Review / Tutorial: Contra Rogue Corps

Parece o Rambo, mas é a skin do Lance pro Kaiser XD

Ola, aqui é o Pena E hoje vamos fugir bem dos RPGs e Metroidvanias pra encarar o retorno dos alienígenas em Contra: Rogue Corps.

O jogo foi produzido pela Toylogic (que também trabalhou no Nier Replicant ver. 1.22474487139) sobre licença da Konami, a qual fez a publicação dele, sendo que já fizemos alguns reviews da empresa, entre eles Getsu Fuma Den: Undying Moon e do E-Futebol PES 2021 (mais deles você encontra aqui)

Review feito em base da versão pra PS4
(Código cedido pela Konami)

Titulo: Contra Rogue Corps
Produtora: Toylogic
Distribuidora: Konami
Gênero: Ação / Tiro em 3ª pessoa
Plataformas: PlayStation 4, Nintendo Switch, Xbox One e PC (Steam)
Mídia: Físico e Digital
Textos: Português, Inglês, Espanhol, Francês, Italiano, Alemão, Coreano e Chinês
Dublagem: Inglês

A Série “Contra”

A série Contra iniciou em 1987, trazendo um jogo de tiro em plataforma frenético e altamente desafiador enquanto o jogador enfrenta as hordas de alienígenas que invadiram a terra no melhor estilo “Macho-man resolve tudo na violência“.

De lá pra cá a série recebeu vários jogos e ports no decorrer dos anos, mudaram alguns detalhes mas a dificuldade e alienígenas grotescos continuam presentes nela.

Como não joguei todos da série, parte desse tópico foi feito a partir de pesquisa, mas dá pra ver o tamanho dela:

Capa do primeiro jogo, com os “sosias” do Stallone e Schwarzenegger
  • Contra: O jogo que iniciou a série, saiu em 1987 pra arcade e algumas plataformas, como o NES / Famicon e o MSX2;
  • Super Contra: segundo jogo da série, saiu em 1988 e foi lançado para Arcade e NES / Famicon;
  • Operation C: primeiro jogo da série que saiu pra portátil, sendo esse lançado para Gameboy em 1991;
  • Contra III: The Alien Wars: um dos mais conhecidos da série, saiu para Super Nintendo / Super Famicon e recebeu port para GB e GBA;
  • Contra Force: esse saiu exclusivamente para NEs / Famicon em em 1992;
  • Contra: Hard Corps: exclusivo do Mega Drive / Genesis, saiu em 1994 e conta com divisão de rotas e seleção de personagens com equipamentos específicos;
  • Contra: Legacy of War: Esse foi o primeiro jogo da série produzida pela Appaloosa Interactive e saiu para PlayStation e Sega Saturn em 1996;
  • C: The Contra Adventure: o segundo jogo produzido pela Appaloosa Interactive, saiu para PlayStation em 1998 e só saiu no continente americano;
  • Contra: Shattered Soldier: Exclusivo para PlayStation 2, foi lançado em 2002 trazendo um jogo totalmente em 3D;
  • Neo Contra: outro exclusivo do PlayStation 2, lançado em 2004, tem a jogabilidade principalmente numa visão isométrica;
  • Contra 4: exclusivo do Nintendo DS, foi lançado em 2007 e produzido pela Way Forward, com uma jogabilidade bem parecida com o Contra III;
  • Contra ReBirth: exclusivo do Wii, foi lançado em 2009 e produzido pela M2, ficou somente na versão digital pro WiiWare e traz gráficos desenhados a mão;
  • Contra: The War of the Worlds: esse saiu para mobile em 2009 produzido pela divisão chinesa da Konami;
  • Hard Corps: Uprising: saiu somente na versão digital para PlayStation 3 e Xbox 360, sendo produzido pela Arc System Works e musicas do Daisuke Ishiwatari (os mesmos de Guilty Gear e Blazblue). Não leva o nome “Contra” e é uma pré sequência do “Contra: Hard Corps”.

História

Seguindo os ocorridos dos Contras anteriores, a humanidade finalmente derrotou a invasão alienígena depois de uma árdua batalha e tudo parecei ter finalmente ficado em paz.

Só que essa paz não durou muito. Logo em seguida uma cidade monstruosa surge, trazendo com elas monstros e artefatos desconhecidos, recebendo o simples nome de “Cidade Maldita”.

