Review / Tutorial: Astria Ascending

Olá, aqui é o Pena e hoje vamos com um RPG de turno que puxa diversas inspirações de clássicos de RPG, o Astria Ascending.

O jogo foi produzido pela Artisan Studios, mesma produtora do jogo Neptunia RPG, enquanto a publicação dele foi pela Dear Villagers, que já fizemos review do ScourgeBringer.

Enquanto o jogo tem as suas próprias caracteristicas, caso você já esteja acostumado com o gênero e jogue a bastante tempo, provavelmente vai reconhecer as diversas inspirações nas mecânicas, entre eles:

  • Valkyrie Profile (exploração)
  • Final Fantasy IX (mini game J-STER)
  • Final Fantasy XII (estruturas de convocações e profissões baseadas no Zodíaco);
Review feito em base da versão pra PS4
(código cedido pela Dear Villagers)

Titulo: Astria Ascending
Produtora: Artisan Studios
Distribuidora: Dear Villagers
Gênero: RPG por truno
Plataformas: PlayStation 4, Nintendo Switch, Xbox One e PC (Steam, Epic Games e GOG)
Mídia: Física e Digital
Textos: Inglês, Francês, Espanhol, Alemão, Japonês, Chinês Tradicional e Simplificado.
Dublagem: Inglês e Japonês

História

O jogo se passa em Orcanon, um mundo aonde raças diversas vivem em conjunto, tendo a cidade central de Harmonia como o local de convívio comum entre elas. Pra manter essa união, a deusa Yuno comanda os guerreiros conhecidos como Semi-Deuses, pessoas normais das diversas raças que ganham poderes dos Árbitros do Zodíaco para defender o mundo.

Mas claro que nenhum poder é recebido sem nenhum preço a pagar e no caso deles é a sentença de morte de 3 anos após receberem o poder. Com isso, muitos dos cidadãos vivem com medo de serem escolhidos para tal tarefa, enquanto outros se dedicam ao máximo pra serem escolhidos.
Na campanha do jogo controlamos o 333º batalhão de Semi-Deuses comandados por Ulan, isso a poucos meses da Ascensão, quando termina o seu tempo de vida. Mas nesse pouco tempo de vida deles que começam ocorrer os maiores perigos deles e cabem a esse batalhão desvendar o que ocorre antes do período final deles.

Gráficos

O jogo traz gráficos com uma arte muito bonita e cheia de detalhes durante exploração e ataques nas batalhas, deram uma boa caprichada neles.

Mesmo usando um estilo que lembra bastante os jogos antigos em Flash (aonde você consegue ver as junções dos personagens), aqui a arte ajudou bastante em esconder esses detalhes e nesse os movimentos estão mais fluidos ao comparar ao Neptunia RPG.

Áudio

As musicas do jogo ficaram boas, mantém bem o tema fantasioso dele e das suas regiões e conforme você avança na campanha, as musicas de batalha também variam. Eu destaco a segunda musica de batalha normal e a do ultimo chefe entre as melhores, essas realmente agradaram bastante.

Infelizmente a OST não está disponível no Spotify e a lista que eu encontrei no Youtube mostra spoilers de alguns pontos do jogo, então deixei só o segundo tema de batalha pra você ter uma ideia do que te espera.

O jogo tem dublagem em inglês e em Japonês e caso prefira a versão nipônica, aproveita que a dublagem ficou muito boa. Entre eles temos:

  • Eriko Matsui: dubladora da Ulan, fez a Mia Cyrus do Magical Girl Spec Ops Asuka e a Edstrom do Overlord;
  • Ryunosuke Watanuki: Dublador do Dagmar, fez o Ashimaru do Boruto e o Sudo do Gleipnir;
  • Kaoru Sakura: Dubladora da Kress, fez a Natsumo no 13 Sentinels: Aegis Rim e a Witch na série de jogos Puyo Puyo (desde 2011);
  • Shunichi Toki: Dublador do Alek, fez o Kento Amasawa no jogo Lost Jugdment e o Kazutora do Tokyo Revengers.

Jogabilidade

Como é um RPG, já da pra saber que tem bastante configurações pra fazer no jogo, então vamos por parte que tem bastante coisa pra mostrar.

Nem tudo está liberado desde o começo

O menu é um pouco mais direto aqui, conforme navega nas opções, ele já mostra a primeira parte de cada opção.

Na opção Party você monta o seu grupo de batalha, sendo os quatro primeiros os iniciais dos combates. Aqui também você já tem um geral da profissão base de cada personagem (o símbolo grande) e quais outras profissões ele já aprendeu.

