Descobrindo Franquias ASSASSINS’S CREED – Parte 1

O que carregamos em nossos genes?
Medos e habilidades primordiais são passadas geneticamente, operando como instintos básicos dos seres humanos.
Mas e se fosse possível, através de nosso DNA, recuperar memórias de nossos antepassados?

Essa é a premissa inicial da série sobre a qual falaremos neste Descobrindo Franquias.
Dado o imenso tamanho de material disponível em diversas mídias, abordarei a série principal de jogos e alguns materiais de apoio, numa “epopeia” de diversas partes.

Olá, eu sou o Musashi e desta vez falaremos sobre outra de minhas séries preferidas da atualidade, com fortes bases históricas e múltiplas licenças poéticas.
Sem mais delongas, bem vindos ao Descobrindo Franquias Assassin’s Creed.

O Velho da Montanha e A Ordem dos Assassinos

A História e o roteiro dos jogos da franquia caminham paralelamente, cruzando-se em diversos pontos.
Não poderia ser diferente com a Ordem dos Assassinos, seita fundada no século XI, por Haçane Saba, popularmente conhecido como O Velho da Montanha.
Haçane fundou a seita com o intuito de difundir o ismaelismo, ramo menor do xiismo (opositor ao sunismo) e logo criou um séquito que diz-se ter chegado a 60 mil seguidores.

Haçane Saba, O velho da Montanha


Tendo como sede o castelo de Alamute (Ninho da Águia), a origem do termo Assassinos não é totalmente comprovada. Uma das teorias sugere que o nome viria da palavra Assass, que significa os fundamentos da fé islâmica. Marco Polo ajudou a difundir a teoria de que o termo viria de haxixe, ou que o nome da erva vem de haschichiyun (fumador de haxixe). Fontes cristãs medievais relatam que os Assassinos consumiam haxixe antes de seus ataques, para terem visões alucinógenas induzidas do Paraíso, embora tal teoria seja descreditada por textos ismaelitas que não fazem referência à tal cerimonial.
Contudo, o escritor líbano-francês Amin Malouf  afirma que Haçane gostava de chamar seus discípulos de Asasiyun, que significa fiéis a Asas (fundação da fé).

Castelo de Alamute, O Ninho da Águia


Em Alamute, trajavam roupas brancas com um cordão vermelho na cintura, mas durante as missões, disfarçavam-se entre os mendigos, levando vidas simples até que um emissário ordenasse o ataque. Mesclavam-se na multidão, geralmente em grupos de três, com lâminas ocultas nas mangas, espadas e punhais, para pegarem o alvo de surpresa, fosse em mercados, vielas ou mesmo nas mesquitas.

A Ordem foi extinta durante as campanhas militares mongóis, quando foram enviados para assassinar Mongke Kahn (neto de Gengis Kahn). Os exércitos mongóis avançaram duas vezes, criando cercos contra os Assassinos. A Ordem não resistiu à perda de Alamute.

ASSASSIN’S CREED

Lançado em 2007 para PS3 e Xbox 360 (2008 para PC), foi desenvolvido pela Ubisoft Montreal.
Criado no início do desenvolvimento de Prince Of Persia The Two Thrones, foi logo transformado em uma nova propriedade intelectual.


O primeiro título possui um “open world”, porém dividido em grandes áreas: Masyaf (local da fortaleza dos Assassinos), Acre, Damasco e Jerusalém.
Há dois personagens principais: nos tempos antigos, Altaïr Ibn-La’Ahad, parte da ordem; nos dias atuais, Desmond Miles, barman e descendente de Altaïr. 

Ataïr observa um de seus alvos


O gameplay de Desmond é bastante limitado no primeiro jogo, sendo a trama principal focada em Altaïr, durante a época da Terceira Cruzada (1191).O Assassino traja um uniforme branco, podendo disfarçar-se entre padres (também trajando mantos brancos), conta com a Hidden Blade, lâmina retrátil presa em uma tira de couro em seu punho, bem como espadas, punhais e uma besta.

Para descobrir pontos de interesse no mapa, Altaïr deve subir em torres e usar o ponto de sincronização, que revela uma grande área à sua volta.
Destes pontos e de outros locais altos, é possível executar o Salto de Fé (Leap Of Faith), caindo em carroças de feno ou montes de palha.

