Review / Tutorial: Brigandine: The Legend of Runersia

Ola, aqui é o Pena e dessa vez trago o jogo “Brigandine: The Legend of Runersia”, um RPG de estratégia e gerenciamento de recursos de guerra que lembra muito o jogo de tabuleiro “War

Desenvolvido pela Matrix Software, que teve como primeiro jogo produzido o aclamado jogo “Alundra” para Playstation 1 e publicado pela Happinet, esse é uma sequencia do “Brigandine: The Legend of Forsena” lançado para playstation 1, usando boa base dele com algumas modificações e adições ao modo de jogo.

Review baseado na versão para PlayStation 4
(Código cedido pela Happinet)

Titulo: Brigandine: The Legend of Runersia
Produtora: Matrix Software
Distribuidora: Happinet
Gênero: RPG de estratégia / Gerenciamento de Recursos
Plataformas: PlayStation 4 e Nintendo Switch
Mídia: Digital e Física
Textos: Inglês, Japonês e Chinês
Dublagem: Japonês

História

No continente de Runersia, aonde guerreiros conhecidos como Rune Knights com o poder de convocar criaturas prontas para o combate, temos cinco grande países e uma tribo que luta pela sua independência.
Nesse cenário temos os 5 equipamentos mágicos conhecidos como “Brigandines” que tem neles pedras de grande poder. Eles são nomeados de Justiça, Glória, Liberdade, Santidade e Ego, sendo que cada uma delas está na mão de um dos países.

Com tudo isso, os os 6 lideres irão batalhar para unificar o continente numa única bandeira.
As seis potencias do jogo são:

  • Reino Norzaleo: Comandado por Rubino, é o reino ao noroeste do continente em posse do Brigandine da Justiça, valorizando tal conceito;
  • Republica de Guimoule: Comandado por Eliza Uzala, se auto proclama o “local de nascimento dos Cavaleiros Rúnicos” e estão de posse do Brigandine da Glória;
  • Tribo Shinobi: Comandada por Talia, é uma tribo que vive no coração da floresta e agora são governados apenas por mulheres, estão de posse do Brigandine da Liberdade;
  • Teocracia Mana Saleesia: Comandado por Rudo Marco, se intitulam os verdadeiros seguidores do Deus Rúnico e é dito que foi aqui que as 5 pedras mágicas surgiram, estão de posse do Brigandine da Santidade;
  • União das Ilhas de Mirelva: Comandada por Stella Hamett, são diversas ilhas de piratas que se juntaram montar um unico governo, estão de posse do Brigandine do Ego;
  • Império Santa Gustava: Comandado por Tim Gustav, o único país que não tem um Brigandine, foi unificado pelo clã Gustav nas gélidas montanhas do continente.

Agora cabe ao jogador escolher qual dos lideres ele guiara para a unificação do continente.

Gráficos

O jogo divide gráficos 2D e 3D.
Enquanto você está está em conversas ou nos menus gerais, tudo é mostrado com as artes 2D, bem no estilo anime, mas com um traço mais adulto e cheio de detalhes.
O legal é que as artes 2D em diversos pontos tem uma movimentação de como se um quadro ganhasse vida, esses detalhes dão um ponto positivo ao jogo e realmente ficaram muito bem feito esses pontos, mesmo que não ocorram com tanta frequência.

Já durante as batalhas, tanto o cenário quanto os modelos são em 3D.
Tem uma variação razoável dos monstros que você pode controlar e da pra reparar que são bem feitos, mesmo que a maioria seja uma alteração do monstro base (na parte da jogabilidade você vai entender o por que).
Mas infelizmente algo que pode incomodar um pouco são os modelos 3D dos Cavaleiros Rúnicos. Enquanto a arte 2D deles tem características próprias não vistas em outros personagens, os modelos 3D são genéricos para cada profissão, com exceção dos Governantes (Rulers) e alguns poucos personagens específicos, o que deixa um pouco a desejar nesse ponto.

Áudio

A divisão continental no inicio do jogo

As musicas do jogo são interessantes, varia bastante dependendo de qual das nações você está controlando e batalhando contra, sendo que cada uma delas tem seus próprios temas.
Como a OST do jogo não está no Spotify, mas uma parte dela está disponibilizada no youtube pela própria Happnet, vou deixar o link direto da lista que eles disponibilizaram.
Pessoalmente curti muito o tema de batalha do Império.

Quanto a dublagem, ela está apenas em japonês, o que mantém o clima anime do jogo.
Tirando poucas interações (de pontos genéricos em alguns eventos que estão descrevendo uma ação), todo o jogo é dublado, tendo eventos específicos quando 2 personagens se encontram em batalha ou outros pontos da jogatina.

