Review / Tutorial de Aztech Forgotten Gods

* Esta análise foi feita com o código cedido pela Lienzo (versão PS4/PS5)

Distribuidora: Lienzo
Produtora: Lienzo
Plataforma: PS4 / PS5 / Switch / Xbox One / Xbox Series S / Xbox Series X / PC
Mídia: Digital
Ano de Lançamento: 2022

Aztech Forgotten Gods é um jogo de ação futurista baseado na Mitologia Asteca, onde Achtli deve confrontar antigos deuses.

ASTECAS

Descrever em poucas linhas toda a cultura e mitologia do Império Asteca é uma tarefa praticamente impossível, por isto vou tentar resumir o máximo possível.
Os astecas foram um povo mesoamericano da era pré-colombiana, sendo um dos três principais impérios da região, junto aos maias e incas (em diferentes épocas).

Tenochtitlán, a Veneza do Novo Mundo

Situada no atual México, a civilização asteca era baseada em cidades-Estado (altepetl), unidas através de alianças, confederações e/ou impérios. Há discussão sobre quem de fato seriam os astecas, dada a pluralidade de povos mesoamericanos que compunham sua estrutura.

O mais importante, no entanto (e de onde mais se tem conhecimento) é o Império Asteca, criado a partir da confederação entre três cidades-Estado: Tenochtitlán (capital do Império Asteca e sobre as ruínas da qual se construiria a Cidade do México), Texcoco e Tlacopan (também conhecida por Tacuba).

O Império Asteca incorporava culturas e costumes daqueles a quem dominava (semelhante ao Império Romano), motivo pelo qual seu povo era composto de tantas etnias mesoamericanas.
Uma civilização repleta de poder e conhecimento, Tenochtitlán (sua capital) possuía abastecimento de água potável por aquedutos provenientes das montanhas, estradas ligando ruas e demais cidades, palácios, templos e mesmo bairros separando as diferentes classes sociais.

Os sacrifícios humanos aos deuses eram comuns na sociedade asteca

Adeptos ao sacrifício humano em homenagem aos seus deuses, os Astecas possuíam um extenso panteão.
Os sacrifícios lembravam a criação de um novo Sol através da autoimolação de Nanahuatzin na fogueira, que tomou o local do escolhido (mas temeroso) Tecuciztecatl, o deus original escolhido por seus pares para o sacrifício. Vendo a transformação de Nanahuatzin no Sol, Tecuciztecatl toma coragem e lança-se também ao fogo, dando origem à Lua.

Quetzalcoatl

Também importantes são:
Quetzalcoatl (a Serpente Emplumada), deus da sabedoria, da vida, do conhecimento, do alvorecer, do padrão, de fertilidade, dos ventos e da luz, o governador do Oeste;
Mictlantecuhtli (Senhor do Reino dos Mortos), governa Mictlan (a camada mais profunda do submundo, ao lado de sua esposa, Mictecacihuatl;
Tezcatlipoca (Espelho Fumegante), deus da providência, da matéria e o padrão invisível da noite, o impalpável, onipresença e crepúsculo, o governante do Norte;
Tlaloc (Aquele Que Descansa Sobre a Terra), deus do relâmpago, da chuva e dos terremotos;
Huitzilopochtli (Beija-Flor Canhoto), deus da vontade, padrão de guerra, fogo e o sol, o governador do Sul.

Mictlantecuhtli, Senhor do Reino dos Mortos

Importante ressaltar, Quetzalcoatl e Tezcatlipoca são irmãos (e muitas vezes tidos como rivais).

UM ARTEFATO PODEROSO

Nantsin trabalha para o Instituto responsável por estudar descobertas arqueológicas sobre o passado dos Astecas.
Em um de seus principais achados, Nantsin encontra uma misteriosa manopla.

A manopla Lightkeeper: artefato do mundo antigo

A descoberta, que pode significar o trabalho de sua vida, no entanto, tem o projeto descontinuado pelo diretor do Instituto, Cahuani.
Inconformada com os rumos do projeto, Nantsin invade o Instituto, à noite, sendo seguida pela filha, Achtli.

