Review / Tutorial: Hard West – Ultimate edition

Ola, aqui é o Morte, tomando o lugar do Pena pra continuar o meu trabalho dentro do jogo e trazer Hard West.
Ele é um jogo de estratégia nos moldes da série “XCOM” com uma temática de faroeste juntando com uma boa pitada de ocultismos e magia negra.

O jogo é original do PC e teve um port relativamente recente para os consoles, além de receber uma versão com a DLC na Steam com o nome de “Hard West: Complete Edition

Review baseado na versão para PlayStation 4
(Código cedido pela Forever Entertainment)

Titulo: Hard West: Ultimate Edition
Produtora: CreativeForge Games
Distribuidora: Forever Entertainment
Gênero: RPG de estratégia
Plataformas: PlayStation 4 , Nintendo Switch, Xbox One e PC
Mídia: Digital
Textos: Inglês, Alemão, Francês, Russo e Polonês
Dublagem: Inglês

História

No velho oeste, aonde a lei do mais forte prevalece, fazer um pacto com o Diabo não parece ser algo tão ruim assim, certo?
Pois é, a premissa do jogo é exatamente essa, o Diabo está intervindo nos assuntos mortais e sempre afim de fazer um novo contrato em troca da sua alma.
Mas, tendo a “Morte” como narrador, já sabemos que nada de agradável sai disso.

Como o jogo não foca só num único personagem, sendo separado por cenários distintos, não vou adentrar nos detalhes de cada um deles, justamente pra não estragar as surpresas do jogo, que tem uns acontecimentos bem interessantes.

Gráficos

Durante as batalhas temos um mapa em 3D bem detalhado usando o Unity Engine, aonde o tiroteio e magia negra rola solto. Mesmo que você não consiga dar um zoom, da pra reparar vários detalhes no cenário e nos personagens, pegaram bem o clima do velho oeste misturando com as macumbas que tem no jogo, como um demônio aposentado XD

Hard West Ultimate Edition_20201206141938

Fora das batalhas, os gráficos são mais simples e diretos e todas as artes 2d seguem o estilo da época, nos cartazes de procurado a vários avatares, cenas do jogo e itens usando o mesmo estilo, mantendo bem o clima proposto.

Áudio

As musicas do jogo encaixaram muito bem no clima faroeste e ocultista dele, misturando ambos em diversos pontos, dando aquela imersão pra aproveitar o tiroteio e matança desnecessária (ou nem tanto assim XD)
Como no Spotify tem a OST do jogo completa, segue ai ela pra vocês curtirem durante a leitura.

Os personagens e inimigos tem até uma dublagem dos danos e reações, mas quem rouba a cena aqui é a Morte narrando os acontecimentos, dublado por Dave DeAndrea, que parece mesmo que estamos assistindo um filme do gênero.

Jogabilidade

A interligação entre os cenários e outros detalhes deles.

O jogo é dividido por cenários, sendo isolados uns dos outros, mas apesar de não puxar itens adquiridos nas outras partidas, algumas ações afetam sim o que ocorre nas outras histórias relacionadas e as estrelas indicam os itens especiais de cada campanha adquiridos lá.
Claro que você precisa liberar eles aos poucos, mas fora isso, não tem nem como guardar um save de algum ponto especifico do cenário, já que o save é sobre escrito após finaliza-los.

Logo no começo você escolhe qual dos cenários você vai jogar, decide qual dificuldade vai arriscar e se vai colocar os efeitos extras:

  • Combat Injuries: Se um personagem principal do cenário morrer, tem que reiniciar ele todo;
  • Ironman: Os personagens recebem penalidades ao ficar com pouca vida, mas depois de um tempo ficam mais fortes.

Cada cenário tem umas pequenas variações de como ele avança, alguns precisando somente seguir para o próximo ponto demarcado no mapa, outros precisando passar dias e também realizar tarefas especificas.

Mas no geral, a jogabilidade é dividida entre o mapa geral e as batalhas, então vamos por partes.

Mapa Geral

Cheiro de enxofre? Quem será? XD

No mapa geral é aonde a maior parte da história se desenrola enquanto a Morte narra os acontecimentos.
Aqui você vai selecionar os locais que deseja visitar e interagir usando as opções disponíveis, que variam dependendo das ações que você já realizou, tendo alguns eventos aleatórios no decorrer da exploração.

Qualquer lugar que tenha o nome você pode entrar para interagir na história e os que tem uma luz saindo deles são locais que você ainda não acessou. Alguns lugares só são acessíveis 1 vez.

Alguém machucou o pé na interação, isso vai ocorrer com uma grande frequência.

No decorrer da história, dependendo das suas ações, os personagens ganham bônus ou penalidades que afetam eles durante a parte das batalhas.
O jogo NÃO INDICA o resultado da sua ação até ela ser realizada e alguns resultados são aleatórios, então é bom ficar esperto no que você vai fazer ali

Em vários locais você encontra pessoas e lojas pra realizar trocas.
Além de usar o dinheiro, também é possível usar itens e armas que você tem no inventário para pegar itens com os NPCs, sempre necessitando bater o mínimo que ele cobra no total da compra que você quer realizar.

