DESCOBRINDO FRANQUIAS – Yakuza (parte 3)

YAKUZA KIWAMI 2 (PS4)


Ryu Ga Gotoku Kiwami 2 foi lançado em 7 de Dezembro de 2017 no Japão e 28 de Agosto de 2018 no Ocidente.
Remake de Yakuza 2, utiliza a Dragon Engine, com alguns melhoramentos em relação a Yakuza 6, com radgoll mais controlado nos inimigos.
O roteiro recebeu adições e correções no confuso plot original.

O minigame da guerra de gangues retorna diretamente de Yakuza 6, bem como o minigame do hostess club, desta vez revisado e expandido, numa competição entre clubes: o Cabaret Club Gran Prix.

Kiwami 2 recebe também Majima Saga, uma mini-campanha extra, onde Goro começa uma disputa com dois novatos (Akinobu Uematsu e Kei Ibuchi), pela posição de capitão do clã Tojo, reestruturação planejada por Yukio Terada (então 5º Chairman do Tojo). Majima não está interessado no dinheiro, mas prefere prevenir o ganho rápido de poder por parte dos novatos.
Após um misterioso assassinato, Majima pede ajuda ao Florista de Sai, comandante do Purgatório de Kamurocho, investigação esta que o leva até Sotenbori.

Goro desfruta de uma bela massagem no Majima Saga

YAKUZA LIKE A DRAGON (PS4)


Shin Ryu Ga Gotoku foi lançado em 16 de Janeiro de 2020 no Japão, ainda sem lançamento ocidental (mas previsto para o mesmo ano).
Yakuza Like A Dragon é um soft reboot da franquia, mudando inclusive o gênero do jogo, transformando-se num RPG de turno, tendo como particularidade o uso de itens do cenário como possíveis armas temporárias nas lutas (como usual na franquia).
As sidequests continuam, possibilitando o recrutamento de certos personagens para a party (quatro controláveis por vez); demais atividades extras permanecem no jogo, incluindo o modo Dragon Kart.

Kasuga disputando uma “amigável” corrida de kart


O jogo possui um sistema de jobs, semelhante a outros RPGs japoneses, permitindo a mudança de job de cada personagem.

O combate por turnos é a maior mudança do título


Like A Dragon se passa em Isezaki Ijincho, Yokohama (baseado no real distrito de Isezakicho), apesar de Kamurocho e Sotenbori também estarem presentes.
Pela primeira vez, Kiryu não é o protagonista, sendo substituído por Ichiban Kasuga. Além dele, outros personagens recrutáveis incluem Namba, Koichi Adachi e Saeko Mukouda (primeira mulher lutadora a ser controlada na série).
Kiryu, Majima e Saejima são participações confirmadas no título.

A Troca de Dragões

Em 2001, Kasuga, então membro da família Arakawa (do Tojo) é incumbido pelo seu patriarca, Masumi Arakawa, a ser preso por assassinato de um crime que não cometeu. Acreditando poder ganhar fama de herói no Tojo, Kasuga aceita a incumbência, mas após ser solto, em 2019, descobre que ninguém se lembra dele. Confronta Arakawa, que atira em seu peito. Alguns dias depois, ele acorda seminu em uma pilha de lixo, no distrito de Isezaki Ichijo, em Yokohama.

Ichiban possui um estilo mais irreverente de ser

SPIN-OFF’S

RYU GA GOTOKU KENZAN (PS3)


Lançado no Japão em 6 de Março de 2008, Kenzan nunca teve um lançamento ocidental.
Ryu Ga Gotoku Kenzan possui estilos de luta desarmado, com espada, espada dupla e espada de duas mãos.
É neste título que surge a técnica Revelation para aprendizado de um novo golpe através da observação de algum acontecimento (posteriormente usada em Yakuza 3 e 4).

O jogo se passa em Kyoto, em 1605, e conta a história do samurai Miyamoto Musashi, figura histórica do período.