Jogabilidade

O começo de tudo

Logo ao começar uma nova partida, é dada a opção de qual modo você pretende jogar:

  • The Legend of Runersia: O modo principal do jogo, aonde você controlará uma das nações pra curtir a história do jogo;
  • Alternate Chapter: O modo mais difícil do jogo, apesar de seguir quase o mesmo esquema de jogo do modo principal, ele tem as suas peculiaridades, mas como ele só libera depois que fecha o jogo uma vez, eu entro em detalhes dele na parte de “extras” daqui do review;
  • Training: Literalmente a parte pra você treinar os mecanismos do jogo e acredite, é uma boa ir nele, o jogo te joga muita informação no começo que chega a assustar.

The Legend of Runersia (Modo Principal)

Escolhendo qual das nações ira dominar unir o continente

Como falei antes, aqui é aonde rola toda a base do jogo, com a história de cada um dos países e seus governantes.
Logo no começo, após a introdução ao mundo, você escolherá qual das nações você controlará nessa partida. Isso é importante por que cada cenário inicia em um ponto do mapa diferente com toda uma configuração inicial própria, desde quantidade de bases, cavaleiros no seu time e monstros. Analise bem qual você prefere e siga pra a próxima parte.

Selecionando a dificuldade do jogo

Agora selecione a dificuldade que você jogará, temos:

  • Easy: A “IA” do jogo não apela tanto e não temos um limite de sessões pra fechar, ideal pra a primeira partida;
  • Normal: Aqui a coisa já da uma esquentada, além da “IA” ser um pouco mais agressiva, temos um limite de 120 sessões pra fechar o jogo;
  • Hard: Além da “IA” ser muito agressiva, temos apenas 60 sessões pra fechar o jogo, ideal pra aqueles que já estão acostumados com o jogo e querem um desafio extra;
  • Custom: Aqui você pode modificar algumas peculiaridades para a partida, foi introduzida na atualização “Titans and the Iron Front“, entro em mais detalhes da atualização lá no extras;

Após tudo selecionado, temos inicio ao jogo, que é praticamente um “WAR” com controle direto nas batalhas e muitas regras e informações, como também é separado em 2 fases por sessão:

  • Fase de Organização: nesse momento você irá acertar todo o seu reino para uma possível invasão ou defesa de território;
  • Fase de Ataque: O momento da verdade, aonde as batalhas ocorrem;

Antes de entrar na explicação de cada fase, é bom dar uma pequena explicação de como funciona.
Cada sessão (ou turno, caso prefira assim) é composta das fases de organização e ataque, então se você está jogando com limite de sessões, é bom ficar de olho nisso pra não perder a partida por erro de calculo. Com isso, vamos as fases do jogo.

Fase de Organização

Durante esse período, temos que nos preocupar em deixar tudo certo pra o momento do ataque, acredite, tempos MUITA coisa pra pensar, então vamos por partes.

No mapa você tem acesso as informações de todo o continente.
Repare que as bases são interligadas pelo caminho. Isso é mais importante durante a fase de ataque, mas saiba que todas as suas bases ficam com a bandeira da sua nação e é nelas que os seus cavaleiros e humanos ficam. Repare que tem 2 símbolos nas bases e alguns números entre parênteses:

  • O símbolo indica a quantidade de cavaleiros tem na base, sendo os números entre parênteses os que não estão disponíveis pra batalhar na sessão de ataque;
  • O símbolo indica quantos monstros tem na base dentro dos times dos cavaleiros, enquanto os números em parênteses são os monstros que estão na reserva.

Ao clicar numa das bases, você consegue ver quais cavaleiros estão na base e o CP (Combat Power) total da base, mostrada pela espada e cajado. Também mostra o menu, com as opções:

  • Troops: Acessa a configuração das suas tropas;
  • Summon: Convoca novos monstros;
  • Move: Movimenta as suas tropas entre as bases;
  • Quests: Acessa a parte de missões de cada base;
  • Battlefiled: Mostra um geral de como é o campo de batalha daquela base;
  • Manage Items: Acessa o seu inventário geral;
  • End Pahse: Termina a fase que você está.
Menu Troops

Dentro do menu das tropas você vai configurar todas as equipes para batalha, logo de inicio é mostrado os cavaleiros e os monstros que eles controlam, além de algumas informações:

  • CP: Poder de batalha individual do time;
  • Status: Como está o cavaleiro, podendo mostrar em espera, em quest, em movimento e ferido;
  • Command Range: Quantos espaços o cavaleiro tem influencia sobre os seus montros durante as batalhas;
  • Magic Pool: Mostra quanto está em uso e o limite de custo os monstros podem consumir, isso varia de personagem pra personagem;
  • Left: Quanto está sobrando pra usar de magia pra comandar os monstros no seu time.

