Review / Tutorial: BLUE REFLECTION: Second Light

Ola, aqui é o Pena e hoje vamos com um JRPG por turnos no melhor estilo anime com o Blue Reflection: Second Light.

O jogo foi foi produzido pela Gust, responsável pela série Atelier (você encontra os reviews de boa parte da série aqui), enquanto a publicação ficou a cargo da Koei Tecmo, responsável pelos jogos da série Dysnaty Warriors (os review que fizemos deles você encontra aqui).

Nota do Editor: Devido a localização, alguns termos durante o jogo foram trocados, como o próprio nome do jogo, que invés do “Second Light” tem o nome “Tie” (nesse caso seria de laços ou ligação). Não vai afetar em nada a diversão do jogo (ainda mais se você tem um conhecimento de básico a nulo de japonês), é só pela curiosidade esse comentário pois diversos termos usados no jogo são trocadilhos feitos pelas garotas.

Review feito em base da versão para PS4. Código cedido pela Koei Tecmo

Titulo: Blue Reflection: Second Light
Produtora: Gust
Distribuidora: Koei Tecmo
Gênero: JRPG / Turno ATB
Plataformas: PlayStation 4, Nitendo Switch e PC (Steam)
Mídia: Físico e Digital
Textos: Inglês, Japonês, Chinês Tradicional e Simplificado.
Dublagem: Japonês

História

Aqui controlamos Ao, uma colegial normal que sempre desejou ser alguém especial, até o momento que subitamente ela aparece num colégio isolado do mundo.

Lá ela encontra outras garotas que perderam as suas memórias ao ponto de nem repararem que o local aonde elas estão é totalmente fora do normal. Agora conforme elas recuperam as suas memórias, descobrem o que realmente está acontecendo nesse estranho mundo.

Esse é uma sequencia direta do primeiro jogo “Blue Reflection” e do anime Blue Reflection Ray. Algumas informações extras sobre essas duas midias você encontra perto do final do post, clicando aqui você vai direto para a sessão.

Gráficos

Como já é de se esperar de um jogo da Gust, ele utiliza gráficos em 3D puxados para o estilo anime, sempre bem detalhados e com um estilo mais “vibrante” devido ao tema de “garotas mágicas”, com vários efeitos durante os ataques e transformações, agrada bastante que curte o estilo.

Prioridade, tenha as suas bem acertadas hahahahah

Uma coisa legal no jogo são as expressões das personagens, tanto nos momentos mais cômicos como nos mais sérios elas são demais, capturam bem o momento e clima da cena, da uma imersão na trama muito boa.

Áudio

As musicas desse jogo, assim como do anterior, foram feitas na sua maioria por Hayato Asano e seguem o padrão vimos no primeiro jogo, misturando eletrônico com piano mantendo um clima bem legal na exploração e batalhas. Dessa vez não temos uma musica especifica pra cada chefe, mas ainda são muito boas.

Não encontrei a OST do jogo no Spotify, mas ela está disponível no Youtube, então segue a play-list dele pra você curtir enquanto termina de ler o review.

A maior parte do jogo tem dublagem, mas apenas em japonês pra manter o clima anime dele. Chamaram um bom time aqui, entre elas temos:

  • Maki Kawase: Dubladora da Rena Miyauchi, faz a Hatsuho do anime Spriggan e a Glacia do jogo Omega Labyrinth Life;
  • Yuuki Takada: Dubladora da Hinako, faz a Elma da série Miss Kobayashi’s Dragon Maid e a Mao do anime Mieruko-chan;
  • Rui Tanabe: Dubladora da Uta, faz a Blair do jogo Fighting EEX Layer e a Tarui da série Boruto.

Jogabilidade

Ao contrário do primeiro jogo que era por turnos diretos, esse usa o ATB (Active Time Battle), deixando mais dinâmico e também puxa um pouco do sistema de criação de itens da série Atelier nele, nada muito profundo, mas ainda temos coisa nova no jogo.

Menu

Quando tem fragmentos ou técnicas novas, fica marcado no menu

O menu do jogo recebe atualizações conforme avança na campanha, então não estranhe caso não tenha tudo quando iniciar a partida. Uma coisa boa aqui é que dá pra salvar a qualquer momento.

Em Items temos a visualização geral dos materiais e itens que carregamos, podendo organizar e ver as suas informações, além de poder usar os de cura.

