Review / Tutorial: kaze and the wild masks

Orelhas grandes podem ser convenientes em jogos XD

Ola, aqui é o Pena e hoje vamos dar um pulo nos jogos de plataforma no estilo dos anos 90 com o Kaze and the Wild Masks, que bebe direto da fonte de jogos da época, como Donkey Kong Country.

Ele foi desenvolvido pela produtora brasileira PixelHIVE Studios, sendo o primeiro trabalho deles e já começaram muito bem, trazendo um ótimo jogo para nós.

A publicadora dele é a Soedesco, que já publicou diversos outros jogos excelentes, como o Giana “Sisters: Twisted Dreams – Director’s Cut” e “Owlboy“.

Review feito em base da versão pra PlayStation 4
(código cedido pela Soedesco)

Titulo: Kaze and The Wild Masks
Produtora: PixelHIVE Studios
Distribuidora: Soedesco
Gênero: Plataforma / Aventura
Plataformas: PlayStation 4, Nintendo Switch, Xbox One, PC e Stadia
Mídia: Digital e física
Textos: Português (Brasil), Inglês, Alemão, Búlgaro, Chinês (simplificado), Chinês (tradicional), Coreano, Dinamarquês, Espanhol, Finlandês, Francês (França), Grego, Holandês, Húngaro, Italiano, Japonês, Norueguês, Polonês, Romeno, Russo, Sueco, Tailandês, Tcheco, Turco, Ucraniano, Vietnamita e Árabe

Link de compra da versão física pra PlayStation 4:
https://www.play-asia.com/kaze-and-the-wild-masks/13/70dm5f?tagid=1174255

História

Durante uma das explorações na Terra das Cenouras, Kaze e Hogo encontram um templo aonde tinha escondido um anel mágico. Só que o que era pra ser uma grande descoberta acaba em tragédia, já que nesse momento eles libertam um ser que estava aprisionado no anel e Hogo fica preso no seu lugar.

Agora Kaze precisa encontrar os cristais que foram espalhados pelas quatro ilhas pra assim conseguir enfrentar o exercito de frutas e legumes animados e salvar Hogo da sua prisão.

Sim, a história é bem simples e direta, sem nenhuma reviravolta mirabolante que vai te deixar de cabelo, pelos ou orelhas em pé, já que nesse tipo de jogo, a história está ali só como um pretexto pra termos uma nova aventura e poder se desligar um pouco do mundo real e curtir a fantasia que os jogos desse gênero nos proporcionam.

Gráfico

Os gráficos durante as partidas são todos em pixel art, extremamente bem feitos e detalhados, você só vai reparar que a arte é em pixel caso chegue muito perto da tela (ou olhe para as gifs que eu estou deixando durante o review), caso contrário é algo praticamente imperceptível, tamanho o cuidado neles. Isso é no geral do jogo, tanto nos sprites da Kaze como nos diversos inimigos do jogo, que mesmo sendo relativamente curto (dependendo do seu estilo de jogo), tem uma variedade bem grande sem ter os palette swaps.

Curiosidade: Pallete Swap

Método de troca de cores muito utilizada nos jogos, principalmente nos mais antigos, para economizar memória da mídia e termos uma variação de inimigos e personagens jogáveis, sendo um dos mais conhecidos a várias versões dos Ninjas do Mortal Kombat, aonde num único modelo, apenas trocando a cor, fizeram diversos personagens com histórias totalmente diferentes entre eles.

Durante alguns pontos do jogo temos uns vídeos rápidos usando uma arte diferente, são bem diretos, mas com uma arte e capricho excelentes.

Áudio

Na Inversão Russa, os vegetais que te comem XD

As musicas do jogo também remetem as utilizadas nos anos 90 nesse gênero, todas bem animadas e bem gostosas de ouvir, com uma boa variação dentro todos os estágios e batalhas de chefes que temos na campanha.

Já é de se esperar, mas como não temos nem conversas escritas, claro que não temos dublagens “de falas”, mas Kaze e os inimigos tem sim os seus barulhos e resmungos durante o combate, então não se preocupe que não é um “jogo mudo”.

Infelizmente a OST do jogo não está nem no Spotify nem no Soundcloud, então peguei emprestado a musica da floresta que a própria produtora colocou no canal deles.

Jogabilidade

Sendo um jogo baseado nos dos que tínhamos nos anos 90, os controles e jogabilidade são bem simples e direto, tendo apenas um botão para pulo e outro para ataque, o que é mais do que ideal pra esses gênero.

Quando você inicia uma nova partida, você pode escolher qual das dificuldades você prefere, mas não tem como alterar ela depois de iniciado. Mas não se preocupa, o jogo não tem contagem de vidas, então não existe uma tela de GAME OVER.

