Review / Tutorial: Tears of Avia

Retornando um pouco aos jogos de estratégia, trazemos o jogo Tears of Avia, que tem uma forte influência na série Disgaea, tanto em algumas mecânicas de jogo, como as ideias de ataques a danos absurdos.
Entretanto o review será publicado por mim mas o review foi feito por outra pessoa que estará integrando a equipe e estamos em fases de qualificações… lol

Desenvolvido pela CooCooSqueaky Games e publicado pela PQube, esse é o jogo de estreia da empresa, pegando o nicho de estratégia, algo diferente de outras empresas no seu inicio, que preferem começar com os metroidvânias.
O jogo teve seu início de projeto via Patreon, então vamos analisar e verificar como foi o seu início no mundo dos desenvolvimentos de jogos?

Código cedido pela PQube para Review, versão Xbox One

Título: Tears of Avia
Gênero: Role Playing Game (subgênero: Tactical)
Desenvolvedora: CooCooSqueaky Games
Distribuidora: PQube Limited
Plataformas: Xbox One e PC
Lançamento: 2020 (15 de outubro)
Mídia: Digital

Tela Título

História/Enredo

Seguindo a profecia de Ilnur, que diz que um “buscador” irá reunir os artefatos mágicos conhecidos como “Tears”, que tem o poder de abrir portais para o reino demoníaco, um dos 5 personagens iniciais será o escolhido para essa missão.

Durante essa missão, os reinos de Tirig e Helmgar estão se preparando para uma guerra e isso, junto com a influencia das Tears, estão desbalanceando a ordem natural, tornando monstros e elementais mais agressivos.

Independente de qual personagem seja escolhido, a história central não mudo, mas as escolhas deles afetam o desenrolar dos acontecimentos.

Gráficos

O jogo usa 2 tipos de gráficos, tanto 2D como 3D, ambas usando estilo de anime nas suas artes.
Os 2D, que são usados em alguns videos e nos avatares dos personagens estão bem detalhados, mesmo que a arte em si sejam mais simples, conseguem manter uma beleza que chama a atenção.

Já os 3D são um pouco mais simples, fazem o trabalho que foram designados, mas muitos efeitos ficaram estranhos, faltando um polimento melhor neles, além de que os personagens durante as cenas de ataques não tem expressão e ficam muito tempo parado.

Som/OST

As músicas tem arranjos e composições orquestrais, o problema é que o mesmo estilo de música é usado em praticamente todo o jogo, até mesmo nas batalhas, em gêneros que não empolgam e não combinam com o momento em que você se encontra e não dá a imersão das ocasiões, não que sejam ruins, mas a escolha pra cada parte das músicas não combinou muito com as situações do jogo.
Por exemplo, músicas com arranjos lentos seriam mais interessantes em batalhas se o enredo houvesse alguma situação de rivalidade entre conhecidos ou algo que indagaria situações de tristeza… (o que não seria o caso)
São poucas músicas mais agitadas que dão clima de combate, talvez se tivessem mais variações de gênero, combinaria bem mais.
A musica da tela inicial do jogo é cantada, tendo a performance admirável de Reven.

Jogabilidade

Mantém a jogabilidade matricial dos jogos táticos (distribuídas em casas).
Sendo bem direta em diversos pontos do jogo, a maioria não pedem autorização pra executar o comando, então precisa tomar cuidado na hora das batalhas ou mexer em algum outro ponto do jogo e fazer uma ação que não queria.

Todos os botões do jogo são remapeáveis, então essencialmente você tem as seguintes ações:

  • Abrir menu;
  • Trocar entre os personagens na batalha;
  • Ativar ação;
  • Finalizar turno;

Sistema de Jogo

No começo do jogo você escolhe entre os 5 personagens principais, cada um com a sua classe.
Os outros 4 personagens entram no seu grupo posteriormente, além de outros não obrigatórios.
As classes seriam as principais divisões de guerreiros dos RPG’s, sendo que cada um dos personagens, principais e não obrigatórios, caem em uma dessas especificações:

  • Warrior: os mais versáteis, com ataque de curta e média distância, além de alguns suportes. Servem como tanque caso precise resistir investidas inimigas enquanto os de retranca atacam.
  • Brawler: os lutadores são mais focados em ataques de curta distância e tem um movimento maior que as outras classes, segurando bem a linha de frente.
  • Ranger: especialistas em ataque a longa distância, uso de armadilhas e convocar animais, ideal para ficar na retaguarda no time.
  • Mage: os magos são praticamente focados em magias de área e alto dano, mas em compensação tem baixa resistência e podem morrer rapidamente.
  • Priest: sacerdotes funcionam praticamente como os curandeiros do jogo, tendo em vista que não há itens de cura, é recomendável manter 1 em sua equipe para conseguir sobreviver nas batalhas. Apesar de ter uma força física limitada, sua magia é baseada em luz e concede danos maiores em inimigos sobrenaturais.