Dentre os vendedores que você encontra no jogo, é interessante citar o Fate Trader, esse “anão desdentado“, como está descrito no jogo, tem diversos equipamentos bons pra venda, além de vender itens liberados nos outros cenários (aqueles das estrelas).

Na parte inferior mostra todos os efeitos positivos e negativos afetando o personagem

No menu você vai preparar o seu time antes de entrar nas batalhas.
Nos status deles temos:

  • Heat: Quanto maior, mais assustador é o seu personagem, eu vou entrar em detalhe disso durante as batalhas;
  • Luck: Literalmente a sorte, só que nesse jogo é muito mais do que o básico de aleatoriedade;
  • HP: A vida dos personagens;
  • Movement: o quanto ele pode se mover no mapa;
  • Aim: Mira, quanto maior, mais chance de acertar os inimigos;
  • Defense: Funciona pra diminuir o dano recebido, mas precisa de outros detalhes pra realmente funcionar, na parte de batalha eu comento também;
  • Sight: O qual longe o personagem consegue ver no mapa;

Como o menu é bem simples e direto, já na primeira parte você já consegue equipar os seus personagens, sendo que cada um deles pode levar 2 armas, 2 itens consumíveis e 1 acessório.
Pros itens que tem 2 slots, é só se atentar a qual dos botões equipa no slot correspondente, como no review foi usado a versão do PS4, o é do slot 1, enquanto o pro slot 2.

Velho oeste sem poker não é velho oeste 😛

Durante o desenrolar dos cenários, você vai recebendo cartas de baralho, mas não vai jogar poker exatamente, elas são usadas pra equipar nos personagens e adicionar efeitos e comandos extras, como o tiro ricochete ou aumentar os seus status.

Repare que eu falei de poker né?
Se você já jogou alguma vez, conhece algumas da combinações que você pode fazer nele, como 3 do mesmo tipo e o royal flush. Pois bem, se você equipar as cartas usando essas bases de mãos, além dos bônus de cada carta, você recebe um bônus extra pela combinação.

Um detalhe final antes de ir pra as batalhas, os personagens não tem nível de experiência aqui, todas as modificações de status deles são feitas com os equipamentos, cartas, efeitos positivos e negativos, além do uso de algum item durante as batalhas.

Batalhas

As batalhas são dividias entre 2 partes, o SETUP e o COMBATE propriamente dito.
Durante o setup, que não ocorre em todas as batalhas, o tiroteio ainda não começou. Nesse momento você pode controlar os seus personagens no mapa sem ativar os ataques inimigos, geralmente é quando você precisa fazer algo sem levantar as suspeitas dos adversários.

Com “subdue” você ameaça o inimigo e ele não ataca por alguns turnos, mas só durante o Setup

Lembra do “HEAT“? É nesse momento que ele conta. Quanto maior for ele, mais chance dos inimigos ficarem suspeitos dele e soar o alarme, iniciando o tiroteio.
Como você ainda esta a “paisana”, você tem os movimentos reduzidos nessa parte.

Já quando o combate começa pra valer, se prepara que vem “chumbo grosso” (trocadilho intencional :P).
Vamos explicar um pouco como funciona.

Ta vendo o “escudo” em cima dos personagens?
Ele mostra as seguintes informações:

  • Estrelas: Quantos AP (action points) o personagem tem;
  • Sol: Se o personagem está recebendo luz solar, mais pra frente eu explico;
  • Numero: É o HP do personagem.

Os APs definem as ações que o personagem pode fazer, algumas usam 1 AP, outras já consomem 2 APs, então o uso deles vai da sua estratégia.

Selecionando uma das ações disponíveis, mostra a relação do que ela gasta, sua chance de acerto, o dano que vai causar e quanto de AP vai gastar.
A maioria das armas vai gastar todo o AP que você tem, com uma exceção ou outra, então cuidado na hora de atirar pra não ficar sem agir depois.

O dano e alcance do tiro é definido pela arma que está equipada, geralmente armas pequenas tem menos alcance e dano, mas mais balas.
E lembre-se sempre de carregar as armas quando possível, aqui é faroeste mas não é filme com bala infinita. Algumas armas tem bastante balas, mas a maioria tem bem pouca.

Como nos filmes desse gênero, temos o ricochete, que você vai utilizar objetos metálicos para ricochetear a bala e acertar o inimigo a distância.
Ela e outras habilidades usam “Sorte” (Luck), que tem varias utilidades no jogo, entre elas:

  • Usada pra acionar técnicas;
  • Definir se o tiro acerta ou não.

O que ocorre aqui é que, se a chance de acerto for menor que a quantidade de “sorte” que o alvo tem, as chances são grandes do tiro errar, fazendo que o alvo perca a mesma quantidade da chance de acerto na sua sorte.
Já quando o tiro acerta, o alvo recupera um pouco de sorte. Com essa mecânica, não fique surpreso se você errar varias vezes um inimigo que está com mais de 70% de chance de acerto, somente acertos com 100% de chance nunca erram, que é quando você está do lado do inimigo, então não tem meme de Xcom cego aqui.

