Review / Tutorial: Eagle Island

Nada mais justo que deixar o Feathers aqui no começo pra ajudar no review

Ola, aqui é o Pena e nada mais justo do que ser eu a fazer o review do Eagle Island, aonde poderei mostrar o poder do meu nome (a piada é cretina, mas o jogo é bom, eu prometo).

Ele foi produzido pela Pixelnicks, sendo o primeiro jogo da empresa e foi um projeto iniciado pelo kickstarter, enquanto a publicação dele foi feito pela Screenwave Media Games, que também trabalhou os os dois jogos do Angry Video Game Nerd.

Eagle Island ficou um bom tempo em acesso antecipado na Steam e antes do lançamento para os consoles ele recebeu a atualização do Twist, sendo que dentro do mesmo títulos temos dois jogos bem distintos, dividem bastante coisa nas suas jogabilidades, mas tem histórias e mecânicas próprias que dobram o aproveitamento dele.

Devido a isso, as parte que são iguais eu vou juntar nos comentários e os pontos diferentes eu separo nas suas próprias seções.

Review feito em base das versões pra PC e PS4
(códigos cedidos pela Screenwave Media)

Titulo: Eagle Island
Produtora: Pixelnicks
Distribuidora: Screenwave Media
Gênero: Metroidvania / Plataforma / Aventura / Rogue-Like
Plataformas: Nintendo Switch, PlayStation 4, Xbox One, PC e PlayStation 5
Mídia: Digital
Textos: Inglês, Francês, Espanhol, Alemão, Russo e Japonês.

História

Eagle Island

Nesse jogo acompanhamos Quill e as suas duas corujas Koji e Ichiro. Durante a sua viagem de barco, eles são pegos numa tempestade e acabam na Ilha da Águia.

Após uma rápida exploração uma águia gigante chamada Armaura ataca o nosso aventureiro e rapta Ichiro, dando inicio a história de resgate e acaba tendo várias descobertas inesperadas.

A história e desenvolvimento são bem simples e diretos, coisa normal pro gênero, mas ainda é gostoso ver o que acontece aqui, algumas coisas já esperadas, mas outras pegam na surpresa.

Eagle Island Twist

Na versão Twist, jogamos com Fia e seu companheiro Kusako que, após quebrar o Manaroc Twist e liberar uma versão maligna dela, precisa encontrar todos os pedaços do artefato pra restaura-lo.

Nesse jogo não temos um desenvolvimento de história, mas não é algo necessário pra desfrutar da aventura que, mesmo não sendo no estilo de Rogue-like, é bem difícil também.

Gráficos

Ambos os jogos são feitos em pixel arte, mais puxados pro estilo infantil, mas muito bem feitos. Os personagens, monstros e cenários estão muito bem feitos e tem uma variação bem grande nos temas deles.

Lembrem-se crianças: não comam cogumelos estranhos

Mas não é por que os gráficos são em pixel art que tudo segue esse estilo, temos diversos efeitos diferentes no jogo, como esse de alucinógeno e outros de luz, como blocos feitos de vidro que ficam praticamente invisíveis, mostrando que tiveram um capricho extra neles.

Também tem escolha de filtros pra deixar no melhor agrado dos jogadores. Todas as imagens do review foram feitas usando a renderização padrão “Pixel” por gosto próprio

Áudio

Seguindo pra um segredo

A sonoplastia do jogo no geral segue mais com musicas ambientes, sendo alguns pontos e estágios com músicas no estilo retro de chiptunes bem gostosas de ouvir, mas claro que durante as batalhas de chefes temos músicas especiais, que acompanham bem a ação do momento.

Infelizmente eu não achei a OST pra incorporar direto no review, mas tem o link direto pra compra dela que dá pra ouvir, só clicar aqui.

