Review / Tutorial: Blade Assault

Arte inicial do jogo

Ola, aqui é o Pena e hoje vamos com um rogue-like de ação bem rápido e frenético, o Blade Assault.

Ele foi produzido pelo estúdio sul-coreano TeamSuneat, sendo o primeiro jogo deles e publicado pela Neowiz Games, responsável pelos jogos DJMAX RESPECT, Dandy Ace e Skul: The Hero Slayer.

O jogo foi iniciado a partir de um projeto no kickstarter e ficou um tempo no acesso antecipado, sendo lançado em janeiro de 2022 na Steam.

Review feito em base da versão do PC
(código cedido pela Neowiz Games)

Titulo: Blade Assault
Produtora: TeamSuneat
Distribuidora: Neowiz Games
Gênero: Ação / Plataforma / Rogue-like
Plataformas: Pc (Steam)
Mídia: Digital
Textos: Inglês, Alemão, Russo, Coreano, Japonês, Chinês Tradicional e Simplificado

História

A história começa com Kil, um rapaz de cabelos brancos, que está preso e após a sua fuga, vai atrás do líder da cidade flutuante Esperanza.

Só que ele falha no seu ataque e é jogado pra a superfície, mas claro que ele não morre, já que é resgatado pela resistência que se opõem ao governo de Esperanza.

Agora ele se junta a causa pra conseguir voltar para a cidade e conseguir extrair a sua vingança enquanto recebe ajuda da Resistência em diversos setores do mundo.

A história é relativamente simples e sem muitas reviravoltas, mas é interessante o suficiente pra segurar o jogador na partida enquanto ele desbrava esse mundo distópico.

Gráficos

O jogo é todo em pixel art, todos bem trabalhados e com vários detalhes, tantos nos sprites, cenários (que tem uma variação maior do que os rogue-likes normais) e até no desenho dos itens que você pega, quem curte esse tipo de arte vai adorar.

Enquanto as movimentações gerais das batalhas são bem rápidas e fluidas, as vezes tem uma perda de frame dependendo da quantidade de inimigos e dano ocorrendo na tela, nada extremamente absurdo, mas como temos pessoal que reclama da mínima perda, nunca custa avisar.

Áudio

Apesar dos gráficos em pixel art, não utilizaram musicas de chiptunes, escolhendo um clima entre o eletrônico e jazz, tanto na exploração geral como nos chefes. Elas não são tão agitadas como a ação do jogo, mas ainda são gostosas de ouvir e mantém o clima distópico que a campanha traz.

Ele não tem dublagem durante as poucas conversas que temos no jogo, mas isso não afeta a diversão, já que o foco dele é exatamente a ação frenética que ele propõem.

Não encontrei a OST do jogo no Spotify nem no Youtube, mas pelo menos achei a música tema dele pra você já entender como é o clima do jogo.

Jogabilidade

Você tem como alterar os comando conforme desejar, mas infelizmente ele não tem os símbolos do controle do PlayStation 4, o que dificulta por um tempo o costume com o jogo.

A jogabilidade dele segue os padrões dos rogue-likes, então se prepare pra morrer bastante, liberar os NPCs de apoio e melhorar o seus personagens até finalmente triunfar na campanha.

Jazz Bar

O bar é uma das bases da resistência e aonde você inicia cada partida nova. Conforme avança no jogo libera novos NPCs que ajudam na campanha.

Falando com o barman, você entra na lista de Afinindade da Resitência. Aqui você usa os Cubos (moeda permanente, não perde ao morrer) para melhorar a amizade com os outros membros da resistência, podendo liberar novos personagens para jogar ou facilidades antes da próxima partida.

Conversando com Jack você pode comprar técnicas passivas pra ajudar nas batalhas usando Moedas (também permanente). Aqui tem alguns detalhes que é bom explicar por pontos:

  • As técnicas e níveis são contatos para TODOS OS PERSONAGENS, o que agiliza muito, já que não precisa evoluir individualmente (a parte permanente, claro) cada um dos personagens;
  • Cada linha nova libera quando alcança o nível marcado na parte esquerda da tela;
  • Em cada uma das 3 categorias você pode escolher UMA HABILIDADE por linha, então pense bem como será a sua estratégia.

Você também pode gastar um pouco das suas Moedas para já iniciar com algumas ferramentas, ajudando na nova partida (explico melhor o funcionamento delas na parte de exploração).

