Review / Tutorial: Blast Brigade vs. the Evil Legion of Dr. Cread

O time completo

Ola, aqui é o Pena e hoje vamos com um metroidvania bem humorado e com uma boa ação, o Blast Brigade vs. the Evil Legion of Dr. Cread.

O jogo foi produzido pela Allods Team Arcade, responsável pelos jogos Skyforge e Warface, enquanto a publicação ficou a cargo da My.Games, que já publicou jogos como American Dad! Apocalypse Soon e Conqueror’s Blade.

Review feito em base da versão para PS4. Código cedido pela My.Games

Titulo: Blast Brigade vs. the Evil Legion of Dr. Cread
Produtora: Allods Team Arcade
Distribuidora: My.Games
Gênero: Metroidvania / Plataforma
Plataformas: PlayStaton 4, PlayStaton 5, Nintendo Switch, Xbox One, Xbox Series X e PC (Steam, Epic Games e GOG)
Mídia: Digital
Textos: Português, Inglês, Espanhol, Italiano, Francês, Alemão, Russo, Japonês, Coreano e Chinês Simplificado.
Dublagem: Inglês

História

No ano de 1989, para combater a crescente onda de super crimes, é criada a organização conhecida como “B.L.A.S.T.”, juntando guerreiros de elite agindo globalmente.

Numa das missões, o agente Jeff Jefferson junto com a sua equipe de apoio tem o seu avião derrubado (o 3º somente nessa semana) e caem na ilha aonde está o próximo alvo deles, o Dr. Cread, que planeja mais um plano de dominação mundial.

Agora depende do nosso destemido (mas não tão inteligente assim) agente salvar a sua equipe e contratar a horda de monstros e ciborgues do nosso gênio maléfico enquanto encontra novos parceiros nessa aventura.

Sim, a história é totalmente clichê de propósito, já que ele tira um sarro com os filmes e séries de espionagem, usando e abusando de todos os estereótipos encontrados nesse estilo de mídia, sempre com um bom humor.

Gráficos

O jogo utiliza a engine Unity, trazendo gráficos em 2D no estilo cartoon muito bem feitos e cheios de vida, tanto nos sprites dos personagens e inimigos, como também no cenário, todos com uma variedade bem grande.

Um jogo de espionagem sem a parte do vilão explicando o plano não existe hahaha

Isso sem contar as partes aonde temos umas artes mais caprichadas pra contar a história do momento, nessas partes, além da qualidade, tem uns pontos muito engraçados.

Áudio

As musicas não geral seguem a linha dos temas de filmes e séries de espionagem, com um tom mais misterioso, mas eles conseguiram colocar um pouco de humor até nesses pontos, além de claro que durante as batalhas de chefes as musicas são bem agitadas e bem feitas.

Infelizmente não achei nenhuma musica solta do jogo pra compartilhar, então estou colocando um vídeo falando da produção das musicas.

O jogo tem dublagem em inglês na maior parte da campanha e pegaram um pessoal legal pra trabalhar aqui, entre eles:

  • Jason Griffith: Dublador do Jeff, faz o Sonic nas aparições mais antigas do personagem (até 2010) e o Usopp do One Piece;
  • Adin Rudd: Dublador do Galahad, faz o Lucio do Cris Tale e o Sumida do Blue Period;
  • Y. Chang: Dublador do Dr. Cread, faz o Nail Saionji da série Yu-Gi-Oh e o Shingo Todoroki do Ladies versus Butlers!.

Jogabilidade

As piadas são constantes nesse jogo ahahahah

Sendo um metroidvania, já sabe que você precisa retornar a diversos pontos do mapa pra avançar ou pegar algum item que antes não dava. Só adiantar aqui, ele não tem sistema de nível pros personagens, então todas as melhorias são feitas pelos equipamentos.

Menu

Será que da pra voltar no tempo?

O menu do jogo é mais pra verificação do que equipar coisas (eu explico no ponto certo), mas é bom sempre adiantar as partes. Na área de itens você tem uma visão geral do seu time, quantas partes de coração e bateria já tem e outros equipamentos gerais usados no avanço da campanha

Na área “World Map” temos a visão geral de todos os pontos que já foram explorados e itens já encontrados. Além de ter uma boa visualização de tudo, como as interligações das áreas e até uma forma geral de cada sala, enquanto você não pegar todos os itens do local ele fica com uma coloração escura, assim você tem como saber a área que falta pegar algo.

Acessar as áreas “Modules” e “Guns” pelo menu principal durante a exploração só lhe permite verificar os seus equipamentos, não é possível equipar nada no momento.

Vila e suporte na exploração

Conforme você avança na campanha, encontra uma vila dos nativos dessa ilha e é aqui que a a sua base temporária é montada.

