Review / Tutorial: G-Darius HD (Atualização sobre a versão 2.00)

Ola, aqui é o Pena e hoje está aberta a temporada de pesca intergalática com o jogo de “navinhaG-Darius HD.

O jogo é produzido Taito, da qual já fizemos review do Dariusburst: Another Chronicle EX+ e Bubble Bobble 4 Friends: The Baron is Back (mais jogos deles você encontra aqui), enquanto a publicação fica por encargo deles nas versões Americana e Japonesa. Já a versão Europeia ficou a cargo da United Games / ININ, do qual já fizemos review do Wonder Boy: Asha in Monster World e Cotton Reboot (mais reviews deles você encontra aqui)

Esse é um port do original direto dos Arcades de 1998, com melhorias gráficas e diversas opções pra aproveitar melhor o jogo.

Atualização: Se você entrou aqui pra saber o que teve na atualização 2.00, clique aqui.

Review feito em base da versão pra PS4
(código cedido pela United Games Entertainment GmbH)

Titulo: G-Darius HD
Produtora: Taito Corporation
Distribuidora: Taito Corporation (US / JP) / United Games (EU)
Gênero: Shoot ’em Up / Arcade
Plataformas: PlayStation e Arcade (Original) / PlayStation 4 e Nintendo Switch (Global) / PC (Japão)
Mídia: Física e Digital
Textos: Inglês e Japonês

História

Durante diversos combates travados no espaço, um planeta foi destruído e com isso alguma criaturas evoluíram sem controle e agora começaram um ataque contra a humanidade.

Agora fica a cargo dos pilotos das naves Silver-Hawk acabar com essa disputa e proteger a raça humana do seu novo predador.

Gráficos

Arraste pra ver a diferença na resolução
(Lado esquerdo é o original e o direito em HD)

O jogo traz dois modos, o original e o HD. Eles são exatamente o mesmo jogo, então pra titulo de review (e preferência própria, claro) eu joguei tudo no HD pra mostrar como ficou a melhoria gráfica do jogo.

Os frutos do mar gigantes ficaram mais assustadores agora

Eles ainda mantiveram o formato original do jogo pra não estivar e perder qualidade, mas pelo menos aproveitaram os “espaço livre” das bordas pra colocar informações pertinentes da partida, o que ajuda bastante.

Áudio

Os pilotos ficaram bem quadradões ainda, mas você quase não vê eles no jogo XD

As musicas do jogo seguem o padrão psicodélico da série misturadas com um certo suspense durante os chefes. Pra aqueles que não estão acostumados é um pouco estranho de primeira, pois foge bem do padrão de musicas agitadas desse gênero, mas acredite, combina muito bem com o clima doido dos peixes gigantes da série.

Infelizmente não achei a OST do jogo no Spotify, então segue uma lista dela que eu encontrei no Youtube pra você curtir da doideira enquanto termina de ler o review.

Jogabilidade

Independente de escolher o modo HD ou original, a jogabilidade é exatamente a mesma pra ambos. Durante os estágios aparecem inimigos com cores que deixam power ups, dependendo da cor, temos efeitos diferentes:

  • Vermelho: Aumenta o poder do tiro principal;
  • Verde: Aumenta o poder das bombas;
  • Azul: Ativa o escudo de proteção da nave;
  • Lilás: Adiciona uma esfera de captura ao seu arsenal;
  • Cinza: Adiciona uma pontuação aleatória ao seu total;
  • Dourada: Causa dano em todos os inimigos da tela.

Repare que na tela tem nível de poder pros 3 primeiros power ups. Caso consiga carregar toda a barra sem morrer, o efeito sobe de nível, mudando a característica do ataque ou aumentando a proteção da sua barreira.

Na parte fora da tela do jogo, o “Arm Strenght” mostra quantos tiros você pode receber antes de perder totalmente o escudo.

Durante cada estágio existem pontos de divisão de rota, o que varia boa parte do estágio dependendo de qual das duas você segue. Precisa ficar na metade que você quer seguir até terminar a contagem.

Uma das mecânicas específicas desse jogo é a possibilidade de capturar inimigos e usa-los ao seu favor. Nos normais, basta utilizar a esfera de captura e se acertar, o inimigo fica preso a sua nave e começa a atacar. Já pros sub-chefes, você precisa primeiro destruir a mascara amarela (faz um barulho peculiar quando acerta ela) e assim que destrui-la, você pode captura-los e claro que eles são mais fortes, tem até um ataque especial por comando pra cada um deles.

Uma vez com um inimigo capturado, você pode usar ele como escudo dos tiros e explodi-lo, causando um com dano na área, dai depende do que você pretende fazer. Pra capturar um novo inimigo, precisa explodir ele ou receber dano suficiente pra ser destruído.

