Review / Tutorial: Towaga – Among Shadows

Um dos gêneros de nicho mais interessantes e complexos desde a época do Atari, é o Tower Defense, onde basicamente o objetivo é defender os territórios ou possessões de um jogador obstruindo os atacantes inimigos, geralmente mantendo sua defesa por conta própria ou colocando estruturas defensivas em seu caminho de ataque.

Exemplos mais antigos de Tower Defense na época do Atari 2600, era o Missile Command e Atlantis onde você tinha que defender a cidade e suas estruturas com canhões das naves inimigas:

Towaga: Among Shadows é um Tower Defense mais atual, porém sem estruturas de auxílio para defender, apenas o seu poder de magia…
Desenvolvido pela SunnySide Games e publicado pela Forever Entertainment / Noodlecake Studios o jogo vem com a proposta de ser um tower defense com elementos de ação rápida…

Código cedido para review pela Forever Entertainment, versão Playstation 4

Nome: Towaga – Among Shadows
Gênero: Ação / Estratégia (subgênero: Tower Defense)
Desenvolvedora: SunnySide Games
Distribuidora: Forever Entertainment (Consoles) / Noodlecake Studios (Apple Arcade e PC)
Plataformas: Playstation 4, Xbox One, Nintendo Switch, PC, Apple Arcade
Lançamento: 2020 (as plataformas receberam diferentes datas de lançamento)
Mídia: apenas digital

Tela Título

Seria estranho pra vocês se eu falar que a tela título é simplesmente o load inicial do jogo????

História / Enredo

Az’Kalar, um lugar pacífico e cheio de harmonia e luz, cai na escuridão após Metnal, dono do vazio e líder das trevas, corromper os 5 santuários e deixar as trevas tomarem conta da cidade…
Criaturas horripilantes são invocadas e destroem tudo que vê na cidade…
Chimù, nosso herói, apenas observa a destruição de longe, quando é transportado para o esconderijo de Kurro, onde irá guiar ele aos 5 santurários para a purificação e restauração com o poder da luz que Chimù possui… dádiva de sua tribo, por sinal…

Gráficos

E cá estou com mais um jogo feito em Unity (sim, tem sido comum nos meus reviews não????), com gráficos em desenhos baseado nas clássicas animações, e desenhadas à mão. Apesar de ser um mundo escuro, alguns aspectos são notáveis pela saturação e coloração presentes, incluindo os grandes efeitos de luz e especiais presentes nas batalhas.

Som / OST

Um dos fatores mais discretos, porém bem aplicados do jogo, as músicas possuem uma composição mística, com pequenas variações no seu gênero e ritmo, com direito à “coro” de tribo nas batidas…
Para quem quiser conferir, a OST do jogo foi composta por Dario Galizia, podendo ser conferida no perfil dele no SoundCloud:

O jogo não possui dublagens ou nenhum ruído que remeta á eles estarem falando num idioma específico…

Jogabilidade

O jogo possui um esquemático bem simples, sendo notável o estilo de “sticker” para ataques.
Os controles são confortáveis, mesmo em momentos de pressão dos inimigos…
Talvez um jogador bem emocionado pode reclamar dos possíveis problemas que pode causar no seu analógico enquanto tenta derrotar as hordas… (lol)

Sistema de Jogo

O HUD do jogo é muito simples:

Além de gráficos bonitos, o jogo possui um HUD limpo e simplificado

Barra de Vida – se chegar a 0, Chimù é corrompido pelas trevas
Pontos de Magia – pontos de sequência para o uso da magia corrente, sendo recarregável
Magia Atual – Chimù ganhará magias que auxiliam na sua defesa, sofre cooldown
Pontos – o jogo conta com sistema de pontos para competir com seus amigos e o mundo
Multiplicador – fique sem receber dano e aumente seu multiplicador de pontos

Exorcizando as Trevas

Como dito antes, o jogo é ação com elementos de Tower Defense, então basicamente Chimù ficará fixo em um lugar e você deve apenas apontar seu raio de luz para destruir os capangas de Metnal:

Plataforma??? Side Scroller???? Não… é um Tower Defense

A Magia é seu reforço…

Chimù pode passar por alguns momentos de precisar usar a magia quando tiver inimigos mais perto, use seus pontos de mana (abaixo da vida) apertando L2 para que ela seja seu reforço:

Novas magias são adquiridas conforme avançar no jogo…

O misto de Tower Defense e Action

Algumas fases do jogo podem variar o estilo de defesa do Tower Defense, por exemplo:

Ambientes Terrestres

Os inimigos vem em linhas laterais e pelo alto…

Áreas do Santuário

Inimigos vem em áreas laterais, aéreas e inferiores:

Áreas Aéreas

Lembra que o esquema do controle tinha MOVIMENTO ???
Aqui é onde o misto com ação entra, nos céus, Chimù tem total movimentação livre para lutar contra os inimigos nos céus de Az’Kalar.