O Salto de Fé


Algo notável, já no primeiro jogo, é a inteligência artificial dos NPC’s, especialmente nas multidões, que reagem ao personagem, comentando suas escaladas e demais atitudes.

O jogo tem um forte foco no stealth, priorizando assassinatos silenciosos e discretos, bem como perseguições.
Altaïr possui habilidades de parkour, podendo escalar facilmente prédios, torres e demais estruturas, o que facilita esconder-se ou perseguir algum alvo sem ser notado.

Altaïr possui também a Visão da Águia, habilidade que o ajuda a distinguir alvos e objetivos (o que viria a se tornar a “visão de predador”, comum em diversas franquias a partir de então).

O parkour, parte essencial da série, é o elo de ligação com Prince Of Persia

Abstergo e Animus

Desmond Miles é “recrutado” por cientistas para a companhia Abstergo, a fim de sequenciar seu DNA.
Lhe é relevado que a Abstergo projetou o Animus, uma máquina capaz de acessar memórias de antepassados.
O “paciente” deita-se em uma poltrona, onde é induzido em uma espécie de transe guiado através de realidade virtual, revivendo momentos de algum antepassado específico.

Durante o decorrer da trama, Desmond descobre através de e-mails que a Abstergo é na verdade uma empresa controlada por Templários modernos, querendo descobrir a localização dos Assassinos atuais e Pedaços do Éden (explicação a seguir) espalhados pelo mundo.

Altaïr é enviado junto de Malik e outro Assassino atrás de Robert de Sable, grão-mestre dos Templários, para recuperar um artefato que de Sable busca.
Após precipitar-se, Altaïr é descoberto e causa um desabamento, o que ajuda a fuga de Robert.

Ferido e sem o artefato, Altaïr retorna à fortaleza de Masyaf, acreditando ter matado seus dois companheiros de missão, mas Malik surge e conta sobre como a arrogância de Altaïr os condenou ao fracasso.
Al Mualim, grão-mestre da Ordem admoesta Altaïr sobre suas atitudes e o rebaixa, removendo suas armas.

Al Mualim


O protagonista é então escalado para cometer 9 assassinatos de alvos específicos. Para alcançar tal objetivo, é necessário usar diversos recursos como roubo de cartas, interrogatórios, ouvir conversas escondido, dentre outros.

Conforme dito anteriormente, os NPC’s reagem às ações de Altaïr, o que pode ajudar ou atrapalhar assassinatos.
Ações impensadas podem causar o aumento do nível do perfil do jogador, fazendo com que fique procurado no local. Até mesmo sacar acidentalmente uma arma, esbarrar em uma pessoa comum, fazendo com que a mesma derrube algum objeto ou escalar prédios na hora errada pode atrair a atenção dos guardas.

Altaïr confronta De Sable


Após executar um dos assassinatos principais, Altaïr retorna à Masyaf e recupera uma de suas armas.
Além da coleta de bandeiras, há também o assassinato de templários (60 ao todo) como missões secundárias.
Como a parte do passado ocorre numa realidade virtual projetada pelo Animus, pequenos glitchs podem acontecer, revelando informações extras ou mesmo bloqueando partes inacessíveis de uma cidade em determinada memória (uma boa opção em contraponto às famigeradas paredes invisíveis de outros jogos).
A trilha sonora possui um tema que irá repercutir por toda a série (sendo rearranjada aos instrumentos do local e época de cada jogo).

Pedaços e Maçãs do Éden

Artefatos místicos de origem a princípio desconhecida, os Pedaços do Éden são na verdade dispositivos criados por uma raça antiga, oriunda de outro planeta/dimensão.
Os poucos sobreviventes desta raça vieram para a Terra no início dos tempos, pois seu planeta de origem foi extinto por uma tempestade solar.
Devido aos seus poderes e ao uso das Maçãs do Éden (nome escolhido por Al Mualim, numa livre interpretação/correlação com o relato bíblico de Adão e Eva), reinaram sobre a humanidade como deuses.

As Maçãs do Éden seriam usadas por governantes (secretamente) Templários e figuras ligadas às principais religiões do mundo, ao longo da história humana.
Pedaços/Maçãs do Éden são capazes de controlar mentalmente multidões e também corromper seus usuários.

