Review / Tutorial de West of Dead

Continuando com a leva de jogos Hardcore, e saindo um pouco dos RPGs, vamos para outro estilo, mas com a dificuldade alta também…

West of Dead é um Indie de gênero action shooter com visual e jogabilidade “isométrica” e procedural / roguelike (ou seja, toda vez que começar o jogo, o mapa é gerado aleatoriamente entre tantos sets).

Desenvolvido pela Upstream Arcade e publicado pela Raw Fury foi lançado para PC primeiro, e posteriormente para os consoles PlayStation 4 e Xbox.

Código cedido pela Raw Fury para PS4

Nome: West of Dead
Gênero: Indie Action (subgênero Roguelike)
Desenvolvedora: Upstream Arcade
Estúdio: Raw Fury
Plataformas: PC, PlayStation 4 e Xbox One
Lançamento: 2020 (18 de junho para PC e Agosto para os consoles)
Midia: apenas digital, até o momento do review

Tela Título

História/Enredo

historia

Purgatório, Wyoming, 1888.

Um lugar de fumaça de armas e escuridão, pecado e danação, wendigos e bruxas.

Um mundo caótico e mutante que toma forma a partir das memórias, cultura ou crenças das almas que por ali passam.

Quando um morto acorda apenas com a memória de uma figura de preto, ele põe em movimento uma cadeia de eventos que têm consequências verdadeiramente míticas.

Coloque-se nos passos do homem morto William Mason (dublado por Ron Perlman) e desça para o mundo sombrio e corajoso do Purgatório.

O Velho Oeste nunca foi tão escuro.

Gráficos

O jogo usa gráficos deveras simples, mas agradáveis, mostrando que o “Cell Shader” ainda faz jus em ser usado.

A iluminação é baixa justamente pelo fato do jogo usar a escuridão do purgatório como tema…

Som/OST

A sonografia do jogo é boa, usando os fones é possível ouvir os ruídos dos inimigos próximos e o ricochete dos tiros nas paredes, dependendo da arma…
A ost conta com músicas do velho oeste, o que combina muito com o estilo “solitário”, já que é praticamente um sinônimo pra ambientação.
William é dublado por Ron Perlman

Jogabilidade

Um dos melhores fatores do jogo… a jogabilidade é baseada parcialmente em twin stick shoot, ou seja, usa o manuseio das duas alavancas para mirar, entretanto pode se usar o touchpad para deslizar o dedo e correr a mira também.

Sistema de Jogo

A visão isométrica é um fator que eu particularmente curto em jogos, pois a maioria que mantém esse estilo exige um pouco de tática nos combates, tanto pela visão periférica dos lugares quanto pela forma de jogo.

Indicadores, Equipamentos e Combate

O HUD conta com sua barra de life, equipamentos, habilidades, talismã e o mapa.

O código perto do mapa nada mais é que o set gerado no jogo na partida, muda toda vez que um jogo novo é iniciado (repetindo a informação pra garantir que esteja ciente do “procedural/roguelike”)

Barra de Life nada mais é do que sua vida, obviamente.

Equipamentos são as armas equipadas, no caso de West of Dead, você conta com 2 armas para seu arsenal, podendo escolher entre rifles, magnuns, revólveres, espingardas e suas variações e modelos. Ao acertar eles temos barra de resistência e life sendo mostradas no personagem, se conseguir causar dando suficiente pra tontear, a vantagem estará contigo

As armas funcionam de forma idêntica ao que seria na época se não houvesse duelos 1×1, onde nós sabemos que algumas demoram pra carregar (como no caso das magnuns onde o carregamento é bala por bala), então você deve esperar a barra em volta da arma se preencher antes de voltar a atirar, ou alternar as armas deixando uma bala em cada para não se prejudicar muito…

O fato do mundo ser obscuro, influencia no sistema do jogo. Os inimigos podem ficar em lugares escuros, escondidos da sua visão, mas se tentarem atirar e você conseguir ver o ponto de tiro da bala, a indicação de perigo aparece em volta de William com a seta em vermelho indicando da onde pode vir os tiros. Mas o fato de eles estarem no escuro pode te favorecer ou te prejudicar, como William não enxerga precisamente onde eles estão, não aparecerá a mira com precisão e William SE ACERTAR será na sorte lol, entretanto, podemos acender as lanternas dos lugares, se inimigos estiverem no escuro ficarão atordoados e você consegue ter tempo em deferir dano ou se reposicionar…

Além disso, William usa o sistema de cover para se proteger dos tiroteios dos inimigos e os combates acontecem em áreas que podem ou não serem isoladas.
O fato de ter cover e a possibilidade de ter vários inimigos juntos te dão ações diversificadas, então tu tem que tomar estratégias para derrotar seus inimigos evitando tomar danos, que são bem excessivos.

