Review / Tutorial: Clockwork Aquario

Os personagens jogáveis do jogo

Ola, aqui é o Pena e hoje vamos com um jogo de arcade em plataforma que foi resgatado a pouco tempo, o Clockwork Aquario.

O jogo foi originalmente produzido pela Westone Bit Entertainment, que fez a série “Wonder Boy” (você encontra review do remake do 4º jogo aqui), enquanto a publicação dele ficou a cargo da ININ Games, que já fizemos diversos reviews deles, você encontra eles aqui.

O jogo originalmente sairia para arcades lá pra 1992, mas acabou sendo cancelado devido as mudanças de mercado de arcades. Depois de vários anos resgataram o código fonte e em conjunto com a Ratalaika finalmente recebeu uma versão completa do jogo, saindo no momento para PlayStation 4 e NIntendo Switch.

Review feito em base da versão pra PS4
(Código cedido pela ININ Games)

Titulo: Clockwork Aquario
Produtora: Westone Bit Entertainment
Distribuidora: ININ Games
Gênero: Plataforma / Aventura / Co-Op / Arcade
Plataformas: PlayStation 4 e Nintendo Switch
Mídia: Físico e Digital
Textos: Inglês, Francês, Espanhol, Italiano, Alemão e Japonês
Jogadores: 1 ou 2 jogadores

Com inglês incluso
Com inglês incluso

História

O mundo está sofrendo diversos ataques misteriosos de seres aquáticos e tudo isso aponta para a aparição do Dr. Hangyo que está expandindo seu reino submarino e vai tentar dominar o mundo.

Agora depende dos nossos três heróis invadir a base do homem-peixe e impedir os seus planos, tudo isso com um bom humor.

Gráficos

O jogo é todo em pixel art, puxados para um estilo mais infantil, bem engraçado e cheio de detalhes, até quando os personagens tomam dano eles ficam diferentes, com gesso na perna o todos queimados hahahaha.

Pra um jogo curto, até que tem uma boa variedade de inimigos, não repetindo eles entre os cenários, isso é um grande ponto positivo pra ele.

Você também tem 3 formas de visualização do jogo:

  • Original: Aqui a imagem do jogo fica num quadrado no meio da tela com barras pretas nos lados e em cima dele (não é muito pequeno, mas não enche toda a tela);
  • Tela cheia: O quadrado da imagem fica completa na altura do monitor / TV, mas ainda temos as barras pretas do lado (esse é o padrão e o que foi utilizado no review);
  • Esticado: Nesse a imagem fica esticada e distorcida, mas preenche todo o monitor / Tv.

Por ultimo, tem como ativar filtros pra simular uma imagem de CTR pra aqueles que preferem gráficos em pixel art nesse tipo de monitor.

Áudio

As musicas do jogo são todas em chiptunes, bem agitadas e alegres pra manter a ação do jogo e o clima mais infantil ele, mas são bem gostosas de escutar. Os efeitos sonoros são legais, apesar da pequena variedade deles.

Infelizmente não achei a OST do jogo no Spotify, mas achei uma playlist no Youtube, então vou deixar ela aqui pra você curtir enquanto termina de ler o review.

Jogabilidade

Antes de iniciar a partida você precisa escolher qual nível de dificuldade ira jogar, tendo 4 níveis:

  • Training Mode: Tem créditos ilimitados, mas não é possível avançar além de 2º estágio;
  • Easy Mode: Tem 9 créditos pra finalizar o jogo;
  • Normal Mode: Tem 5 créditos pra finalizar o jogo;
  • Hard Mode: Tem 3 créditos pra finalizar o jogo;

Depois você escolhe qual dos três personagens vai jogar. Enquanto eles não tem nenhuma técnica específica, o tamanho deles faz diferença durante a jogada, dai vai da preferência do jogador pegar um maior que tem mais chance de receber dano mas um maior alcance ou um personagem menor..

A jogabilidade dele é bem simples, você pode derrotar os inimigos batendo neles, usando um inimigo ou objeto pra arremessar contra os adversários, pular na cabeça e acertar uma cabeçada por baixo do inimigo. Com exceção do arremesso, os ataques deixam o inimigo atordoado primeiro pra só num segundo ataque derrota-lo.

Como todo bom jogo de arcade, boa parte do foco do jogo está em conseguir pontos. Nesse você consegue pontos ao derrotar inimigos, pegar joias que eles deixam cair e estourar esses balões, tanto pulando neles como jogando inimigos. Alcançando certos placares e pegando joias você carrega o escrito de “ONE UP” e assim que ele enche por completo, você ganha uma vida.

Quando você recebe 2 ataques sem se recuperar o personagem morre e volta como um anjo, aonde você pode se posicionar pra continuar o estágio. Se perder todas as vidas e der continue, você pode trocar de personagem no meio da partida.

Se você pegar essa estrela, além do personagem ficar invencível por uns segundos, os seus ataques soltam estrelas que causam grande dano e tem um alcance enorme, aproveite bem ela.

Cada estágio tem um sub-chefe e um chefe que você precisa derrotar pra avançar. Esses você precisa acertar mais vezes pra derrota-los, sendo que os chefes tem até uma marcação de energia dele.

Extra

Ao terminar o terceiro estágio do jogo libera o acesso ao mini-game, mas pra joga-lo precisa de 2 jogadores, então infelizmente não tive como testa-lo.

Também libera o modo arcade, que funciona basicamente que nem o jogo normal, mas ali você pode mexer na parte de testes como se estivesse numa máquina de arcade mesmo e colocar moedas virtuais, o que facilita bastante pra fechar mais vezes o jogo.

Desde o começo você também já tem acesso a galeria de artes dele, com vários trabalhos pra quem curte ver isso e também tem o soundtest pra curtir as musicas a hora que quiser.

Troféus

Demorei um pouco mas consegui fazer todos os troféus

O jogo é um pouco difícil de primeira, mas depois que você se acostuma com ele fica mais tranquilo, mas fazer todos os troféus dele vai exigir um pouco de treino, já que conseguir os balões pra cada troféu requer decorar cada ponto e ser rápido pra estoura-los. Entre os mais difíceis temos:

ConquistaDescrição
The one who hates balloonsEstourar 55 balões no estágio 5
Gem hoarderConseguir 40 joias numa partida

PS: Alguns troféus, como o de finalizar com a Elle estão com falha, precisando fazer mais de uma vez pra ativa-lo (precisei fechar 2 vezes com ela pra conseguir).

Conclusão

Clockwork Aquario traz um jogo de arcade nos moldes antigos com um desafio razoável sem ser injusto e bem divertido.

Os gráficos são bem coloridos e puxados para o estilo mais infantil e alegre, mas são bem detalhados e ficaram muito legais, tem uns inimigos bem engraçados nele.

As musicas são bem agitadas do começo ao fim pra manter a ação do jogo e as de chefes ficaram bem legais, quem curte chiptunes vai curtir elas.

A jogabilidade dele é boa e não é travada, mas precisa se acostumar com as distâncias de ataque dos personagens pois eles morrem fácil e ai que fica o grande desafio do jogo, conseguir se acostumar com isso, mas depois que passa esse período, não é difícil fechar o jogo.

Único detalhe dele é que, como a maioria dos jogos de arcade, é bem curto, dando pra fechar em coisa de 30 minutos ou menos, mas ainda assim é bem gostoso de repetir o jogo, principalmente se você vai atrás dos trofeus deles.