Em contrapartida, nos céus não se pode usar a magia no modo história…

Bônus / Recover

Conforme Chimù exorciza os inimigos das trevas, almas são salvas e sua pontuação é registrada.
Ao realizar diversos exorcismos sem tomar dano, o multiplicador é aumentado, podendo ganhar mais pontos e almas:

Cristais amarelos podem aparecer durante a partida, detone-o para recuperar vida:

Há ainda cristais que auxiliam contra grandes hordas, causando uma explosão de luz e exorcizando os que estiverem no raio da explosão…

Além disso, brechas de almas podem aparecer, podendo lhe dar bastante almas na fase:

Detone as brechas para conseguir bônus de almas…

Um guerreiro da luz deve estar sempre preparado

Os fragmentos de almas que comentei e são coletados nas fases, servem para melhorar atributos, feitiços ou liberar equipamentos para Chimù, podendo ser feito a cada intermissão entre as fases ou no esconderijo…

Ficha– melhora os atributos físicos de Chimù

Magia – melhoram as magias no seu poder e alcance

Trajes – Chimù pode equipar trajes que darão bônus em algum atributo ou outro efeito com pós e contra…
OBS: alguns trajes são compráveis com fragmentos de luz e outros são desbloqueados através de requisitos…

Além disso, o jogo possui um universo com informações recorrentes com memórias e páginas do diário de Ikal, além de artefatos e máscaras das tribos…

OBS: não você não leu errado, o jogo está com erro de tradução onde CLOSE foi considerado como “perto” em vez de “fechar“…

Ao seguir no jogo, os inimigos terão pontos e almas ganhos, com valores variados e gradativos, cada inimigo novo apresentado é adicionado ao codex.

Portal de Luhan

O portal nada mais é que o esconderijo / menu inicial do jogo…

No modo UM JOGADOR você poderá jogar 4 modos:

As imagens são auto explicativas, entretanto 2 detalhes devo frisar:
No modo voador é possível usar a magia nos céus, diferente do modo história.
O reino do vazio é interessante jogar depois de terminar o modo história….

Modo Multijogador – jogue um contra o outro em até 4 jogadores numa arena e lute pra ver quem é o guerreiro da luz mais forte…
Perfil – melhorar Chimù, como já mostrei antes…
Codex – informações de coletáveis, bestiário e informações auxiliares da ilha, moradores e história…
Testes – informações para rastreio de alguns troféus e outras coisas…
Opções – ajuste as configurações

Troféus / Conquistas

Dificuldade: 2/10

Os troféus são bastante amigáveis, onde consiste em progressão de história, finalizar o jogo e o reino do vazio, alcançar onda específica no modo sobrevivência, desbloquear todas as memórias, páginas, máscaras e deixar Chimù com os atributos no máximo, além de derrotar diferentes tipos de inimigo em um número específico e miscelâneas.

OBS: há 2 trajes que é desbloqueado no Reino do Vazio

Considerações Finais

Graficamente achei o jogo um show a parte com seus efeitos e arte...
A variação dos mundos e ambientes que Chimù deve ir embelezam o jogo e o cenário ainda mais, entretanto, apesar de haver diversidade razoável para os inimigos, pode ser que para alguns ainda não seja o suficiente…

A trilha sonora, como pode-se averiguar, é bem composta e combina com o clima esotérico do jogo, assim como o ambiente “tribal”. Alguns momentos ela é discreta e outros ela é presente, sendo um mix no dinamismo enquanto avança no jogo…

A performance de estabilidade de quadros peca quando há muitos inimigos, apesar de não haver crashes involuntários como normalmente vemos em jogos com essa variação. A taxa de 60fps pode chegar nos 23.7 facilmente quando há muitos inimigos e efeitos de luz na tela, principalmente ao usar magias…
Isso levando em conta que foi jogado em um PS4 FAT…
Além do pequeno erro de tradução, o jogo estava sem som na introdução animada, até o fim deste review… (mas já repassei via relatório este problema)

A duração do jogo é ideal para o gênero, questão de 3 horas somando a história principal e o reino vazio, com Prólogo + 42 para o jogo base, + 20 fases para o reino extra, considerando suas habilidades para o estilo de jogo, obviamente.
Entretanto o desafio pode ser um aspecto bem variado para cada jogador…
O desafio do jogo é baixo no início e alto próximo do fim, já nas sobrevivências, é extremo a cada horda vencida…

Inimigos mais agressivos e em grande número, isso é o survival… (voador incluso)

Num aspecto geral, Towaga: Among Shadows é um jogo divertido e com dose de desafio com ritmo diferenciado, porém justo, com diversos recursos que lhe auxiliam no sucesso da sua conclusão, havendo também batalhas com chefes e mini chefes. Se está acostumado com tower defense ou jogos que tem um ritmo acelerado, é o jogo ideal para você experimentar, se acha que o jogo é curto para o preço que ele foi proposto, pegue em uma promoção…

E você conseguirá trazer a luz de volta à Az’Kalar????

Chimù está à sua espera…