Após escolher o personagem, tem 2 níveis de dificuldade:

A padrão (Standard) é bem básica sem muito desafio, ideal pra aqueles que não estão acostumados com jogos de estratégia.
Já o Hardcore é aonde todo desafio do jogo ocorre.
Além de ter inimigos mais fortes, os estágios tem efeitos negativos neles e o sistema de “permadeath” é ativado.
Caso um personagem não obrigatório morra, ele não pode ser mais utilizado e se quem morreu foi um dos personagens principais, além de game over na hora, ele bloqueia o acesso ao save, tendo que iniciar do zero o jogo.

O menu é bem direto e sem muitas opções, então pelo menos você não fica perdido dentro de diversas telas.

Na parte de Skill você pode equipar até 5 técnicas em cada personagem, entre as de ataque e as passivas, que são relativas a classe deles, que não é alterável.
Você adquire elas ao passar de nível depois de uma batalha.
As armas também tem técnicas e mesmo tendo classes, não há restrição do uso das armas, então um Lutador pode usar um cajado.

Para aprender técnicas novas basta subir de nível, mas pra melhorar elas, você precisa gastar um item certo pra cada nível.
Eles são vendidos nas lojas das cidades e claro, quanto maior o nível relacionado a pedra, mais caro fica.

Na parte do inventário, é possível equipar cada personagem com uma arma e 3 acessórios.
Antes de mandar equipar, no canto inferior esquerdo mostra o que muda em cada um dos slots pro personagem selecionado no canto inferior direito.
Mas pra equipar, você vai arrastar o equipamento e por em qualquer um dos personagens que você quer.

Os equipamentos usam o sistema de raridade e alguns necessitam ser identificados antes de poder equipar eles.
Os itens pra identificar são vendidos na mesma loja que vendem os itens de melhoria das técnicas.

A parte de Character Status mostra as características deles, segue cada um dos status:

  • Life (HP): a vida do personagem;
  • Energy (SP): energia usada pra realizar as ações durante as batalhas;
  • Move Range (MV): distancia que o personagem pode andar no campo de batalha;
  • Attack Damage (ATK): usado para ataques físicos;
  • Defense Rating (DEF): defesa contra ataques físicos;
  • Intelligence (INT): usado para ataques mágicos;
  • Magic Resistance (RES): resistência a ataques mágicos;
  • Critical Hit Chance (HIT): usado para o calculo de chance de acerto critico;
  • Energy Regeneration (RGN): base de recarga de SP a cada turno;
  • Max Attack Range (RNG): distancia máxima que os ataques do personagem alcança

Cidades

Nas cidades você vai encontrar:

  • Ferreiro: vende e compra equipamentos, todos os itens ali são aleatórios e mudam toda vez que entra na cidade;
  • Vendedora: vende os itens para melhoria das técnicas e os pergaminhos usados para identificar os equipamentos;
  • Igreja: utiliza o sistema de bênção do jogo;
  • Taverna: troca os personagens do seu time
  • Arena: encontra em apenas numa das cidades, tem diversas batalhas preparadas pra desafiar o jogador

Fora esses 5 locais, dependendo da cidade existem outros estabelecimentos, mas não são relevantes para a jogabilidade, são mais pra exploração do local e achar side quests escondidas, que não ficam marcadas em nenhum local, então precisa marcar por conta ou ter uma boa memória

O sistema de bênção do jogo jogo manipula as características que comandam as batalhas.
Dependendo de pra qual dos 5 deuses você fazer uma doação, a porcentagem de afinidade com ele vai aumentar, mas automaticamente dos outros ira variar, uns caindo mais que os outros, podendo ficar negativo.

Esses sistema afeta características como dano causado e a força das magias de cura.

Mapa

Saindo pelo portal nas cidades, você entra no mapa mundo do jogo, aonde mostra quais missões estão disponíveis.
Você pode repetir as missões quantas vezes quiser.
Cada uma delas tem 3 desafios que não precisam ser feitas ao mesmo tempo. Caso esteja jogando no Hardcore, em vermelho mostra qual a penalidade que tem no estágio.

