Review / Tutorial: The Great Ace Attorney Chronicles

Igiari!!!!!

Ola, aqui é o Pena e hoje vamos batalhar num dos lugares mais inesperados, nos tribunais dos século 19 no jogo The Great Ace Attorney Chronicles.

O jogo é produzido e distribuído pela Capcom, que nós já fizemos o review do Village: Resident Evil.

Esse é uma coletânea dos dois últimos jogos da série “Ace Attorney“, sendo que esse só tinha ficado no Japão até sair essa versão.

Pra aqueles que não conhecem a série, os jogos são novel de investigação, aonde tem uma leitura bem pesada enquanto mescla mecânicas de investigação com “point and click”, tudo com um bom humor durante do o jogo.

Review feito em base da versão pra PS4
(códigos cedidos pela Capcom)

Titulo: The Great Ace Attorney Chronicles
Produtora: Capcom
Distribuidora: Capcom
Gênero: Visual Novel / Point & Click
Plataformas:
3DS (Original individual), PlayStation 4, Nintendo Switch, PC e mobile
Mídia: Digital e Físico
Textos: Inglês
Dublagem: Inglês e Japonês

Versão japonesas e asiáticas dos links tem inglês incluso

A Série “Ace Attorney”

A serie Ace Attorney segue a linha de novels investigativos aonde temos a parte das “Batalhas Judiciais”, com tantas reviravoltas que deixa qualquer juiz sem cabelos.

Junto com as investigações e as histórias sem pé nem cabeça, temos um humor que alivia a tensão dos crimes e prende o jogador na partida.

A série iniciou no Gameboy Advande em 2001, completando 20 anos agora. Uma coisa que sempre ocorreu na série é a “americanização”, trocando nomes de personagens e locais ao ponto de dizer que ele todo ocorre nos Estados Unidos nas versões ocidentais.

O juiz

Os nomes também são adaptados, tal como o do primeiro protagonista da série, Phoenix Wright, aonde o seu nome original é Ryūichi Naruhodō (o sobrenome tem um significado tal como “ah, então é isso” ou “só podia ser”, justamente pra manter as piadas do jogo).

Com 20 anos de existência nas costas, a série já recebeu vários jogos, adaptações em anime, manga e até mesmo um filme com atores reais, além de ter suas musicas tocadas em orquestras e outros shows de musicas de video game, tal como o “Video Game Lives”. Segue uma lista dos jogos da série:

Arco “Phoenix Wright”

A primeira trilogia da série acompanhando Phoenix Wright desde a sua estreia nos tribunais até virar praticamente uma lenda judicial, resolvendo casos dos mais mirabolantes que envolve até mesmo misticismo.

  • Ace Attorney: jogo de estreia;
  • Justice for All: segundo jogo da série;
  • Trials and Tribulations: finalização dessa trilogia.

Todos dessa trilogia saíram inicialmente no GBA, dai receberam um port para NDS, PC, Mobile e depois uma compilação da trilogia para PS4 e NSW.

Spin-Off “Miles Edgeworth”

Essa parte da série foca nas investigações do amigo e rival Miles Edgeworth, tendo uma jogabilidade um pouco diferente da série principal, já que não temos batalhas no tribunal, mas não é por causa disso que não temos todo o processo de provar o seu ponto.

  • Investigations 1: primeiro jogo desse spin-off;
  • Investigations 2: finalização do spin-off;

Ambos são originais do NDS, recebendo posteriormente um port pra mobile, mas infelizmente o 2º jogo nunca recebeu uma versão ocidental.

Arco “Apollo Justice”

Segunda fase da série, acompanhamos o jovem Apollo Justice que começa a trabalhar pro Phoenix após ele não atuar mais nos tribunais por vários motivos.

  • Apollo Justice: quarto jogo da série;
  • Dual Destinies: quinto jogo da série;
  • Spirit of Justice: finalização dessa trilogia;

O 1º jogo saiu pro NDS, enquanto os outros 2 saíram no 3DS, mas todos receberam um port para mobile, tendo versão ocidental de todos.

Arco “Ryunosuke Naruhodo”

Esse é o do review que você está lendo, então mais detalhes dele você encontra no decorrer do texto. Nesse jogamos com o antepassado do Phoenix, Ryunosuke Naruhodo, perto da finalização do século 19.

  • Adventures: primeiro jogo dessa fase da série;
  • Resolve: segundo jogo dessa série;

Ambos são originais do 3DS, depois receberam port para mobile, mas ficaram somente no Japão até sair esse coletânea.