Em Summary mostra um resumo dos acontecimentos do jogo até o ponto que estamos na historia, assim da pra relembrar detalhes dela quando precisar

Além dos itens, é pelos pedidos que as personagens recebem TP pra aprender as técnicas delas.

Na área de Request temos o catalogo de todas as missões paralelas que as garotas pedem pra você realizar, mostrando seu objetivo e como anda o progresso delas.

Na setor Party acertamos o time que fica na batalha. Aqui você especifica quais as 3 que ficam na ofensiva, especificando qual botão vai ativar as ações delas, como também a que ficara de suporte. As outras ficam na reserva, mas você pode trocar o time no meio da exploração (mas nem todas as garotas participam das batalhas).

Todas as personagens tem técnicas de suporte, mas só é possível equipar duas por vez, precisando configurar as que você prefere que utilizem nos combates.

Na área de Talents podemos comprar novas técnicas das personagens, que são liberadas conforme aumenta o nível de afeição entre elas aumenta, avança na campanha ou recebem ao finalizar certos eventos.

Ela não faz parte das batalhas, mas o suporte dela ajuda bastante

Enquanto as personagens que batalham no geral aprendem técnicas de combate, as que ficam de suporte aprendem técnicas que aumentam as características e bônus das guerreiras.

Na área de Fragments podemos equipar esses itens, que seriam os acessórios do jogo (não existe equipamentos aqui como armadura e armas, somente eles). Temos 2 pontos importantes aqui além do efeito do Fragmento:

  • Tamanho: Cada fragmento pode ocupar de 1 a 3 espaços do inventário das garotas;
  • Gear: O número aqui indica a partir de qual nível de Gear o efeito é ativado.

No profile temos as informações das garotas que são atualizadas conforme avança na campanha, tem bastante coisa interessante e que ajuda a entender a história do jogo.

Já na Database temos todas as informações importantes liberadas conforme avança na campanha, o que ajuda bastante quando precisa encontrar itens e inimigos específicos.

Escola

Os encontros delas são em vários pontos da escola

A escola é a base de operações do jogo, com vários locais pra visitar e interagir com as outras personagens. Conforme o nível de amizade entre elas aumenta, é possível ter um encontro com elas que no final rende um fragmento e pontos pra comprar técnicas.

E conforme vai reformando e criando novos pontos, além dos novos pontos de encontros, eles podem ser locais de troca de itens e que geram bônus de apoio pros combates.

Gire as personagens pra comentários engraçados aahhahaha

Como a maioria dos jogos da Guts, temos várias roupa para as personagens, principalmente se pegar as DLCs, dai você pode troca-las no vestiário da escola.

O mapa ajuda bastante, já que na escola você pode selecionar por ele pra onde quer ir direto sem precisar andar tudo até lá.

A área que você explorou por ultimo fica no fundo do cenário

Na hora de explorar as dungeons, selecionamos por esse mecanismo na ponta da escola. É possível ir direto pra as áreas já liberadas, o que agiliza a exploração.

Criação de Itens

Nesse jogo tem uma área de criação de itens, é bem mais simples que as alquimias da série Atelier, mas ainda assim efetivos.

Nele após escolher qual item será criado, você escolhe 4 das garotas pra trabalhar nele, sendo que cada uma delas tem pericias diferentes e certas combinações entre elas geram bônus extras.

Depois é só escolher os itens, que não afetam na criação deles, mas alguns produtos exigem materiais específicos e/ou mais genéricos por categoria, escolhendo eles dentro da lista de cada categoria.

Essa parte é de DLC paga

Também é possível criar materiais a partir de sintetização. Aqui você escolhe alguns materiais categorizados nos 3 elementos, precisando chegar aos pontos solicitados dependendo de

Melhorias da Escola

Junto com a criação de itens podemos montar instalações na escola que muitas lembram barracas dos festivais escolares.

Assim que uma nova instalação esta disponível, basta ter os materiais pra cria-los…

… e coloca-los em pontos específicos da escola. Cada instalação tem um tamanho diferente, limitando os locais pra aloca-los e mesmo depois de liberar mais espaço, não é possível colocar todas elas, deixando algumas na reserva.

Assim como na criação das instalações, na hora de melhora-los precisa de materiais específicos, mas nesse ponto precisa se atentar que os materiais tem características necessárias para serem utilizados.