Detalhe que desde o início do jogo você já tem os 8 personagens jogáveis, dai cabe a você usa-los bem conforme a necessidade das batalhas.

Na opção Items é o básico de todo RPG, você tem acesso aos itens consumíveis e verificar o geral de cada equipamento e itens chaves do seu inventário.

Na opção Equipment é aonde você equipa seus personagens. Os equipamentos utilizáveis variam conforme a profissão e enquanto você escolhe uma das peças, lá no canto inferior direito mostra quais personagens podem usa-lo.

Cada personagem tem acesso a três profissões extras

Na opção Ascension Tree é aonde você escolhe as profissões dos seus personagem, O acesso a ela é liberado conforme avança na campanha com uso de itens pra cada tipo de categoria. Como aqui eles seguiram uma linha um pouco diferente pra isso, é bom explicar melhor cada categoria:

  • Base: Única pra cada personagem, é a inicial deles do jogo. As técnicas e melhorias aqui são carregadas quando for selecionado a profissão principal e ainda é possível melhora-la;
  • Main: Vira a profissão dominante do personagem quando escolhida, sendo essa que determina os equipamentos que ele pode usar a partir desse ponto;
  • Sub: Personagem tem acesso a todas as técnicas ativas e de suporte da profissão, mas não aos equipamentos;
  • Support: Personagem tem acesso somente as técnicas de suporte da profissão.

Você não tem obrigação alguma de escolher uma nova profissão pros personagens, mas é sempre bom usa-las para aumentar o sue leque de estratégia. Mas é bom deixar claro aqui, toda e qualquer seleção de profissão aqui é permanente, não podendo trocar depois de feita, então escolha bem como pretende montar o seu grupo.

Ainda dentro dessa área, você tem acesso a configuração de cada profissão liberada pro personagem e liberar novas técnicas e melhorias de atributos gastando o SP ganho nas batalhas.

Mesmo personagens que tem acesso as profissões iguais, como por exemplo o Dagmar e a Ulan, que podem aprender a de Mago Negro, as habilidades liberadas pra eles tem algumas pequenas variações também.

Um detalhe aqui é para o pontos de melhoria de caracteristicas dos personagens. Você pode libera-las a partir do momento que ela é a próxima na linha, mas pra ativa-la precisa usar um Stat Orb. Cada ponto desses tem de 2 a 4 opções de caracteristicas pra melhorar e você só pode escolher uma, mas aqui não é permanente, bastante destruir a Stat Orb usada e aplicando uma nova, assim da pra refazer essa parte da montagem do personagem.

Na opção Abilities temos acesso a lista de todas as técnicas já aprendidas pelo personagem, assim da pra ter uma base de estratégias que você pode montar.

Outro ponto importante aqui são as habilidade de suporte, que acrescentam vários bônus pro personagem. Você libera mais espaços nas árvores de técnicas das profissões.

Na opção de Quests temos uma lista das missões paralelas liberadas até o momento e o próximo objetivo delas, além da recompensa dela.

Na opção Hunts mostra quais monstros especiais você já aceitou e o local geral que estão localizados, isso ajuda bastante nas caças.

Na opção J-Ster temos uma lista com todas as peças do mini-game J-Ster já adquiridas, podendo ver as artes e as suas características. O bom que elas ficam enumeradas e caso não tenha a de um número específico, ele fica vazio, facilitando saber quais faltam.

Na opção Fedoran tem como equipar alguns dos equipamentos no seu felino voador pra ajudar durante as fases de Shumps. Sobre esses estágios eu comento posteriormente.

Na opção Status é pra ter uma visualização geral dos seus personagens, mostrando equipamentos, profissões e outros pontos deles.

A opção Jornal é uma enciclopédia gigante do jogo, mostrando praticamente tudo que já foi liberado na sua campanha, como equipamentos e caracteristicas dos monstros.

Um dos pontos interessantes aqui é a aba de “Achievements“, que tem uma coleção de diversos desafios internos (não tem recompensas por conclui-las, mas várias delas são relacionadas a conquistas das plataformas que utilizam esse tipo de sistema).

Na opção Settings você altera as configurações do jogo, podendo alterar língua e dificuldade dele. Algo interessante aqui é que você pode mexer em várias opções que facilitam bem a vida do jogador, como todos os personagens receber experiência igual mesmo que não tenha participado da batalha, já ativar a opção de mostrar as fraquezas dos inimigos ao tentar usar um ataque neles e por ai vai, assim você pode modificar a experiência do jogo pro seu gosto.