Ta vendo esse escudo na arvore?
Ele indica o quanto de cobertura você tem contra as investidas dos inimigos. Um escudo cheio, que nem o da imagem, indica que eles está bem protegido, ficando difícil de acertar tiros daquela direção, enquanto o escudo pela metade já não oferece tanta defesa assim, mas ainda é melhor do que ficar parado no campo aberto.

É possível se movimentar mais do que o normal, mas você não ai realizar outra ação.

Na hora de movimentar o personagem, você pode mover ele até o limite da linha mais clara, que vai gastar apenas 1 de AP, dando chance de fazer mais uma ação ainda, enquanto se você se mover além desse limite, vai gastar 2 APs.
Dependendo do que você precisa fazer, gastar os 2 APs no movimento não é desperdício, basta planejar bem o que pretende fazer.

Esse circulo aparece quando o inimigo sabe aonde o personagem está

Só cuidado para não andar na linha de visão dos inimigos, por que se você passar muito perto, eles vão atirar contra você durante o seu turno.

Ao contrário da maioria dos jogos de estratégia, nem todos os inimigos ficam visíveis na tela, depende muito se eles estão dentro do limite de visão dos seus personagens.
Caso eles tenham ao menos uma noção de onde o inimigo está, aparece essas ondas de som indicando aonde ele está, mas não mostra quanto de HP eles tem.

Você enfrenta demônios no jogo também XD

Um detalhe é sobre o ícone de “Sol”, que afeta algumas habilidades.
Algumas ativam quando você está na sobra, enquanto outras ativam quando o alvo está no Sol, dai você precisa ficar esperto também nesse detalhe.

Em vários pontos você precisa pegar itens no cenário pra avançar na história e qualquer local que tiver interação desse estilo fica marcado com essa mão. Mexer nele não é contado como ação, mas se mover até lá sim.

Algumas mobilias pode ser transformadas em barricadas, pra conseguir se proteger do tiroteio, só precisa ativar a ação quando um personagem está perto dele.

Extras

A “Ultimate Edition” (Complete Edition pro PC) vem com a DLC inclusa e um pequeno extra pra ajudar o pessoal.

DLC: Scars Of Freedom

Libertee e o nosso “Dr. Frankstein” da história

Essa DLC é uma história extra separada do que ocorre no jogo principal, até o save pra ela é separada. Aqui você acompanha a história de “Libertee”, uma escrava fugitiva que quase morreu durante a sua fuga. Nela mistura o faroeste com a ideia da história do “Dr. Frankstein“, mas como isso desenrola, fica pra quando você jogar 😛
A jogabilidade é praticamente a mesma do campanha principal, mas temos as seguintes diferenças:

  • aqui a história não é contada pela Morte, então os personagens tem suas próprias falas e dublagens;
  • As cartas são diferentes, assim como o modo de fazer um combo com elas;
  • Dentro da mesma história vai ficar alterando entre alguns times distintos, mais do que ocorre em alguns cenários;
  • Os personagens vão recebendo status negativos conforme o tempo passa com as interações, isso devido a um ponto da história que eu não vou explicar pra não estragar a surpresa;
  • Além do dinheiro, você vai precisar de “Ether” pra comprar as partes de corpos humanos, como funciona eles, deixo também pra quando você jogar XD.

Gameplay Mods

Pelo menos na versão Ultimate do PS4 temos uns modificadores extras antes de iniciar um novo cenário. Dentre eles você já pode começar com todas as cartas ou dar mais habilidades pros inimigos, vai do quanto de dificuldade você quer na partida.

Essa opção só está disponível na campanha principal, não está na DLC.

Troféus e Conquistas

Dessa vez não rolo pra fazer a platina, mas ainda pretendo retornar nele pra fazer

A lista de troféus e conquistas do Hard West é “infernal”, vai dar um belo trabalho conseguir tudo, entre eles estão:

  • Welcome to Even Harder Times: Terminar todos os cenários no Hard, com o “Iromman” ativado e com o “Injuries” ativado;
  • Welcome to Hard Times: completar um cenário no Hard com Iroman e Injuries ativados ao mesmo tempo;
  • Fight No More Forever: terminar uma batalha sem dar 1 tiro se quer;
  • Sudden Death: Usar a técnica “Equalization” no começo da batalha e ganhar ela sem recuperar HP;
  • The Shootist: completar uma batalha só com tiros de 100% de acerto.

Conclusão

Hard West é um jogo interessante, trazendo realmente uma mistura inusitada que ficou muito boa, mas a história peca por ter apenas a narração da Morte, sem ter nenhuma fala de interação direta entre os personagens, deixando um pouco raso o desenvolver dela.

As batalhas requerem uma boa quantidade de estratégia, mas ficou bem legal a mistura do tiroteio com magia negra nele, pegaram bem o “espírito” de ambos as ideias do jogo, valendo bem a pena mesmo pra aqueles que não curtem tanto faroeste, como é o meu caso.

Um ponto final, o jogo tem finalizações diferentes pra alguns cenários, então vale a pena rejogar eles pra mudar alguns detalhes e ver outros acontecimentos.