Review/Tutorial: Wildcat Gun Machine

Dungeon Crawler é visto pela maioria dos jogadores como aqueles jogos onde se passa em primeira pessoa explorando masmorras e com personagens japoneses em um subgênero de RPG. Wildcat Gun Machine é um jogo que mostra a distinção do gênero de forma direta e sem muitas profundidades…

Chunkybox Games

Somos um pequeno estúdio de jogos independente de Brisbane, Austrália. Atualmente, estamos trabalhando duro em nosso primeiro título Wildcat Gun Machine!

Daedalic Entertainment GmbH (site oficial)

Fundada em 2007, a Daedalic Entertainment é uma editora e desenvolvedora de jogos de computador e videogames de alta qualidade, com forte foco em narrativas envolventes e personagens atraentes. Daedalic e nossos produtos ganharam vários prêmios da indústria e design; a empresa é conhecida por obras-primas de jogos de aventura, incluindo Silence, The Deponia Series, Edna & Harvey, The Dark Eye: Memoria e Blackguards.
A Daedalic Entertainment recebeu o nome de Daedalus, o antigo artista, inventor e arquiteto grego que, segundo a lenda, projetou o labirinto, bem como asas feitas de penas e cera. Esses elementos podem ser encontrados no logotipo da empresa Daedalic e são refletidos na filosofia corporativa de aperfeiçoar a arte e o ofício do design de jogos.

Vamos então analisar e aprender o que esse título de estréia da Chunkybox nos traz???

Cópia de review cedida pela Daedalic Entertainment, versão Playstation 4
Review baseado no Playstation 5 por meio da retrocompatibilidade

Nome: Wildcat Gun Machine
Gênero: Action / Dungeon Crawler / Shooter (subgênero: Bullet Hell / Isometric Shooter)
Desenvolvedora: Chunkybox Games
Distribuidora: Daedalic Entertainment GmbH
Plataformas: Playstation 4, Xbox One, Nintendo Switch, PC
Lançamento: 2022 (4 de maio)
Mídia: até o momento do review, apenas digital

Tela Título

História / Enredo

A história do jogo não tem profundidade e não é contada de forma clara…
Entretanto, podemos interpretar o enredo da seguinte forma:
Você controla uma mercenária que tem como objetivo destruir forças demoníacas e monstros que estão com a posse de unidades robóticas mortais.

Gráficos

Os gráficos de WGM são feitos em estilo anime / cartoon, com traços feitos à mão e estilos deformados com personagens anões / chibi’s. Os efeitos de explosões e luz estão presentes de forma sutil.

Som / OST

O jogo não possui dublagens.
A trilha sonora por sua vez é composta pelo artista GODONTGO, e conta com o estilo de música do artista, focado em arranjos de Eletrônica e suas diversas variações.
A trilha sonora pode ser conferida em cortesia do próprio artista.

Jogabilidade

O esquema de jogo não está presente in-game, mas os controles são bem confortáveis pra ação que ele irá pedir em alguns momentos, usando um estilo de dual stick, focado apenas em 1 botão de função e gatilhos / shoulders para a ação.

Move - Sniper Contracts 2: Controls - Appendix - Sniper Ghost Warrior Contracts 2 GuideMover Personagem
Camera movement - Sniper Contracts 2: Controls - Appendix - Sniper Ghost Warrior Contracts 2 GuideMirar
Mask mode - Sniper Contracts 2: Controls - Appendix - Sniper Ghost Warrior Contracts 2 GuideDash
Shoot - Sniper Contracts 2: Controls - Appendix - Sniper Ghost Warrior Contracts 2 GuideAtirar
Interact/reload/interrogate enemies - Sniper Contracts 2: Controls - Appendix - Sniper Ghost Warrior Contracts 2 GuideAtivar GunMachine
Use gadget - Sniper Contracts 2: Controls - Appendix - Sniper Ghost Warrior Contracts 2 GuideAlternar Armas
Map - Sniper Contracts 2: Controls - Appendix - Sniper Ghost Warrior Contracts 2 GuideMapa
Aim with a scope - Sniper Contracts 2: Controls - Appendix - Sniper Ghost Warrior Contracts 2 GuideGranada

Sistema de Jogo

O jogo conta com um sistema de Dungeon Crawler, focado em labirintos e dificuldade progressiva, com partes em bullet hell. O design dos calabouços são fixos (não é roguelike hahaha) e suas alas são diversificadas através de cores diferentes no mapa. As batalhas são de forma arena, onde deve-se destruir os inimigos para continuar a progressão.