As Maçãs do Éden são a ligação com a Primeira Civilização


Ao matar Robert de Sable, Altaïr descobre a conspiração em que está envolvido e que eram dez (e não nove) os responsáveis por localizar o Pedaço do Éden, sendo Al Mualim, mestre de Altaïr, o agente incógnito.
Altaïr retorna à Masyaf, mas encontra seus companheiros controlados mentalmente por Al Mualim. Em duelo, apesar das ilusões, Al Mualim é derrotado e Altaïr jura proteger o Pedaço do Éden até o fim de sua vida.

O Despertar de Desmond

Após as últimas revelações sobre seu antepassado, Desmond Miles “ativa” a Visão da Águia e percebe diversos símbolos nas paredes de seu quarto, escritos com sangue pelo antigo residente do local, conhecimento como Subject 16, mas apagados posteriormente. Dentre as diversas mensagens, a data do fim do calendário (e supostamente fim do mundo) Maia.

Desmond Miles possui o DNA dos Assassinos


Sem mais utilidade para os Templários, Desmond seria eliminado, mas é salvo por Lucy Stillman, Assassina infiltrada na Abstergo, disfarçada como assistente do cientista Templário responsável por vasculhar as memórias de Desmond no Animus.

A Ordem dos Cavaleiros do Templo

A Ordem dos Pobres Cavaleiros de Cristo e do Templo de Salomão, também como Cavaleiros Templários, Ordem do Templo ou Templários foi uma ordem de cavalaria da Igreja Católica, fundada durante o fim da Primeira Cruzada, em 1096, originalmente com o intuito de proteger os cristãos que peregrinassem até Jerusalém, então recém reconquistada.
Os membros faziam votos de pobreza, castidade, devoção e obediência e usavam mantos brancos com uma cruz vermelha.

Templários: Guerra e Religião


Estabeleceram-se inicialmente no monte do Templo em Jerusalém, onde existiu o Templo de Salomão, e onde se ergue a atual Mesquita de Al-Aqsa, denominavam-se, portanto, como “Pobres Cavaleiros de Cristo e do Templo de Salomão”.

Temidos na batalha, os Templários começaram parte do que hoje pode ser considerado nosso sistema bancário, aceitando depósitos em dinheiro na Europa, para serem sacados pelos cristãos (e cruzados) no Oriente Médio, mediante uma pequena porcentagem, fato que os garantiu controversa riqueza.

Temidos em combate, os Templários eram a defesa dos cristãos na peregrinação a Jerusalém


Tal fato os levaria à ruína, uma vez que Filipe V da França (Filipe, O Belo) pressionou o papa Clemente V contra os Templários. Filipe havia adquirido extensa dívida com os Cavaleiros da Ordem e achou um subterfúgio nos rumores sobre os rituais de iniciação da Ordem.

Em 22 de Março de 1312, a Ordem seria extinta pela Igreja Católica e os bens dos mesmos seriam transferidos para os Hospitalários (outra das ordens da Igreja).

Acusados de paganismo e bruxaria, os Templários foram perseguidos e presos, tendo a ordem sido extinta. Seu último Grão-Mestre, Jacques de Molay, e o Preceptor da Normandia, Geoffroi de Charney, foram queimados na fogueira, em Paris.

Reza a lenda que as últimas palavras de Jacques de Molay foram uma maldição sobre o papa e o rei.
Curiosamente, Clemente V morreu de um infecção no intestino que se alastrou pelo aparelho digestivo um mês após a morte do Grão-Mestre. Filipe morreu no fim do mesmo ano, vítima de dois derrames cerebrais.

Jaques de Molay amaldiçoa o Papa e o Rei ao ser levado à fogueira

O fato de muitos Cavaleiros Templários terem sido presos no dia 13 de Outubro de 1307, uma Sexta-Feira, é tida como uma das principais origens da superstição relacionada ao dia.

ASSASSIN’S CREED 2

Lançado em 2009 para PS3 e Xbox 360 (2010 para PC), AC2 é uma grande evolução em relação ao primeiro título, trazendo diversas melhorias e um novo protagonista (considerado por muitos o melhor da franquia).


