Review / Tutorial de Darq Complete Edition

* Esta análise foi feita com o código cedido pela Feardemic (versão PS4/PS5)

Distribuidora: Feardemic
Produtora: Unfold Games
Plataforma: PS4 / PS5 / Xbox One / Xbox Series X / Xbox Series S / Switch / PC
Mídia: Digital
Ano de Lançamento: 2020

Darq Complete Edition é a versão relançada de Darq, com os dois dlc’s inclusos, The Tower e The Crypt.
Desenvolvido pela Unfold Games e publicado pela Feardemic (subsidiária da Bloober Team), Darq é um jogo de terror psicológico/puzzle.

Lloyd é um menino que se encontra preso numa sequência de pesadelos lúcidos, tentando escapar dos mundos sombrios onde acorda.
Ainda deitado na cama, sua “alma sai do corpo” e passa a vagar por paisagens insólitas.

Lloyd sai de seu corpo durante os pesadelos

Lloyd não possui habilidades de combate, tendo como armas apenas a astúcia na solução de puzzles, o stealth para se esconder das criaturas que surgem e a velocidade nas magras pernas, para fugir durante perseguições.
Pálido, com profundos olhos negros e careca, o protagonista lembra vagamente o personagem principal de O Estranho Mundo de Jack.

Na falta de combate nos pesadelos, Lloyd precisa confiar na sua habilidade em stealth

O mundo dos sonhos não respeita as regras exatas da física, vantagem que Lloyd pode usar para caminhar em paredes e teto não obstruídos.
Alguns cenários podem ser rotacionados para as quatro direções, sendo a movimentação em 2D, ou seja, o cenário pode ser visto em quatro lados de profundidade.
Em outros casos, uma alavanca acionada transfere o personagem para uma alavanca anterior ou posterior na mesma altura ou girando o personagem para trás ou para frente em 90º no cenário.

Caminhar pelas paredes e teto ajuda a descobrir novas rotas e objetos escondidos

Falando nos cenários, eles possuem tons escuros, com predominância de preto e tons de cinza, alternando cômodos de uma casa, cavernas, um palco de teatro, porões e uma rua abandonada.

A rua abandonada é um dos cenários com rotação 360º horizontal

Algumas criaturas espreitam a escuridão: mulheres com cabeça de abajur e pistolas, um corvo humanoide com telecinese, uma mulher esquálida com o rosto enfaixado, cochilando em uma cadeira de rodas, homens-tuba a pé ou em cadeiras de rodas, um ser humanóide com braços retorcidos que tenta pegar Lloyd e por aí vai.

Criaturas de pesadelos atacam um Lloyd… sem cabeça, sim, ele literalmente perde a cabeça em a Cripta


Alguns puzzles são resolvidos através de itens, como braço, cabeças e pernas decepadas, ímans, engrenagens e válvulas.
variedade nos puzzles, especialmente envolvendo lógica, seja ela numérica ou sequencial de objetos.
Algumas soluções são mais macabras, envolvendo segurar fios desencapados para ajudar a conduzir a eletricidade, usar braços decepados (mas não mortos) para puxar alavancas ou espetar cabeças para que os gritos quebrem uma parede com o som.

O clássico puzzle de montar o caminho; fácil na campanha, espere por uma versão bem mais complicada e com tempo no dlc


O título alterna momentos de terror, com alguns sustos, com um humor ácido e sombrio.
Lloyd não possui ataques, podendo no máximo esconder-se em algumas reentrâncias da parede ou escalar paredes para deixar algum inimigo cego passar.

Momento de tensão durante a execução de um puzzle


A arte de Darq Complete Edition possui cores frias e modelos de personagem distorcidos, com longos membros e muitas vezes deformados. De igual forma, os cenários tendem a ser longos, como que esticados na altura, sendo muito finos na grossura, com barras de metal e portões tortos.

A Torre possui uma realidade paralela com carne e dentes…

… enquanto A Cripta aposta num visual mais gótico, com estátuas virando a cabeça para observar um Lloyd sem cabeça


A trilha sonora orquestrada é composta por temas no violino com tons bastante sombrios, ela é mais pontual, surgindo apenas quando necessária e desaparecendo quando o silêncio aumenta a tensão.
Não há dublagens de falas propriamente ditas, mas gritos e gemidos, além dos “habituais” estampidos para alertar o jogador (e causar um mini ataque cardíaco).



O desafio da campanha principal tende a ser leve, com soluções de puzzle relativamente simples, o que não pode ser dito da dificuldade dos dois dlc’s, bastante elevada em relação ao conteúdo original.
A Torre possui uma série de desafios de puzzle, alternando a realidade do jogo original com um mundo mais visceral, com carne e “dentes/ossos”, sem inimigos.
A Cripta envolve puzzles onde a cabeça de Lloyd e seu corpo funcionam como personagens diferentes, precisando ser controlados individualmente para solucionar puzzles; aqui há algumas surpresas com criaturas.

Os puzzles possuem dificuldade mais alta nos dlc’s, não perca a cabeça (como Lloyd) enquanto tenta a platina


Como dito anteriormente, ambas as dlc’s possuem boa dose de dificuldade elevada.
A platina também ganha destaque, com apenas um troféu por completar a campanha, sendo os outros variados entre time attacks de capítulos, a obtenção de coletáveis raros, páginas de diário, muito bem escondidas.
Um destaque fica para o puzzle com a câmera giratória, que envolve fazer um círculo percorrer um labirinto na parede sem vê-lo 100% do tempo e o troféu… bem, o troféu pede que o labirinto inteiro seja percorrido antes da câmera girar 360º uma única vez.
Os dois dlc’s estão inclusos na platina, não possuindo set de troféus separados.

RESUMO DA ÓPERA:
Darq Complete Edition
é uma bela mistura entre terror e puzzle, com uso de gravidade, manipulação de dimensões e um humor macabro.
O desafio varia entre a facilidade da campanha e a dificuldade mais alta nos dlc’s.
Arte e trilha sonora possuem tons atmosféricos envolventes, alinhando-se bem ao estilo de horror com distorções e deformidades.
A narrativa é bastante minimalista, sem dar muitos detalhes, mas explicando o básico sem contar com falas ou mesmo narrativa em off (afinal, uma imagem vale mais que mil palavras).
Uma experiência de puzzles criativos envolvendo sustos, manipulação de gravidade e diferentes dimensões, além de um humor macabro na medida certa.