Depois de liberada, Io deixa disponível pra você Núcleos Elementais sem custo pra a nova partida, mas tem o ponto que ao selecionar um dos elementos, não tem como retornar e precisa escolher uma das 3 opções (explico melhor o funcionamento delas na parte de exploração).

Falando com Hank antes de sair da base você pode escolher uma das melhorias aleatórias (e temporárias) pra a arma que você está utilizando usando Moedas , assim você já recebe mais uma vantagem antes da próxima partida.

Cada personagem tem as suas armas diferentes e cada uma delas tem 3 caracteristicas distintas que podem receber melhorias usando Chipes (a ultima moeda permanente). Vale apontar que só é possível equipar uma das caracteristicas por vez.

E depois que você libera novos personagens, basta conversar com eles no Bar antes de sair pra utiliza-lo na próxima partida.

Personagens

Diferente da maioria dos rogue-likes, cada um dos personagens tem uma jogabilidade bem diferente entre eles, que vai mudar bem como você age durante as partidas, então é bom explicar um pouco cada um deles.

Kil

Kil é o protagonista do jogo e o primeiro que você tem controle. É o mais balanceado entre velocidade e ataques e até o momento é o único que tem 3 tipos de armas principais diferentes, sendo elas uma espada-serra, um machado laser e um rifle.

Kill tem 3 armas a disposição depois de liberadas

A jogabilidade dele varia bastante dependendo da arma escolhida e altera ainda mais caso escolha certas técnicas para as armas, como por exemplo o rifle que no básico dispara vários tiros, mas uma delas transforma a arma num rifle de sniper, com menos munição e cadencia de tiros, mas são bem mais fortes e acertam vários inimigos.

Darcy

Darcy foi a segunda personagem liberada no jogo, sendo a mais rápida entre os personagens disponíveis. Ela utiliza como arma principal uma katana com ataques e combos extremamente rápidos e de apoio utiliza um fuzil para ataques a longa distância, mas dependendo das técnicas que você pega com ela na partida, as técnicas dela também tem um grande alcance.

Jenny

Jenny é a terceira personagem liberada e ela tem maior foco em controle de área e efeitos negativos. Além da arma principal dela ter um longo alcance, tanto pra frente como pra trás, ela abusa de efeitos negativos como veneno e ainda consegue convocar outros ninjas pra ajuda-la temporariamente na campanha

Jett

Jett até o momento desse review ainda não foi liberado (seus braços mecânicos precisam de conserto hahahahaha), então agora não tem como realizar comentários sobre a sua jogabilidade.

Exploração

Como falado anteriormente, o combate desse jogo é bem rápido e mistura os ataques comuns com skills secundárias, especiais e itens de apoio, cada um com o seu botão próprio.

Qualquer outra ação, até mesmo a esquiva, que não seja o ataque principal tem um tempo de recarga até o próximo uso, variando entre cada umas das ações.

OS especiais utilizam MP e ele é recarregado conforme utiliza o ataque normal, então varias entre os ataques é fundamental aqui, ainda mais que tem uns combos bem legais pra fazer com cada um dos personagens.

O jogo usa um sistema de Núcleos Elementais, variando entre Fogo, Gelo e Trovão. Temos duas variações principais deles:

  • Núcleos Principais: Só é possível usar um por vez na campanha, alterando o elemento da arma do personagem. Cada uma delas tem uma lista de 5 técnicas que são liberáveis durante a partida;
  • Núcleos de técnicas: Essas você pode pegar várias no decorrer da partida entre todos os elementos. Elas vêm em níveis de raridade diferente e também é possível aumentar a sua força pegando uma repetida.

Durante a exploração você encontra diversos baús. Pra abri-los você precisa de Joias (moeda temporária) e dentro delas você encontra equipamentos de apoio. Cada baú tem 3 deles e você só pode escolher 1. Eles também tem níveis de força, aumentando conforme você pega mais do mesmo e tem efeitos variados, como aumentar HP, maior dano elemental, itens de uso, entre outros efeitos. Também é possível encontrar esses equipamentos em maquinas de atendimento automático. Nessas só tem um item, mas você pode comprar várias vezes do mesmo, assim deixando o efeito mais forte.

Em alguns pontos você encontra essas máquinas de câmbio, trocando as moedas por uma que você deseja. Vale apontar que o que você recebe nelas é sempre moeda temporária, dai vai do que você precisa e quer.

Lista de bônus que os inimigos estão recebendo no momento.

Em cada uma das salas do jogo, antes de conseguir abrir o caminho para a próxima área, você precisa derrotar alguns inimigos elites, que são mais fortes que o normal. Nessas horas a barra de alerta começa a carregar e a cada nível cheio, representado pelo Crânio , adiciona um efeito para a partida, podendo ser aumento de dano feito pelos inimigos, mais HP pros chefes e assim vai.