William pode deslizar no chão, rolar, se jogar, ou até mesmo saltar por cima dos objetivos presentes, se fizer isso perto de tomar dano, um slow motion acontece e você ganha uns segundos extras para pensar.

Outra coisa que posso citar é que o jogo vai lhe mostrando mais recursos cada vez que for jogar, no caso das habilidades e talismãs, você vai achando em baús ou desbloqueando com a bruxa (detalhes depois).

Habilidades costumam ser ações ou armas de alcance, como exemplo posso citar mãos rapidas para recarregar rapidamente ou dinamite para armas de alcance. As habilidades podem funcionar em combo enquanto atira ou se esconde.

Os talismãs são complementos de suporte ou ataque, vindos das memórias de alguns chefes (sim, temos chefes), como exemplo, posso citar o talismã defensor que lhe faz recuperar HP perdido recentemente se entrar em cobertas (enquanto indicado na barra).

Recursos e Intermissões

Além de toda a interação no cenário, é possível encontrar os baús de itens, armas disponíveis nos corredores e dose de whisky para recuperar sua vida. Ao derrotar inimigos ou destruir pequenas gaiolas do cenário, podem aparecer ferro e pecado.

O mercante pode ter algo interessante, se achar ele, sempre verifique

Ferro nada mais é que o recurso usado para o mercante encontrado nas fases, seja para trocar equipamentos, habilidades ou até talismãs (esse já é mais raro ele mostrar)

Pecado são orbs que aparecem em drops RNG perante as extinções das almas que William está causando no purgatório, atrás da sua busca pelo que fez na sua vida, eles são gastos com as bruxas nas intermissões. Purificando seus pecados lhe dará melhorias, novas armas (contraditório??? A comerciante é uma BRUXA), talismãs e habilidades…

A Bruxa aparece toda vez que chegar no fim de cada fase, além dela o taberneiro também está lá para encher sua vida novamente e reestocar seu whisky.

Ainda como recurso, temos as runas, queirão dar ações ou resistências novas para seu personagem. Geralmente são encontradas nos chefes.

Com o passar do jogo, novas coisas acontecem e mais possibilidades serão liberadas.

Status e Level Up

Como status, William mostra seus equipamentos, entretanto são os atributos e set deles que contam para o segredo do sucesso…

As armas são definidas em:
Nivel – poder de PV, quanto maior o Level, maior o PV
Cartuchos – número de balas pra disparo
Dano/Pontos de Vida (PV) – que mostram o poder de dano
Munição – número de balas por carga
Recarga – segundos para recarregar o cartucho todo
OBS: para medir o poder entre as armas quando for substituir, calcule o número de balas somado com o PV
Por exemplo: Escopeta – 50PV x 2 cartuchos = 100 de dano por carga,
Pistola de cano duplo – (18×2 PV = 36) x 3 = 78 de dano por carga

Já William tem seus atributos divididos em 3 aspectos:
Fortitude – aumenta seu life e o dano de melee
Percepção – aumenta o dano de PV das armas
Engenhosidade – aumenta o poder e diminui o “cooldown” das habilidades

Punições

O jogo tem a punição de perder todo o ferro e pecado carregado ao morrer, além disso, William irá voltar pro início do capítulo corrente, tendo que passar por tudo de novo (e o jogo já salva no momento da sua morte).

Troféus e Conquistas

Dificuldade: 6/10
Na minha opinião a dificuldade dos troféus é moderada apesar de ter o fator de reinicio de capítulos por morte, mas é um jogo que apenas te consumirá tempo e aprendizado, pois montando o conjunto certo de equipamentos e descobrindo o seu melhor estilo de combate, você facilmente irá driblar todos no purgatório…
Os troféus se resumem em passar todas as fases, derrotar chefes e inimigos específicos e descobrir todas as runas…

Considerações Finais

West of Dead se tornou um ótimo roguelike, onde mistura um ótimo sistema dinãmico e tático no seu combate, podendo alternar bastante com a forma de derrotar os inimigos.
A idéia de usar a escuridão e iluminação faz com que você alterne seu estilo de combate durante o passar das fases para não ser muito prejudicado, seja pensando nos aspectos do William ou no melhor conjunto de equipamentos que você irá se adequar.
O fator procedural é um lado positivo porque se você conseguir passar pelas fases (mesmo que antes morra demais) não será apenas uma “decoreba” de mapa, e sim um sinal de que se encontrou no jogo, e assim, conseguirá descobrir o que William fez enquanto esteve com vida…

Um comentário