Como muitas pessoas ficam insanas por simplesmente entrar nessa cidade, alguns poucos conseguem desbravar essa cidade em busca dos artefatos. Nós acompanhamos um grupo de “pessoas” assim, conhecidos como Renegados. Por “pessoas” é algo subjetivos, já que temos um homem com um braço mecânico, uma mulher com um alienígena na barriga, um alien e até um panda com um cérebro humano transplantado.

Gráficos

Reconhece esse local? XD

O jogo é todo montado em 3D, tendo o ângulo das câmeras variáveis dependendo do ponto da missão que você está, deixando o jogador com controle somente dos personagem durante a ação.

O clássico da série está presente, trazendo monstros gigantes e hordas de monstros. Enquanto o jogo segura um estilo um pouco mais cômico no design dos personagens, os monstros continuam grotescos com a série manda e da pra ver vários detalhes neles, mesmo nos menores, claro, se você conseguir parar pra analisar, já que o jogo não tem pause dentro da partida.

Tem alguns vídeos feitos em 2D mostrando a história do jogo, eles são bem feitos e divertidos, não são obrigatórios, mas assista, são bem legais.

Áudio

As musicas do jogo tem umas variações, em certos pontos aonde a ação não é tão agitada eles deixam as musicas mais paradas pra deixar o clima tenso, mas quando a ação realmente pega, ai sim mostra o estilo da série, com musicas bem agitadas pra manter a adrenalina, além de trazer algumas músicas clássicas e remixes da série.

Ele também tem dublagem, somente em inglês, tanto nos vídeos como durante a partida, então da pra curtir os comentários (e palavrões) enquanto detona os aliens.

Infelizmente não achei a OST no Spotify e no SoundCloud, então segue uma lista que eu encontrou no Youtube pra curtir enquanto termina de ler o review.

Jogabilidade

A seleção de nível é somente pros equipamento iniciais.

O jogo largou o estilo de plataforma 2D e lembra mais um jogo de caça (estilo Monster Hunter), tendo a base principal e a ação sendo por missões separadas.

Base

A base é o ponto principal do jogo, aonde você prepara os seus personagens para as missões do jogo. Os locais aqui são bem separados com as suas utilidades bem específicas.

Personagens

Aqui mostra o geral dos 4 personagens

Tem termos gerais, os quatro personagens tem jogabilidade idêntica, mudando apenas o especial deles. O que vai variar é o quanto você evoluiu cada personagem e os equipamentos neles. Você só pode trocar de personagem aqui.

Oficina

Esse é o ponto aonde você configura os equipamentos dos personagens, tendo acesso a todos eles, assim você não precisa trocar e retornas nos pontos de customização.

Na área de Personalizar você altera o equipamento principal e o secundário de cada personagem (cada categoria tem equipamentos específicos) e, enquanto todos os equipamentos são equipáveis por todos os personagens, cada equipamento fica especificado a um único personagem.

Cada equipamento pode receber até 6 peças extras, só que cada peça tem um custo, limitando quais peças podem ser equipadas.

Em Desenvolvimento temos duas partes. O ponto de Desenvolver você cria novas armas a partir de planos. Cada arma tem um rank que vai de D até S, além de rank de raridade, o que varia bastante as caracteristicas das armas.

Pra criar uma arma a partir dum plano, você precisa usar peças pra alcançar os pontos necessários e claro, quanto mais forte a arma, mais peças são utilizadas, além do dinheiro, claro.

Já me Melhorias você pode subir o rank das armas do seu inventário e assim como no Desenvolvimento, utiliza peças pra isso. Mas só é possível melhorar armas com no mínimo nível 5. Esse nível sobe conforme utiliza as armas nas missões (não confundir com o nível de maestria com a arma dos personagens).

No Comprar Armas você tem acesso a loja. O inventário deles muda a cada missão, então é sempre bom dar uma olhada neles quando voltar pra a base.

No Inventário você pode vender qualquer equipamento que não esteja equipado e selecionar vários pra vender de uma única vez.

Sala de Cirurgia

Na Sala de Cirurgia você pode trocar as partes do corpo dos personagens (no modo mais bizarro possível hahahaha)

Na parte de Transplantes você escolhe as partes que serão trocadas e elas também tem nível e raridade, só que o nível delas não muda conforme faz missões. Os efeitos das partes são mostrados no lado direito e quanto mais rara, mais espaços pra efeitos elas tem.

