Review / Tutorial: Steel Assault (Atualizado com informações da OST Gratuita)

Olá, aqui é o Pena e hoje vamos fugir dos RPGs pra apanhar um pouco num jogo de ação no melhor estilo retro, o Steel Assault.

O jogo foi produzido pela Zenovia Interactive, sendo o jogo de estreia deles, enquanto a publicação ficou a cargo da Tribute Games, sendo o primeiro trabalho deles nesse ramo, mas eles já lançaram alguns jogos, tais como o Panzer Paladin e o Mercenary Kings (e está em produção Tartarugas Ninjas que notificamos aqui).

Esse jogo saiu a partir de um projeto na Kickstarter (link do projeto aqui) e desde a ideia inicial que tinham pro jogo até o produto final houve uma melhora absurda, trocando o estilo de arte de 8bit pra 16bits, entre outros detalhes.

Atualização (25/11/2021): Em 24/11/2021 o jogo recebeu uma atualização de rebalanceamento do jogo, como também liberaram gratuitamente a OST dele na Steam, você encontra ela aqui.

Review feito em base da versão pra PC
(código cedido pela Tribute Games)

Titulo: Steel Assault
Produtora: Zenovia Interactive
Distribuidora: Tribute Games
Gênero: Ação / Plataforma
Plataformas: Nintendo Switch e PC (Steam)
Mídia: Digital
Textos: Português, Inglês, Espanhol, Italiano, Francês, Alemão, Japonês e Chinês

História

A história do jogo ocorre num futuro aonde os Estados Unidos caiu depois de diversas revoltas, tornando várias partes do país dominadas por rebeldes utilizando equipamentos com tecnologia bem avançadas.

Entre esse pessoal que está dominando o país temos o General Magnus Pierce, que lançou um ataque em massa pra dominar toda a região, isso com a ajuda dos seus outros 5 parceiros.

Nesse contexto controlamos Taro Takahashi, um soldado usando uma roupa cibernética com tecnologia de ponta, preparado pra fazer de tudo pra derrotar Magnus, mas não por motivos nobres, mas sim por vingança, já que ele é o responsável pela morte do seus pais.

Gráficos

O jogo utiliza gráficos em pixel art no estilo de 16bits e pra manter ainda mais o estilo retro dele, optaram por deixar o formato da tela no mesmo estilo dos jogos anteriores, tendo até mesmo um efeito de TV CRT.

Atenção: Pra a primeira imagem dessa parte de gráficos eu deixei no modo normal, mas pras as outras imagens eu tirei as barras laterais pra melhor visualização do post. Durante a partida você pode deixar uma arte nas duas laterais caso não queria ver a barra preta dos lados.

As artes do jogo ficaram muito caprichadas, tem diversos detalhes nos cenários, entre os propagandas, placas, além de claro os sprites do Taro e dos inimigos, quem curte esse estilo de arte vai adorar ver o trabalho feito aqui.

Áudio

Olha, as musicas dos chefes ficam excelentes

Olha, acertaram em cheio a trilha sonora desse jogo, fizeram uma mistura de rock com eletrônico aqui que é uma paulada do começo ao fim, da uma empolgação durante toda a partida, combinou direitinho com o estilo do jogo.

Os efeitos especiais dos ataques também ficaram bem legais, mas infelizmente não temos nenhuma dublagem no jogo. Já era algo de se esperar, não atrapalha em nada a diversão, mas é sempre bom avisar.

Como não encontrei a OST do jogo no Spotify, segue pelo menos uma das músicas do jogo postada no Youtube por um dos compositores só pra você entender o nível da paulada.

Jogabilidade

“Boa Sorte!”, é, vai precisar mesmo ahahahah

Antes de iniciar a campanha, é bem recomendável fazer o tutorial dos comandos do jogo, apesar de ter poucos comandos, se não entender direito como funciona, principalmente o uso da tirolesa, vai te impedir de fecha-lo.

Se você estiver no PC, pode deixar a interface do jeito que preferir

Você também pode trocar os comandos do jogo pra deixar do jeito que preferir, agiliza pra se acostumar com as mecânicas dele.

Nessa eu deixei com a arte de borda pra entender como fica

Na hora de ir pra a campanha, você pode escolher uma das quatro dificuldades, não tenha vergonha e escolha o que preferir. Eu fui pelo Normal e apanhei um pouco até pegar o ritmo.