Algumas instalações precisam que ative manualmente os seus efeitos, enquanto outras, além de terem efeitos de suporte também agem como pontos de troca de itens, podendo pegar itens de cura e outros de suporte.

O aplicativo “Free Space” serve pra pegar os pedidos das garotas rapidamente, como também chamar para os encontros e também tem dicas de como avançar certos pontos da campanha.

O mapa da escola ajuda bastante na navegação, já que além de mostrar aonde as garotas estão e se tem alguma interação extra, também permite o rápido movimento por ali pela lista de locais.

Exploração

A exploração das dungeons são bem dinâmicas, mesmo que bem diretas, ainda tem um boa exploração com bastante interação com o cenário.

Os materiais você encontra nessas esferas de luz ou em compartimentos como latas de lixo e caixas espalhadas pelo cenário. O mini-mapa indica as localizações pra facilitar.

Qualquer local de interação no mapa fica sempre indicado, tanto na tela como no mini-mapa, assim não tem como não se encontrar nele.

Os inimigos também estão na tela e perseguiram Ao se entrar no campo de visão deles. É possível ataca-los pra começar a batalha com uma vantagem…

… mas caso use o modo furtivo, que deixa a tela escura e mostra o campo de visão dos inimigos, é possível ter mais vantagem ao ataca-los por trás.

Em raros momentos do jogo, entra sessões que não podemos ser encontrados pelos inimigos, precisando se esconder atrás de caixas e outros objetos pra evita-los (ocorre mais em missões paralelas do que em partes da história).

Usando o mapa durante a exploração, além de mostrar os pontos de interação e de materiais, é possível retornar pra a escola a qualquer momento, assim não corre o risco de morrer por pouca vida.

Batalhas

Os combates são por turno usando o sistema de tempo ATB (Active Time Battle), aonde elas carregam os Ether Points pra utilizar as técnicas, seguindo a barra de carga no canto inferior direito da tela. Cada uma delas tem um botão especifico designado para ativar os seus comandos e ao abrir a lista mostra quanto gasta a técnica.

Conforme a batalha prossegue e os participantes atacam, começa a subir o nível “Gear” deles, que é o número do lado do avatar das garotas. Conforme esse número aumenta, vai liberando o uso das técnicas mais avançadas.

Ao contrário do primeiro jogo, aqui elas não iniciam as batalhas com a transformação de Reflectors, só ativando elas quando chega no 3º nível de Gear e é a partir desse nível que começa a liberar os comandos mais interessantes.

A cada ataque que elas causam, o contador de combo aumenta e o multiplicador de dano também aumenta, sendo esse o principal ponto pra ganhar as batalhas. Quando o combo chega a contagem de 15 hits, é possível usar as técnicas especiais e as combinadas, que são ataques muito fortes, mas eles resetam o contador de combo da batalha.

Acertando as fraquezas dos inimigos pode causar o “Knock Down” neles, impedindo que eles ataquem por um tempo e recebam mais dano, além de diminuir o nível de Gear deles. Mas cuidado, pois isso também pode ocorrer com garotas.

Alguns inimigos, principalmente os chefes, tem técnicas especiais que precisam carregar, aparecendo a mensagem “Danger” neles. Essas técnicas, além de poderosas, resetam o contador de combo. Existe técnicas pra proteger desse efeito, então planeje bem durante essas batalhas.

A quarta participante do combate fica no apoio usando técnicas de suporte. Durante o combate passam os ciclos de aguardo e as suas técnicas são ativadas conforme os ciclos necessários. Elas também podem utilizar itens no final de cada ciclo, aumentando as estratégias delas.

Também é possível trocar a personagem que está no apoio com uma das combatentes, assim tem como melhor adaptar-se aos diversos combates diferentes.

Nas batalhas dos chefes e sub-chefes também pode entrar no combate individual (tanto o inimigo como as garotas podem iniciar isso). Nesse momento, cada botão tem uma ação específica, precisando desviar dos ataques do chefe e causando dano nele pra acumular os combos e usar um golpe finalizador.

Uma coisa que agiliza bastante a evolução durante o jogo é que mesmo as garotas que não estão no combate recebem experiência, não precisando trocar o time de ataque constantemente.