Diretor Cahuani

Achtli, que utiliza uma prótese no lugar de seu braço direito, perdido durante a infância, acopla a manopla, denominada Lightkeeper, para testes.
Imediatamente ela tem contato mental com Tezcatlipoca, uma antiga entidade, que lhe “pede” ajuda em sua missão.

Nantsin presa pela barreira

Enquanto Achtli descarrega a energia de um dos gigantes no local de escavação, Nantsin fica presa atrás de uma barreira impenetrável.
Para libertar sua mãe, Achtli precisará ajudar “Tez” em sua missão, derrotando gigantes, cuja energia irá remover a barreira que prende a pesquisadora.

PLANO DE VOO

A Lightkeeper possui uma série de habilidades, sendo a principal dela o poder de voo através de um feixe de energia direcionável.
Com L1 pressionado, Achtli é lançada na direção contrária ao feixe de energia, podendo ser facilmente manobrável com o analógico, para controlar a direção desejada.

A energia da manopla permite o voo de Achtli

Como habilidades iniciais também estão o soco, com quadrado, que, se for pressionado no momento certo durante o combo, pode realizar uma execução especial ao final da sequência (apenas em inimigos normais, não nos chefes). Já o R2, quando mantido pressionado, concentra energia para um poderoso soco, capaz de mais dano e também de quebrar barreiras de pedra.

Combos perfeitos geram execuções

Habilidades adicionais, que são adquiridas conforme atualiza a manopla incluem uma concentração (com R1) de energia na palma da manopla, que causa uma explosão capaz de arremessar rapidamente Achtli para cima; o uso de um escudo de energia ao segurar triângulo; a habilidade de disparar um raio diagonal de energia cortante (segurando L2 e pressionando R2), para cortar raízes e um mergulho para quebrar estruturas abaixo da personagem (pressionando o D-Pad para baixo).

UPGRADES E ESTILO

Na Oficina é possível comprar upgrades para a Lightkeeper, incluindo aumento da velocidade ao voar, aumento do impacto dos golpes, melhoria de vida, habilidade de agarrar-se às paredes, etc.
Estes upgrades são comprados com cubos amarelos, obtidos durante as lutas e nas atividades extras do jogo (explicado adiante).

Árvore de habilidades

É possível também mudar o visual de Achtli, com o uso de esferas azuis (a moeda do jogo), igualmente obtidos como os cubos amarelos.
No Salão é possível mudar o penteado da protagonista (que começo com um visual Dragon Ball Z) com partes raspadas, coques e o uso de brincos e alargadores nas orelhas (típicos dos astecas).

Combater gigantes não é desculpa pra descuidar a aparência

Já na Loja é possível comprar diferentes roupas para a personagem, de um visual mais casual com jaqueta, blusa e calça jeans até roupas mais futuristas.
Tanto cabelo quanto roupas são puramente estéticos e não influenciam no gameplay.

Visual futurista para combinar com a cidade

QUANDO EM TENOCHTITLÁN…

A capital asteca possui visual futurista, mas nem por isso perdendo suas características tribais.
Construções com os motivos do Império estão por todos os lados; a cidade possui aerotrens e trilhos que permitem deslocar-se rapidamente segurando-se com a manopla.

Trilhos servem para um deslocamento rápido

Ruínas antigas circundam a “ilha”, bem como prédios com neon, plantações hidropônicas e até mesmo um estádio de Ullamaliztli (o “futebol” asteca/mesoamericano).
Além de combater os inimigos normais que circulam pelos ares da capital, semelhantes a totens astecas (os chefes geralmente ficam em arenas isoladas), há atividades extras pela cidade.

Atividades geram bônus de experiência e dinheiro

Os desafios consistem em luta e corrida.
Na luta, uma arena com tempo é disponibilizada; já na corrida, o objetivo é alcançar um “drone” voador até seu ponto final, onde deve ser destruído. Os círculos de boost, geralmente azuis, aqui tornam-se laranja; no entanto, eles não servem como checkpoints, apenas guiando o jogador na direção certa.

Memórias contam a história dos deuses antigos

Além dos desafios, placas de pedra com figuras e inscrições contam parte da história dos deuses astecas, servindo como Memórias.