Professor Layton vs. Phoenix Wright: Ace Attorney

Um cross-over com a série de investigações da Level 5, misturando as mecânicas de ambos os jogos.

Esse está disponível para 3DS, tendo uma versão ocidental dele.

Outras aparições

Apesar de Phoenix ser um advogado sem nenhuma habilidade de luta, seu carisma faz com que ele apareça em outros jogos em que a Capcom participa, trazendo sempre o humor da série pra onde ele passa. Entre essas aparições extras, temos:

  • Marvel Vs. Capcom 3;
  • SNK vs. Capcom: Card Fighters DS;
  • Project X Zone 2;

História

O jogo se passa no final do século 19 numa versão alternativa do nosso mundo, bem na época de abertura de fronteiras do Japão. O modo de vida deles está mudando aos poucos e se adaptando as culturas ocidentais.

Nessa nova era, acompanhamos Ryunosuke Naruhodo, um estudante do Império Japonês que, assim como as próximas gerações da sua família, se envolve em um caso de assassinato e a partir dai entra no caminho da advocacia.

Herlock Sholmes vai ajudar bastante Ryunosuke

Aproveitando que o jogo não se passa exatamente no nosso mundo, temos participações especiais no jogo, como o famoso Sherlock Holmes Herlock Sholmes (temos que fugir dos direitos autorais, apesar que a dublagem em japonês mantém o nome o original do personagem) e como as histórias são novelas investigativas, temos algumas bases nas história do famoso detetive, claro que com muito humor e variações pra aqueles que conhecem os contos não saberem as respostas logo de cara.

Claro que eles aproveitam o período para colocar alguns fatos e pessoas importantes daquela época, como o tratado entre o Japão e o Reino Unido em 1894. Mais do que isso eu deixo pra você procurar as referencias durante o jogo.

Soseki Natsume, escritor japonês aparece no jogo.
Ele é conhecido pelo livro
Eu sou um gato

Gráficos

As caretas dos personagens são demais hahahaha

O geral do jogo é feito em 3D puxando a arte pro estilo dos animes, todos com muitos detalhes nos personagens, objetos inspecionados e cenários. Mas o que ganha mesmo no jogo são as caretas e citações teatrais cômicas que temos no decorrer da campanha, agrada muito visualmente e não tem como não rir das situações do jogo.

Já falei, precisamos fugir dos direitos autorais ahahaha
(Eu estou fazendo piada, mas isso é histórico, procurem sobre Arsène Lupin pra entender melhor)

No começo de cada caso e em alguns pontos específicos do jogo temos algumas cenas em anime e outras que lembram artes de livros antigos pra contextualizar o tema do jogo, ficaram muito boas e se encaixam bem na história.

Áudio

Como em toda a série, as musicas sempre são muito agradáveis e mantém o clima do momento, puxando pra mais cômico ou tenso dependendo da necessidade, só que esse puxa mais pro estilo musical um pouco mais antigo por passar no século 19 o jogo.

Algo que é usado pra impactos e piadas são os efeitos sonoros durante as conversas, ficam muito engraçados e apoiam a narrativa “teatral” do jogo, não tem como não rir com isso.

Como a OST da coletânea está no Spotify, segue a playlist dela pra você curtir enquanto termina de ler o review.

Enquanto no geral do jogo não tem dublagem, em certos momentos (como o clássico OBJECTION!!) e algumas cenas tem dublagens, entre os atores convocados, temos:

  • Hiro Shimono: Dublador do Ryunosuke Naruhodo, faz o Conny Springer do Ataque aos Titãs e o Narrador Maluco do jogo ICEY (nota pessoal, ele fez um trabalho EXCELENTE aqui);
  • Kenjiro Tsuda: Dublador do Barok van Zieks, faz o Atomic Samurai do One Punch Man e do Seto Kaiba em Yu-Gu-Oh! (a partir do “Duel Monsters”);
  • Misaki Kuno: Dubladora da Iris Wilson, faz a Harumi Ayasato (Pearl Fey) do Ace Attorney original e a Sophia do Persona 5 Strikers;

Jogabilidade

Antes de qualquer coisa, como o jogo é uma coletânea, você pode escolher qual dos jogos pretende começar, mas claro que se é a primeira vez, comece pelo Adventures.

O jogo também tem uma divisão de capítulos, quando você termina um caso, se quiser joga-lo novamente, pode ir diretamente pra alguns pontos específicos dele.

Se o jogo não começa com um Auchi, não é Ace Attorney hahaha

Como comentado, o jogo é um novela investigativa, então temos bastante leitura nele, mas ao contrário de boa parte dos novels, temos bastante interação no jogo pra avançar na história.

