Review / Tutorial: Wonder Boy Collection

Ola, aqui é o Pena e hoje vamos com uma coletânea pra mexer com o saudosismo enquanto apanhamos nos jogos apelões, o Wonder Boy Collection.

O jogo foi produzido e publicado na versão digital pela Bliss Brain, que é a publicadora da série “Princess Maker”, enquanto a versão física ficou a cargo da Inin Games, dos quais já fizemos o review de jogos como Pocky & Rocky Reshrined e Cotton Fantasy (uma lista completa de jogos que fizemos deles você encontra aqui).

Essa coletânea traz quatro jogos da franquia Wonder Boy (que atualmente segue com o nome “Monster World”), trazendo os jogos “numerados” sem os seus spin-offs e sequencias. O quarto e ultimo jogo, Monster World IV recebeu recentemente uma remake em 3D, nós fizemos um review dele aqui.

Review feito em base da versão para PS4. Código cedido pela ININ Games

Titulo: Wonder Boy Collection
Produtora:
Distribuidora: ININ Games (Físicio) / Bliss Brain (Digital)
Gênero: Aventura / Plataforma / Arcade
Plataformas: PlayStation 4 e Nintendo Switch
Mídia: Física e Digital
Textos: Inglês, Espanhol, Francês, Alemão e Italiano

História

Esse é o primeiro jogo da franquia e a história é bem simples. Tanya, a namorada do protagonista Tom-Tom foi raptada pelo monstro Drancon e agora cabe ao nosso herói enfrentar os desafios pra salvar a sua amada.

No segundo jogo, o mundo está sofrendo com um ataque em massa dos monstros que obedecem um dragão maligno. Agora fica a cargo de herói Bock Lee salvar o reino dessa nova ameaça que mostra alguns pontos escondidos.

Nota do Editor: Esse jogo serve como preludio para o jogo “Wonder Boy: The Dragon’s Trap” que não está nesse pacote, mas ainda é parte da trama do 2º jogo.

Detalhe para os brasileiros: Esse é o jogo que foi usado como base para o jogo do Master System “Monica no Castelo do Dragão”.

Nesse jogo controlamos Shion, que ao ver o seu mundo mais uma vez sobre o ataque dos monstros, decide agir contra essa ameaça, seguindo a lenda do herói que é passada na sua terra enquanto consegue a ajuda de diversos seres.

Detalhe pros brasileiros: Esse jogo foi usado como base para o jogo de Mega Drive “Monica na Terra dos Monstros”.

A jovem Asha começa a ouvir as vozes das pessoas que precisam de ajuda, iniciando assim uma jornada que a tornara na nova heroína do Mundo dos Monstros com a ajuda do seu parceiro Pepelogo.

Esse foi o ultimo jogo da franquia na era dos 16 bits e oficialmente não teve um lançamento fora do Japão, mas recebeu uma tradução por fãs a alguns anos atrás (não se preocupe, a versão que temos na coletânea está traduzida).

Devido ao fato da protagonista ser uma garota ao invés dos jovens dos jogos anteriores, a franquia mudou o seu nome para “Monster World“.

Gráficos

o primeiro jogo da franquia…
… com o ultimo da era 16bits

Os gráficos, como já é de se imaginar, são todos em pixel art, com uma variação bem grande entre cada um deles devido as plataformas usadas pra cada um deles. Mesmo o primeiro jogo, que é mais simples e com pouca variação de inimigos e cenários, tem um trabalho bem feito, chegando no 4º jogo, com gráficos bem mais detalhados e com boa variação de animações no decorrer da campanha.

Na hora de jogar você pode escolher qual a resolução prefere, indo desde o origina 1×1 (o menor de todos) até o full screen, que fica deformado devido a diferença de padrão com o que é utilizado atualmente.

Pra via de review, todas as imagens do post foram tiradas no formato “4×3 DAR” (o 4º quadro de comparação), que estica um pouco a imagem, mas não deforma tanto.

Áudio

As musicas são bem variadas entre os 4 jogos, claro que todas em chiptunes pela época que foram produzidos. Boa parte são bem gostosas de ouvir, então que curte esse estilo de musica antiga vai aproveitar bastante durante as partidas.

Como são 4 jogos e não achei as musicas todas separadas deles, vou deixar um video com todas as musicas do Monster World 4.

Jogabilidade

Logo de inicio temos a opção de seleciona qual dos 4 jogos iremos iniciar e antes de realmente inicia-los, podemos mudar algumas opções deles, como dificuldade, quantidade de vidas e por ai vai.

Como são 4 jogos, segue um atalho rápido pra cada um deles, basta clicar nele que já te direciona direto pro jogo que você quer ler:

Wonder Boy

O primeiro jogo da série é um arcade bem simples e direto, mas daqueles bem apelões pra fazer o pessoal gastar as fichas.