A Gata Selvagem

Nossa personagem possui no início do jogo apenas uma pistola como arma de ataque:

O life dos inimigos aparece em cada acerto, dando noção de quanto falta para derrota-los.
Conforme você explora os ambientes, você irá encontrar armas novas que são as chamadas “Special”.

As specials por sua vez são alternadas com a pistola para ter um combate mais estratégico diante as hordas que você enfrenta em cada sala já que, diferentes das pistolas, elas possuem munições limitadas.

Com o avançar do jogo, você irá ganhar novas habilidades, que irão auxiliar na sua agressividade, mobilidade e defesa.

O Dash irá proporcionar um rápido desvio entre os projéteis, entretanto deve ser usado com cautela já que ele tem cooldown, o que dá ênfase ao fato de você ter estratégias em algumas batalhas.

Além do Dash, temos as granadas, que servem para dar um dano considerável nos inimigos.

A GunMachine

Ao matar inimigos, a barra de raiva será preenchida, e com isso o aviso de GunMachine pronta aparece na tela, ao ativar uma armadura será colocada e você causará danos guiados nos inimigos, além de danos auxiliares conforme avançar no jogo.

Itens e Recursos

Ao explorar as dungeons, nossa personagem pode encontrar 2 tipos de itens:
As capsulas de vida que irão recuperar a HP…

E as armaduras, que irão conter de 1 à 3 hits, dependendo de quantas você tiver.

E para as armas especiais, você coleta a caixas de munição, que recuperam totalmente a capacidade das armas.

Ainda na exploração das dungeons, você irá encontrar power ups, que irão funcionar em um determinado tempo limitado (e curto, diga-se de passagem) para ajudar em 3 aspectos:
Overpower – aumenta razoavelmente o poder de ataque das suas armas

Shield – invulnerabilidade por tempo limitado

Lightning Speed – aumenta a velocidade comparada com o mundo do jogo

Skulls and Bones – alguns cadáveres serão encontrados nas dungeons, ao serem mexidos eles irão conceder ossos, que é usado para os upgrades que veremos a seguir.
OBS: os ossos também são ganhos pelos inimigos derrotados.

A Exploração das Dungeons

Como disse antes, as dungeons tem design fixo, e sua exploração será sempre a mesma. A ideia central das dungeons basicamente é enfrentar hordas de 1 à 3 ondas de inimigos e passar para a próxima sala, algumas podem ter apenas itens, outras podem ter armas especiais e por fim, apenas recursos e itens de progressão, isso é perceptível pelas portas identificadas com cores:

Os itens de progressão nada mais são que as chaves para essas portas, pode-se achar essas chaves em determinadas salas ou enfrentando salas de bosses.

Ao derrotar os bosses, você libera uma das travas para o boss final do capítulo.

E por fim, o mapa mostra a diferenciação das alas pela coloração das salas, ajudando você à saber onde ir.

Aprimoramentos

Por fim, as dungeons terão um ponto central chamado de checkpoint, nele você pode melhorar as habilidades e comprar armas, especificamente as pistolas já que as especiais são encontradas nas dungeons.

Como o nome sugere, o jogo salva sempre nesse ponto, que também pode ser seu destino pelos portais azuis que estarão em algumas salas. Ao ativar o checkpoint e interagir, você verá essa tela:

As pistolas e armas terão atributos de dano e cadência de tiro, além de algumas observações adicionais, como projéteis perfurantes e outras coisas assim, novas pistolas serão oferecidas conforme avançar no jogo.

As habilidades entretanto, serão liberadas ao comprar os níveis diferentes de cada habilidade.
As habilidades incluem número de vidas, movimento, dash e granadas.

Ao sair do upgrade, é possível escolher quais armas equipar e quais melhorias ativar.

O comparativo ajudará nas suas decições…

E apenas para uma observação, perceba os gatos em volta do checkpoint:

Os gatos fazem parte do upgrade de vidas, cada gato representa o máximo de vida perante suas tentativas, a diferença aqui se constituem em renascer na porta da sala que você morrer, diferente da outra opção, que é recomeçar no checkpoint.
A diferença entre os gatos e o checkpoint em si, se consiste em ser uma atalho para tentar novamente a batalha que lhe matou, com a barra de raiva zerada e munições restantes antes de morrer, se escolher o checkpoint terá de explorar tudo de novo com os inimigos revividos, até chegar na sala, porém com os itens e munições reativados.