Ao selecionar “Units”, você consegue designar monstros aos seus cavaleiros, podendo trocar entres os que estão na mesma base e pegar os monstros que estão em reserva na base.

Na parte de equipamentos você pode armas os seus cavaleiros E OS SEUS MONSTROS, colocando armas, peitorais, capacetes e um acessório.
Vale lembrar que cada classe e monstro tem os equipamentos específicos que eles podem utilizar.
Outro ponto e que os equipamentos tem nível de raridade, indo de 1 a 3 estrelas. Caso consiga equipar um personagem só com equipamentos 3*, ele recebe bônus os seus status

Alguns itens diminuem algumas características pra melhorar outras

Aqui você pode usar itens consumíveis pra alterar permanentemente os status dos seus personagens e monstros. Eles são um pouco difíceis de conseguir, então planeje bem o que em quem ira utiliza-los.

Humanos e monstros mudam de classe ao subir de nível

Nessa parte você pode alterar a classe do seu cavaleiro e monstro.
Por via de regra, pra subir para a próxima classe, caso exista, é necessário chegar no próximo decimal (níveis 10 e 20), além de que pros humanos, ser necessário ter a proficiência necessária na classe anterior (marcada com a medalha).
Pros humanos, você pode trocar entre todas as profissões disponíveis (com exceção dos governantes e uns personagens específicos), contanto que ele tenha o requerimento necessário, no caso pra virar Bárbaro, precisa ter pelo menos 60 de força.

Pros monstros funciona quase que igual, o detalhe é que uma vez alterada a classe, ele não pode alterar para uma anterior e alguns monstros tem mais de uma classe disponível na hora da mudança.
Algumas classes precisam de um item especial para liberar a ultima classe deles, que são conseguidas nas quests

Você tem como alterar o nome dos seus monstros ou até libertar eles pra economizar mana, que eu entrarei em detalhes na parte de convocação.

Menu Summon

Nesse menu você convocara os monstros que lutaram pela sua nação.
Aqui temos uma das partes mais importantes do gerenciamento de mana, mostrando as seguintes informações:

  • Total Monsters: Mostra o total de monstros que você tem no seu exército;
  • Mana Reserves: Quantidade de mana atual no seu jogo;
  • Mana Income: Quanto de mana você receberá ao entrar na próxima sessão;
  • Upkeep Man: Quantidade total gasta pra manter os seus monstros;
  • Expeted Mana Income: Expectativa de mana recebida;
  • Revival Stone: Quantidade de pedras usada pra ressuscitar os monstros derrotados.
Os status do monstro convocado variam

Cada uma das bases tem monstros diferentes disponíveis para convocação, mas uma coisa é igual para todas. Todos os monstros novos iniciam no nível 1, então evite de deixar os seus morrerem em batalha, por que pra ressuscitar eles você precisa das pedras de ressuscitação, que são bem raras.

Opção Move

Nessa opção você move as suas tropas entre as bases no seu controle.
Vale lembrar que você pode mandar as tropas pra qualquer base, estando perto ou longe, mas não é possível mandar pra uma base inimiga, mesmo que ela esteja vazia.
Tem 2 detalhes:

  • o movimento da tropa só é concluída após terminar a fase de organização;
  • Monstros em reserva na base não podem ser movimentados enquanto não estejam num time
Menu Quests
Quanto mais setas, maiores são as chances de sucesso e de itens melhores

Nas quests você manda os seus cavaleiros em missões fora do combate continental.
Tem 2 tipos:

  • Viagens: missões pra adquirir itens e equipamentos, além de novos cavaleiros;
  • Treino: missões pra receber experiência fora de batalha pro cavaleiro e seus monstros.

Cada classe reage diferente aos terrenos e tem chances maiores ou menores de conclui-las (sim, tem chance de falhar).
Os símbolos em cada região mostra o que você pode conseguir nelas (1 item por quest) e se tiver o símbolo do capacete, aquele personagem tem uma chance de recrutar alguém. Governantes não podem entrar em quests de viagem, somente de treino.

Resultado no começo da nova fase de organização

As quests são concluídas ao iniciar a nova fase de organização e qualquer personagem que esteja em quest não pode participar de batalha durante a fase de ataque. Na tela que aparece, mostra os itens e exp adquiridos.