No começo ou após reiniciar de um check point, você fica sem nenhum item, precisando pegar o machado novamente, pois só com ele consegue atacar os inimigos. Nesses ovos você encontra os itens pra te ajudar na campanha.

Wonder Boy Collection_20220711171822

Enquanto a pé o você tem o controle total do personagem (mas não pode retroceder a tela, somente seguindo pra frente), quando você pega o skate ele segue pra frente automaticamente, somente dando pra diminuir ou aumentar a velocidade.

Ele serve também como defesa, pois se você bater de frente com um inimigo ou obstáculo, você perde ele mas não morre.

A fada que esta acompanhando ele deixa o personagem invencível por alguns momentos, derrotando e destruindo qualquer inimigo e obstáculo no caminho, ela aparece raramente em alguns ovos.

Também encontramos comida flutuando no cenário. Além de ganhar pontos, ela também carrega aquela barra de energia, que vai diminuindo aos pouco conforme anda (de skate ela diminui mais devagar). Caso ela esgote, você morre.

Ao morrer, você retorna para a ultima placa numerada que passou, mas vai iniciar sem nenhum item, então evite morrer o máximo possível (como se fosse fácil isso ahahah)

Cada área do jogo são divididas em 4 rounds, sendo que cada uma delas tem 3 check-points pro caso de morte.

No final do ultimo de cada área temos um chefe, precisando acertar várias vezes a cabeça dele com o martelo pra derrota-lo. Aqui, não tem como chegar de skate e um ataque dele é morte na hora.

Caso perca todas as vidas, tem continue, basta gastar as suas fichas virtuais, mas ao fazer isso perde todos os pontos acumulados.

No final de cada round tem a contabilização dos pontos dependendo de quanto de energia sobrou e se você encontrou a boneca escondida no round (tente pegar todas, a ultima área do jogo só libera se pegar todas no caminho até lá).

Wonder Boy in Monster Land

O segundo jogo também é um arcade de plataforma, mas aqui eles adicionaram um pouco de elementos de RPG no meio, já indo mais pro que a franquia manteve nos jogos seguintes.

Os ataques são curtos e a aparencia do personagem muda conforme pegamos os equipamentos na campanha.

Aqui eles adicionaram a opção de usar magias e itens de cura, que você equipa no menu e pra aciona-los, segure o botão de ação e aperte a direção que está especificada para o item desejado (no caso do exemplo, pra a esquerda pra jogar a bomba).

Aqui eles já introduziram o sistema de lojas que manteve no resto da série. Pra entrar nelas, basta ficar na frente da porta e apertar pra cima que ele entra e interage com o lojista.

Boa parte das lojas tem 2 itens pra vender e, geralmente quando é equipamento, ao compra um, a loja fecha e não da pra comprar o outro. Também tem o caso que, o equipamento novo passa por cima do anterior, não temos escolha de troca de equipamento.

Alguns inimigos deixam equipamentos temporários, que quebram após um pouco de uso, mas pelo menos eles ajudam bastante na campanha.

Tem também portas escondidas, então preste atenção nos comentários do personagem conforme explora o jogo.

Um detalhe importante que segue a mesma linha do jogo anterior é que ele também tem tempo, mostrado pela ampulheta. Quando ela termina, o personagem não morre, mas ele perde energia (e se estiver com pouco, sim, ele vai morrer).

No final de cada round, além da contabilização dos pontos, recuperamos um pouco de energia, mas a quantidade é bem pouca.

Wonder Boy in Monster World

O terceiro jogo já segue a linha final da série, sendo um jogo de plataforma com partes de RPG e sem os pontos de arcade.

Aqui os ataques são curtos, mas pelo menos você tem um controle de quando de energia os inimigos tem quando ataca eles, que é mostrado logo abaixo da sua.

Derrotar os inimigos faz com que na maioria das vezes caia dinheiro ou corações, então é bom caça-los. Só vale lembrar que esse série não tem sistema de nível, então tudo depende dos equipamentos usados.

Agora é possível equipar até 2 itens pra uso direto nos combates, basta segurar o botão de ação e o direcional pro lado que está o item desejado.

Aqui temos um menu bem simples e direto, na parte de “Magic” você pode equipar a magia que já foi liberado e mostra quantas cargas ainda tem delas.

Alterar os equipamentos alteram os seus status, mas aqui você pode usar equipamentos mais antigos, ainda mais por que alguns são necessário pra passar em certos pontos do jogo.

Ao contrário do segundo jogo, aqui podemos comprar qualquer equipamento sem pressa, mas também os valores são bem altos. Pra comprar é só apertar pra cima no item desejado e ter o dinheiro necessário.