Pra liberar as áreas da vila, precisa encontras os itens necessários pra melhora-la, só dai é possível usar as instalações dali.

Na parte de fora da cabana principal temos dois pontos importantes, aonde você cria baterias pra ativar os seus módulos e melhora a poção de cura, mas precisa dos itens certos também.

Já dentro da cabana você pode comprar armas e modulos pra ajudar a sua exploração usando o dinheiro que os inimigos deixam ao derrota-los.

Pegou a referencia do local?

Nessas redes espalhadas pela ilha é aonde você salva o jogo, além de recuperar a vida e munição das suas armas, mas tem um detalhe extra bem importante nelas…

… é só quando você está deitado nelas que é possível alterar os módulos do seu relógio espião. Aqui o funcionamento é da seguinte maneira:

  • Cada linha do relógio tem módulos separados por força, organizados automaticamente pelo jogo;
  • Pra ativa um modulo de uma linha, primeiro precisa equipar uma bateria na frente da linha correspondente;
  • Cada bateria só consegue ativar UM MODULO da linha, então precisa pensar bem o que pretende fazer aqui.

Pra as armas é mais simples, só é possível equipar uma arma principal e uma de suporte, dai vai da preferência do jogador, já que qualquer personagem pode usa-las.

Bem mais esporádico que as redes, temos essa moto que serve como viagem rápida a pontos específicos da ilha, mas já adianta bem a vida na hora do vai e volta do jogo.

Exploração e Combates

Durante a exploração você tem controle direto da mira usando o analógico direito (pelo menos nos consoles), sendo utilizadas por qualquer um dos personagens do time e temos dois tipos de armas:

  • Arma Principal: Essas não tem limite de balas, após acabar as que estão no cartucho ou ficar se atirar, ela é recarregada após alguns segundos;
  • Arma de Suporte: É quase a mesma mecânica da Principal, mas elas tem um limite de balas pra usar e só são carregadas nas redes ou com cartuchos deixado pelo inimigos.

Agora cada um dos personagens tem uma armas especial própria que gasta energia pra usa-las, podendo usar tanto pra combate como pra abrir caminhos novos.

Já a troca entre os personagens pode ser feita tanto pela escolha direta apertando o botão direcional respectivo a cada um deles ou pelo menu de seleção de herói. Qual você utilizara vai exclusivamente do seu estilo de jogo.

Cada um dos personagens também tem uma técnica extra que não tem gasto, que também são utilizadas para a exploração geral, mas não causam dano nos inimigos (mas algumas pode ser utilizadas de outra maneira nos combates).

Claro que também temos técnicas que são utilizáveis com todos os personagens, como o dash aéreo e o pulo na parede, tem uns pontos bem complicados que vai dar um nó na cabeça do jogador ao misturar várias habilidade diferentes.

O que não falta nesse jogo é puzzle e missões paralelas, o que aumenta bastante o tempo de jogo, alguns deles faz com que você visite novamente pontos que já passou a muito tempo.

Caso você morra (o que vai acontecer bastante em vários pontos do jogo), os personagens deixam cair um pouco de dinheiro na área e se quiser recupera-lo precisa derrotar essa mosca gigante. Claro, se morrer de novo, perde o que tinha ali anteriormente.

Conquistas

Esse demora um pouco por causa da exploração mesmo

O jogo não é muito complicado, só precisa se acostumar com os comandos e os tempos de cura, mas como todo metroidvania que se presa, completar toda a lista de conquistas dele requer uma boa exploração. Entre as mais complicadas temos:

ConquistaDescrição
I bet your feet hurtCompletar 100% do mapa
Master of DisguiseConseguir todas as roupas alternativas

Conclusão

Blast Brigade traz um metroidvania bem humorado, com uma boa ação e o mais importante, bastante exploração.

Os gráficos puxados pro estilo cartoon tem uma boa qualidade, com personagens bem expressivos e cenários com vários detalhes, além de uma ótima movimentação dos sprites.

As musicas são bem interessante, boa parte delas são mais focadas em manter o clima da região num estilo dos filmes de espionagem, com as de chefes bem agitadas e gostosas de ouvir.

A jogabilidade é bem legal, você tem um bom controle dos personagens e da direção dos tiros, além do sistema de troca entre eles permite o uso de puzzles bem inteligente, só demora um pouco conseguir fazer alguns deles devido a velocidade que você precisa ter nos comandos nesses momentos.

No geral, se você curte metroidvanias e não está procurando uma história séria no momento, esse é o que você está procurando, vários pontos dele são bem engraçados e é repleto de referências de outros jogos e cultura geek em geral.

Ps: Agora é ficar no aguardo da continuação, espero que venha logo.