Outra opção poderosa é o α Beam. Se você sacrificar o inimigo capturado como energia, pode soltar um laser devastador que faz uma limpa nos inimigos da tela e da uma pontuação maior.

Já o chefes também tem um ataque parecido, o β Beam. Só que ai que vem uma das maiores apelações do jogo, o COUNTER BEAM. Se você utilizar α Beam contra o ataque dele e manter a força, você ganha na disputa e aumenta ainda mais o poder do tiro, podendo chegar até o nível 4 de poder, ocupando quase toda a tela com o tiro.

Depois que você derrota o chefe, podemos escolher qual será o próximo estágio jogado, tendo uma sequencia de no total 5 estágios por campanha. O interessante aqui é que, como estágio tem duas rotas e chefes diferentes pra cada uma delas e ainda a sequencia de regiões diferentes, você só faz uma partida igual a outra caso queira, por que tem várias combinações possíveis aqui.

Extras

Como ele é um port do jogo do arcade, aqui eles deixaram liberado o acesso das configurações do jogo, podendo acertar as diversas configurações que o jogo tem, podendo deixar o jogo no modo “Free Play”, não precisando “colocar fichas”, acertar a dificuldade e outros detalhes do jogo.

E também temos acesso ao save state, o que vai ajudar bastante o pessoal a passar de certos pontos do jogo. Além de poder fazer o seu próprio ponto, o jogo faz saves automáticos antes das escolhas de rotas e dos chefes.

Um ultimo detalhe é que temos acesso a uma lista de todos os inimigos que já foram capturados e os que faltam, com algumas informações dos locais que são encontrados e pros sub-chefes, até os comandos de tiros especiais deles.

Nessa área extra tem também a parte de conquistas internas do jogo (que são refletidas nos sistemas que utilizam as conquistas publicas também), com todos os detalhes do que você precisa fazer.

Conquistas

Invejosos dirão que foi save state, mas é pura habilidade (eu não mentiria aqui, certo? XD)

Como todo jogo do gênero que não foi feito só pra “vender conquistas“, a lista dele vai dar um trabalho, mesmo usando o save state e não impedindo jogar em dificuldades menores e até de dois jogadores, já que alguns deles precisa saber exatamente o que fazer e um pouco de treino pra conseguir. Entre os mais trabalhosos temos:

ConquistaDescrição
Capture Count 100%Capturar todos os inimigos do jogo
Counter Beam (Four-Fold)Conseguir usar o Counter Beam α com o poder aumentado em 4 vezes.
20 MillionAlcançar o placar de 20 milhões de pontos
A Meeting With YazukaEncontrar o inimigo “Yazuka” durante uma batalha de chefe

Atualização 2.00

Dia 01/06/2022 saiu a atualiza 2.00 do jogo, trazendo a versão atualizada do jogo original e mais alguns extras, segue o que veio:

  • G-Darius ver.2 original: A versão original do jogo pro arcade;
  • G-Darius HD ver.2: a versão remasterizada do jogo pro arcade;
  • G-Darius for consumers: a versão para os consoles que foi lançada na época.

Além das novas versões do jogo, eles também adicionaram uma pequena lista de conquistas internas pro jogo relacionadas a essas novas versões, só que elas não são refletidas no sistema base de conquistas dos sistemas que utilizam elas, mantendo só a base que já vinha no lançamento dele.

Conclusão

G-Darius HD traz mais um clássico da série de shumps para a nova geração, mantendo os desafios que ela é conhecida.

A melhora gráfica do jogo original é bem evidente quando comparada com os gráficos originais que estão disponíveis nesse pacote, só mantiveram o formato original pra não esticar a imagem, o que não tem problema, já que nesse a visualização fica boa e não precisa ter um monitor / TV especifica pra esse tipo de formato.

Seguindo o padrão da série, as músicas são num estilo mais psicodélico misturando com um suspense pra manter o clima doido dos frutos do “oceano de estrelas” que temos aqui. Seria algo estranho falar isso se não combinasse tão bem durante as partidas ahahaha.

A ideia de capturar os inimigos pra te auxiliar é um dos melhores pontos da série, quem já tinha jogado o original vai curtir novamente as apelações e estratégias desse sistema.

A possibilidade de usar save state aqui também vale a pena pra aqueles que não estão tão acostumados com o gênero, já que muitos pontos, mesmo nas dificuldades menores, são bem complicadas devido a quantidade de inimigos e tiros na tela.

Um detalhe final é sobre alguns “slow downs” que ocorre em algumas partes do jogo, não sei se é proposital ou alguma falha de desempenho. Geralmente isso seria uma reclamação a ser feita na maioria dos jogos, mas nesse daqui, aonde vários pontos do jogo viram “bullet hell“, esses slow downs ajuda demais sobreviver nele, então torço que não tirem ele.