NÃO SÃO MOINHOS DE VENTO, SÃO GIGANTES!

As lutas contra chefes são, sem sombra de dúvidas, o chamariz do título.

O combate é quase que exclusivamente aéreo, pois você enfrentará chefes gigantescos e é preciso agilidade para lidar com eles.
Lembre-se também que é necessário ter energia para voar, então o uso de círculos de boost ou mesmo de paradas rápidas no chão (quando possível) ou em pedras e/ou outras estruturas para recarregar as energia são essenciais.

As cavidades são o ponto de passagem nos escudos

Em um determinado ponto da luta, os chefes usarão escudos de energia, com pequenas cavidades cada.
Para avançar e se aproximar é preciso passar por tais cavidades, sem ser atingido pela energia.

O escudo atordoa inimigos com os próprios disparos

Caso tome dano, um sistema de cura está disponível permanentemente, precisando apenas de tempo de recarregamento.
Tenha em mente que a cura não é automática: ao apertar para cima no D-Pad, a vida de Achtli vai lentamente sendo regenerada.

ARZTECA ARTE ASTECA*

* peço perdão pela tentativa de trocadilho infame

Bom, para aqui temos uma disruptura entre gráfico e arte.
O gráfico do jogo é seu ponto fraco. Enquanto os personagens são bem modelados e a arquitetura asteca futurística é muito interessante, há um problema com texturas.

Ao mesmo tempo em que arquitetura e arte são belas…

… texturas e NPC’s genéricos sofrem pela falta de polimento

Não me entenda mal: enquanto o jogo está em movimento, isso fica menos aparente (e o título possui navegação e combate rápidos).
Mas durante as cutscenes, e quando você para em algum ponto do cenário, a cidade em si e os NPC’s comuns da cidade possuem poucas texturas.

Pose de herói com trajet casual

Já a arte dá seu show e compensa estes problemas técnicos, com visual mesclando estética antiga e moderna.
As construções possuem bastante uso de neon à noite e os chefes são muito bonitos e detalhados.

Testando um visual novo

A trilha sonora é um dos destaques do título.
Se você, assim como eu, gosta de metal em geral, seja MUITO bem vindo a Aztech.
Riffs rápidos e pesados de guitarra intercalam o belo uso de flauta, com temas que em muito se assemelham a algumas bandas de pagan folk metal.



O jogo não possui dublagem propriamente dita: os personagens apenas balbuciam alguns sons e grunhidos enquanto as falas rolam na legenda.

MANOPLA PLATINADA

A platina de Aztech não é tão complexa, embora o troféu de zerar em menos de duas horas possa ser um grande desafio, especialmente dependendo da dificuldade que você escolheu. Mas sim, você vai precisar zerar o jogo duas vezes, considerando que é necessário fazer todos os desafios, comprar todos os upgrades e peças de vestuário e cortes de cabelo, além de acompanhar a história, o que faz com que o speedrun deva ficar para uma segunda jogada.
Ao comprar as peças de vestuário e cortes de cabelo, é recomendável comprar uma por veze esperar o a mensagem de save no canto esquerdo superior da tela, para ter certeza que o jogo registrou o item.

Combate aéreo dinâmico

Além destes, o troféu por terminar o jogo e demais troféus de navegação e combate específicos.
Destaque também para um troféu fazendo referência à canção Aces High, do Iron Maiden.

RESUMO DA ÓPERA:
Aztech Forgotten Gods é uma bela surpresa do ano, com combate ágil e divertido, além da inspiração no folclore e cultura astecas, o que é sempre bem indo para diferenciar os jogos.

Tepo: amigo e ajudante

Uma história intrigante e cativante, além de personagens carismáticos como a protagonista Achtli e o seu amigo Tepo (além das conversas mentais com a entidade) e uma excelente trilha sonora recheada de metal compensam os problemas técnicos no quesito gráfico.

Um título que consegue entregar uma experiência diferenciada, mesmo utilizando conceitos conhecidos dos jogadores, Aztech Forgotten Gods diverte e empolga com sua ação rápida e fácil navegação pelos cenários.