Review / Tutorial de Beautiful Desolation

* Esta análise foi feita com o código cedido pela Untold Tales (versão PS4/PS5)

Distribuidora: Untod Tales
Produtora: THE BROTHERHOOD
Plataforma: PS4 /PS5 / Switch / PC / MacOS / Linux
Mídia: Digital
Ano de Lançamento: 2020/2021

Beautiful Desolation é um jogo de aventura isométrico com elementos de RPG e point-and-click, passado em um distante futuro, em uma realidade alternativa, com forte inspiração na cultura Sul Africana.

O INCIDENTE E O ACIDENTE

África do Sul, 1980.
Mark Leslie está acompanhado de sua esposa, Charlize, durante uma tempestade.
Eles estão no carro, em busca do problemático irmão de Mark (Don Leslie), quando um imenso artefato cai, causando uma onda de choque que capota o carro, matando Charlize no processo.

A fatídica noite onde o casal vai procurar Don Leslie

O artefato, denominado como Penrose, passa a ser estudado e, através de engenharia reversa, novas tecnologias são criadas para benefício da humanidade.
Mark, no entanto, não se conforma com a morte da esposa. Seu espírito jornalístico o impele a investigar Penrose e expor os segredos sobre a origem do artefato e a tecnologia dele derivada. Junto de Don, eles partem para a gigantesca estrutura mas, durante a investigação, são abordados por um cão-robô vigia.

Os irmãos Leslie capturando dados direto de Penrose

UM (LONGO) SALTO TEMPORAL

O cão-robô (Pouch), alerta Mark e Don sobre estarem em uma área proibida.
Enquanto tentam dialogar com Pouch, um estranho fenômeno acontece em Penrose.

Pouch em momento reflexivo.

Os três acordam em um local diferente; mais importante do que onde, é quando.
Eles viajaram no tempo, para algum ponto do futuro distante, MUITO distante.

Don pode reatar os laços com Leslia (ou não) dependendo de suas escolhas

Agora, eles precisam encontrar um jeito de voltar para a sua época, em uma nova realidade, repleta de novas raças.

O MUNDO SEGUIU ADIANTE

O ponto no tempo não é esclarecido, mas claramente o salto temporal foi gigantesco.
Novas raças e religiões se consolidaram, guerras foram travadas, alianças foram forjadas.

O mundo mudou durante todo esse tempo

Pouch, o cão-robô é um Agnate, um tipo de robô que foi construído a partir da tecnologia obtida através do estudo de Penrose.
Os Agnate tornaram-se uma “raça” e deflagraram as Agnate Wars, até serem reduzidos a um pequeno grupo.

Caecus prolongam sua vida unindo-se a drones

Novas formas de vida surgiram, como os Fley: uma raça de vermes que parasitam corpos, tomando conta de suas mentes; os Caecus, uma raça que atinge a “imortalidade” tendo seus crânios integrados a drones (com ambas as mentes coexistindo) e os Moss, uma raça de plantas que ameaça se espalhar se não for contida pela temperatura.

EXPLORANDO NOVAS REGIÕES

A nave Buffalo serve como meio de transporte, permitindo navegar pelos diferentes territórios de uma mesma região, além de transportar-se para novas regiões através dos portais Warden.

Portais Warden permitem a viagem rápida entre regiões

Cada região possui clima e vegetação característicos, sendo necessária a instalação de upgrades na Buffalo, para sobreviver às intempéries.
Estas melhorias são compradas com vendedores, utilizando créditos, obtidos através da “venda” de objetos de ouro encontrados nos cenários.

Artefatos de ouro podem ser convertidos em créditos…
… para comprar itens com os vendedores

Cada território possui um pequeno espaço para a exploração, com possíveis itens escondidos, além de pontos de interesse, com descrições sobre o funcionamento do local ou parte de sua história.
É possível também conversar com alguns dos NPC’s, sempre que houver a indicação sobre eles.

Idiomas diferentes dificultam o diálogo

Este é o ponto de desequilíbrio do jogo, com múltiplas opções de diálogo para os NPC’s falantes, mas sem interação com os demais.
Alguns NPC’s falam línguas não identificadas pelos personagens.

Cenários vastos se beneficiam da visão isométrica

Os cenários possuem algumas limitações na navegação, sendo que o estilo isométrico pode confundir alguns trechos, sobre onde é possível ou não andar.
A navegação com a Buffalo pode ser usada livremente ou guiada por um menu com os territórios da região, através do piloto automático.

POLÍTICA INTERESPAÇOTEMPORAL

Um ponto importante a ser destacado é que Beautiful Desolation não é um jogo focado em combate; as quests são resolvidas através do diálogo e de puzzles.
Em alguns pontos, a natureza mais oldschool de point-and-click aflora, fazendo com que o jogador precise rodar por diversos cenários até descobrir a localização de seu objetivo atual.

