 6 pilotos possíveis.
Cada um tem sua “nave” própria com suas habilidades e atributos.

O combate aquático

Nossos heróis tem 3 tipos de ataques:
Ataques Normais – são os disparos sem necessidade de energia ou recursos adicionais e usados de forma ilimitada. Possuem tiros mais fortes conforme suas rajadas.

As naves possuem 2 disparos adicionais que usam energia, as pequenas capsulas amarelas que você apanha e tem no indicador abaixo do painel do seu personagem.

Os Skill Shots possuem número específico de gasto de energia para cada ataque, de cada piloto, além de diferentes tipos de ativação, como por exemplo segurar o botão de disparo para carregar o tiro, como é o exemplo do Conall e sua nave Vulcan.

Skill Shot 1 – indicado pelo tiro direito abaixo da capsula, sendo executado com o botão . No caso da Vulcan, é o Míssil Rápido.

Skill Shot 2 – indicado pelo tiro esquerdo abaixo da capsula, sendo executado com o botão. No caso da Vulcan, é o Torpedo.

Perceba que os skill shots sofrem cooldown, ou seja, não é possível “spammar” os tiros em curto tempo de espaço. Outro fator interessante é que é possível usar ambos os disparos de forma conjunta (e acredite, haverá necessidade em dificuldades mais altas).

Power Bomb – por fim, o tiro mais forte das naves e com poder devastador. A super bomba é indicada pelo P abaixo dos indicadores da nave e acima do indicador de energia, sendo o número de estoque o pequeno indicador de “nuke”.

Veja que a Power Bomb também possui um sistema de cooldown.
De ataques, é isso que você tem à sua disposição, porém mais pra frente darei mais detalhes sobre os indicadores ali…

Bônus e Recursos

Combos – perceba que em cada inimigo derrotado, aparece sua pontuação multiplicada por um valor, esses valores são aumentados com mortes em curtos espaços de tempo e sem sofrer dano.

Seus multiplicadores de combos serão indicados de forma continua ao lado da sua pontuação, na parte superior esquerda da tela, ao sofrer dano ele volta para 1.0 (e o máximo é 30.0).

Star Points – grande parte dos inimigos dropam estrelas, que possuem diferentes bonificações e valores de pontuação, podendo ser BRANCAS, AMARELAS e COLORIDAS (formato 6 pontas).
Os valores das estrelas ficam entre 100, 2000 e 10000 respectivamente.

RepairKit – o repairkit ajuda à recuperar slots da funcionalidade da nave (aka HP).

Gems Points – as gemas são recursos dropados de forma aleatória e que são usados para o upgrade das naves e dos recursos de jogo.

O que nos leva pra próxima seção do review / tutorial…

Upgrades

Os upgrades são divididos em:
Upgrades Gerais – relacionado à funções de HP das naves, raio de captura dos itens, aumento de estoque de energia e power bomb, entre outras…

Ship Upgrade – destinado especificamente à 1 piloto por vez, sendo focado nos seus ataques, skill shots e skill points.

Pilot/Ship Unlock – destinado à desbloquear os pilotos restantes (basta seleciona-los nos upgrades das naves)

Lembram que falei de pequenos erros de localização em português??? Então…….

Modos de Velocidade X Special Points

As naves possuem 3 modos de velocidade: normal, baixo e alta.
A normal é a mobilidade padrão da nave.
A baixa é a mobilidade para uma precisão maior de desvio dos projéteis inimigos, recomendado em dificuldades mais altas.

A alta por sua vez é o oposto, geralmente usado para desviar dos obstáculos enquanto há trechos rápidos nas fases.

Em conjunto à isso, conforme você jogar e escolher os upgrades que for executar, haverão alguns em específicos que irão ativar a barra SP abaixo da HP, trata-se da Special Points.
No caso do exemplo, ao usar a velocidade baixa, um escudo é ativado na parte frontal da nave enquanto gasta SP.

Dificuldades x Inimigos

Como dito antes, o jogo possui 3 dificuldades que são desbloqueadas ao concluir as dificuldades anteriores, ou seja, de início, você só tem a EASY.
As dificuldades não só aumentam o número de fases e dão continuidade na história, como também adicionam modificadores na quantidade de disparos dos projéteis inimigos e alteram seus padrões, além de incluir barras adicionais nos chefes.

Game Over x Continue

Caso sofra um game over, o jogo irá perguntar se quer consertar totalmente a sua nave com os pontos de gemas.