A Ubisoft ouviu as reclamações dos jogadores e aumentou a variedade de missões e de conteúdos extras.
Uma segunda hidden blade foi introduzida, permitindo o assassinato em dupla, além da possibilidade do personagem nadar.
Ezio também pode desarmar oponentes e usar suas armas contra eles, aumentando assim amplamente o arsenal disponível.
A ambientação na Itália Renascentista trouxe a participação de um amplo elenco de figuras históricas conhecidas, como Leonardo da Vinci e Nicolau Maquiavel


O Bon Vivant Que Se Tornou Guerreiro

Desmond e Lucy escapam da sede da Abstergo, indo para uma base-esconderijo dos Assassinos. Lá encontram Rebbeca Crane e Shaun Hastings, que possuem uma versão adaptada da máquina, sem o controle dos Templários, que eles denominam Animus 2.0. Desmond conecta-se ao aparelho e é novamente levado às memórias de um de seus ancestrais: Ezio Auditore da Firenze, na Itália Renascentista, em 1476.

Ezio é um dos quatro filhos de Giovanni Auditore da Firenze, renomado banqueiro que trabalhava para a família Médici, em Florença.
Ezio leva uma vida tranquila, conquistando o coração das filhas de famílias tradicionais, escapando da fúria de seus pais e se metendo em brigas contra rivais, junto de seu irmão mais velho, Federico.

Ezio Auditore Da Firenze consolidou o nome da franquia


Os Auditore são envolvidos numa conspiração, onde são acusados de traição contra a cidade de Florença. Ezio acaba escapando, para ver seu pai e seus dois irmãos homens, Federico e Petruccio serem executados em praça pública por enforcamento.
Ezio foge com a mãe e a irmã, Cláudia, para a vila Auditore, em Monteriggioni, onde descobre sobre o passado do pai como Assassino e é recrutado pelo seu tio, Mario, para carregar o legado da irmandade.
Ezio assume então o manto da Ordem e parte em uma jornada de vingança contra os detratores. Seu principal alvo e rival será Rodrigo Bórgia, o Papa Alexandre VI.


O Papa Secular

Rodrigo Bórgia, originalmente Rodrigo de Borja (Játiva, Espanha, 1431), foi sobrinho de Afonso Bórgia (Papa Calisto III), que o ordenou cardeal em 1456, “cargo” que ocuparia durante os próximos quatro pontificados.

Envolto em uma série de polêmicas, nomeou como Cardeais seu filho César Bórgia (então com 16 anos), os sobrinhos Francisco Borgia e Juan Lanzol de Bórgia de Romaní, um primo deste último (Juan Castellar y de Borgia), os sobrinhos-netos Juan de Borja Llançol de Romaní, Pedro Luis de Borja Llançol de Romaní e Francisco Lloris y de Borja e o cunhado do seu filho César, Amanieu d’Albret. 

Rodrigo Bórgia, o controverso Papa Alexandre VI


História e lenda misturam-se na família Bórgia: boatos sobre o incesto entre os irmãos Lucrécia e César são comuns, bem como o assassinato de seus consortes por ciúme; Rodrigo teria ele mesmo tido caso com sua filha Lucrécia.
O frei dominicano Giovani Savonarola, seu principal detrator, acusou-o de heresia, descrença e simonia (crimes contra a Igreja por um membro eclesiástico).
A causa da morte de Rodrigo é incerta, embora acredite-se mais comumente em envenenamento ou malária.

O Prelúdio do Fim

Ao derrotar Rodrigo no Vaticano, Ezio toma posse de seu báculo e o combina com a Maçã do Éden recém adquirida, abrindo assim uma câmara subterrânea.
Ao adentrá-la, Ezio é contatado por um holograma de Minerva, uma entidade que explica sobre a Primeira Civilização, da qual fez parte; eles foram os criadores da humanidade, que deveria servi-los, mas foram exterminados por uma estranha catástrofe, uma Erupção Solar (Solar Flare).
A Primeira Civilização construiu (junto dos humanos) uma rede subterrânea de “Templos” para preservar a cultura da Primeira Civilização e como proteção para uma segunda catástrofe
Antes de desaparecer, Minerva revela que apenas Desmond possui o poder para evitar uma nova catástrofe, fato que confunde Ezio.

ASSASSIN’S CREED BROTHERHOOD

Lançado inicialmente em 2010 para PS3 e Xbox 360 (2011 para PC), é o primeiro da franquia com multiplayer.


ACB segue a história de Desmond exatamente do final de AC2 e foca Ezio em Roma, tentando reconstruir a cidade e expandir a ordem dos Assassinos.
Um das novidades da campanha fica por conta do paraquedas de Leonardo Da Vinci, além da possibilidade de recrutar assassinos, enviando-os em missões ou utilizando-os para surpreender inimigos durante as lutas.
A IA sofreu uma reformulação, passando a ser mais agressiva e o combate tornou-se mais dinâmico, incluindo o uso de pistolas; os cavalos agora podem adentrar a cidade.