Já no Save / Load é a parte básica de salvar o jogo, você pode fazer isso em qualquer ponto do jogo, além do save automático dele.

Cidades

Nas cidades você tem liberdade de explorar vários pontos dela e conversar com os NPC e lojistas de cada cidade. Qualquer personagem que tem uma exclamação em cima dele indica que tem uma missão paralela disponível.

Nas lojas eles dividiram entre loja de itens e equipamentos. Enquanto na de itens não foge do normal, a de equipamentos permite ver o que cada um deles afetará o personagem ali mesmo, não precisando memorizar os status deles e comparar no menu do jogo.

Já nas guildas que você encontra as solicitações de caças que aparecem no menu Hunt e é só depois de aceita-las que os monstros especiais aparecem.

Temos também um Coliseu com desafios extras pros jogadores que gostam de arriscar certas batalhas. Aqui são sequencias diretas sem pausa entre as batalhas e algumas tem regras especificas, como não usar itens ou magias.

Vários personagens nas cidade podem ser desafiados para uma partida de J-Ster, bastando apertar o botão indicado neles. As regras e outros detalhes do mini-game eu explico no momento apropriado.

No Coliseu também tem uma área pros desafios de J-Ster, sendo partidas consecutivas que nem as batalhas ali.

Qualquer ponto de viagem rápida que você tenha liberado fica acessível pelo mapa mundial do jogo, assim fica fácil a navegação nele.

Exploração

A exploração do jogo dentro das dungeons usa o mesmo estilo do Valkyrie Profile e do Neptunia RPG, aonde você controla a Ulan e pode pular em diversas plataformas pra alcançar os objetivos.

Também todos os inimigos, com exceção dos especiais de caça, aparecem na forma dessas bolhas. Depois que encontra o Anel do Zodiaco, acertar eles com o poder do anel paraliza o inimigo, podendo pular ele pra evitar a batalha ou atacar eles com a lança da Ulan pra iniciarr a batalha e ter uma maior chance de ter a iniciativa na batalha.

Além do Anel do Zodíaco, durante a campanha você encontrará outros anéis elementais, podendo queimar barreiras ou criar uma plataforma pra alcançar lugares mais altos, além de outros poderes desbloqueados na aventura.

arraste pra ver a diferença

Uma coisa interessante aqui é que durante a exploração o clima dos locais varia, tendo chuvas, tempestade de areia e outros. Isso muda tanto o visual do local como os inimigos que você encontra durante as batalhas. Caso esteja num lugar fechado que não mostre direito o clima, no menu tem uma parte que mostra o clima no momento.

O mapa do jogo atrapalha um pouco a navegação, já que além de não ser exato nos posicionamentos de entradas e saídas, as linhas que interligam as diversas salas cruzam diversas vezes atrapalhando a visualização.

Batalhas

As batalhas são por turno, seguindo sequencia do mais ágil para o mais lerdo. Até o ataque normal aqui tem utilidade, já que os inimigos podem ser fracos a ataques físicos.

Você pode usar a técnica de scan para ver as características do inimigo, mas caso prefira, pode deixar ativado a opção no jogo que mostra como o ataque afeta o inimigo (vai da preferência do jogador).

Ao atacar as fraquezas dos inimigos, seu time recebe FPs, usado pra aumentar o poder do seu ataque. Quantos pontos você tem mostra no topo direito. Cada ponto aumenta o poder em 50% e é possível chegar a 200% (alguns poucos ataques não permitem o uso de FP).

Só cuidado que os inimigos também tem acesso a esse sistema e se você atacar uma resistência deles, PERDE FP, podendo ficar com o contador negativo.

Outro detalhe é que existe o comando “Focus”, que carrega temporariamente 1 FP, mas essa carga temporária é perdida quando chegar novamente o turno do personagem que usou, então se usa-la, já prepare outro personagem pra atacar com mais força.

Algo EXCELENTE nesse jogo é que você pode trocar entre os seus personagens dentro da batalha. Assim que escolher a opção, você pode trocar qualquer um do time, não apenas o que entrou o comando, mas claro que ao aceitar a troca, acaba o turno e o pessoal que entra só ataca no próximo ciclo de ataques.

