Review / Tutorial: Guacamelee! 2

Mais uma vez o poder das “Penas” está presente XD

Ola, aqui é o Pena e hoje trago outro jogo que faz jus eu fazer o texto, o metroidvania Guacamelee! 2.

Desenvolvido e publicado pela DrinkBox Studios, é a mesma produtora do primeiro Guacamelee! e do jogo Severed. Eles também estão produzindo o seu novo jogo, o “Nobody Saves the World“.

Guacamelee! usa de maneira cômica a cultura mexicana, trazendo um ponto de vista divertido do “Dia dos Mortos” e o amor mexicano pelo lutadores mascarados de luta livre.

Titulo: Guacamelee! 2
Produtora: DrinkBox Studios
Distribuidora: DrinkBox Studios
Gênero: Metroidvania
Plataformas:
PlayStation 4, Xbox One, Nintendo Switch e PC
Mídia: Digital e Físico
Textos: Português Brasileiro, Inglês, Francês, Italiano, Alemão, Russo, Coreano, Chinês Tradicional e Simplificado
Jogadores: 1~4 jogadores (off-line)

Links para compra da coletânea dos dois jogos da série

A Cultura Mexicana da Morte

Texto em parceria com o Thiagomusashi

Os mexicanos possuem uma relação diferente com os mortos, se comparados ao restante da cultura ocidental em geral. O Día de los Muertos é de comemoração, fato que remete à crença Indígena Mesoamericana da região, onde as almas dos mortos gostam de ser lembrados com alegria e não tristeza.

As calacas são caveiras e esqueletos adornados com roupas e flores, além de pinturas florais e padrões fractais, semelhantes a mosaicos. Os cidadãos também pintam os rostos como calacas , com tintas negras e brancas, desenhando o crânio humano com motivos florais.

A deusa Mictecacíhuatl (A Dama da Noite), presidia os festejos aos mortos; ela é responsável por zelar pelos ossos dos mortos e atualmente é relacionada à figura de La Catrina de los toletis (representação católica de uma dama da alta sociedade, um esqueleto de chapéu com distinção, lembrando que a morte chega para todos, independente da classe social). É a esposa do deus Mictlantecuhtli, O Senhor do Reino dos Mortos, governante da camada mais profunda do submundo, o Mictlan.

Indiretamente, existe também a figura da Santa Muerte, um esqueleto coberto com um véu, carregando uma gadanha (pequena foice) e uma balança. Venerada clandestinamente por muitos anos, só recentemente ela se tornou mais comum de maneira pública, envolvendo pedidos dos devotos e oferendas como rosas, maconha, cigarros, frutas, doces e tequila. Considerada por muitos como a padroeira dos traficantes e criminosos, possui altares construídos pelo Cartel nas estradas do México

Uma das representações da
La Catrina de los toletis

História

Replay do final do primeiro jogo no melhor estilo Castlevania: Symphony of the Night hahahahha

Anteriormente em Guacamelee!

O jogo começa com um replay do final do primeiro jogo, já mostrando o humor da série. Juan conseguiu salvar o mundo da destruição e ainda conseguiu salvar a filha do prefeito.

A barriguinha não podia faltar XD

Sete anos depois, Juan já formou uma familia e não usa mais a mascara do primeiro jogo, virando um tiozão barrigudo comedor de guacamole hahahahaha

Mas isso muda quando Uay Chivo aparece pedindo a ajuda de Juan para salvar o “Mexiverse” da destruição, embarcando em uma nova aventura que tem os cross-overs mais doidos, que da de dez a zero no MCU hahahahahaha.

A história, assim como no primeiro, é totalmente sem pé nem cabeça usando isso pra fazer piada durante todo jogo. Não é nada sério, mas a ideia usada rende ótimas risadas e gostosa de acompanhar, principalmente por puxar coisa do primeiro jogo.

Gráficos

Os gráficos do jogo utilizam o mesmo estilo dor primeiro, usando um esquema cartunistico que mesmo que seja gráfico relativamente simples, tem o charme necessário pra manter as piadas que ocorrem durante toda a campanha.

A quantidade de referências nesse jogo está maior do que no anterior

Mas não é por que os gráficos são mais simples que é mal feito, a movimentação e efeitos dos golpes são bem fluidos, cheio de detalhes no cenário e outros pontos do jogo.

