Review / Tutorial de TAMIKU

* Esta análise foi feita com o código cedido pela Ratalaika (versão PS4)

Distribuidora: Ratalaika Games
Produtora: Josyan
Plataforma:  PlayStation 4 / Xbox One / Switch / PC
Mídia: Digital
Ano de Lançamento: 2020

Tamiku é um jogo de plataforma clássico, fortemente inspirado em jogos arcade do passado, como Mario Bros. (aquele de pular as plataformas verticais, lembra?) e Balloon Fight.

Tamiku é um astronauta (?) viciado em em estourar balões (??) e após destruir um planeta estourando todos os balões de lá (???), ele viaja em busca de novos alvos.

Não dá pra ficar mais nostálgico do que isso

As fases possuem andares com diversos balões azuis e vermelhos: os azuis você estoura simplesmente encostando, os vermelhos precisam ser apertados, o que deixa Tamiku exposto (sem trocadilhos com o nome, por favor!)

Os balões vermelhos precisam ser apertados para estourar, pedindo mais tempo de ação

Inimigos perseguem Tamiku pelo cenário na horizontal nos andares respectivos, sendo possível desviar deles saltando para outro andar (abaixo ou acima) em aberturas ou ir até o limite da tela e sair do outro lado (caso não hajam bloqueio de paredes).
Já outros inimigos atacam na vertical, em linha reta. Existem ainda inimigos que podem perseguir na horizontal, mas podem mudar de andar e inimigos voadores, que disparam projéteis em diagonal.

Ao fazer um determinado número de pontos, um doce aparece temporariamente no centro do cenário, concedendo bônus de score.
Aliás, falando em bônus, as fases bônus lembram o antigo Balloon Fight, onde o seu objetivo é impulsionar-se através de saltos (com balões presos nas costas) e pisar em outros balões para aumentar a pontuação.

As fases bônus lembram o antigo Balloon Fight


O jogo possui uma arte pixelada bastante colorida e trilha sonora de chiptune.
Para complementar o visual retrô, um filtro de scanlines CRT pode ser ativado (simulando antigos TV’s/telas de fliperama).

A platina é bastante tranquila, envolvendo fechar todas as fases.