Alguns baús e elementos das salas também podem aumentar o nível de alerta, mas geralmente as recompensas delas são bem generosas, então vale a pena o risco.

No final de cada sala pode abrir uma das portas que mostra qual é a recompensa ao finaliza-la, mas as vezes só aparece uma porta e outras vezes é um teletransporte que te transfere pra uma área sem combate.

Em partes do jogo você encontra a lanchonete do Max, que te vende comidas que recuperam sua vida e adicionam bônus no seu personagem, claro que as melhores comidas tem que libera-las primeiro antes de poder comprar.

Ainda na mesma área dele você tem a chance de pegar um bônus e penalidade com o Dado Misterioso. As primeira três vezes que você rolar pra trocar o efeito é gratuito, mas depois são cobrados Rosas (moeda temporária) pra cada mudança.

Nesses pontos da lanchonete, antes de seguir pra a próxima batalha você pode encontrar um desses dois vendedores.

  • Honk: Ele vende equipamentos de raridade no mínimo épica (3º nível);
  • Sophia: Ela vende uns equipamentos de alto risco / alto retorno, sempre tendo um bônus muito bom, mas com uma penalidade que pode atrapalhar bastante (você só encontra esses equipamentos com ela).

Em alguns pontos, geralmente antes do chefe da área, Io aparece e usando Rosas você pode melhorar o Núcleo principal e alterar certas skills de núcleos de técnicas.

No final de cara área você pode recuperar HP com a doutora, melhorar as técnicas principais da sua arma com o Hank e diminuir o nível de alerta com o Rio.
Também é possível comprar um item aleatório que aparece na máquina de vendas e melhorar alguns dos seus núcleos de técnicas, então aproveite essa pausa pra acertar a sua estratégia dentro do que foi encontrado na partida.

Extras

Depois que você finaliza pela primeira vez, libera a próxima dificuldade e assim sucessivamente até a dificuldade 10, aumentando também os ganhos dos itens pra melhorias.

caso esteja com muita dificuldade (ou não queira apanhar tanto), tem uma opção para deixar as coisas mais fáceis, diminuindo o dano recebido e aumentando o dano que seu personagem causa. Também é possível usar a opção de sair do jogo sem perder a partida atual, já ajuda bastante (apesar que uma partida completa da coisa de 1 hora dependendo do nível).

Conquistas

Ainda preciso fechar no nível 10 (só fui até o 3), as das armas e os aleatórios

O jogo pode ser um pouco complicado de fechar, principalmente na reta final dele, mas no geral não é algo extremamente difícil que com um pouco de treino não resolva, mas pra correr atrás de todas as conquistas a história é outra.

A lista segue o padrão de diversos rogue-likes, dependendo bastante de sorte pra encontrar tudo e fechar nos níveis mais difíceis. Entre as mais complicadas temos:

ConquistaDescrição
Resistance VeteranFinalizar o jogo na dificuldade 10.
The PyromaniacEncontra todas as Cores de Fogo.
Ice Cold BabyEncontra todas as Cores de Gelo.
Shock TherapistEncontra todas as Cores de Trovão.
Detective GadgetEncontra todas as ferramentas de apoio.

Conclusão

Blade Assault traz um jogo de ação em plataforma rápido e bem gostoso de jogar, mas tem que gostar também dos elementos de rogue-like nele pra curtir tudo que ele tem a oferecer.

A parte gráfica do jogo usa artes em pixel bem feitas e detalhadas com vários cenários diferentes, mais do que vemos nos rogue-likes normais, além de uma boa variedade de inimigos e efeitos no jogo, aqui capricharam bastante.

As musicas variam entre eletrônico e jazz, mantendo bem o clima do jogo, nada muito agitado, mas ainda são gostosas o suficiente pra manter a ação do jogo junto com a arte dele.

A ação é o ponto forte aqui, dependendo de como você joga, tem como realizar combos extremamente rápidos e devastadores, além de que cada um dos personagens tem seu estilo próprio de jogabilidade, não sendo apenas uma mudança de sprite e status, podendo curtir o jogo de maneiras diferentes.

A história tem uma ideia legal, mas não desenvolve tanto assim e não dão desculpa alguma pra fazer as partidas em dificuldades posteriores, mas pelo menos cada um dos personagens tem interações diferente nos pontos chaves da campanha.

Um comentário