Jogabilidade

O jogo original
e a atualização gratuita

No pacote temos os dois jogos, o Eagle Island e o Eagle Island Twist. A base de ambos são de ação em plataforma, sendo que o original usa mecânicas de metroidvania e rogue-like, enquanto o Twist é num estilo de jogo de plataforma por fases

Devido a similaridade deles, eu vou comentar primeiro do que tem de igual pra depois entrar nos detalhes de cada um deles. Vale lembrar que você escolhe qual vai jogar, logo que inicia o aplicativo e pode trocar entre eles sem ter que reiniciar tudo.

escolha a dificuldade que mais lhe agradar

Independente de qual dos dois você inicie, você pode escolher entre as quatro dificuldades. Você pode trocar a dificuldade antes de iniciar um estágio em ambos os jogos, então não tenha vergonha de ir no casual, pois apesar de bonitinho, ele é bem complicado.

Exploração

Como todo jogo de plataforma, o que mais você vai fazer é pular, mas pelo menos aqui os personagens conseguem se segurar na beirada das plataformas e você vai usar muito isso durante o jogo, principalmente pra procurar os segredos dele, que acredite, tem muita coisa oculta aqui.

Os ataques aqui são feitos com chamando e mirando o seu companheiro, não encoste nos inimigos pra não tomar dano. Você consegue quebrar blocos com os ataques também.

Um detalhe dos ataques é que existe combo aqui. Se você derrotar inimigos rapidamente em sequencia, começa a subir o combo, aparecendo X2, X3 e assim por diante. Dependendo da dificuldade que está jogando, além dos Manaroc (que eu entro em detalhes deles mais a frente), moedas e sementes douradas, também pode receber corações pra recuperar energia (cada nível de dificuldade necessita de um número de combo especifico). Fora isso, quanto maior o combo, mais dos itens você adquire.

ItemDescrição
CoraçãoRecupera 1 ponto de vida
ManarocRecarrega 1 ponto pra usar ataques especiais
MoedasOriginal: Usado pra comprar itens como Tucano
Twist: Usado pra contar rank no estágio
SementesUsado na troca com os corvos nos estágios

Eu falei que tem coisa escondida aqui, com os blocos de vidro, você vê apenas uma silhueta deles bem imperceptível e tanto neles como nos comuns, lance o seu companheiro neles pra conseguir o que tem dentro deles, mas tem que ir atrás do que saiu, não é adquirido automaticamente.

Esses corvos estão nos dois jogos e você precisa pagar o que eles pedem em sementes douradas pra conseguir o conteúdo dos baús.

Nos baús você encontrará na sua maioria as pedras runicas, que dão habilidades extras pros personagens. Quando você pega elas, pode colocar em um dos quatro espaços pra elas. Com exceção das que ficam travadas por ser algum especial do estágio (mais no Twist), todas as runas degradam e depois de um tempo perdem o poder.
Outro detalhe, caso você não queria a runa adquirida, pode simplesmente jogar fora no símbolo de lixo ou guardar pra um uso posterior no caso do jogo original. Mas pra ambos os jogos, elas só duram no estágio e assim que sair ou morrer perde elas.

O poder das Penas

Os poderes especiais do jogo vem dos meus parentes das Penas Elementais, que dá poderes especiais para os seus companheiros.

  • No original você libera as penas conforme avança na campanha;
  • No Twist você já começa com as 3 penas elementais básicas.

Existem outros poderes, mas esses eu não vou entrar em detalhes pra não estragar surpresas. De qualquer maneira, esses poderes são usados tanto para ataque como pra resolver puzzles no jogo, precisando ter manaroc pra usa-las, então vamos por partes.

A pena de Zephara

Zephara é o pássaro místico do trovão e com esse poder o seu companheiro atravessa vários obstáculos e inimigos de uma vez, podendo continuar combos e ativando cristais pra liberar o seu caminho.

A pena de Magira

Magira é o pássaro místico do fogo e com esse poder o seu companheiro cria uma explosão ao bater em algum inimigo, obstáculo ou ao chegar ao limite do seu voo. Essa explosão pode ser utilizada tanto pra acertar vários inimigos como também para acionar puzzles.

A pena de Icora

Icora é o pássaro místico do gelo e com esse poder o seu companheiro cria um rastro congelante, paralisando inimigos no caminho do seu ataque. Caso o inimigo esteja no ar, ele pode estilhaçar, morrendo na hora. seu caminho.