Áudio

La ra la ri ai XD

Seguindo os passos do anterior, as musicas do jogo são uma mistura de eletrônico lembrando os antigos chiptunes com as clássicas musicas Mexicanas, segurando o clima humorístico do jogo sem ficar enjoativo, sem contar as músicas mais agitadas dos chefes, conseguiram caprichar mais do que no primeiro jogo.

A OST completa do jogo está no Spotify, então deixei ela aqui pra você curtir e entrar no clima enquanto termina de ler o review.

Jogabilidade

Geralmente metroidvanias são jogo pra se jogar sozinho, mas Guacamelee foge disso e permite jogar com até quatro jogadores localmente, deixando a partida mais divertida.

Como sempre, não vou entrar em TODOS os detalhes pra não estragar a diversão do pessoal, mas o que eu colocar aqui já ajuda bem a entender como funciona o jogo.

Menu

Não coloquei todos pra deixar na surpresa alguns

Dessa vez, pra aprender técnicas você precisa dos treinadores. Você encontra eles na campanha, não se preocupe com isso. Cada um deles tem especialidades diferentes e pra liberar as suas técnicas, além do dinheiro, muitas vezes você precisa completar certos requerimentos, como alcançar um certo número de hits nos combos.

O mini mapa desse jogo ajuda bastante, marca tanto os baús que você encontrou mas não conseguiu pegar ainda, assim como pontos de blocos quebráveis e pontos de viagem rápida, além de também marcar a porcentagem de itens encontrados no local.

E no mapa geral você consegue ver todos os locais do jogo e aqueles que estão com uma medalha dourada são os que já foi encontrado 100% dos itens da região.

Golpes

Sete anos sem treino e a base de guacamole fizeram com que Juan esquecesse os ataques do primeiro jogo, precisando encontrar as estátuas Chozo pra aprender tudo novamente.

Como na maioria dos metroidvanias, as técnicas não são utilizadas somente pra combates, mas também pra transpassar os desafios impostos no jogo e aqui não é diferente.

Uma nova coleção de estatuas Chozo te espera pra serem destruidas

Cada um dos golpes tem uma cor de aura diferente, elas são usadas pra quebrar blocos da mesma cor durante a exploração, como também são utilizadas pra alcançar pontos que sem elas não eram possíveis.

Só precisa ficar atento pois ao usar um técnicas, gasta um ponto de estamina e precisa esperar um pouco pra recuperar. Caso gaste todos os seus pontos, a demora é maior.

As cores tão são utilizadas em barreiras dos inimigos. Enquanto a barreira não for destruída, não causa dano neles e precisa ser rápido, pois as barreiras voltam. Barreiras brancas múltiplas precisam de vários ataques pra arrancar todas elas antes de conseguir atacar o inimigo.

Poncho continua como saco de pancada XD

Durante os combos, você pode combinar cada um dos ataques uma vez, conseguindo fazer combos bem legais e tem até um ponto pra aprender essas combinações.

Conforme você ataca os inimigos, boa parte deles podem ser agarrados e arremessados, bem no estilo de luta livre. Isso ajuda bastante na hora de manter os combos e controlar os inimigos que te cercam.

Essas comemorações de hits são demais hahahaha

Conforme você acumula hits, alguns efeitos especiais são liberados dependendo das técnicas que você aprendeu, podendo até mesmo zerar o consumo de estamina dos ataques. Mas claro que não é tão fácil assim, caso receba um ataque, o contador é zerado (existe um modo de melhorar isso, mas deixo pra você descobrir isso no jogo).

Mudança de Dimensões

Um dos grandes pontos do jogo anterior retorna, a possibilidade de alterar entre a dimensão dos vivos e dos mortos. Pontos aonde tem blocos transparentes e pontos de luz brilhantes são locais que modificam a estrutura do local entre as duas dimensões, saber controlar isso será obrigatório na campanha.

A troca de dimensão também afeta algumas armadilhas e inimigos, além de que em vários pontos tem essas divisões das duas dimensões, precisando se adaptar bem pra passar desses desafios.