Após ser derrotado na batalha de Sekigahara (1600), Musashi vira um guarda-costas (yojimbo) em Gion, Kyoto. Cinco anos após a batalha, uma garota chamada Haruka vai a Gion em busca de um assassino chamado Kazumanosuke Kiryu, nova identidade de Miyamoto Musashi. Quando encontra Kiryu, Haruka tenta contratá-lo para matar um impostor que está usando o nome de Miyamoto Musashi. Kiryu nega a princípio, mas aceita depois que a garota começa a trabalhar como serva em um “prostíbulo”. (ok Sega, eu entendi porque este jogo não foi localizado no ocidente).

Kiryu como Musashi: Niten Ichiryu em ação!

O Verdadeiro Miyamoto Musashi

Miyamoto Musashi foi uma figura histórica real, mas sua vida é por muitas vezes confusa, com diversas inconsistências em diferentes relatos, especialmente em relação ao seu nascimento.
Conhecido também por Shinmen Takezo, Miyamoto Bennosuke ou pelo nome budista Niten Doraku, provavelmente nasceu em Banshu, Tensho 12 (1584), no Ano do Macaco, na província de Harima.

Shinmen Munisai, seu pai, era fazendeiro, mas também mestre na arte da espada e do jitte (segundo relato do próprio Musashi) e vivia na vila de Miyamoto, em Yoshino, província de Mimasaka (sim, localidades japonesas do período feudal são difíceis de compreender). Bennosuke era o provável nome de Musashi na infância, onde ele cresceu trabalhando nos campos, até sua vida caminhar para o caminho da espada.

Miyamoto Musashi foi um espadachim, filósofo, escritor, estrategista e ronin (samurai sem mestre). No Livro dos Cinco Anéis (Go Rin No Sho) se autonomeia Shinmen Musashi-no-Kami Fujiwara no Harunobu. Seu pai, Munisai, era filho de Hirata Shogen, vassalo de Shimen Iga No Kami, o senhor do Castelo Takayama, em Yoshino. Hirata, por ser vassalo, recebeu o direito de usar o nome Shinmen. Musashi no Kami é um título da corte, indicando ele como governador nominal da província de Musashi; já Fujiwara é a linhagem à qual ele clama descender.

Ok, ok, passemos a parte confusa, Musashi é famoso por ter abatido em duelo, aos 13 anos, um samurai de nome Arima Kihei. Durante sua vida, teria vencido todos os 61 duelos que enfrentou (o recorde anterior é de Ito Ittosai, com 33 duelos).
Participou da batalha de Sekigahara, em 1600 (a maior do período Sengoku, o mais violento do Japão) pelo lado perdedor de Toyotomi Hideyoshi.

Fontes indicam que pode ter tomado parte na perseguição dos cristãos na Revolta de Shimabara (1637-1638).
Ocorrida no período Edo, a revolta foi liderada por Amakusa Shiro (se você pensou no vilão de Samurai Shodown, pensou certo). O Xogunato Tokugawa enviou 125 mil samurais para reprimir os cerca de 27 mil camponeses e ronin revoltosos. Após a derrota de Amakusa e dos rebeldes, a religião cristã foi proibida no Japão (até 1850), bem como os comerciantes portugueses foram expulsos do país, reforçando a política isolacionista.

Musashi, ao fundo, avança sobre seu eterno rival, Sasaki Kojiro


Dentre seus outros feitos, Miyamoto Musashi escreveu dois livros: o Go Rin No Sho (Livro dos Cinco Anéis) sobre estratégias de combate e o Dokkodo (O Caminho da Solidão), mais filosófico e escrito cinco dias antes de sua morte.

É também o fundador do estilo Niten Ichiryu de duas espadas (ensinado até os dias de hoje pelo Instituto Niten, inclusive com diversas escolas no Brasil).
No Japão possui o título de Kensei, “Santo da Espada”.

O Instituto Niten difunde o estilo de Miyamoto Musashi ainda hoje

YAKUZA DEAD SOULS (PS3)


Ryu Ga Gotoku Of The End foi lançado em 9 de Junho de 2011 no Japão e 13 e 16 de Maio de 2012 no Ocidente (respectivamente, EUA e Europa).

Yakuza Dead Souls, apesar de seguir a tradicional estrutura da série, é um jogo de tiro.
Isto traz uma grande inovação em relação aos demais títulos, mas também um problema por conta da jogabilidade mais travada para tiro, comum à franquia.