As armas de fogo fazem a primeira aparição na série


O modo multiplayer é focado no stealth, com múltiplos NPC’s andando por uma arena, enquanto os jogadores precisam simular serem NPC’s para poderem caçar mais facilmente outros jogadores. Bastante caótico, o modo conta com diversas passagens secretas e verticalidade nas arenas.

O Diplomata e O Príncipe

Nicolau Maquiavel (Niccolò di Bernardo dei Machiavelli, Florença 1469 – 1527) foi um filósofo, historiador, poeta, diplomata e músico de origem florentina, da época renascentista.
Considerado o fundador do pensamento e da ciência política modernos, escreveu sobre o Estado e o governo de forma crítica, cética e realista, sem floreios.
Os textos com ideias mais críticas em relação à real natureza dos governos iam de encontro aos valores cristãos, o que causou uma interpretação errônea de suas ideias. Tais interpretações iriam acarretar no termo maquiavélico, associado à uma visão negativa e deturpada de seus ideais.

Nicolau Maquiavel


Entrou para a política aos 29 anos, na então República Florentina*, sob o governo de Lorenzo de Médici, no cargo de Secretário de Segunda Chancelaria. Foi neste cargo que pode observar diversos políticos da época, que serviriam de inspiração para suas obras, as quais escreveu após ser afastado do cargo, o qual exerceu por um período de 14 anos.

*A Itália foi dividida em diversas cidades-estado e ducados até sua unificação total. Dentre as mais conhecidas, destacam-se as Repúblicas de Florença, Veneza, Gênova, Pisa e Amalfi, além do Ducado de Nápoles e do Reino de Milão.

César Bórgia, filho de Rodrigo: a inspiração para o rosto ocidental de Jesus?


Entre 1502 e 1503, Nicolau teria contato com o famoso Duque Valentino, César Bórgia.
César havia sido Cardeal no passado mas, após a morte de seu irmão Giovani, abandonou tudo para seguir as funções militares da família, tornando-se condotiero (mercenário líder de uma milícia) que vinha conquistando os territórios da Toscana.
As ações e estratégias de César Bórgia seriam o modelo de governante exaltado por Maquiavel em sua obra mais importante, o tratado político-filosófico O Príncipe.

A Expansão Do Credo

Desmond e seus companheiros fogem de um ataque Templário ao final de AC2, indo para um novo refúgio em Monteriggioni.
Lá eles reativam o Animus 2.0 e Desmond deve agora achar a localização da Maçã do Éden para impedir a catástrofe global que irá se repetir em 2012 (ano em que o jogo se passa).

Após sair do Templo, Ezio parte para Monteriggioni ao lado de seu tio, Mario Auditore, onde é confrontado por Maquiavel, que questiona a sua decisão de não ter matado Rodrigo.
Ao início do Ano Novo (1500), Ezio acorda durante um ataque Templário à cidade, comandado por César Bórgia.
César mata Mário, rouba a Maçã do Éden e destrói Monteriggioni; Ezio parte então para Roma, disposto a recrutar mais Assassinos e destruir de vez os Bórgia e os Templários.

Ezio recruta Assassinos para a Guilda


Junto de Maquiavel, Ezio começa a tecer alianças para reconstruir a Guilda dos Assassinos, recrutando cada vez mais membros e enfraquecendo o poder dos Templários.
Após uma disputa de poder entre pai e filho, César mata Rodrigo.
Ezio localiza a Maçã do Éden na Basílica de São Pedro e a recupera; César é preso pela Guarda do Papa Júlio II.

Algum tempo depois César escapa e se une a João III de Navarra, no cerco a Viana, em Navarra (Espanha). Ezio o encontra no campo de batalha e o derrota. Ezio então esconde a Maçã do Éden em um dos Templos da Primeira Civilização, abaixo do Coliseu.

Seguindo as memórias de Ezio, Desmond e seu grupo chegam ao local para recuperar a Maçã.
Desmond é confrontado pelo holograma de Juno, da mesma raça de Minerva, que diz ser ele descendente de sua raça e de seus inimigos.

Juno: aliada ou inimiga?