Seleção de estágio

O jogo é separado em 4 ilhas, cada uma contendo uma quantidade variada de estágios. Logo embaixo de onde a Kaze está são apresentados alguns símbolos que representam alguns detalhes do estágio. Enquanto você não completar o desafio referente aos símbolos, eles ficam em preto ou simplesmente não aparecem (como no caso da coroa). Cada símbolo representa:

SímboloDescrição
Conseguiu as quatro letras que forma a palavra “KAZE“.
Conseguiu completar os 2 estágios de bônus escondidos na tela.
Cada estágio tem metade da jóia.
Conseguiu pegar os 100 cristais púrpuras do estágio.
Completou o estágio sem receber um ataque
Marca o seu tempo no time trial.
O símbolo varia de cor dependendo do seu tempo, sendo ouro o melhor.

Vale lembrar que algumas telas especiais não tem telas de bônus e os chefes também não tem desafio de tempo.

Pra selecionar o estágio / ilha, basta mover Kaze / balão para o estágio / ilha que deseja, claro, pra avançar no jogo precisa finalizar estágio por estágio, mas você pode retornar a qualquer estágio já finalizado.

Em cada ilha existe um estágio extra. Eles não são obrigatórios pra fechar o jogo base e pra acessa-los é necessário pegar todos os cristais de bônus da ilha correspondente.
Claro que também no final de cada ilha temos um chefe, senão não seria um jogo de plataforma dos anos 90, mas eu não vou por aqui a seleção dele.

Na opção Album você acessa todos os vídeos que você já liberou do jogo, além de visualizar algumas imagens relativas a história antes dos acontecimentos do jogo. Pra ver essas imagens precisa pegar os cristais das letras de cada estágio.

Estágios

A ação do jogo é simples e direta, chegar no final do estágio vivo, nada além disso. Claro, é mais fácil falar do que fazer. Nos estágios temos várias armadilhas e inimigos pra atrapalhar a Kaze.

Esses cristais púrpuras são os necessários pra conseguir aquele cristal grande mostrado na seleção de estágio.

Espalhados por quase todos os estágios (com exceção dos estágios secretos e chefes) você encontra essas letras que formam o nome da Kaze. Coletando todas você consegue o cristal usado pra liberar as imagens do álbum.

Esse coração gera uma barreira na Kaze. Geralmente ela morre com um hit, com essa barreira você sobrevive a um ataque. Claro, quedas em precipícios, lava e outras vertentes é morte instantânea. Quando você tem a barreira ativa, Hogo na sua forma de espirito te acompanha, assim da pra saber se você tem a proteção ou não.

Caso você já esteja com uma barreira, recebe alguns cristais púrpuras no lugar, podendo passar o 100 cristais do estágio.

No avançar dos estágios você encontra essa estátua. Eles são os check point do jogo, caso você morra, retorna ai. A quantidade que aparece no estágio depende da dificuldade selecionada.

Já esses cristais são a entrada pro estágio bônus. Cada estágio tem 2 desses. No começo eles estão bem visíveis, mas claro que no decorrer do jogo eles ficam muito escondidos, então tem que vasculhar bem.

Ao pular e segurar o botão de ataque, Kaze gira as orelhas como se fosse um helicóptero e consegue planar um pouco, aumentando a distancia alcançada no pulo.

O botão de ataque faz com que Kaze gire. É possível utilizar ele pra derrotar alguns inimigos, mas nem todos, já que alguns tem defesa pra esse ataque.

Também é possível pular na cabeça deles pra derrota-los, mas como no caso do giro, alguns inimigos tem proteção. Vale mencionar que, depois que a Kaze começa a girar, não é possível usar o giro da orelha pra planar e claro que muitos pontos você precisa ter um bom controle de ambas as ações.

Isso é mais raro, mas tem uns jarros em alguns estágio que você pode usar pra derrotar os inimigos. Nesses jarros pode conter uma das letras, coração ou cristais.

Cordas e cipós aparecem durante a partida também, basta pular neles pra usa-los e atravessar os diversos desafios que aparecem nas telas.

Alguns pontos dos estágios tem cristais escondidos no chão. Pra recolhe-los, basta pular e apertar pra baixo + ataque que ela da esse mergulho. Isso também é utilizavel nos inimigos.

Esses dispositivos arremessam Kaze na direção que eles indicam. Tem dois tipos:

  • Manual: você aciona na hora que quiser;
  • Automático: Aciona assim que Kaze entra nele.

Esses cristais são a saída do estágio. Basta pular neles pra completa-lo.

No final do estágio mostra quais itens você adquiriu e se passou sem tomar dano. Caso não tenha conseguido alguma coisa, basta repetir o estágio que o que já foi adquirido mantém armazenado.

Time Attack

Depois que você finaliza a primeira vez um estágio e ao retornar nele, aparece esse relógio, que serve pra ativar o time attack dali.