O jogo se passa em Kamurocho e conta com quatro protagonistas: Kiryu, Ryuji Goda (antagonista de Yakuza 2), Shun Akiyama e Goro Majima, cada qual com uma especialidade de armas: Kiryu com rifles sniper (com munição convencional e subatômica), Goro Majima com escopetas, Akiyama com duas pistolas e Ryuji com um metralhadora giratória presa no braço direito.

Miolos!

Em 2011, uma epidemia acontece em Kamurocho, transformando parte de seus habitantes em zumbis. A região central é isolada, mas os quatro personagens possuem motivos distintos para entrar na zona de quarentena (e descobrir a origem da praga): Shun Akiyama procura Hana, secretária da Sky Finance, que está doente; Goro Majima, mordido no começo da epidemia, tenta encontrar a cura; Ryuji Goda, tenta descobrir a ligação entre seu antigo clã e a epidemia; Kazuma Kiryu, busca uma raptada (novamente!) Haruka.

Akiyama, Kiryu, Goda e Majima enfrentam zumbis em grande estilo

RYU GA GOTOKU ISHIN (PS3 e PS4)


Ryu Ga Gotoku Ishin foi lançado em 22 de Fevereiro de 2014, para PS3 e PS4, apenas no Japão.

Um novo Yakuza feudal, um novo jogo sem localização ocidental!
Visto por muitos como uma evolução natural de Ryu Ga Gotoku Kenzan, Ishin se passa dois séculos após o primeiro game, mas ambos não possuem ligação.
O jogo ocorre no período Bakumatsu (entre 1853 e 1867), sendo o personagem principal Sakamoto Ryoma (modelado como um Kiryu feudal). Sakamoto, vendo-se envolvido numa trama de golpe de Estado por parte do grupo Tosa e buscando descobrir o assassino seu mentor, adere ao Shinsengumi.

Kiryu encarna Ryoma no Shinsengumi

O verdadeiro Sakamoto Ryoma

Não tão conhecido no ocidente, Sakamoto Ryoma foi um samurai influente no período Bakumatsu, tendo grande importância no estabelecimento do Império Japonês, no fim do período Edo. Um samurai de ranking baixo no Domínio Tosa, em Shikoku, tornou-se opositor ao Xogunato Tokugawa ao final da política isolacionista japonesa (sakoku). Com o pseudônimo de Saitani Umetaro, Ryoma trabalhou fervorosamente contra o Bakufu (Edo Bakufu é outro nome pelo qual se conhece o Xogunato Tokugawa), tendo sido caçado por seus apoiadores e pelo Shinsengumi (explicação abaixo).
Ryoma lutava a favor da democracia, nacionalismo japonês, retorno do poder à Corte Imperial (em detrimento do Xogunato), abolição do feudalismo, modernização e industrialização japonesas. Dentre seus feitos, ele consegui negociar a Aliança Satcho, unindo os domínios rivais Choshu e Satsuma contra o Bakufu. Ryoma foi assassinado em dezembro de 1867, junto de sua companheira, Nakaoka Shintaro, pouco antes da Guerra Boshin e da Restauração Meiji.

Sakamoto Ryoma, o samurai que sonhou com um Japão moderno

Xogunato, Shinsengumi e a Era Meiji

Xogum (Comandante do Exército) é a abreviação de Seii Taixogun (no original, Seii Taishogun, que significa Grande General Apaziguador dos Bárbaros) e era utilizado para designar o general comandante do exército japonês para combater as tribos do norte. A partir do século XII, passou a designar o líder dos samurais.

Dá-se o nome de Bakufu à administração de um Xogum, que significa “Governo desde a maku”, sendo maku a tenda semiaberta onde o chefe do exército ficava durante as batalhas.

Originalmente, o Seii Taixogun era o comandante militar nos primórdios do período Heian durante as campanhas militares contra os Emishi, povo tribal que vivia no nordeste da ilha Honshu e resistia ao governo da Corte Imperial de Kyoto.
No fim do período Heian, Minamoto no Yoshinaka foi nomeado Seii Taixogun, durante a Guerra Genpei (1180-1185), tendo sido morto por seu primo Minamoto no Yoshitsune, irmão de Minamoto no Yoritomo.

