Review / Tutorial de Sumatra: Fate Of Yandi

* Esta análise foi feita com o código cedido pela Ratalaika (versão PS4/PS5)

Distribuidora: Ratalaika Games
Produtora: Cloak and Dagger Games
Plataforma:  PS4 / PS5 / Xbox One / Xbox Series S / Xbox Series X / Switch
Mídia: Digital
Ano de Lançamento: 2021

Sumatra: Fate Of Yandi é um point-and-click que conta a história de Yandi, um lenhador que se perde na floresta da Sumatra durante um deslizamento de terras.

Yandi trabalha para uma madeireira em Sumatra, na Indonésia.
Casado recentemente com Adiratna, uma jovem amante da natureza, Yandi e seu irmão de consideração, Ramdan são enviados para recolher troncos de árvores durante uma forte chuva.

Adiratna, a jovem esposa de Yandi e uma de suas motivações para sobreviver na floresta

Durante o processo, um deslizamento de terra acontece e eles se separam na queda.
Yandi se vê sozinho na mata, sem muitos recursos, precisando encontrar seu amigo e fazer contato com a empresa via rádio, para resgate.

Yandi, o “Guybrush moderno”, se vê perdido na floresta

Resgatado por uma tribo local, ele não consegue se comunicar com os locais, até encontrar Kevin, que já morou na cidade grande, mas retornou para seu povo.
Kevin diz que Yandi precisa abandonar o local, pois acharam um machado em seus pertences, o que é mal visto pelos locais, devido ao desmatamento que os prejudica.

Kevin ajuda Yandi, apesar de lhe alertar que lenhadores não são bem vistos na tribo

Após uma série de pequenas missões de ajuda aos habitantes da tribo, Yandi conquista a simpatia de todos e recebe seu machado de volta, tendo agora de enfrentar os perigos da floresta em busca de seu amigo perdido.
Durante o processo, ele se verá às voltas com uma rede criminosa e um mistério da floresta que pode estar ligado às crenças locais.

Yandi e Ramdan em um dos flashbacks: tiro ao alvo é um curioso passatempo para lenhadores

Como todo bom point-and-click, SFOY baseia-se na exploração das telas e nos puzzles envolvendo combinação de itens. A lógica do jogo é bastante real e amigável, o que impede momentos em que o jogador se perde, como algumas companhias do passado gostavam de fazer (cof, cof… Lucas Arts… cof, cof… Sierra).

O resultado de seu trabalho: a devastação da floresta de Sumatra

Fugir de tigres e ursos, bem como descobrir como lidar com eles e com abelhas se torna parte da aventura.
Um resgate de criança desaparecida e uma investigação sobre uma empresa criminosa acaba por se revelar durante a jornada de Yandi, tendo até mesmo alguns homens armados em perseguição.

Na floresta, sem ferramentas, o topo da cadeia alimentar muda

A arte do jogo remete diretamente a clássicos como as séries Monkey Island e Indiana Jones, da Lucas Arts, com gráficos simples mas funcionais.
Embora os personagens não possuam rosto com expressões, quando mostrados de longe, a movimentação fluída dá o recado através da linguagem corporal.

O jogo possui uma bela e minimalista arte (Mogli, é você?)

A trilha sonora é discreta, sendo o jogo mais focado nos sons da floresta, que são muito bem representados por ruídos de pássaros e macacos ao longe.
Curiosamente a TV me enganou com o efeito 3D e eu não sabia de onde alguns sons estavam vindo, acreditando serem da TV da sala, quando na verdade eram do próprio jogo no quarto (estou ficando esclerosado?).

Em um computador é possível achar o Semut (formiga) Orang (homem) Gajah (elefante), tradicional jogo indonésio semelhante ao Pedra, Papel e Tesoura

A platina é relativamente simples, consistindo em zerar o jogo, com diversas ações necessárias para finalizar a aventura como troféus normais. Há um ou dois troféus que podem ser perdidos, então explore bem os cenários (não, não vai ter spoiler de troféus aqui!).

RESUMO DA ÓPERA:
Sumatra Fate Of Yandi
é uma bela homenagem aos clássicos point-and-clicks dos anos 80 e 90, obviamente com uma jogabilidade melhor.
O gráfico simples remete bastante aos clássicos da Lucas Arts, inclusive em sua paleta de cores.
Os puzzles são bastante lógicos, sem soluções malucas que façam o jogador se perder.
Uma cativante história sobre amizade, amor, ganância e ecologia, que agradará especialmente os nostálgicos jogadores de PC do passado.