Review / Tutorial: Slipstream

Jogos que remetem ao saudosismo e nostalgia sempre são bem vindos, principalmente quando toda a característica do jogo lhe dá a imersão de estar revivendo determinada época…

Slipstream é um destes jogos, no qual remete aos arcades de corrida dos anos 80/90, com uma trilha sonora característica, sistema de jogo que faz um ode aos clássicos da época e… um desafio considerável.

Desenvolvido por um solodev brasileiro, o mineiro Sandro Luiz de Paula, aka ANSDOR, mantém a característica de seus jogos, que são coloridos, estilizados e fortemente expressivos, vale ressaltar que o jogo foi feito com uma engine própria, sendo lançado inicialmente para PC em 2018.

A distribuição do jogo fica por conta da Blitworks, conhecida por ter sido contratada pela SEGA em 2012 e fazer o port de Jet Set Radio e Sonic CD para os consoles atuais. Blitworks sempre escolheu títulos difíceis e que exigem dedicação e empenho dos jogadores, como Fight n Rage, Heroes of Hammerwatch e Vagante.

Dito isso, vamos então analisar e ver o que esse jogo oferece de tão nostálgico?

Código cedido pra review pela Blitworks, versão Playstation 4

Nome: Slipstream
Gênero: Corrida, Arcade (subgêneros: Road Trip / Battle Royale)
Desenvolvedora: ANSDOR
Distribuidora: Blitworks (PS4 / NS / XBOX), ANSDOR (PC)
Plataformas: PC, Playstation 4, Nintendo Switch, Xbox One
Lançamento: 2018 (21 de maio / PC), 2022 (7 de abril / Consoles)
Mídia: até o momento do review, apenas digital

Tela Título

Slipstream_20220405231023

História / Enredo

Não há um enredo específico para o jogo, apenas vença seus rivais e se torne um excelente corredor em manobras de drift.

Gráficos

O jogo conta com gráficos pixelart e uma paleta de cores intensa. Os efeitos de BLUR e saturação das cores podem ser demasiadamente exagerados para certas pessoas, mas é possível desativar eles no menu de opções do jogo, além de opções de filtros como CRT e PIXEL.

A acessibilidade foi pensada aqui, customize os efeitos da forma que convir…

Os efeitos de profundidade fazem o uso do chamado “sprite-scaling”. Uma das características que devo ressaltar é o fato de ter um HUD limpo e simples.
O artwork dos rivais aparecem no canto superior da tela enquanto eles falam com você.

Sprite Scaling

Seja Super Scaler ou Mode 7, aumentar e diminuir sprites/texturas é um conceito frequentemente usado em jogos baseados em sprites. Era uma técnica popular usada para criar jogos tridimensionais com sprites, principalmente durante as eras de 16 bits a 32 bits. Sprite-scaling foi uma forma inicial de mapeamento de textura 3D.

Para mais detalhes, visite o artigo encontrado no GIANT BOMB que irá falar mais ainda dessa técnica usada em jogos antigos. O artigo porém está em inglês.

Som / OST

O jogo não possui dublagens, porém o jogo ganha muitos pontos em sua trilha sonora, que remete à característica da época, possuindo arranjos de techno, eurodance, pop e sintetizadores, sendo composta por Effoharkay e que gentilmente disponibilizou o álbum no Spotify para vocês apreciarem enquanto lerem o review.

Jogabilidade

O jogo tem uma jogabilidade totalmente arcade, digo isso porque evidentemente você deve imaginar que fazer curvas derrapantes em 226km/h não são possíveis em lugares de espaço pequeno, certo??? Certo…
Então não espere um ultra realismo, é um jogo para se divertir, só ver o esquemático do jogo que conta com 3 funções…

Sistema de Jogo

Slipstream possui diferentes modalidades de corrida, onde seus reflexos irão ser testados e sua destreza em realizar as curvas irão desafiar, porém também é acessível para os jogadores menos experientes e casuais.