Ao tocar a Maçã, o tempo “congela” para os demais membros do grupo, e apenas Desmond continua livre; ouvindo Juno, que o avisa sobre uma mulher que o acompanhou até o portão do Templo, mas não deveria ter entrado. Ela então toma conta do corpo de Desmond e o força a enfiar a hidden blade no abdômen de Lucy.
Ambos caem, Lucy morta e Desmond em coma.

ASSASSIN’S CREED REVELATIONS

Lançado para PS3, Xbox 360 e PC em 2011, Revelations é o encerramento da saga de Ezio e a conexão com Altaïr.


O principal destaque fica para a introdução da hookblade, uma hidden blade com um gancho acoplado, que serve para impulsionar-se com mais força nas escaladas, usar cordas como tirolesa e também para novas manobras de combate, como arremessar inimigos presos pela roupa.

Um Ezio mais velho comanda uma equipe de Assassinos em Den Defense


Em adição ao modo de captura territórios, presente em Brotherhood, agora é necessário também defendê-los através do modo Den Defense, uma espécie de Tower Defense onde Ezio escolhe construções e membros da Guilda para defender o território contra hordas de Templários.
No modo multiplayer, destacam-se a adição do modo Capture The Flag, bem como o Simple Deathmatch, modo em que são removidos perks e habilidades.

Em Busca de Respostas

Desmond, em coma, foi reinserido no Animus 2.0 e agora está temporariamente preso lá.
Ele encontra a consciência do Subject 16, que foi submetido ao Animus no passado.
Devido às suas incontáveis horas submetido ao Animus pela Abstergo, sua mente perdeu a estabilidade e ele supostamente cometeu suicídio.

Uma IA semelhante à sua consciência permaneceu ativa na Ilha do Animus, um resquício do programa original Animus, preservada na Black Room, o modo de segurança do sistema.
William Miles, pai de Desmond está em Nova Iorque, para onde o filho foi levado, e o insere na Black Room; lá Clay Kaczmarek (Subject 16) o explica que ele precisa reviver todas as memórias de ambos seus ancestrais, Altaïr e Ezio, até que o Animus consiga separar sua mente das memórias genéticas, o que o irá tirar do coma.

Desmond e Clay presos na Ilha do Animus


Desta forma, Desmond volta a viver as memórias de Ezio, quatro anos após a morte de César Bórgia.
Ezio viaja até Masyaf para encontrar os segredos que Atalïr guardou na antiga fortaleza, mas descobre que ela foi dominada pelos Templários.
Durante sua fuga, ele descobre a biblioteca de Altaïr, mas para acessá-la precisa encontrar cinco discos que servem como chaves de entrada.
Um deles está em posse dos Templários, descoberta pelos mesmos abaixo do Palácio do Sultão Otomano, em Constantinopla (Istambul, Turquia), capital do Império Otomano, cidade na qual localizam-se os outros quatro discos. 

Yusuf introduz Ezio ao uso das bombas


Em Constantinopla, Ezio é recebido por Yusuf Tarim, líder da Ordem Turca dos Assassinos e se torna amigo de um jovem estudante, de nome Solimão (Suleiman em inglês).
Os discos foram escondidos na cidade por Niccolò Polo (pai de Marco Polo); durante sua busca, Ezio encontra a jovem italiana Sofia Sartor, colecionadora de livros que o ajuda a encontrar os discos que faltavam.

Retornando a Constantinopla, Ezio se depara com uma disputa de poder entre o príncipe Ahmet e seu irmão Selim, sobre quem herdará o Sultanato. Durante o conflito, Solimão revela ser também ele um dos príncipes Otomanos, filho de Selim. Solimão suspeita que os Templários estão envolvidos no problema.
Ezio descobre que Manuel Palaiologos está cooperando com os Templários para criar um exército capaz de derrotar os Otomanos e restabelecer o Império Bizantino.
Ao matar Manuel e recuperar o último disco, Ezio descobre que a verdadeira mente por trás da investida Templária para abrir a biblioteca de Altaïr é Ahmet.