Também temos a ajuda de companheiros temporários durante a campanha, como o anão que destrói paredes e a fada que da itens te cura.

Com o equipamento certo, é possível nadar no jogo.

Pra varias um pouco, aqui podemos usar tridentes e lanças além da espada, mas equipa-los não permite o uso de escudo simultâneo, já que eles são de duas mãos.

Pra salvar no jogo você precisa dormir nos hotéis, então já sabe que não tem save dentro das dungeons.

Monster World IV

Nesse jogo não temos as magias que tínhamos nos outros 2 jogos, mas temos varias ações diferentes, como pular e atacar pra baixo, podendo fazer um combo assim.

Outro detalhe é que, se o inimigo não está numa ação de ataque ou não é num ponto perigoso deles (como espinhos), encostar nos inimigos não causa dano. O escudo também não fica levantado direto que nem nos outros 2 jogos, mas é só apertar pra baixo que ela segura o escudo e se defende de projéteis.

Um fator único dentro da série aqui é o Pepelogo, esse bichinho gordo que te acompanha na aventura. Ele é utilizado em vários dos puzzles do jogo, como planar e usar como plataforma pra passar em locais com lava.

O menu desse jogo é bem simples, não podemos trocar os equipamentos e usar os itens nos puzzles você aciona por aqui.

Falar com esse NPC serve pra salvar o jogo, tendo 2 slots de memória.

Nas dungeons você encontra uma máquinas de venda com corações pra se recuperar, mas tome cuidado que o estoque delas são limitadas.

O acesso as dungeons do jogo são a partir dessas portas, que só liberam conforme avança na campanha. Cuidado, pois ao finalizar a área, não é possível retornar nelas.

Caso precise, você pode voltar pra a cidade usando o gênio a partir de qualquer lugar da dungeon, mas terá que refazer tudo.

Na cidade você pode comprar equipamentos com os diversos vendedores que estão lá e conforme avança na campanha, novos equipamentos ficam disponíveis.

A vida da Asha é dividida em duas variações:

  • Corações vermelhos: Esses só aumentam com a troca da armadura;
  • Corações azuis: Precisa encontrar 10 dessas pedras azuis pra criar um novo coração.

Extras

Além dos 4 jogos, essa coleção também traz uma grande quantidade de artes pra aqueles que curtem esse tipo de material poder curtir o que tem disponível.

Como os jogos são emulados, adicionaram a opção de save state, o que facilita bastante a vida do pessoal que não está acostumado com a dificuldade elevada desses jogos ou simplesmente não quer se estressar muito.

Além do save state, também da pra retroceder ações ou acelerar a animação do jogo, dando um bônus ai pra não morrer tanto nos chefes apelões do jogo ahahah.

Conquistas

Esse não é complicado, mas precisa jogar tudo (foi tudo sem save state, pode confiar XD)

Já que o jogo permite o retrocesso das ações e tem save state, que não atrapalham pra conseguir os troféus, fechar não é tão dificil assim (não comparado se for na raça ahaha) e como na maioria das coletâneas de jogos, não tem muita coisa específica pra cada um deles, focando mais em ter que fechar cada um deles. Entre os mais trabalhosos temos:

ConquistaDescrição
Arcade MasterFinalizar o 1º jogo encontrando todas as bonecas
Cleaner of the Monster LandFinalizar o 2º jogo
Cleaner of the Monster WorldFinalizar o 3º jogo
Why do all good things come to an end?Encontrar o ultimo chefe do 4º jogo

Conclusão

🎶 A whole new world. A new fantastic point of view… 🎶 Opa, musica de tapete mágico errada XD

Wonder Boy Collection traz jogos de plataforma com uma boa variedade no estilo de jogo, mostrando a evolução da franquia em vários aspectos, tanto na jogabilidade e nos gráficos.

Os gráficos variam bastante de jogo pra jogo, já que temos jogos antigos de arcade como os do final de geração dos 16bits, mas mesmo os mais simples trazem boas artes pra quem curte o estilo de pixel art antigo.

Assim como os gráficos, as musicas tem uma variação enorme, indo do bem básico no primeiro jogo pra uma variação bem grande no ultimo, então dificilmente não encontrará alguma delas que goste.

A jogabilidade evolui de um jogo pra outro, iniciando com um arcade de plataforma e alterando aos poucos para aventura com elementos de RPG, algo que ficou constante na série a partir do “Dragon’s Curse” (esse não está nessa coletânea).

No geral, se você conhecia já a série da época de lançamento ou curte bastante jogos retros de plataforma, essa é uma excelente oportunidade de experimentar esses jogos, ainda mais com as opções de emuladores que ajudam bastante quem não está tão acostumado com a dificuldade elevada dos jogos antigos.