Extra

Quando você finaliza o jogo, além de liberar o nível “HARD” de dificuldade, também cria o arquivo para no New Game Plus. Caso queira ver o final verdadeiro do jogo, precisa completa-lo. Uns pontos desse novo save:

  • Mantém:
    • Metade de TP de todas as garotas;
    • Todos os fragmentos adquiridos;
    • Informações gerais coletadas durante o jogo;
  • Não Mantém:
    • Nível das garotas;
    • Itens do inventário;
    • Instalações criadas e os seus níveis.

DLC

Roupas para todos os gostos XD

O jogo tem uma boa quantidade de DLCs, na sua maioria são roupas diferentes para as garotas, entre vestimentas de empregada-gato e roupas de banho, pra agradar o publico que gosta dessa variedade.

Além das roupas e itens extras, tem também de áreas extras, como a da DLC colaborativa com o jogo Atelier Ryza, que traz uma dungeon extra com mecânicas próprias pra a sua exploração e ainda adiciona itens extras para coleta e criação na escola.

Outra DLC de mapa é a “Hidden Southern Island”, que além de adicionar uma ilha com mais desafios, também libera batalhas extras com os chefes do jogo que dão fragmentos exclusivos.

Acontecimentos Anteriores (Primeiro jogo e Anime)

Enquanto o necessário para entender a história do jogo é todo comentado e recapitulado aqui, o ideal é conhecer os outros títulos e mídias da franquia. O primeiro jogo, com o nome direto de “Blue Reflection” segue os passos da Shirai Hinako depois de retornar para a escola após não poder mais seguir com o balé, encontrando com as irmãs gêmeas Yuzuki e Raimu, aonde a partir dai ela vira uma Reflector e começa a lutar em outro dimensão enquanto continua com a sua vida escolar.

Já no anime “Blue Reflection Ray” acompanhamos Hiori Hirahara, que morava com a sua irmã e mãe, até que sua mãe desaparece. Após diversos eventos ela vira uma Reflector por intermédio da Yuzu e Raimu, antagonizada pela Uta Komagawa.

A história geral da franquia se interliga em diversos pontos e muda diversos ocorridos conforme as garotas reagem aos acontecimentos das histórias, mas isso eu deixo pra quem realmente está interessado em entrar de cabeça na franquia, pois apesar de parecer “só mais uma história de garotas mágicas”, o desenvolvimento das histórias são bem interessantes e malucos em vários pontos.

Conquistas

Ainda não saiu a platina por causa do NG+

Esse não é um jogo difícil de se acostumar e como a dificuldade dele também não afeta a lista de conquistas, boa parte dela é bem fácil de fazer, mas mesmo assim precisa fazer o NG+ para conseguir completa-la devido aos níveis de amizade entre as garotas. Fora esses, entre os mais complicados temos:

ConquistaDescrição
Heartscape Exploration SquadExplorar todos os locais do jogo.
Combo MasterUsar o Ether Tide com todas as garotas
Veteran Date MasterFazer 100 encontros

Conclusão

As caras que elas fazem são muito boas hahahaha

Blue Reflection: Second Light traz um RPG por turno no melhor estilo anime, que apesar da cara de “jogo para garotas”, tem uma história bem interessante.

Os gráficos são todos muito bem feitos e cheios de detalhes, tanto nos modelos 3D das garotas, inimigos e cenários, como também nas artes 2D de cada uma das personagens.

As musicas gerais seguem o mesmo padrão do mesmo jogo, com musicas com toques de piano misturadas com eletrônico, isso sem contar a dublagem que está muito boa também.

A jogabilidade saiu um pouco do que vimos no primeiro jogo da franquia, seguindo mais o estilo dos jogos da série Atelier, mas ainda mantém boa parte da sua identidade com os combates um pouco mais ágeis e com uma exploração mais variada.

No geral, se você gostou do primeiro jogo ou gosta de RPGs que seguem um ritmo mais calmo mas que ainda tem uma história bem interessante, esse vale a pena testar e não se engane com a cara de “meninas mágicas”, o desenrolar aqui não é tão bonitinho assim (o que acontece? só jogando pra saber).

Único grande problema do jogo é “esconder” o final verdadeiro atrás do NG+, não é algo anormal de ocorrer, mas o detalhe de não manter nível e outros pontos que agilizam a 2ª partida atrapalha bastante, principalmente quando a pessoa não tem tanto tempo pra jogar…