Os ataques são feitos usando um chicote elétrico, tendo um alcance razoável e ainda consegue destruir tiros que não estejam brilhando, então usar isso ao sei favor vai ajudar muito.

A caixa perto do inimigo pode conter power ups ou energia, então sempre vale a pena forçar um pouco pra pega-los, ajuda bastante na partida.

Qualquer power up de ataque depende daquela barra perto da vida, mas conforme você derrota os inimigos prolonga a sua utilização.

Você também pode usar a rasteira pra desviar dos ataques e tiros, ela te deixa invencível por alguns momentos, algo que você precisa pra diversos combates. Só que o uso dele não é ilimitado, precisa aguardar a barra debaixo da energia carregar pra usa-lo novamente.

Taro também já inicia o jogo com Pulo Duplo, então já sabe que isso será utilizado durante vários pontos da campanha.

Só que o Pulo Duplo nesse jogo não resolve tudo, então entra em ação a tirolesa. Essa corda pode ser presa em dois terrenos nas 8 direções e você usa ela com uma grande frequência, principalmente em chefes, então aprender o seu uso é essencial pra fechar o jogo.

Ela tem uma distância entre os 2 pontos pequena e assim que você pular da corda, ela se desprende, dai que entra um pouco da estratégia e habilidade no seu uso.

E também tem pontos que você encontra essa metralhadora pra encher os inimigos de chumbo. Só fica esperto que como você fica imóvel ao usar ele, os inimigos vão te atacar, mas tem como pular da metralhadora pra fugir dos ataques também.

Você só tem uma vida, se prepara

Caso morra (algo que vai acontecer com certa frequência dependendo da sua habilidade), você pode continuar infinitamente, mas inicia no check point, não aonde você morreu. Toda vez que chega num check point, você recupera toda a energia também (geralmente esses pontos são troca de cenários).

O aviso ai não é brincadeira!!!!!

Agora caso você achou muito fácil com continues infinitos, pode tentar o modo Arcade, aqui você só tem uma vida pra fechar o jogo todo. Se morrer, volta pro começo do primeiro capitulo.

Extras

Conforme você finaliza nas diferentes dificuldades, libera artes extras para as bordas. Mas fora isso não libera coisa extra, já que o modo Arcade já está liberado desde o inicio.

Conquistas

É, esquece, o jogo é bom, mas não tenho habilidade pra fechar ele sem morrer XD

Enquanto fechar o jogo não é a coisa mais impossível de se fazer (isso no normal, pode tentar nos mais fáceis pra se acostumar), completar a lista de conquistas dele já é outra história completamente diferente, pra isso sim vai precisar de bastante treino pra fazer tudo. Entre os mais difíceis temos:

ConquistaDescrição
Resistance DemigodFechar na dificuldade Difícil
1CCFechar no Modo Arcade
Enter The NinjaCompletar um estágio sem tomar dano (dificuldade Normal ou superior)
No Need for Tactical SupportCompletar um estágio sem pegar power ups

Conclusão

Steel Assault traz um jogo frenético de ação em plataforma no melhor estilo retro, que vai agradar tanto o publico mais velho como o mais novo que gosta desse estilo de jogo.

A arte em pixel ficou excelente, os cenários são muito bem desenhados e cheios de detalhes, além de claro os sprites do jogo no geral, capricharam bem nele.

As musicas dão um show a parte, é uma paulada misturando rock com eletrônico que mantém a empolgação durante toda a partida, escolheram a dedo nesse.

A jogabilidade é bem no estilo antigo, lembra bem o Contra, mas aqui tem um pouco mais de estratégia envolvida por causa do uso da tirolesa (a corda usada pra escalar). Demora um pouco pra pegar o jeito nela, principalmente durante a ação e nas batalhas de chefes, mas também não é nada que seja impossível de aprender, basta ter um pouco de paciência.

Única coisa que posso dizer que desagrada um pouco é o tempo de jogo, mesmo morrendo enquanto aprende como jogar, leva coisa de 1 hora pra fechar (mesmo tendo uma “incrível habilidade” que nem a minha hahaha), isso no normal, mas como nos jogos mais antigos, sempre tem o fator replay pros modos mais difíceis, como no Difícil e no Arcade, esse ultimo sim vai segurar os mais habilidosos.