Review / Tutorial: Chronos – Before the Ashes

Lembro quando teve o anúncio de Remnant: From the Ashes e eu fiquei bastante eufórico com a premissa de ser um jogo de dificuldade elevada inspirado nas franquias souls (do subgênero criado pela mídia derivado de soulslike) e ter uma mecânica com tiros em terceira pessoa, tal efeito transformou num dos melhores jogos do ano passado e na minha sincera opinião (ainda tenho que jogar as DLCs)…

No caso, Chronos seria uma prequela de Remnant, porém algumas observações devem ser levadas em conta aqui nesta pequena trívia que farei:

Chronos originalmente foi lançado em 2016 como um jogo de VR para Oculos Rift, apenas com este título de jogo, pela própria GunFire Games, criada por David Adams que também é fundador da Vigil Games, estúdio por trás de Darksiders e que é da família THQ Nordic. Posteriormente em 2019, a GunFire foi adquirida pela THQ Nordic.
A mecânica do jogo original era por meio de câmeras em ângulos fixos, onde controlamos o personagem e batalhamos na perspectiva presente da tela…
Praticamente foi um dos primeiros jogos no gênero de Realidade Virtual, onde poderemos ver os trailers originais a seguir:

Em setembro de 2020, foi anunciado o relançamento de uma versão revisada do jogo, já com o subtítulo “Before the Ashes” pela THQ Nordic com o propósito de fazer as devidas referências ao Remnant, além de tirar o requerimento de VR para ser jogado.

Infelizmente não pude jogar a versão original com o VR por justamente não possuir equipamento desse tipo (e por consequência não temos como fazer jogos VR pro site, mas quem sabe um dia?).

Então vamos analisar a versão de 2020 que tem como propósito considerar Remnant como parte do enredo…

Código cedido pela THQ Nordic para review, versão Playstation 4

Nome: Chronos : Before the Ashes
Gênero: Role Playing Game (Subgênero: Adventure / Action)
Desenvolvedora: GunFire Games
Publicadora: GunFire Games (versão original) / THQ Nordic (versão revisada)
Plataformas: Playstation 4, Nintendo Switch, XBox One, PC, Oculus Rift (original)
Lançamento: 2016 (18 de Março / Versão Original), 2020 (1 de Dezembro / Versão Revisada)
Mídia: física e digital

É possível comprar versão física na Play-Asia ou digital no site oficial do jogo escolhendo assim sua plataforma e região.
OBS: pelo site oficial a região pode ser US / EU e JP no PS4 e US no Xbox, a versão Switch ainda não está disponível.

Tela Título

História / Enredo

O Conto do Expurgo

Como dito antes, Chronos é tecnicamente uma prequela de Remnant, onde se passa um mês antes, então será fácil reconhecer alguns lugares, referências e citações durante o desenvolver da trama.

Gráficos

Os gráficos usam a engine Unreal, assim como Remnant, e tiveram um retoque na sua resolução e texturas, dando um aspecto meio desenhado na arte do jogo, misturado com um ambiente de efeitos tri dimensionais nos elementos de ataque e de luz.

Som/OST

A OST é mais focada em arranjos orquestrais, com retoques de músicas lentas e volume baixo à músicas agitadas com volume alto, deixando uma combinação de ambiente e trilha sonora perfeita para a composição do jogo no decorrer da sua aventura.
A OST vou postar a lista para você escolher qual ouvir via o canal Infinite Melodies que disponibilizou para apreciação de todos.

Com relação à dublagem, seu personagem não possui vozes que especifiquem uma performance de ator ou algo parecido, apenas resmungos, grunhidos e gritos, da mesma forma que seu personagem em Remnant.

Jogabilidade

O esquema do controle é inspirado na própria franquia souls, onde há as variações de golpes e necessidade de defesa ou parry. Outro fator que embasa isso é justamente o peso que cada arma tem com relação à sua força e necessidade para manuseio, sendo um fator diferencial na escolha de cada arma que você adquirir durante o jogo.

Em compensação, diferente do próprio Remnant e dos jogos que eles são inspirados, o jogo possui PAUSE ao entrar no inventário, não sendo ininterrupto no fundo da tela….

Sistema de Jogo

No HUD do jogo temos apenas um local de indicador geral, dividido entre:

Barra de Vida – auto explicativo
Barra de Stamina / Vigor – resistência com relação à suas ações ou reações, seus ataques não são afetados aqui, mas sim suas defesas.
Barra de Poder Arcano – funciona em conjunto com as Pedras do Dragão / Pedras Arcanas, sendo preenchida conforme atacar e derrotar inimigos.
Pedras do Dragão / Pedras Arcanas – indicador que mostra qual pedra você está usando no momento, detalhes a seguir.
Coração do Dragão – item usado para recuperar completamente sua vida se estiver em apuros, porém a magia dentro dela só pode ser usada 1 vez por pedra adquirida, caso morra, sua magia de cura é reativada

Lutando em busca do Dragão

Diferente de Remnant onde o foco de “combate a distância” com armas de fogo tinham total efeito e apenas uma arma de proximidade, Chronos escolheu o estilo “combate corpo a corpo”, mantendo assim o mesmo formato de seus base de inspiração.