Mecânicas de um bom corredor…

Apesar de ter um feeling de jogo antigo, o jogo conta com algumas mecânicas bem atuais.

Drift – a derrapagem ocorre de forma manual ou automática, porém a forma manual irá aumentar consideravelmente seu desafio, e consequentemente a graça do jogo.
A derrapagem manual necessita que você faça uma frenagem e em seguida uma aceleração, dependendo da forma que você fizer o carro irá perder o tempo da derrapagem, então deve ficar ligado.

Rewind – para sua felicidade, e azar dos seus rivais, você tem um recurso para esses pequenos erros cometidos. Perceba que no canto inferior, no lado do velocímetro, está o seu medidor de rewind sendo carregado em 2 níveis. O máximo de tempo que você pode voltar, são 5 segundos para 2 níveis e 3 segundos para 1 nível.
Depois de usado, o rewind sofrerá um cooldown, tendo de ser carregado novamente.

Slipstream – ao encontrar tráfego, carros rivais ou outros competidores, você poderá usar o vácuo para ganhar impulso, consequentemente criando um Slipstream. A palavra irá se formar acima do velocímetro, e deverá ser escrita por completo, indicando o efeito. Enquanto estiver em condições de vácuo, o slipstream irá se manter.

Basicamente essas são as 3 mecânicas durante a corrida, o aperfeiçoamento e estratégia vai de acordo com sua forma de jogar.

Menu e Modos de Jogo

O jogo conta com a opção de single player e multiplayer de até 4 jogadores por meio da tela dividida, porém irei focar apenas nos modos de jogo específicos, em vez de todo o menu.

Grand Tour – você irá fazer uma pequena viagem, estilo Outrun, em 5 estágios interligados, variando sua rota entre as 16 pistas iniciais do jogo. Em cada final de pista, você terá 2 caminhos para escolher. Da mesma forma que Outrun, você terá um tempo para conseguir vencer a pista.

Corrida Única – customize as regras e jogue em 1 pista determinada.

Grand Prix – campeonatos em níveis diferentes, compostas por 5 corridas e com as pistas na modalidade circular, ao contrário do Grand Tour que é ponto a ponto

Cannonball – modalidade estilo rally com um circuito programado das pistas interligadas e opções de customização.

Desafio de Tempo – corra sozinho contra seus melhores tempos, em 3 voltas.

Battle Royale – corrida eliminatória, 16 carros, 16 pistas e 1 vencedor. O jogo irá gerar as pistas de forma aleatória e interligada. Em cada término, o último colocado é eliminado.

Tipos de Carros e Dificuldade

O jogo conta com 5 carros possíveis de usar:

Como de praxe, os atributos são os mais simples, onde:
Velocidade Máxima – o máximo de km/h que o carro pode chegar
Aceleração – o tempo que o carro demora em pegar velocidade
Controle – manter o carro dentro da pista e longe de problemas ou rewind 😛

Em alguns modos, como o grand prix, há a opção de carros padronizados, que mantém os atributos e carros customizáveis, onde você irá gastar uma quantia de dinheiro para fazer determinadas melhorias.

De olho na pista e na categoria

Com relação à dificuldade, o jogo possui 3 tipos de categorias:
Leve – carros terão menos velocidade e mais aceleração
Médio – carros terão velocidade e aceleração equivalente
Pesado – carros terão mais velocidade e menos aceleração

Isso irá refletir na sua atenção para as diversas curvas que irá encontrar, sabendo a hora certa de fazer o drift (para derrapagem manual) e evitar o máximo de erros.
A atenção redobra pelo fato de o mapa não mostrar a pista, e sim apenas os pontos dos outros carros quando estiverem próximos e o seu carro centralizado no HUD, no canto inferior esquerdo. Apesar disso, dá pra ter noção de quão longe você está dos seus rivais, seja de forma adiantada ou retardatária, verificando os números acima e abaixo do indicador.