Caso tenha encontrado algum cavaleiro novo, tem uma pequena introdução de como ele ou ela entrou no grupo.

Opção Battlefield

Ao selecionar essa opção, é mostrado um geral de como é o campo de batalha daquela base e quais bases estão interligadas a elas, além de mostrar de onde os times iniciaram a batalha, tanto na ofensiva como na defensiva.

O menu de itens é um geral do que você tem no inventário, você consegue ver eles durante a configuração das suas tropas, enquanto a opção “End Phase“, como é de se esperar, finaliza a fase de organização atual e dá inicio a fase de ataque.

Fase de Ataque

A fase de ataque é mais direta, aonde você vai selecionar quais tropas iram atacar.
Vale lembrar que as únicas unidades que podem atacar são aquelas que estão em espera (stand by), enquanto qualquer outro status não permite participar dos ataques.
Qualquer tropa que foi dado o comando de movimento chega na base direcionada nesse momento, então mesmo que a outra tropa consiga invadir, a base atual não fica vazia.

Você pode mandar várias tropas ataquem ao mesmo tempo a mesma base ou bases diferentes, já que a ação só ira acontecer ao finalizar a fase de ataque.

Invasão

Ao finalizar a fase de ataque, começa as invasões programadas pelo jogador E PELO CPU, então saiba que os outros reinos vão atacar uns aos outros, como também podem te atacar.

Vale lembrar que, você pode mandar varias tropas atacarem a mesma base, mas somente 3 unidades pode entrar na batalha por vez, isso é selecionado no começo de cada batalha.
Se foram programadas 10 batalhas, acontecerá as 10 batalhas uma seguida da outra, você pode salvar em qualquer momento do jogo, então não precisa ficar com medo e só atacar uma base por vez (se tiver jogando com limite de tempo, vai precisar atacar varias ao mesmo tempo).

Batalhas

Ao iniciar a batalha, você escolherá quais unidades irão batalhar, cada uma recebe uma letra pra identificar quais monstros são de quais cavaleiros.
Nessa parte também você escolhe qual dos pontos iniciais (da direção que você está invadindo) a tropa inicia.

Cada batalha pode durar até 12 turnos, que termina após todos os movimentos das tropas aliadas e inimigas.
A sequencia de ataque é definida pelo CP total da unidade, enquanto os movimentos são nesse campo hexagonal.
O campo colorido é a área de influencia do cavaleiro para os seus monstros, se eles estiverem fora dessa área, seus parâmetros recebem penalidades.

por via de regra, magias não podem ser utilizadas após mover o personagem / monstro

Todos ataques básicos dos cavaleiros e monstros ficam em skill, enquanto magias ficam no menu magic.
Algumas skills (e todas as magias), podem ter o simbolo dos pés, indicando que elas não podem ser utilizadas após movimentar a unidade.
Nessa tabela também mostras qual elemento a técnica utiliza (a referencia de qual é melhor contra qual está no topo da tela quando seleciona os ataques), o alcance da técnica, se ela permite contra-ataque do oponente e quanto de MP ela utiliza.

Cuidado,, muitas das técnicas podem acertar aliados também

Um detalhe é que algumas técnicas só podem ser utilizadas enquanto a unidade (geralmente os monstros) estão em algum terreno especifico, como alguns ataques das serpentes só podem ser utilizados enquanto estiverem na água.
E ao contrário do primeiro jogo, aqui todas as ações ocorrem direto no mapa, enquanto no outro entrava numa outra tela pra mostrar a ação dos combatentes.

Durante o movimento você pode ver de qual tipo de terreno está saindo e pra qual vai e se tem algum bônus, já que cada cavaleiro e monstro tem uma preferência. Alguns pontos sobre o movimento:

  • Caso o hexágono esteja vermelho, indica que dali você consegue realizar alguma ação dali;
  • Se tiver uma corrente nele, ao posicionar uma unidade ali, a unidade que ficar cercada fica acorrentada, diminuindo a chance de esquiva e não conseguindo se mover (mas ainda pode atacar normalmente);
  • Cada unidade tem uma “zona de efeito“, que impende que algum adversário passe por ele direto, isso é extremamente útil pra impedir que o avanço dos inimigos.

Ao selecionar a unidade que a ação ira ocorrer, mostra uma prévia do que vai ocorrer, como as chances de acerto, dano e chance de crítico.

Não podia faltar uma chuva de meteoros

Nas batalhas o objetivo é derrotar todos os adversários, mas temos alguns detalhes aqui.