Batalhas

As batalhas são por turno, dividido entre o turno do jogador e dos inimigos.
Aqui, como nos jogos da série Disgaea, os personagens são despachados para a batalha a partir de um ponto único de entrada.
Cada personagem pode realizar um ataque e um movimento, podendo cancelar o movimento enquanto não tiver realizado uma ação.
Colocando o cursos em cima do personagem mostra se ele pode realizar uma ação (Skill Ready) e se movimentar (Move Ready).

Não existe uma ataque básico nem itens aqui, todas as ações são por técnicas, sendo que elas tem um tempo de recarga que são contatos por turno, além de gastarem SP também que é o valor da barra azul do personagem lá no topo.
Só tome cuidado na hora de usar um ataque, já que eles podem acertar os seus personagens caso estejam na área de efeito dela.

Quando quiser terminar o seu turno, basta apertar o botão indicado no “End Turn” pra começar o turno inimigo, só que não tem confirmação, assim que apertar já vai pro turno deles.

Em alguns cenários existem esses Obeliscos, que oferecem efeitos extras para o time que o capturou no mapa inteiro.
Geralmente eles começam na mão do inimigo, ficando com a linha em torno dele em vermelho e quando o jogador captura, fica com a cor verde.
Não é necessário deixar um personagem lá pra manter a captura, basta não deixar um inimigo entrar na área dele.
O efeito dele fica marcado no canto direito quando está com o cursor nele, mostrando também quem está recebendo o efeito.

Toda vez que tiver algum dano causado no turno, mostra no canto esquerdo o total causado.
Isso é bom pra caso esteja tentando fazer os desafios de dano do cenário.
Cada “K” (de “KILO”) representa 1 milhar do dano, então não fique surpreso se em menos de 5h de jogo já começar a aparecer eles, aqui eles usaram o esquema de dano absurdo da série Disgaea.

Ao final da batalha, se algum personagem subiu de nível, já aparece a tela pra aprender novas técnicas. Todos os personagens tem 3 categorias de ataques.
Pra subir pra os níveis das categorias, é necessário aprender todas as técnicas do nível atual.

Troféus / Conquistas

Dificuldade: 10/10

A lista é pequena, tem apenas 21 conquistas, mas não é por que é pequena que é fácil.
Boa parte deles necessita que você faça as conquistas no modo Hardcore (assim como todos os desafios), então qualquer erro pode fazer com que tenha que reiniciar tudo.
O mais cabuloso deles é o de derrotar o ultimo chefe usando somente 1 personagem no HARDCORE.

Considerações Finais

Tears of Avia se mostrou um RPG destinado à iniciantes e hardcores no gênero, com um sistema que exige alta dose de atenção por decisões convictas nas suas ações mas também simples de entender nas suas mecânicas.

A performance no Xbox One Fat foi satisfatória, sendo mantida a taxa de frames sem grandes variações.
A trilha sonora apesar de ter bons arranjos, em contrapartida não teve uma ótima direção em aspecto de escolhas da sua concepção ingame, talvez uma revisão de script e coerência musical teria sido mais satisfatório.
Por ser o primeiro jogo da empresa, é compreensivo que ele precise de uma lapidada na parte dos gráficos e um pouco na história, perante suas animações de corrida com alguns personagens serem engraçadas, mas não ruins.
A duração do jogo é em torno de 16 horas, onde a progressão do jogo é contabilizada na sua porcentagem apenas por ela, desconsiderando extras e desafios feitos.

Pra quem curte jogos com bastante desafio ou querem entrar em jogos do gênero de estratégia, dê uma chance ao jogo, pelo valor pedido, ele traz um conteúdo razoável, sendo bem definido para o público hardcore dos RPG’s ou os que querem experimentar este maravilhoso gênero e suas variantes.

Espero que os próximos jogos da desenvolvedora tragam mais coerência nas suas trilhas sonoras, aproveitando o potencial currículo que este já possuiu…

Aspectos Positivos

  • Sistema simples de suas mecânicas
  • Boa dosagem em separar veteranos que gostam de desafios, de novatos que querem aprender o gênero
  • A concepção artística em 2D dos personagens tem um traço admirável e leve

Aspectos Negativos

  • Trilha sonora com potencial, porém mal aplicada na composição das situações
  • NPC’s não possuem muita interação, dando um aspecto fraco no mundo do jogo
  • A explicação da história num geral é desenvolvida apenas na última batalha

Nota final: 6/10