A jogabilidade dele é dividido em duas partes bem distintas: as Investigações e as Batalhas Judiciais. Alguns capítulos só tem uma das partes enquanto outros temos a mistura dos dois pontos.

A cada parte do jogo tem uma divisão aonde você pode gravar o avanço da história, mas em qualquer ponto do jogo você abrir o menu de opções pra salvar e alterar algumas configurações do jogo (algumas só podem ser alteradas na tela titulo do jogo).

Investigações

Durante as investigações da cena do crime e outros pontos, existem quatro opções, mas nem sempre estão disponíveis dependendo do contexto, sendo elas:

  • Examine: Entra no modo de investigação, para analisar o cenário que você está no momento;
  • Converse: Conversa com o personagem que está mostrando logo a frente da tela. Se não tiver nenhum personagem, essa opção fica desativada;
  • Move: Abre o menu de seleção de outros locais disponíveis pra visitar no capitulo;
  • Present: Mostra um item para o personagem a sua frente. Se não tiver nenhum personagem, essa opção fica desativada.

Ao selecionar Examine, você pode verificar diversos pontos do cenário. Qualquer ponto que realmente tenha alguma informação, o cursor fica em azul claro e se você já verificou esse ponto, tem a marca de conferido em vermelho do lado ✔️. Nesse modo, caso tenha algum NPC na tela e você seleciona-lo, começa uma conversa com ele (esse ponto eu entro depois).

Durante a investigação, qualquer item importante é adicionado ao Court Records para analise posterior. Esse é mais importante durante as batalhas judiciais, mas ele pode ser acessado a qualquer momento (posteriormente eu entro em mais detalhes).

Muitos cenários são grandes, precisando mover a visualização pra ter acesso a todos os pontos do local. Enquanto nem todos os pontos dos cenários são relevantes ao caso, não se preocupe, o jogo não avança enquanto você não tiver verificado tudo que seja necessário pra completar o capitulo.

Ao selecionar Converse ou examinar um NPC no cenário, é iniciado uma conversa com eles. Enquanto alguns tem apenas algum comentário sobre o caso, outros podem ter várias opções de conversa e conforme avança na história, novas conversas são adicionadas. Qualquer conversa já verificada fica marcado com o conferido em vermelho do lado ✔️.

Ao selecionar Move, aparece a tela com todos os locais disponíveis no momento, podendo adicionar mais locais conforme avança no caso. Os ícones que aparecem no menu significam:

  • : Local aonde você está no momento;
  • : Local ainda não visitado;

Algumas vezes você precisa mostrar alguma prova sobre os acontecimentos pra alguém. Pra isso, selecione a opção Present e abrirá o Court Records. Dai, você precisa achar qual item que corresponde ao que precisa provar o seu ponto e apertar o botão indicado como Present (no caso do PS4, o )

Lógica e Raciocínio Espetacular

Raciocínio lógico do Sholmes as vezes é meio furado hahahaha

Essa parte é específica do Great Ace. Em alguns pontos dos casos, você precisa raciocinar sobre os fatos ocorridos para desvendar o que transpassou no local.

Na primeira parte, Sholmes apresenta a suas deduções sobre o caso, apresentando vários fatos e palavras chaves marcadas em laranja. É bom prestar atenção aqui pois são pontos extensos.

Enquanto vários pontos estão corretos na dedução do Sholmes, ele viaja um pouco na imaginação e erra alguns detalhes importantes, ficando pro Ryunosuke corrigi-los. Em alguns pontos você entre numa visão 3D do local e precisa verificar algum ponto que corrija o que o Sholmes errou. A verificação é que nem na parte de investigação, mas pra corrigir o erro, precisa apertar o botão de Present no local correto.

Em outros pontos, você precisa apresentar alguma evidencia que está no Court Records, da mesma maneira quando você precisa apresenta-las na investigação normal. Qualquer erro de lógica aqui tem punição, perdendo um ponto de investigação e caso perca todos, é Game Over.

Batalhas Judiciais

É aqui que você será testado de verdade pra encobrir o que realmente ocorreu nos casos. Muitas informações e provas são passadas pro jogador conforme avança no caso, mas nem tudo é dado de “mão beijada”, precisando pensar bastante em vários pontos.

Examinando os testemunhos

Em vários pontos você escutara as versões das testemunhas sobre os casos. Só que, ao contrário dos outros jogos da série, aqui pode ter mais de uma testemunha durante o mesmo relato, o que pode dificultar um pouco a vida do pessoal.