Conforme avança na campanha também libera o “Cosmo Break”, que são ataques especiais de convocação que cada personagem tem. Pra carregar a barra varia pra cada classe de personagem, assim guerreiros carregam a barra atacando fisicamente, enquanto curandeiros ao usar cura e por ai vai. As novas profissões de cada personagem também tem alguns Cosmo Break novos.

Enquanto o Cosmo Break é “apenas” um ataque especial, Alasia tem um destaque aqui, sendo a única convocadora do grupo. Como tal, ela pode convocar seres que você libera na campanha e que tomam o lugar do seu time no combate.

Pra convoca-los, Alisia usa um pouco do seu HP, mas só é possível isso caso tenha FP, já que os ataques especiais deles usam FP invés de MP. As convocações continuam no campo até:

  • Perder todo o HP;
  • FP chegar a zero;
  • Dar o comando de retirada deles.

Mini-Games

O jogo tem dois mini-games, o J-Ster, que lembra um pouco o jogo de cartas do Final Fantasy IX e os estágios de Shumps com o Fedorah.

J-Ster

O mini-game J-Ster é jogável com vários NPCs do mundo, sendo que alguns liberam a partida conforme avança na campanha. Cada NPC usa regras diferentes tanto pra como a partida funciona, tal como o modo de receber / perder as peças (tokens) ao ganhar / perder a partida. Isso monstra quando você decide iniciar a partida com o NPC, que mostra todas as regras e qual nível de dificuldade dele (indo de 1 a 5 estrelas).

Segue as regras básicas que podem aparecer numa partida:

  • Open: Com essa regra, você consegue ver quais peças o oponente tem;
  • Hidden: Essa é oposta ao “Open”, deixando as peças adversárias viradas;
  • Random: As suas peças são escolhidas aleatoriamente (“FF8 feelings” aqui e não tem como extinguir da existência nenhuma regra nesse jogo);
  • Lock: Não é possível mudar a posição das caracteristicas das peças;
  • Preemptive Strike: O oponente sempre ataca primeiro.
Infelizmente, mesmo tendo jogado mais de 200 partidas, ainda não entendi o verdadeiro critério de vitória do combate inicial…

Pra todas as partidas são usadas 5 peças pra cada participante (se a regra Random estiver ativa, você não pode escolher nada). Assim que inicia a partida, é escolhida aleatoriamente 1 peça de cada lado e somente uma ganha, sendo ela jogada no meio do tabuleiro e dando inicio a partida (que perdeu essa batalha inicial pode jogar)

Os valores só são alterados DEPOIS que a peça está no campo

Um vez que a peça está no campo, entra em ação as caracteristicas de delas em conjunto com o poder dela (marcada pelo número junto a imagem). Os

  • ♦ (Neutro): Mantem o valor pra aquele lado da peça (no exemplo da imagem, mantém o valor 3);
  • W (Weak): Subtrai dois pontos do valor base da peça pra esse lado (no exemplo da imagem, 3-2 = 1);
  • R (Resist): Soma dois pontos do valor base da peça pra esse lado (no exemplo da imagem, 3+2 = 5);
  • N (Nullify): Esse lado da peça impede dela ser virada;
  • A (Absorb): Caso uma peça ataque esse lado, a atacante que será virada.
Peças Vermelhas são as suas e as Roxas do adversário

Antes de jogar a pela, você pode rotacionar as caracteristicas dela pra a sua vantagem, a não ser que a regra “LOCK” esteja ativa, dai não tem essa opção.

O objetivo do jogo é ter a maior quantidade de peças na sua cor até o tabuleiro ser completamente preenchido. Pra isso, você tem que virar as peças adversárias em base do poder da sua peça. Só um detalhe, quando você coloca a peça no tabuleiro durante o ataque, as caracteristicas dos lados NÃO AFETAM o poder da peça, então no exemplo da gif, todos os lados da pela valem 2 quando ela é utilizada.

No final da partida, o vencedor recebe peças conforme as regras estipuladas pelo adversário:

  • All: todas as peças do perdedor que entraram na partida vão para o vencedor;
  • One: O vencedor pode escolher uma peça das usadas pelo perdedor;
  • Flip: O vencedor recebe apenas as peças do adversário que ele conseguiu deixar virada ao seu favor no final da partida;
  • Pratice: Usada no tutorial e em algumas partidas especiais, não há perda de peças pra nenhum dos dois lados.

Estágios Shumps

Em alguns pontos do jogo temos acesso ao mini-game de voo do Fedorah, que é um shumps bem simples, precisando atirar nos inimigos enquanto desvia dos deles.
Um ponto interessante aqui é que você utiliza os anéis mágicos para atirar e os inimigos tem as fraquezas e resistências usadas em combate, então precisa ser rápido na escolha dos tiros.