No time attack temos algumas diferenças do modo normal:

  • Ao pegar o relógio, você automaticamente recebe um escudo;
  • Cristais, corações, estágios bônus e check points desaparecem.

Nesse modo tem o tempo rodando no topo da tela com o tempo pra bater, se passar mostra o próximo rank.

Outro detalhe é que, como não tem check point nesse modo, se morrer, volta pro inicio do estágio precisa pegar de novo o relógio pra iniciar a corrida contra o tempo.

Ao finalizar o estágio nesse modo, mostra os 3 tempos base pra vencer e qual o seu tempo. Se você bateu o seu recorde, também mostra.

O jogo tem um registro online dos tempo de todos os jogadores, mas isso só influencia na competição mesmo, não afeta nada na jogabilidade e conquistas dele.

Estágios Bônus

Quando você entra num dos vários estágios bônus do jogo, você tem um dos 3 objetivos dentro do tempo pré determinado:

  • Pegar todos os cristais verdes;
  • Derrotar uma certa quantidade ou todos os inimigos do local;
  • Chegar até um ponto do estágio.

No bônus o escudo é desativado, então 1 hit você já perde, mas pelo menos você pode tentar novamente logo em seguida sem precisar entrar de novo.

Mascaras

Em alguns estágios você encontra essas estatuas com uma mascara. Elas dão poderes especiais para a Kaze conseguir avançar no estágio. Temos 4 delas:

Ave

Repare que até as orelhas ganham penas.

Como é de se imagina, a mascara da ave é utilizada pra voar, conseguindo avançar e, diversos estágio cheios de espinho e inimigos pra te atrapalhar.

Além de voar, o ataque giratório é substituído por um tiro de médio alcance, usado pra acertar os inimigos e objetos do cenário. O efeito e restrições dele são os mesmos do giro.

Tubarão

Jogo de plataforma sem estágios de água não tem respeito no gênero hahahahaha
Kaze não nada normalmente, no máximo flutua, mas com a mascara de tubarão ela consegue nadar bem rápido e contra correntezas.

Além de nadar, o ataque é alterado pra um giro que também impulsiona Kaze na direção que ela está olhando no momento.

Tigre

A mascara de tigre te permite escalar paredes, então pode apostar que terá muitos pontos que você precisa entender esse mecanismo de “pulo na parede”.

A giratória é substituída pelo avanço, que pode ser utilizado no ar também, mas por causa disso, não é possível girar as orelhas como helicóptero.

Lagarto

Diferente de todas as outras mascaras, a de lagarto faz com que Kaze entre em frenesi, correndo descontroladamente até o final do estágio, mudando a jogabilidade de plataforma normal para aqueles de pulo e corrida.

Aqui você tem o pulo duplo e o mergulho, ambos essenciais pra chegar no final do estágio sem cair nos precipícios ou bater de frente com uma parede no seu caminho.

Chefes

É Mamonas nananas, Assassinas nanas hehehehe!!!

Claro que temos chefes no jogo e seguindo os padrões, precisa acertar eles 3 vezes pra vencer. Agora como você vai conseguir isso depende totalmente do chefe, então se prepara pra estudar os movimentos deles.

Extras

Quando você fecha, continua podendo acessar todas as telas normalmente, sem nenhuma alteração, mas o jogo conta com um final extra.
Como conseguir ele? Quando você fechar o próprio jogo te da a dica de como fazer, só jogando lá ahahaha.

DLCs

Até o momento do review Kaze tem apenas uma DLC, sendo ela gratuita, que é um conjunto de skins diferentes pra ela e pro Hogo. Lembra do pallete swap lá no começo? Então foi por causa disso também.
Na Kaze a mudança são só nos esquemas de cores, mas no Hogo muda as formas dele. Isso é apenas visual, não muda nada na jogabilidade.

Conquistas

O jogo mesmo na dificuldade original não é muito difícil, principalmente por que a maioria dos inimigos não são agressivos, mas mesmo assim fazer todas as conquistas deles requer uma dedicação extra, já que tem bastante desafio pra completar. A lista de troféus do PlayStation 4 é a mesma das conquistas da Steam. Os mais complicados são:

ConquistaDescrição
SpeedrunnerCompletar o jogo em 2 horas
Flawless!Finalizar todos os estágios e chefes sem tomar dano
HistorianCompletar o álbum
Run, Rabbit! Run!Bater o recorde de todos os time attacks
Oops!Completar um estágio sem pegar nenhum cristal

Conclusão

Kaze and the Wild Masks é um excelente jogo de plataforma que pega o espírito dos jogos do gênero, só é um pouco curto caso você não corra atrás dos desafios, são eles que prolongam bastante a vida do jogo, mas ainda assim agrada muito na beleza as artes em pixel e nas musicas, trazendo aquela nostalgia pro pessoal que jogava esse gênero nos anos 90 sem forçar uma imagem retro, tendo sua própria identidade.