Depois de escutar pela primeira vez os testemunho, você tem que averiguar o que eles falaram pra encontrar contradições dos fatos. Só que isso nem sempre está na cara, precisando PRESSIONAR (com o Press) a testemunha pra conseguir mais informações. Dependendo do ponto, informações novas são adicionadas ou até mesmo recebemos novas provas.

Alguns dos envolvidos no caso
Algumas das provas

Quando você encontra uma contradição, você pode apresentar uma prova que refute o que a testemunha falou, podendo ser sobre um dos envolvidos no caso ou alguma prova que você já tenha recebido.

A qualquer momento você pode abrir o Court Records e analisar as provas que você tem. Qualquer item que tenha a lupa pode ser averiguado com mais detalhes. Alguns são textos ou fotos, mas outros aparecem um modelo 3d, aonde precisa analisa-los de vários ângulos pra encontrar informações novas.

Muitas vezes você também tem escolhas a fazer sobre o caso, precisando analisar bem os fatos pra prosseguir com o julgamento.

Outro detalhe de ter mais de uma testemunha depondo é que as vezes, durante uma das falas, a outra testemunha pode reagir ao que foi falado, dando informações extras necessárias pra avançar no caso.

O Júri

Outra novidade aqui é o Júri. Seis pessoas escolhidas acompanham o julgamento e as suas opiniões sobre o caso podem levar a finalização prematura do caso.

Conforme vai avançando, os jurados dão a sua opinião se o acusado é culpado ou inocente, alterando o peso da Balança da Justiça. Caso os seis jurados achem que o acusado é culpado, a sessão pode ser encerrada prematuramente.

É claro que não fica só por ai, nesses momentos você tem o direito de questionar os motivos deles acharem que o réu é culpado.

Nesse ponto você precisa jogar os motivos deles um contra os outros e encontrar contradições que possam persuadir o júri a mudar a sua opinião. Assim como no testemunho, muitas vezes você precisa pressionar o jurado e até mesmo apresentar alguma prova que comprove o seu argumento.

Claro, assim como ocorre na investigação, você tem 5 pontos que caso expirem, o réu é dado como culpado e recebe um belo Game Over.

Extras

O jogo tem uma coletânea de oito histórias curtas que estão disponíveis desde o começo, mas não é recomendado joga-las antes de fechar o jogo, já que elas são relacionadas aos casos e contem uma grande quantidade de spoilers deles.

Ao contrário do jogo principal, aqui são somente conversas, sem parte de investigação ou batalha judicial, que oferecem um complemento aos casos do jogo.

Apenas pra o segundo jogo, tem também roupas extras pros principais, pra aqueles que curtem trocar o visão deles.

Conquistas

As conquistas do jogo são visíveis dentro do jogo pelas medalhas

Apesar de ser um novel, as batalhas judiciais e investigações podem dar um pouco de trabalho pra quem não está acostumado, já que você tem que pensar bem em vários pontos do jogo pra avançar. As conquistas mais trabalhosas do jogo são relacionadas a pontos da história que são spoilers, então não comentarei sobre elas, mas ainda tem outras que também dão trabalho:

ConquistaDescrição
Ace of SpadesVer todas as conversas sobre pás e espadas
The Top RungVer todas as conversas sobre escadas
Ace AficionadoCompletar as aventuras extras

Conclusão

Apontar o dedo só não é feio aqui no jogo XD

The Great Ace Attorney Chronicles traz uma boa história no melhor estilo de novelas de investigação, tendo um bom contexto histórico, além de misturar os clássicos das histórias do Sherlock Holmes com o humor clássico da série Ace Attorney, sendo uma excelente porta de entrada pro gênero de visual novel para os novatos desse estilo.

A jogabilidade mantém o estilo da série, trazendo as partes de investigação e as batalhas judiciais pelo qual ela é conhecida, além de ter os detalhes extras próprios, o que quebra bem o ritmo de visual novels, que na maioria só temos leitura.

Gráficos e musicas mantiveram a qualidade que já tínhamos vistos no últimos jogos da série, como o Dual Destinies e Spirit of Justice, aonde a série migrou dos gráficos 2D pra totalmente em 3D e o uso delas nos eventos do jogo ficaram muito bons.

O ponto a seguir é um comentário sobre um pequeno furo de continuação que temos entre o primeiro e o segundo jogo, não sei se foi erro na tradução ou se já existia no original e, enquanto não estraga em nada a história (e eu não vou entrar em detalhe algum do que é realmente ocorrido), eu vou deixar na parte de spoilers a seguir esse ponto que eu peguei, mais pela curiosidade dos jogadores.