O poder das Galinhas

SIM, O PODER DA GALINHA ESTÁ DE VOLTA XD

Uma das coisas que mais evoluíram do primeiro para o segundo jogo foi a utilização da transformação de galinha. No primeiro, além da óbvia piada, a utilização dela era mais pra passar por pontos estreito, sendo que pra combate elas era extremamente fraca.

Agora a transformação da galinha é bem mais importante, pois agora ela também consegue combater como se estivesse na versão humana, podendo arremessar inimigos e até aprender técnicas especificas dela.

Isso sem contar outros detalhes que eu vou deixar sem comentar pra não estragar a surpresa e risadas quando ocorrerem no jogo. Agora lutar como uma galinha não é mais símbolo de covardia hahaahhaha.

As galinha também merecem estátuas próprias XD

Extras

Depois que você fecha o jogo, libera o modo difícil. Aqui você vai testar bem as suas habilidades e ver se realmente entendeu as mecânicas do jogo, já que os danos aumentam bastante aqui.

DLCs

O templo aonde ocorre os desafios da primeira DLC

O jogo tem duas DLCs. A primeira, nomeada “The Proving Grounds” é uma sequencia de desafios no mesmo estilo da área do Inferno do primeiro jogo. Conforme você avança nos desafios, libera o controle dos treinadores do jogo, além de um extra que eu não vou entrar em detalhes, cada um com especialidades diferentes.

Seguindo o padrão de DLCs do primeiro jogo, a segunda DLC nomeada “Three Enemigos Character Pack” permite o controle dos 3 inimigos do jogo pelo jogador, cada um deles também tendo suas forças e fraquezas, trazendo um desafio extra pro jogo.

Conquistas

O jogo traz uma lista de conquistas bem interessante que faz com que o jogador busque todos os detalhes do jogo e encontre as piadas escondidas nele. O que da mais trabalho, assim como no primeiro jogo, é conseguir o final verdadeiro, já que exige completar uns desafios extras bem trabalhosos. Com esse, também tem outras conquistas trabalhosas, entre elas:

ConquistasDescrição
Mr. WorldwidePegar 100% dos itens do jogo
Even Darkest-erFechar o jogo no Hard
Legend of the TimelinesFazer o melhor final

As DLCs também tem conquistas próprias separadas do pack inicial. A mais trabalhosa do “Three Enemigos Character Pack” são:

Conquistas Descrição
Jaguar’s RedemptionDerrotar o ultimo chefe usando o Jaguar
Welcome to MY WorldDerrotar 25 inimigos usando a Uay Pek no mundo dos vivos

E a da DLC “The Proving Grounds” temos as seguintes que dará trabalho:

Conquistas Descrição
Let Sleeping Gods LieConseguir medalha de outro em todos os desafios
Explosion TherapyDerrotar 20 explosivos usando Wall Fly no desafio “Exploder Elimination Challenge”

Conclusão

Guacamelee! 2 conseguiu superar o seu predecessor, trazendo um jogo extremamente divertido e engraçado, com novas mecânicas em base do primeiro jogo.
O humor do jogo continua muito bom, deixando o Capitão América em estado de choque com a quantidade de referências de jogos, séries e memes. Se você não faz parte da “Dankest Timeline” (o que eu quis dizer com isso, deixo pra você descobrir quando você joga-lo), com certeza ira adorar o que tem nesse jogo .

A parte gráfica mantém o mesmo estilo do primeiro jogo, totalmente cartoon, mas em vários pontos, como quando você completa um coração, receberam animações muito boas e engraçadas, da um toque extra pro jogo.

As musicas também mantiveram o estilo do original, misturando eletrônico com musicas mexicanas, deixa um clima bom demais pra curtir a exploração, que é bem grande, assim como no primeiro jogo.

Por final, se você jogou o primeiro jogo e gostou dele, você tem uma obrigação de jogar essa continuação, você vai rir quase toda hora do jogo (o que diga o Shin, que ficou me aturando enquanto eu ia mandando mensagem pra ele com as piadas do jogo e rindo que nem um louco hahahaha). Espero ansiosamente por um terceiro jogo da série, a comédia e batalhas dos 2 primeiros me ganharam demais (tanto que já devo ter jogado o primeiro jogo pelo menos umas 3 vezes em plataformas diferentes).