Review / Tutorial de GraviFire

* Esta análise foi feita com o código cedido pela SometimesYou (versão PS4/PS5)

Distribuidora: SometimesYou
Produtora: Potata Company
Plataforma: PS4 / PS5 / Xbox One / Xbox Series X / Xbox Series S / Switch / PC / Linux
Mídia: Digital
Ano de Lançamento: 2020/2021

GraviFire é um puzzle no estilo sokoban (empurrar caixas até seus respectivos encaixes), porém com o uso de gravidade.

Num planeta onde chamas verdes viviam pacificamente, uma delas é presa por alienígenas e colocada em uma armadura humanoide.
Agora ela precisa passar por 51 níveis organizando caixas para poder… salvar o seu povo! (sim, este é o roteiro)

O momento da abdução do protagonista


Para armazenar as caixas, utiliza-se a gravidade, que pode ser alterada nas quatro direções ou em menos direções, dependendo da fase.
Ao alternar o sentido da gravidade, todas as caixas são movidas na direção determinada, salvo as presas em algum obstáculo, seguradas pelo protagonista ou fixas em suportes de metal que as prendem definitivamente.

É possível segurar as caixas para resolver os puzzles


Conforme avança no jogo, novos itens surgem para modificar a estrutura, como raios laser que devem ser desativados pressionando um botão com a caixa ou o protagonista, as já mencionadas travas metálicas e caixas verdes que não podem ser destruídas pelos lasers (tampouco podem ser guardadas).

Lasers precisam ser desativados para a passagem das caixas


A dificuldade vai ficando alta conforme as fases avançam, pedindo diversas sequências de movimento pensadas à frente.
Ao contrário de outros jogos do estilo sokoban, aqui o movimento não pode ser desfeito individualmente: se você trancou ou isolou uma caixa por engano, precisa recomeçar todo o puzzle.

Um exemplo do uso da gravidade


Embora simples, os gráficos são funcionais (é um sokoban, não precisa reinventar a roda aqui).
Os cenários possuem tons escuros de roxo, enquanto o protagonista é verde vivo, sendo as caixas rosadas e os lasers com tons azuis, laranjas e verdes, no melhor estilo “caneta marca-texto”.

Cores bastante vivas, especialmente nos lasers (e na barra de gravidade, abaixo)


A trilha sonora é incrivelmente grudenta e você se pega cantarolando o ritmo do tema em poucos minutos.

A platina consiste em finalizar 50 níveis, com desafios para solucionar alguns níveis específicos (existe a opção de pular até 5 durante o jogo).

RESUMO DA ÓPERA:
GraviFire é um divertido sokoban, com bom uso da mecânica de gravidade e variações como lasers destruidores de caixas e travas que prendem os objetos.
O gráfico colorido e simples e a trilha sonora animada dão um bom clima à aventura.
A “trama” está lá para justificar os puzzles, mas não espere nada especial.
Um puzzle simples e rápido, para quem tem saudade do estilo.