Ao começar o jogo você pode escolher o gênero do seu personagem e o estilo de arma que quer usar, sendo Espada ou Axe, suas opções iniciais.

Espada

Combate mais rápido voltado em possibilidade de esquivas e agilidade.

Axe

Combate mais cadenciado em força e manter posição, juntamente com sua defesa.

O personagem possui 2 bases de ataque, ofensiva e defensiva.
A parte ofensiva por sua vez conta com ataques leves e pesados.

Os leves são os golpes mostrados acima, os pesados são golpes que podem concentrar mais força, o que podem torna-los mais lentos para sua execução.

Pesado

Quanto mais segurar o botão de ataque pesado, mais força e dano ele causa.
Entretanto, mais aberto à ataques você ficará…

Já no aspecto defensivo, você deve tomar cuidado com seu vigor, onde todo e qualquer bloqueio com o escudo pode acarretar uma quebra da sua defesa, deixando vulnerável à todo tipo de ataque…

Pra justamente evitar esse tipo de infelicidade, você tem outros meios de se defender…

Evades

Os evades tem duas variações, sendo o rolamento puro para uma maior distância, ou uma pequena previsão de movimento de ataque do inimigo com uma distância curta, possibilitando um contra ataque.

Além de claro, a possibilidade de causar um parry e refletir os ataques dos inimigos, deixando eles atordoados.

Pedras do Dragão / Poder Arcano

Com o decorrer do jogo, você irá encontrar uma misteriosa árvore, uma criatura que está escondida e tem uma das pedras do Dragão em seu poder. Sabendo do seu propósito e confiando em você, ela lhe concede a primeira pedra com o poder de fogo.

Quem lembra desta árvore em Remnant????

A barra de poder arcano é liberada e o indicativo da cor elemental da pedra usada sob seu poder está no lado dos outros indicadores…

O poder arcano é efetivo e pode ajudar bastante nas suas batalhas, podendo ser ativado com o golpe pesado concentrado no máximo ou com o brilho da arma ao estar totalmente carregado.

A ativação das pedras deixarão sua arma totalmente elemental, adicionando dano e mudando outros atributos como agilidade.
OBS: ao fazer um evade na previsão de ataque, você ativa a pedra do dragão por alguns segundos para contratacar.

Progressão e Evolução

Como um RPG tradicional, você obtém experiência conforme derrota inimigos, e ao completar a experiência suficiente você irá subir de nível:

Você ganha 2 pontos por nível para distribuir…

Seu personagem possui 4 pontos base de atributos e outros atributos derivados, sendo eles:

Atributos BaseForçaAgilidadeArcanoVitalidade
CaracterísticasRelativo ao seu dano, afinidade para manuseio com as armas e aguentar os golpes na defesa.Relativo à sua velocidade para aplicar os golpes e desviarRelativo ao seu dano mágico e resistência à elesRelativo ao seu vigor e resistência, ou seja, sua vida e absorver danos.

Já os atributos secundários, podem ser combinados entre os atributos base, dando uma maior ênfase na sua forma de jogar e no que quer concentrar o seu build de personagem.

Atributos
Secundários
DanoBloqueioDefesaDesviarSaúde
Influência
Atrib. Base
Força
Agilidade
Arcano
Vigor
Força
Defesa
Defesa
Resistência
Arcano
Evasão
Agilidade
Velocidade
Saúde
Vitalidade
Defesa

Caso não tenha entendido muito bem:

No exemplo, o atributo secundário DANO pode haver combinação no atributo base FORÇA para aplicar dano bruto e manuseio da arma, AGILIDADE para a sua velocidade em aplicar os golpes e tempo de concentrar a força em golpes pesados, enquanto no ARCANO é a força combinada com as pedras do dragão.

Fragmentos do Dragão

São usados para melhorar as armas de sua escolha, sendo de nível 0 à +5, além de os requerimentos mudarem conforme o nível…

O coração do Dragão

O coração do dragão está presente novamente, porém com algumas melhorias e limitações:

O coração é usado 1 vez por número de quantia item.
Essa quantia é encontrada durante a exploração dos lugares, não sendo criado através de um item como em Remnant.
Ele recupera toda a sua saúde, independente da quantidade de vida restante que você tiver.
Ao ser usado, todos os seus corações gastos serão recarregado APENAS se você perder a vida.