Quando escolher a parte pro transplante, você pode escolher qual cirurgião realizará a cirurgia. Temos 3 deles e o que ocorre varia:

  • Dr. Elder: Ele não cobra nada, mas também não muda efeitos, simplesmente troca a parte;
  • Android T-HY7: Ela cobra pela cirurgia e pode aumentar os efeitos das partes, mas se a cirurgia falhar, diminui os efeitos;
  • Homincrível: Ele cobra bem caro e pode mudar os efeitos das partes, mas se a cirurgia falhar, muda todos os efeitos e ainda pode por efeitos bem mais fracos.

No Mercado Ilegal você pode comprar novas partes e assim como na Oficina, o inventário muda a cada nova missão.

Perfil

No Perfil você vê o básico da sua partida, podendo mudar o personagem que aparece e a medalha que quer mostrar.

As medalhas são liberadas conforme você completa os desafios, algumas delas são relacionadas as conquistas do jogo, outras apenas pelo “direito de se gabar” hahahaha

Já a área de vídeos temos acesso a cada um dos vídeos liberados conforme você avança na campanha. Ao contrário da maioria dos jogos, esse não te força a ver nenhum vídeo além do inicial, mas eu recomendo assistir, além de entender o que está acontecendo, eles são bem engraçados e desbocados, vale muito a pena.

Blindado (Liga do Massacre)

Atenção: Essa parte eu não vou entrar em detalhes pois não consegui entrar em uma partida online, pois precisa de 8 jogadores.

Aqui é a área de pvp (Jogador Contra Jogador). Nela você disputa contra outros jogadores online, ganha ranks e acumulando moedas usadas pra comprar itens dessa loja.

Missões

Aqui você escolhe qual das missões pretende fazer. Elas vão liberando conforme você avança na campanha e algumas exigem certos requisitos, como fechar uma missão sozinho ou ter uma certa quantidade de ranks S. Temos 3 tipos:

  • Missão ranqueada: Essas são as missões da história, quanto maior o rank, mais difíceis são;
  • Missões Barra Pesada: Essas são missões bem mais difíceis que o normal, você começa sem nenhuma vida extra ou bombas;
  • Missões de exploração: Essas são pra adquirir novos equipamentos.

Pra as missões de exploração, você precisa pagar uma aposta e quanto maior for ela, mais difícil ela fica e acredite, elas são bem difíceis (ideal joga-las em multi-player).

Quando você for escolher a missão que deseja jogar, você tem também as seguintes opções:

  • Um Jogador: Faz a missão sozinho;
  • Sala Publica: Cria uma sala pra a missão que pretende jogar e outros podem entrar nela;
  • Navegar por Salas: Procura salas disponíveis pra jogar online entre as já criadas pra a missão que você quer jogar;
  • Sala Particular: cria uma sala que só pode entrar em for convidado;
  • Coop Local: Joga com um amigo localmente, mas só permite jogar as missões de exploração.

A ação

Repare que a 2ª arma está esfriando, então ainda não da pra usar ela.

Como na maioria outros jogos da série, você tem acesso a duas armas, só que aqui você não troca entre várias durante os estágios, fica somente com as 2 selecionadas antes da missão.

Conforme você usa a arma, a barra de aquecimento dela começa a arregar e se completar tudo, precisa esperar alguns momentos pra usa-la novamente, nessa hora é melhor usar a sua outra arma, você pode trocar entre elas a qualquer momento.

Durante a ação você precisa utilizar o analógico pra mirar aonde quer atirar, assim você pode atirar enquanto anda pra trás. Claro que a velocidade do personagem é reduzida, mas ajudar bastante isso.

Vários objetos são destrutíveis nas missões

Cada um dos personagens tem uma técnica própria, é o único ponto que realmente diferencia entre eles na partida, então vai de quem você se adapta mais. Alguns dão tiros extras e diminui a taxa de aquecimento da arma, enquanto outros aumentam o seu dano e convocam unidades extras de apoio.

Uma vez utilizado, precisa esperar um tempo pra carregar novamente o especial, mas eles tem uso ilimitado dentro da missão, então não precisa ficar segurando o seu uso.

As bombas continuam no jogo, causando uma grande dano em todos os inimigos da tela. Você pode carregar alguns e a quantidade mínima dele é recarregada a cada missão.

Nesse jogo você tem um escudo e vidas. Conforme recebe dano vai perdendo o escudo e quando ele chega a zero, se tomar mais um ataque, perde uma vida. Caso perca todas as vidas, a missão falha. Bombas e vidas raramente aparecem nas missões, então é bom regular bem o uso.