Eagle Island (O original)

Quando você inicia uma nova partida, tem como escolher como o jogo funciona:

  • Play Game: O modo original do jogo, aonde cada estágio é aleatório e muda a cada nova tentativa;
  • Play Seed: Os estágios são sempre os mesmos e é determinado pelo servidor selecionado;
  • Play Official Seed: mesmo modo que o anterior, mas o servidor é sempre o mesmo e é utilizado pra disputas e speedruns.

No original a jogabilidade mistura o metrodvania com rogue-like. O acesso aos estágios é liberado conforme você avança na campanha, usando habilidades novas adquiridas nos estágios anteriores e além dos estágios necessários pra avançar no jogo tem uns escondidos também.

Entre os poderes liberados tem o ataque carregado e o pulo duplo, que liberam novos pontos do jogo pra avançar na história e facilitar a sua vida nos estágios.

No mundo você acha essas portas que dão acesso aos estágios. No modo original, cada vez que você entrar nessas portas o estágio é diferente.

Na primeira sala, enquanto você não saiu dali, você pode selecionar alguma runa que já tenha no seu inventário pra já adiantar a sua vida ali.

Muitas partes dos estágios necessitam que você derrote um mínimo de inimigos pra avançar nelas, que fica marcado pela imagem de crânio com o numero na porta.

Alguma salas tem uma estátua de Águia. Elas são usadas como ponto de acesso rápido dentro do estágio e nessas salas também aparece esse Tucano vendendo pedras runicas, vida e manaroc. Ele cobra moedas prateadas na transação.

Escondido nos estágios tem os túmulos e estátuas do pessoal que ajudou no kickstarter dele, consegue achar todos?

Cada estágio também tem uma dessas moedas antigas escondidas que vai ocupar um espaço de runa. Pra que elas servem? Vou deixar no ar pra você caçar todas.

No final de cada estágio tem um chefe e caso consiga derrota-lo, você recebe um rank baseado em quanto de dano recebeu, quantos combos e outros detalhes, sendo o maior o rank S. Se você não morreu, todas as sementes douradas e moedas que sobraram continuam no seu inventário pra a próxima partida.

Agora se você morrer, algo que vai acontecer bastante, você vai perder todas as moedas e sementes, mas pode rodar esse pequeno bônus pra ganhar runas pra a sua próxima partida.

No menu do jogo é só pra ver o que já adquiriu de habilidades e penas, mas também tem como ver todos os monstros que você já encontrou, todas as runas e suas pontuações em cada um dos estágios do jogo.

Eagle Island Twist

Consegue identificar o cenário?

A versão Twist do jogo é de aventura em plataforma, com cenários pré definidos e com objetivos diferentes do original. Aqui você joga diversos estágios a procura dos pedaços do Manaroc Twist e outros segredos.

A quantidade de referências nessa versão é enorme

Nele você tem um mapa geral que vai liberando conforme finaliza os estágios interligados, mas seguindo o estilo do Super Mario World (que se não deu pra reconhecer o estilo, agora está apontado XD), não tem uma sequencia linear dos estágios.

Algumas runas ficam travadas pra dar mais desafios aos estágios

Todas as telas tem uma placa dessas indicando quantas moedas prateadas você precisa pra alcançar o rank das medalhas de prata e ouro. Ao contrário do original, ao terminar um estágio, você não mantém nem essas moedas nem as sementes douradas.

O objetivo dos estágios é encontrar aquele cristal azul no topo, que é um estilhaço do Manaroc Twist que foi quebrado no início do jogo.

Boa parte da jogabilidade é a mesma do original, mas coisas como nadar você já tem desde o início, já que ela não aprende novas técnicas.

Todo estágio, além do cristal azul, você pode encontrar uma dessas esmeraldas. Só existe uma por estágio e são utilizadas como base de troca co o Tucano em pontos específicos

Quando você já pegou a esmeralda do estágio, no lugar dela aparece essa esfera verde que serve como continue dentro dos estágios. Você também recebe continues a cada 25 moedas prateadas adquiridas no estágio, mas a contabilidade disso eu explico daqui a pouco

No Twist a estátua da Águia serve como check point, caso você morra no estágio, pode continuar a partir dela se você ainda tiver continues. Só que tem um porem, assim que você morre, todas as moedas prateadas são contabilizadas pros continues, então se você quer pegar a medalha do estágio, não vai poder usar o check point.