Extras

Depois que você derrota o ultimo chefe, antes de ativar a sequencia de créditos, você pode retornar pra antes do ponto de sem retorno do jogo (o jogo avisa quando isso ocorre), podendo realizar missões e caças que não foram finalizadas, além de novas que só aparecem depois desse ponto. Só que não é possível refazer a dungeon final, então faça tudo que precisar nela antes de finalizar essa parte.

Infelizmente o jogo não possui um sistema de New Game +, então fica o ponto pra aproveitar o pós-game mesmo.

Conquistas

Espero que quando consertarem os bugs liberem os troféus das coisas que eu já fiz…

Depois que você se acostuma e acerta a sua estratégia, o jogo não é muito complicado (claro, dependendo também do que você deixou habilitado pra a sua partida), mas fazer 100% na lista de conquistas dele da um bom trabalho e consome um tempo considerável. Entre as mais complicadas temos:

ConquistaDescrição
Hunter For HireCompletar todas as caças
Arena ChampionCompletar todos os desafios da Arena
Ultimate CollectorColetar todas as peças de J-Ster
Dutiful Demi-godCompletar todas as missões paralelas

Importante: Infelizmente devido a uma série de bugs o jogo, até o momento não é possível completar a lista conquistas, principalmente por bugs em algumas missões paralelas que afetam as demais conquistas (sem contar as conquista “Star-Crossed Lovers” e “The World After” que mesmo depois de fazer o necessário não desbloqueiam).

Conclusão

Astria Ascending traz um bom jogo de RPG por turnos que mesmo que a história não tenha um impacto tão grande, ainda é gosto de jogar, principalmente pelas mecânicas de profissão dele, mas que infelizmente devido a diversos bugs no jogo (dos mais inofensivos até um que pode impedir a sua progressão no jogo) apaga um pouco o seu brilho.

O gráfico, mesmo que lembra um pouco os esquema de jogos de flash antigos, consegue esconder essa impressão conforme você progride na campanha, já que tanto os personagens como cenários tem uma arte geral muito boa.

As musicas são razoáveis, no geral matem bem o clima necessário pro ema fantasioso dele, mas as de batalhas, principalmente a da batalha final, ficaram muito bem feitas.

O esquema de batalha ficou boa, progrediram bem em comparação ao Neptunia RPG, os movimentos dos ataques e especiais já não são tão travados ali, ainda mais com toda a estratégia do uso de FP e combos das profissões, da pra fazer uma batalhas excelentes.

Bugs

Terminei o jogo devendo 17 MILHÕES de horas

Enquanto eu realmente gostei do jogo, ele precisa de uma bela polida pra acertar diversos bugs encontrados no jogo. Não vou listar tudo em todos os detalhes, isso nós passamos pra eles, mas segue alguns que valem a pena mencionar:

  • Algumas conquistas internas do jogo (no menu Jornal / Achievements) estão com falhas, podendo liberar sem concluir o que realmente precisava fazer, demorar cerca de 4~5 batalhas pra liberar ou simplesmente não liberar mesmo depois de completar o requisito (e duas dessas conquistas são relacionadas a conquistas de sistema);
  • Por algum motivo, depois de retornar a seção de jogo que estava no stand by, o meu contador de tempo ficou em negativo, contabilizando mais de 17 milhões de horas negativas;
  • Cerca de 5 missões paralelas estão com uma falha de loop, aonde ao terminar uma das batalhas relacionadas, o jogo reinicia a mesma batalha infinitamente.

Essa ultima é um pouco preocupante. Enquanto a maioria das missões paralelas não impedem o seu progresso na campanha, a missão “Fight of the Shadows“, se iniciada antes de terminar os eventos do Coliseu, podem travar o seu progresso.

Eu não cheguei a fazer teste pra ver se o que está escrito a seguir pois só ativei essa missão perto do final do jogo, mas é bom avisar pela provável possibilidade de ocorrer a falha. Ao inicia-la, ela pede pra você realizar uma sequencia de batalhas no Coliseu e ela são iniciadas com o NPC que permite o uso das batalhas de lá, só que se você ativar a missão antes disso, impede o progresso do jogo. Pra evitar isso, NÃO ESCOLHA A PROFISSÃO “DARK KNIGHT” pro Arpajo até finalizar essa parte do jogo.

Um comentário sobre “Review / Tutorial: Astria Ascending