Review / Tutorial de A Summer With The Shiba Inu

Uma cadela campeã de combates virtuais retorna à sua ilha natal em busca do irmão desaparecido.

* Esta análise foi feita com o código cedido pela Ratalaika (versão PS4)

Distribuidora: Ratalaika Games
Produtora: Quill Game Studios
Plataforma:  PlayStation 4 / Xbox One / Switch / PC / Linux / MacOS / MacOS Classic
Mídia: Digital
Ano de Lançamento: 2019 / 2020

Syd é um cadela campeã nos combates simulados ARIna, uma série de competições para determinar os cargos e destinos dos cães da ilha.

Após 10 anos vivendo em Canine-da, ela retorna à ilha Shiba Inu, lar de sua raça e encontra seu antigo amigo, Max.
Syd deseja descobrir o paradeiro de seu irmão.

Max é o amigo de longa data (me diga que estes desenhos não parecem cachorros reais)

Após vencer diversas ARInas, Syd tornou-se a Portadora de Pena, artefato que a ajuda a “alterar a realidade” através de desejos simples.
Em suas andanças pela ilha, Syd é abordada por Quei-li, uma Labradora que quer ajudá-la na investigação sobre o paradeiro de seu irmão.

Quei-Li é a labradora que ajuda Syd em sua investigação

Syd possui um mistério em sua vida: em uma das ARInas, um dos cães que ela eliminou virtualmente acabou morrendo na vida real.
Dado o fato de que as ARInas são combates baseados em realidade virtual e os cães ficam num suporte vital durante as competições, ela passa a ser investigada por uma antiga rival: Xue La.
Ao longo da aventura, Syd será desafiada para revanches de alguns de seus adversários, revivendo parcialmente as ARInas em que foi campeã.

A Summer With The Shiba Inu é um visual novel sobre cachorros, com uma história um tanto quanto confusa de início e que caminha para uma distopia (ou seria uma utopia?).
O jogo possui três finais principais, com diversas possibilidades de finais individuais para os diversos cães que passam pela vida de Syd.

A trilha sonora é bastante relaxante, com algumas pitadas de Jazz. Como o jogo trata de cães, não conta com dublagem, apenas alguns latidos.

A parte artística, embora com pouca variação de cenários, impressiona bastante no desenho dos cachorros.
Confesso que no começo cheguei mesmo a pensar que se tratassem de fotos dos animais.

Em termos de troféus, nenhuma dificuldade aqui, apenas diferentes escolhas e finais.

O logo da Ratalaika estilizado no traço do jogo (só porque gostei da imagem!)