Vários dos estágios tem runas específicas que não podem ser removidas do inventário pra manter as modificações dele, como o uso da lanterna nesse estágio na foto e outros efeitos.

No final do estágio é contabilizado quantas moedas prateadas você consegui e recebe em troca a medalha correspondente se bateu o critério mínimo.

Em alguns pontos do mapa geral você encontra o Tucano que te vende as penas extras em troca das esmeraldas, boa sorte na transação.

O menu dessa versão é mais simples que no do original, só mostra o que você tem e pode verificar as informações das runas.

Extras

O jogo tem uns extras, tal como acertar certos parâmetros “trapaceiros” pra facilitar mais a sua vida, mas ativa-los impede que você consiga Rank S e Medalhas nos estágios. Alguns você libera na partida do Twist por meio de senhas.

Se você já fechou o Twist e começar uma partida do original, tem uma pequena quebra de sequencia antes da partida normal aonde você tem como pegar as penas extras que adquiriu no Twist, mas como o próprio jogo adverte, é melhor fechar a primeira vez sem usa-las pra manter o desafio do jogo, mesmo no casual.

Uma exclusividade da versão para PC é o GIF MAKER. Por ele você pode criar as sequencias de ação do jogo e salvar direto no PC. Todas as gifs postadas nesse review foram feitas com ele.

No original tem também o 2 modos que podem ser desbloqueados logo de começo, mas é recomendado tentar eles depois de fechar o jogo pra não estragar algumas surpresas.
Os dois modos são:

  • Rogue Mode: é uma sequencia direta do estágios gerados aleatoriamente sem a parte do mapa geral de metrodvania;
  • Desafio Semanal: Um estágio pré definido é liberado por uma semana pra desafiar os que se interessam no desafio, mas aqui não da pra mudar o nível de dificuldade, que fica travado nas maiores dificuldades.

Conquistas

Infelizmente esse eu não vou conseguir tudo…

O jogo também conta com uma lista de que é igual para o PS4 e Steam. A do Xbox One não tem as específicas do Twist. Além de poder se vangloriar de liberar as conquistas, ele tem um menu interno delas que libera artes diferentes ao seleciona-las. As mais trabalhosas são:

ConquistaDescrição
VanquisherFazer 100% no modo história (Original)
HotshotConseguir rank S em todos os estágios no Rogue Mode (Original)
PerkyUsar todas as runas (Original)
Gold MedallistConseguir medalha de ouro em todos os estágios (Twist)

Conclusão

Eagle Island é um ótimo jogo que vai pegar desprevenido o pessoal por achar que gráficos bonitinhos é igual a jogo fácil, já que tanto a versão rogue-like como o Twist são bem desafiadores, ainda mais se você escolher as dificuldades mais elevadas deles.

A jogabilidade ficou muito boa, os ataques com o seu companheiro e os diversos tipos de upgrade que você encontra no jogo dão uma variedade enorme de como desenrola a partida e pra aqueles que curtem uns easter eggs, a versão Twist tem vários cenários inspirados em outros jogos, entre eles temos:

  • Mario 2;
  • Meat Boy;
  • Super Metroid;
  • Super Smash Bros.
Capitão América entendeu a referencia

Ainda tem mais uns dois jogos que eu conheço de vista mas não sei o nome deles, mas deu pra ver que a habilidade de adaptar a jogabilidade base pra outros estilos é um ponto forte do pessoal da Pixelnicks.

Como tivemos acesso as versões de PC e PS4 do jogo, deu pra comparar ambas e, com exceção da possibilidade de criar as gifs dos jogo diretamente no menu na versão do PC, os jogos são exatamente os mesmos, não apresentando queda de frames em nenhuma versão (existe UM ESTÁGIO NO TWIST que ele acelera e atrasa os frames, mas isso é uma das configurações daquele estágio específico justamente pra atrapalhar o jogador, não é falha), então independente da versão que você pegue, o jogo não terá alteração alguma.