Aqui é a parte “pegadinha do jogo”, simplesmente por 2 aspectos:

  • o número de gemas requeridas para consertar aumenta em cada game over
  • se usar todas as gemas nos upgrades, há grande possibilidade de não conseguir juntar o suficiente se não for jogador agressivo e com combos altos

Portanto ,gerencie muito as suas gemas, principalmente se não for um jogador acostumado com o gênero…

Extras

O jogo possui os modos collection, practice, arcade e extra, além de coop local (ou “online” shareplay) em todos os modos.
Collection – conheça mais dos personagens e releia os trechos de história.
Practice – treine em fases específicas

Arcade – o modo vintage dos videogames, você tem 3 vidas e a dificuldade do jogo é a mais alta.

Extra – o modo extra possui diversos modos que modificam o formato do jogo:
Rafting – o modo de destreza do jogo, você não atira e deve desviar dos inimigos enquanto desce o rio.

Score Attack – faça o máximo de pontuação possível

Collector – colete esmeraldas enquanto destrói inimigos

Tower Defense – proteja sua base de hordas inimigas

Troféus / Conquistas

Dificuldade: 1/10

Apesar de tudo, o jogo não é difícil para platinar/miletar, uma vez que a 7 Raven Studios fazem sets bem amigáveis, assim como o solodev não quis pegar pesado com os jogadores casuais, nem mesmo exige os modos arcade e extra, por exemplo…
De forma resumida:

  • Termine o tutorial
  • Mate 20 inimigos
  • Destrua inimigos com a Power Bomb
  • Colete 50.000 pontos de star point
  • Jogue com Thomas e Striker uma vez
  • Conserte sua nave uma vez (use 1 continue)
  • Melhore qualquer atributo uma vez
  • Consiga 10 combos
  • Colete 60 Gems Points
  • Mate seu primeiro mid-boss
  • Complete a primeira fase
  • Desbloqueie um personagem

Considerações Finais

Graficamente o jogo é simples, porém agradável e funcional, levando em conta o trabalho de um solodev e que focou justamente na diversão e mecânica arcade. Os efeitos são competentes, principalmente quando há diversas explosões de forma simultânea, que apesar disso, recomendo jogar com ambientes satisfatoriamente iluminados para evitar epilepsia.

A trilha sonora, apesar de razoável nos primeiros momentos, será enjoativa, já que as músicas repetem em cada ambiente de segmento da história. A falta de dublagem não atrapalha em nada o jogo e justamente por esse aspecto, deveriam ter colocado mais músicas.

A jogabilidade é um dos pontos fortes, onde focou totalmente no arcade e versatilidade de movimentação. As mecânicas de skillshots e energia funcionam bem, uma vez que em diversas partes você será obrigado à usar os tiros para tentar destruir o excesso de obstáculos e inimigos que irão ao seu encontro…

A performance no Playstation 5 sofre pequenas variações de frames com os efeitos em excesso e inimigos spammando projéteis, mas nada que seja incômodo (questão de poucos frames variantes). Em todo o tempo que joguei, não sofri fechamentos repentinos e erros fatais de execução.

A duração do jogo pode ser versátil para quem quer realmente descobrir os chefes que irá enfrentar no jogo todo ou apenas os que querem platinar, o replay value do jogo pode parecer cansativo, mas cada nave torna o jogo divertido para jogar. Todos os pilotos tem suas qualidades e defeitos, mas sabendo gerenciar os upgrades podem lhe tornar páreo para as dificuldades mais altas, que modificam de forma considerável tanto o desafio do jogo como uma mera “novidade” perante o comportamento dos chefes. Por exemplo, em dificuldades acima, Greed Bear fica com os olhos vermelhos e a tela escurece, deixando ele em “berserk” e alta velocidade.

De forma resumida, After Wave: Downfall foi uma surpresa agradável para este amante de shooters / indies / arcades que vos fala, e fico totalmente agradecido que o solodev pensou principalmente na diversão, desafio e implementações de replay value que tornam o jogo mais recompensador, pois os chefes de fases mais distantes são os mais interessantes de enfrentar, além de claro, mudança nos ambientes das fases, que em primeiro momento, parecem “mais do mesmo”, mas se for curioso e jogar nas outras dificuldades, notará ambientes diferentes, além de inimigos novos.
Espero que no seu próximo jogo, compense o pequeno fator de trilha sonora, que foi a única parte pecadora desse shooter, sendo plausível ouvir sua própria trilha sonora favorita/podcast no Spotify do que ouvir novamente a mesma música ao jogar as dificuldades acima…

Pronto pra derrotar Deathtrix e salvar a Terra???