Troféus / Conquistas

20220529000617

Dificuldade: 3/10
O jogo pode assustar no seu trailer e pode lhe desafiar em diversos pontos, mas num geral, a platina não é difícil. De forma resumida:

  • Matar todos os chefes
  • Comprar todas as pistolas e upgrades
  • Fazer uma corrente de 20 Dashes ininterruptos antes do cooldown
  • Achar todas as armas especiais

Infelizmente o jogo está implatinável no Playstation, contatei a Daedalic Entertainment para repassar o problema à Chunkybox com relação à um bug de um dos troféus que está impossibilitado de ganhar.

Estou no aguardo do patch que consertará isso, uma vez que havia outro troféu com problema e foi consertado. Caso ocorrer, irei identificar na introdução do texto.

Considerações Finais

Graficamente o jogo é agradável, o design dos monstros e a arte desenhada a mão são bem feitos e coloridos, além das pequenas caretas que a personagem faz enquanto atira dando carisma ao seu design chibi. Outro detalhe também é que, conforme você sofrer dano, o retrato da personagem muda, estilo os fps antigos (Doom, Quake e Wolf3d), excelente referência. Apesar da quantidade de efeitos de luz em alguns aspectos, o jogo não incomoda.

A trilha sonora no entanto pode incomodar alguns jogadores que não curtam o estilo de música, uma vez que há pouca variação entre as composições num geral, e há poucas músicas, sendo 1 pra cada dungeon e 1 por chefe (sim, cada chefe terá uma música), as dungeons vão ficando maiores e isso pode ocasionar eventuais enjoos musicais no jogador, se talvez tivesse 3 músicas para diferenciar em cada dungeon (após derrotar os chefes) talvez amenizaria isso. Ok, sabemos que compor música é complicado, mas ouvir 1 única música em prazos que dependem da habilidade pode ser um problema.

A jogabilidade é um dos pontos fortes, pois os comandos são precisos e rápidos conforme aumentam a quantidade de desafios e inimigos do jogo, além de ter um esquemático agradável e simples para a proposta do jogo.

A performance no PS5 teve eventuais crashes se rodar o jogo por muito tempo, algo que aconteceu 2 ou 3 vezes enquanto joguei e de formas aleatórias, me impossibilitando de identificar um padrão nesses fechamentos. Os framerates contudo, são fixos em 60fps.

A durabilidade do jogo é compatível com a proposta, sendo 4 capítulos (ou dungeons) inteiras com batalhas em todas elas, sendo em torno de 4/5 horas para terminar, explorando todas as salas, isso levando em conta que você seja acostumado com bullet hell.

Mas Shin, ainda não ví nada de surpreendente que considerasse um bullet hell…
Aí entramos no aspecto dificuldade, que é amigável no início e que irá testar você conforme jogar. Praticamente a essência das batalhas é descobrir estratégias para derrotar as horas, seja economizando as munições das armas especiais, saber a hora certa de usar as habilidades e conseguir esperar o cooldown delas e até mesmo usar a GunMachine em momentos propícios…
Em outras palavras, você verá isso…

… aos poucos se tornar isso

A dificuldade desafiante é disso pra cima…

De forma resumida, Wildcat Gun Machine é um título com boa proposta de ação e dungeon crawler, apesar de o trailer e resenhas identificarem ele como um bullet hell na sua descrição, acredito que essa característica fique em segundo plano (por isso classifiquei como subgênero), e isso será de forma progressiva, com as dungeons ficando maiores, mais itens serem necessários para progredir e que irá testar suas estratégias, destreza e habilidades nas batalhas até chegar em níveis de inimigos em excesso na tela, armadilhas e com vários projéteis em padrões diferentes. Menção honrosa à parte final que faz referência à um shmup clássico do Dreamcast que faremos review em breve aqui.
Evidentemente a proposta do jogo aqui é ser focado nesse aspecto, com pouco storyteller e focado em gameplays diferenciados com as armas que você encontra, além das opções de montar seu set e tentar batalhar nas suas prováveis tentativas e erros perante suas melhorias.

Caso for um amante desse estilo de jogo, é o jogo que merece atenção, caso for um jogador mediano, pode ser que você precise de tempo para contar até 10 e respirar, se for casual… bem, melhor nem jogar, há não ser que seja insistente hahaha.