Progresso

O seu save irá contabilizar todos os fatores acima.
As copas são relacionadas aos Grand Prix.
As pistas visitadas em relação ao número de vezes que correu nelas.
As saídas encontradas e rotas tomadas é com relação ao grand tour.
Os rivais é de forma geral, já que eles são gerados aleatóriamente.
E os carros usados é com relação ao seu estilo de jogo.

Troféus / Conquistas

Dificuldade: 2/10

Apesar de tudo, o jogo não será uma platina difícil, porém irá exigir diversos replay values para ter todos os troféus. De forma resumida, você precisa:

  • vencer todos os rivais em 1 rodada do grand tour e fazer todas as rotas
  • completar todas as pistas
  • vencer todas as copas e vencer todas as corridas
  • ganhar uma corrida com todos os carros padronizados
  • permanecer em 15segundos no slipstream
  • ganhe uma corrida com carros customizados gastando menos de U$500
  • complete uma etapa do Grand Tour sem bater em nada
  • vença rodada de Cannonball em 5 e 15 etapas
  • vença rodada de Cannonball com pistas noturnas e secretas
  • vença um battle royale

Considerações Finais

Graficamente o jogo é agradável, a paleta de cores bem rica dá uma beleza na arte pixel do jogo, além dos diferentes efeitos que remetem aos 16 bits graças ao sprite-scaling. Para um solodev, a engine usada foi muito bem aplicada e não devemos tirar o mérito do trabalho imposto no jogo, ainda mais pelo fato de todas as pistas serem bastante variadas, desde praia, vales até cemitérios…

A trilha sonora pra mim é o melhor ponto do jogo, todas as músicas são agradáveis, e é possível trocar ao efetuar a pausa do jogo, algo que seria bom fazer em modos mais extensos como o Battle Royale, assim você não irá enjoar tão fácil de uma música específica, ainda mais com o espírito de trilha sonora dos anos 80/90 que o jogo traz.

A jogabilidade é um dos fatores mais desafiadores do jogo para a proposta de dificuldade, ou seja, derrapagem manual e categoria pesada, combina muito bem com o desafio do jogo, já que algumas pistas terão zigue zague, curvas fechadas, espaços curtos, espaços largos, variando assim o seu domínio no timing para derrapagem, levando em consideração as opções comentadas de desafio.
Pode não parecer, mas cada carro fará você sentir diferença na jogabilidade, devido aos atributos padrões de cada um.

A performance do jogo foi impecável no PS5, pois rodei o jogo via retrocompatibilidade, não cheguei à efetuar testes no PS4 FAT, mas o jogo não sofreu crashes repentinos e se manteve fixo nos 60fps, sem slowdown.

A longevidade do jogo porém, para os que buscam a platina poderá ser um pouco extensa e enjoativa, ainda não peguei a platina (me faltam alguns campeonatos do Grand Prix) mas confesso que não irei pegar agora para não acabar enjoando do jogo (afinal também tenho que montar todas as rotas). Em compensação para os casuais e que jogam de vez em quando, o jogo estará de bom tamanho, com 5 estágios na maioria dos modos e com o Battle Royale gastando cerca de 20 minutos para ser completado.

De forma resumida, Slipstream se mostrou um verdadeiro ode aos jogos de corrida clássicos, fazendo um mix de Outrun com mecânicas modernas. O jogo teve atualizações para incluir o português brasileiro, algo que não tinha em acesso antecipado dias atrás (o que era irônico) e talvez uma mudança sutil na dificuldade. Digo isso porque testei o jogo dias atrás, os rivais eram mais persistentes em te vencer do que atualmente, mesmo na categoria leve, não sei dizer realmente se foi mexido algo ali, já que olhei as informações de atualização e não diz nada referente à IA.

Caso goste de jogos antigos de corrida, com diversas rotas, pistas e desafios, é o jogo perfeito para os amantes dos anos 80/90. Para a geração nova, é uma excelente pedida em conhecer um dos subgêneros mais clássicos que existem, que é o roadtrip.
Pronto pra pisar no acelerador e dominar as sucessivas derrapagens???

Easter Egg e Referêncas??? TEMOS!!!!!!!