O tempo num piscar de olhos

Uma das coisas interessantes nessa mecânica do jogo, é que se notar o vídeo de história, a contadora comenta algo sobre a pedra voltar à cada um ano, porém caso você falhar na sua busca, fortalecendo a mente e a força, você consegue voltar à ela…….. 1 ano depois.
O resultado disso é que você LITERALMENTE PERDE um ano de juventude (ou ganha um de vida???? reflita) ao ser abatido neste jogo…
Sendo que você começa sua jornada com 18 anos……

E que consequências isso traz????

A cada 10 anos, a experiência com a magia e combates podem te conceder traços, e com estes traços vem a fortificação do seu personagem, porém estes traços devem ser escolhidos de forma sábia, pois são irreversíveis e não aparecem novamente (ou seja, quanto mais velho ficar, traços diferentes irão lhe dar, algo diferente de Remnant onde você ganhava skills conforme ações ou aperfeiçoamentos do combate).

Ah, então tá tudo certo, é só morrer que eu fico forte com estes traços…

Não, com o passar dos anos você perderá atributos para comprar ao subir de nível…
Ou seja, você começará à depender do poder arcano, caso morrer demais e ficar velho…

Perceba que o último traço é nos 80 anos…….
A contadora de história diz que você poderá voltar… até sua vida acabar…

Sobre o sistema, nao há nada mais que eu possa dizer, além de que há puzzles, no decorrer do jogo, outros NPC’s para interagir e armas e escudos para poder usar…..
O resto será sua total experiência…

Multiplayer

Não há experiência cooperativa no jogo, assim como o original, a experiência é totalmente single.
Diferente de Remnant que pode-se jogar cooperativo em 3 pessoas.

Troféus / Conquistas

Dificuldade: 5/10

Os troféus/conquistas consistem em achar todas as armas possíveis, matar os chefes, ler 10 livros e pergaminhos, achar os itens corretos de interação com outros possíveis npc’s, há um troféu relacionado a charadas que é perdivel / missable, terminar o jogo com 21 anos ou menos e terminar no Heróico.
Sim, apesar de ser um soulslike, ele tem seleção de dificuldade.

Considerações Finais

Graficamente achei o jogo bastante competente, com relação aos efeitos e fluidez, sendo 30fps constantes no PS4 FAT e tendo uma coloração mista em opaco e rica em alguns cenários. Ao aproximar a câmera do personagem e notar seu envelhecimento, sua expressão é bem mostrada, assim como as linhas do tempo na sua pele, tudo isso claro de forma semi cartoon, e não em modelagem real.
Sua performance foi satisfatória também, onde apenas ouve um fechamento repentino do jogo.

A trilha sonora é bastante competente e as músicas nos chefes dão gosto de batalhar, mesmo que na sua maioria sejam músicas tristes, tranquilas e calmas, não achei divergente com o clima de exílio que ele passa.

A duração achei curta comparada com Remnant, sendo um jogo de 5 horas se fizer tudo de forma efetiva, isso se deve ao fato do que comentarei a seguir:

Uma das coisas que devemos salientar em termos de diferença entre os jogos, é que Remnant usa o formato procedural / roguelike, ou seja, toda vez que iniciar um jogo novo o design dos mapas e caminhos podem ser diferentes a todo instante, assim como os eventos que podem acontecer em aspecto de RNG (Random Number Generator) com os chefes…

No caso de Chronos, eles abandonaram o formato e mantiveram um design fixo, que na minha opinião, nesse jogo ficou excelente, não digo pelo não procedural, mas sim pelo mapa. Os caminhos e puzzles são bem construídos, onde não falei no review em si, mas há interação com os itens em alguns aspectos de combinar eles, e isso enriquece a parte de descobrir onde ir e o que fazer.
Apesar de tudo,, quem for acostumado com souls não terá tantos problemas com este jogo, mas quem for um pouco acostumado ou até mesmo novo no gênero, irá gostar de aprender como batalhar com cada chefe ou até mesmo se comportar com os inimigos, isso sem contar a simples escolha de dificuldade, se quer saber apenas da história ou se quer realmente um desafio, dando um escopo maior para os diferentes jogadores…

A história porém necessita de um aprofundamento em ler os livros e documentos que encontrar, para saber um pouco mais do que a trama quer lhe passar, caso não prestar atenção, pode ser que termine o jogo esm entender nada…

Um fator bastante positivo é a interface ser totalmente traduzida, ao invés de usarem legendas na tela.

Chronos merece uma atenção, justamente por ser um jogo exclusivo de Oculus que recebeu premiação por ser um os melhores VR’s na sua época de lançamento, apesar de não ter multiplayer, a história irá lhe prender, principalmente se jogou Remnant, e o aprendizado também faz parte…

PS: Gostou do review???
Responda nos comentários, na página do Facebook ou no Twitter se quiser um R&T de Remnant: From the Ashes… 🙂

Vá atrás do Dragão e tente livrar sua terra, do mal ameaçador e destruidor que está por vir…