Os discos contendo as memórias de Altaïr são a chave para a abertura de sua biblioteca

Ezio consegue recuperar as memórias de Altaïr e reviver seus últimos dias.
Após derrotar Al Mualim, de posse da Maçã do Éden, Altaïr se torna líder dos Assassinos.
Junto de sua esposa, Maria, ambos partem para lutar contra a invasão mongol da Síria durante 10 anos, período no qual Abbas, Assassino que discordava da liderança de Altaïr deu um golpe e se tornou o novo líder de Masyaf, tendo matado Sef, filho mais novo de Altaïr.
Durante sua vingança, Maria é morta por outro Assassino e Altaïr parte para um exílio de 20 anos, junto de seu filho mais velho, Darim.
Ao fim do exílio, Altaïr retoma Masyaf, matando Abbas no processo e gravando suas memórias nos cinco discos, que entrega a Niccolò Polo.

Voltando a Constantinopla, Ezio descobre que Ahmet matou Yusuf e sequestrou Sofia, pedindo seu resgate em troca dos discos.
Selim surge com seu exército e executa Ahmet; Solimão pede a seu pai que poupe Ezio, pedido ao qual o novo sultão acorda, advertindo Ezio para que parta de Constantinopla e nunca retorne.
Ao ser completada tal memória, o Animus começa a deletar o excesso de dados, incluindo a Ilha do Animus. Clay transfere suas memórias genéticas para Desmond antes de se sacrificar para que Desmond não seja deletado.

Altaïr tranca-se na própria biblioteca como sacrifício final


Ezio e Sofia retornam a Masyaf para abrir a biblioteca de Altaïr, que encontram vazia, apenas com o esqueleto do antigo Mestre Assassino.
Ezio descobre que Altaïr trancou-se na biblioteca com a Maçã do Éden para que seus segredos não fossem descobertos pelos Templários.
Ezio deixa a Maçã na biblioteca, bem como suas armas, decidido por se aposentar da Ordem; então ele fala diretamente com Desmond, não sabendo exatamente como nem quando, para que este descubra os mistérios que ele próprio e Altaïr não conseguiram descobrir.

Neste momento, Desmond é abordado por Júpiter, que lhe explica que a Primeira Civilização construiu vários “Templos” para estudar métodos que evitassem o fim do mundo pela Erupção Solar. Todo o conhecimento obtido foi enviado para um “Templo principal”, onde seriam testados, não tendo nenhum obtido sucesso, tendo a Primeira Civilização sido destruída no processo.
Júpiter mostra a localização do “Templo”, em algum lugar de Nova Iorque e diz a ele para salvar o planeta de uma segunda Erupção Solar.
Desmond acorda ao lado de Rebbeca, William e Shaun, dizendo a eles que agora sabe o que fazer; ao mesmo tempo, o “Templo principal” se reativa no subsolo.


Solimão, O Magnífico

Solimão I (1494-1566), conhecido no ocidente como Solimão, O Magnífico e no oriente como Solimão, O Legislador foi um Califa do Islã e Sultão do Império Otomano, de 1522 até 1566 (data de sua morte).

Solimão (Süleyman, no original), ficou conhecido para os turcos como “Kanuni, o Dador das Leis”, devido às reformas que implementou na justiça e administração; no ocidente, o “título” de Magnífico deveu-se ao luxo de sua corte e às suas muitas conquistas militares na Europa, tendo os cronistas portugueses o apelidado de “O Grão-Turco”.

Solimão, O Magnífico


Durante seu reinado, o Império Otomano expandiu-se até as portas de Viena e Constantinopla transformou-se em polo artístico e cultural.
Considerado íntegro e justo pelos súditos, um de seus apelidos foi Salomão II (em referência ao rei israelita).
Era adepto do humanismo renascentista e da poesia e filosofia, além de um excelente general, tendo dobrado os domínios europeus do Império Otomano.

Dentre as leis criadas, promover o funcionário público por mérito e não por berço, fato que chocou conservadores.
Ao fim de seu reinado, contrariando seu idealismo dos primeiros anos, cedeu aos desejos de sua esposa Roxelana*, tendo matado seu braço direito, Ibrahim Paşa e o próprio primogênito, Mustafá. Selim II, filho de Solimão e Roxelana seria então o seu sucessor.

Rolexana, a mulher mais poderosa do Império Otomano


*Roxelana (Hürrem Sultan) foi a esposa favorita de Solimão (as outras duas foram Mahidevran Sultan e Gülfem Hatun), sendo considerada uma das mulheres mais influentes da história otomana, durante a era denominada Sultanato das Mulheres, período em que o Harém Imperial do Império Otomano teve grande influência sobre os assuntos do Estado.

CONTINUA…