Puzzles de lógica ajudam na solução de quests

Invariavelmente, as quests levarão à uma bifurcação de escolha entre dois povos: aqui as decisões pesarão MUITO.
Não há escolhas fáceis em BD, a preferência por ajudar um povo geralmente resultará na aniquilação de outro e nenhuma destas decisões é maniqueísta; o jogo é cinzento em suas escolhas.
No melhor sentido da frase “cada escolha, uma perda”, você terá de lidar com as brutais consequências de suas escolhas, obtendo um resultado muitas vezes amargo, uma “vitória com gosto de derrota”; acredite, eu testei a maior parte das diferentes decisões e o povo vencedor geralmente abusa de seu poder (exatamente como na vida real, não existem heróis).

Escolhas determinam a sobrevivência ou extinção de povos inteiros

Puzzles envolvendo lógica e combinação de itens são frequentes, sendo alguns itens obtidos no começo do jogo úteis próximos ao final, dependendo de como você jogar (há uma certa não-linearidade no avanço de boa parte da trama).

Tokens baseados nos povos encontrados aumentam a variedade de opções de combate

Embora o jogo não possua combate direto, há uma arena disponível, onde Don conecta-se neuralmente, controlando guerreiros holográficos em um “RPG por turnos”.
Diferentes raças de personagens podem ser utilizados na arena, com tokens obtidos ao completar determinadas quests de cada povo.
Neste jogo, os desafiados são os Padres da Tribulação (Priests Of Tribulation), seres que se denominam deuses (e talvez o sejam) e vivem muitas existências, voltando a vida sempre que morrem temporariamente.

A BELEZA DA DESOLAÇÃO

A arte de BD é diferenciada, utilizando conceitos de ficção científica com o estilo africano. Uma combinação exótica e que sai do lugar-comum das ambientações e/ou inspirações comuns nos videogames e na cultura pop.

Eu não sei o que era… mas era grande!

Os cenários se beneficiam da visão isométrica para aumentar a sensação de magnitude.
Florestas, praias, cenários de rocha e lava, áreas geladas, plantações e ferros-velhos e cidades abandonadas de nossa era compõem os diferentes territórios.

Moça, tem algo no seu… rosto???

Os variados povos incluem, plantas falantes, robôs (Agnates), crânios misturados a drones (Caecus), cubos contendo inteligência artificial senciente, entre outros.
Observados à distância pela visão isométrica (que possui cinco níveis de zoom), durante os diálogos, o rosto (ou o equivalente) é destacado em close, mostrando toda a beleza (e a desolação) dos povos existentes nesta realidade.

A trilha sonora é atmosférica e, por vezes, minimalista, composta por ninguém menos que Mick Gordon (sim, o cara que compôs a trilha de Doom 2016).
O jogo possui extensa dublagem (em inglês), com diferentes sotaques e maneirismos de fala para cada povo.

UMA BELA PLATINA

A platina de Beaultiful Desolation não é difícil, embora peça múltiplas runs.
Grande parte dos troféus está relacionada às decisões entre ajudar povos rivais, o que até pode ser feito com ajuda dos saves, mas torna-se mais trabalhoso.

O Trem Vivo, Shongololo

Outros troféus estão relacionados aos múltiplos finais, o que depende de múltiplas escolhas durante a run (por isto o uso de saves para diferentes escolhas não é recomendado), entreter Shongololo (o último Trem Vivo, mistura entre parte orgânica e tecnológica) e demais troféus relacionados à trama.

RESUMO DA ÓPERA:
Beautiful Desolation é uma experiência ímpar, com um riquíssimo lore (bate de frente com Mass Effect), personagens interessantes e um mundo de ficção científica combinando tecnologia, um futuro muito avançado, novas raças e suas religiões, além da inspiração artística na arte africana.

Cenários amplos e detalhados

Navegar pelos cenários e entender onde localizar novos objetivos pode ser uma tarefa árdua, compensada pelo roteiro inteligente e um sentimento de descoberta a cada novo povo e região.

Elementos africanos compõem cenários e personagens

O estilo isométrico afastado cria cenários vastos e complexos, com variedades de biomas, mas os personagens são focados durante os diálogos, extensos e bem escritos.

Máquinas religiosas, adorando suas próprias divindades

Uma aventura incrível, diferente do que estamos habituados (mesmo para a ficção científica), Beautiful Desolation é uma incrível obra jogável.
A falta de combate (com exceção da Arena) pode soar estranha para muitos jogadores, mas a trama instiga a não largar o controle até conseguir retornar ao antigo mundo, tendo passado por civilizações únicas e um curioso plot twist final.