  • Se um monstro é derrotado, ele morre e precisa ser ressuscitado (como comentado na parte de convocação);
  • Se um cavaleiro for derrotado, ele fica ferido por uma sessão (existe item pra curar na hora, mas também é raro);
  • Caso o cavaleiro seja derrotado, todos os seus monstros fogem com ele;
  • Se o Governante estiver na batalha e ele for derrotado, todos os cavaleiros fogem com ele.
“Quem foge sobrevive pra lutar um outro dia”

Caso você esteja em muita desvantagem, não tenha medo, fuja antes que o seu cavaleiro seja derrotado, pois qualquer dano recebido, enquanto estiver vivo, é recuperado na próxima fase.
Você só consegue fugir pra uma base sua ligada a base em que a batalha ocorre.
E sim, o CPU também foge, então não se espante caso isso ocorra.

Algumas vezes, quando um cavaleiro é derrotado (tanto os seus quanto os adversários), algum monstro não consegue fugir junto e caso ele sobreviva até o final da batalha, o vencedor captura ele.
Os monstros sem um cavaleiro não atacam, mas a zona de efeito deles ainda funciona para atrapalhar a movimentação.

Várias opções de classe

Quando uma unidade chega no nível necessário pra trocar de classe, o jogo avisa e deixa marcado isso também no mapa.

Ao final da batalha, qualquer unidade sobrevivente recebe bônus de experiência, dai vale a pena levar alguma unidade fraca pra evoluir junto caso não tenha como fazer quest com ela.

Distorções de mana

A partir de um ponto do jogo, começam a ocorrer algumas distorces no fluxo de mana, aparecendo essas auras em algumas bases.
Nelas liberam uma quest deferente.

Quanto mais crânios, mais difícil

Nessas quests novas, você manda algumas unidades pra fazer uma batalha fixa, geralmente bem difícil, que dão boas recompensas ao serem finalizadas.
Aqui quando você ativa a quest e encerra a fase de ataque, é direcionado para uma batalha, igual quando é realizado uma invasão.

Uma diferença é que nessas quests tem pontos de armadilhas que causam status negativos, além de claro, inimigos forte.

Extras

O jogo tem alguns extras interessantes, vamos neles:

Alternate Chapter

O modo mais difícil do jogo.
O funcionamento básico dele é o mesmo que o modo história, mas com algumas diferenças:

  • Todos os cavaleiros e monstros começam no nível 1;
  • Você pode misturar os governantes com cavaleiros de outros reinos;
  • O jogo é travado no hard;
  • Tem missões a serem cumpridas pra não dar game over;
  • tem um sistema de pontuação aqui.

Você pode escolher qualquer cavaleiro que já tenha recrutado em alguma campanha anterior, além de uns especiais que tem outras formas de liberar.

Aqui você vai precisar completar certos objetivos pra continuar a partida, então um bom preparo é primordial.

Completando alguns objetivos extras dão pontos usados para liberar mais conteúdo durante a partida, mas boa sorte, aqui a partida é extremamente complicada.

Records of History

tem muita coisa pra desbloquear

Aqui você tem um geral de eventos que já foram liberados, informações sobre os personagens e monstros, além de galerias e modo pra escutar as musicas do jogo.
Na parte de eventos tem dicas de como recrutar alguns cavaleiros, tem umas condições bem específicas.

Atualização

A atualização gratuita “Titans and the Iron Front” acrescenta coisas novas para o jogo, tal como a adição dos monstros Shadow Goblim e Titan

Nova dificuldade Custom

Nela também temos a implementação da dificuldade “Custom“, aonde você pode configurar diferentes parâmetros do jogo, podendo tornar a sua partida bem mais tranquila ou extremamente desafiadora

Informações gerais da partida em todos o continente

Também houve o acréscimo de outras melhorias gerais na jogabilidade, como o implemento de informação geral do mundo, telas novas das quests e outras configurações.

Troféus

A lista de troféus desse jogo é bem complicada, além de exigir que feche com as 6 nações, você precisa:

  • Unparalleled Strategist: Fechar o modo principal no Hard;
  • Master Historian: Registar todos os eventos do jogo;
  • Mana to Mana, Dust to Dust: vencer todas as distorções durante uma campanha;
  • Master Tactician: Completar o modo Desafio com mais de 30 mil pontos

Conclusão

Brigandine é um bom jogo de estratégia, exigindo bastante do jogador pra conseguir gerir as suas tropas enquanto tenta conquistar o continente.

As batalhas ficaram bem melhores dos que do original, só peca nos modelos 3D genéricos dos cavaleiros, enquanto de resto é bem agradável visualmente, principalmente as artes que aparecem durante as partidas, nessas partes eles capricharam bastante.