Pra evitar o dano você pode usar a investida. Além de evitar dano, também causa um baixo dano no inimigos e atordoa-los, o que te ajuda nas missões.

Outro ponto é o combo. Conforme acerta os tiros, tem a contabilidade de hits e conforme bate certos pontos, o dano aumenta. Se ficar um tempo sem acertar ataques, essa contagem começa a regredir rapidamente, mas não anula de uma vez.

Eu falei que você não pega armas novas durante as missões, certo? Bem, isso não é completamente correto. Em algumas missões você encontra um inimigo que deixa um power up. Esses são armas extremamente fortes, deixando a barra de aquecimento em azul. Elas tem uma munição limitada e assim que acabar, volta pras as armas normais.

Quando atordoado, você pode pegar o inimigo e joga-lo contra as hordas ou até mesmo em certos, como as serras, pra mata-los. Alguns inimigos só morrem assim.

Esses monstros amarelos são especiais, quando atordoados, você pode executar um “Golpe Finalizador”, que além de matar ele, faz com que vários itens caiam dele, entre eles os de cura.

Se não tem o surf em mísseis, não é Contra hahaah

Em alguns pontos você precisa carregar partes de misseis, tanques e helicópteros pra completa-los e conseguir avançar nas telas, sempre no modo mais bruto possível.

Algo que ocorre bastante na série é a mudança de visualização, sendo que nesse em alguns pontos e chefes você precisa acertar a mira enquanto move o personagem.

Essas cápsulas são os “Espíritos Malditos“. Eles aparecem em pontos específicos do estágio e somem rapidamente, então se você quer fazer um rank alto na missão, precisa correr no meio das hordas pra pegar ele.

No final da missão tem uma contagem do tempo que sobrou, inimigos mortos e quantos espíritos malditos você pegou, recebendo uma pontuação e rank.

Depois mostra quanto de experiência você recebeu para as armas. A barra grande é relativa a arma que você está utilizando, enquanto a menor é relativa a maestria com a categoria da arma.

O “Bônus de Renegado” carrega bem aos poucos durante as partidas (foram coisa de 20 ou mais missões pra carregar tudo) e quando completa, você recebe uma parte de corpo relacionada ao personagem que está utilizando.

Por ultimo mostra os equipamentos recolhidos na missão. Algumas são garantidas só por terminar a missão e outras são recebidas dependendo do rank final.

Conquistas

Infelizmente eu não serei o presidente do fã clube da série XD

Como praticamente todo jogo de missões, a lista de conquistas é meio trabalhosa, ainda mais por depender de partidas online pra completa-la. Das mais trabalhosas temos:

OFFLINE

ConquistasDescrição
Ruler of the LabyrinthCompletar uma missão de exploração “Chaos Assault”
Elite MercenaryConseguir rank S em todas as missões
Too EasyCompletar uma missão de rank 4 ou maior sem receber dano.

ONLINE

ConquistasDescrição
3 Star ChefConseguir 10000 pontos técnicos numa partida ranqueada ou rápida
A Walking CleaverConseguir 15000 pontos numa partida ranqueada ou rápida
Full StomachConseguir 40000 pontos de time numa partida ranqueada ou rápida

Conclusão

Essa de tacar o inimigo na tela é sempre engraçada

Enquanto o jogo foge do estilo clássico de plataforma da série, ele retém vários aspectos, desde o estilo “macho-man resolve tudo na violência” com os vários momentos absurdos como surfar nos foguetes e enfrentar hordas gigantes de monstros.

O jogo lembra bastante os jogos de caça com os diversos upgrades de equipamentos e o grande foco nos multi-player, mas a ação continua frenética que nem os outros jogos, só que por causa de como ele foi montado, os estágios finais ficam injustos demais enquanto joga sozinho, precisando focar somente num personagem caso queira fechar no modo solo.

Os gráficos do jogo ficaram bem legais, os personagens são bem caricatos e os monstros, mesmo que não tenha tanta variação (não contando a variação de cores e certos detalhes deles), da pra ver vários detalhes desses inimigos, que seguiu a risca o estilo da série.

Já as musicas tem 2 extremos, enquanto não está em sequencias de batalha, elas ficam só numa musica de fundo pra segurar o clima da exploração, mas durante as batalhas ai a coisa muda, já entra umas musicas bem pesadas que agradam bastante nesses momentos.