Por volta de 1100, nas disputas por terras e poder, as famílias Minamoto e Taira eram fortes rivais. O clã Taira foi derrotado na Guerra Genpei, em 1185, e Minamoto no Yoritomo usurpou o poder do imperador, tornando-se o primeiro Xogum governante do Japão. A base do Xogunato estabeleceu-se então em Kamakura, num golpe militar onde os samurais tornaram-se a classe dominante ao lado do Xogun, enquanto a classe aristocrática e o Imperador permaneceram em Kyoto, apenas como governantes figurativos.

Na história do Japão, além de Minamoto no Yoritomo, cujo Xogunato durou aproximadamente 150 anos, de 1192 a 1333, somente foi dado o título de Seii Taixogum a Ashikaga Takauji e Tokugawa Ieyasu, ambos descendentes dos príncipes Minamoto, e estabeleceram um Bakufu por direito próprio. O Xogunato Ashikaga durou de 1338 a 1573, enquanto o Xogunato Tokugawa durou de 1603 a 1868.

Os Xoguns de transição de 1568-1598 (Oda Nobunaga e Toyotomi Hideyoshi) nunca receberam o título de Seii Taixogum pelo Imperador e nunca estabeleceram um Bakufu, mesmo assim mantendo um poder acima do Imperador.
O título Seii Taixogum foi abolido durante a Restauração Meiji em 1868, quando o Imperador retomou o poder sobre o país.

A Restauração Meiji foi a derrubada do Xogunato Tokugawa e a transição entre os períodos Edo e Meiji, com uma modernização do Japão e a reabertura para o exterior.
O governo Tokugawa, no poder por mais de dois séculos, não acompanhou o desenvolvimento do restante do mundo, estagnando os avanços tecnológicos e científicos do Japão por muito tempo.

Incidentes como a Revolta de Shimabara reforçavam a política isolacionista do sakoku, mas as exportações eram fracas e as importações eram predominantes. 
As investidas de estrangeiros, especialmente americanos, tentando a reabertura dos portos japoneses era grande, mas tanto reformistas quanto a população e os militares concordavam que o isolamento era necessário.

Em 1854 o Japão aceitou um acordo comercial proposto pelos americanos, e Ii Naosuke, responsável pelas conversas com os americanos, realizando um desvio de ouro e prata dos cofres do país para fortalecer o comércio.
Naosuke passou a ser odiado pela elite feudal e, em 1860, foi assassinado por um grupo de samurais, fato que revoltou a população contra o governo Tokugawa.

Após este fato, a população, já empobrecida pelas políticas Tokugawa e pelo desfalque de Naosuke, engrossou as fileiras dos revolucionistas imperiais em Yamaguchi e o governo enviou o exército para conter a revolta. Ao mesmo tempo, em Kagoshima um grupo de ingleses foi atacado e um navio estrangeiro também foi atacado em Yamaguchi. Tais eventos deflagraram um bombardeamento (por parte dos ingleses) em Kagoshima, em 1863, ano em que outras nações invadiram Yamaguchi.

É neste cenário que surge o Shinsengumi, o provável último suspiro do espírito samurai tradicional.
Surgidos em Edo, os Miburo (Lobos de Mibu), eram principalmente samurais de Tama e tinham como missão principal defender Kyoto dos monarquistas. Vestiam uniformes azuis-claro e brancos e seguiam a bandeira vermelha com o ideograma de sinceridade.
Com a abertura das portas do país pelo Xogunato, samurai descontentes das regiões de Choshu e Satsuma começaram uma revolução com o slogan Sonno-joi (reverenciar o Imperador e expulsar os bárbaros).
Contrários ao Xogunato e aos estrangeiros, ficaram conhecidos como Ishin Shishi (Leões da Revolução). Em contrapartida, diversos ronin (samurais sem senhor) instalaram-se em Kyoto, tornando-se as tropas Roshitais, favoráveis ao Xogunato.

Em destaque, Yamanami Keisuke após duelo com um de seus companheiros do Shinsengumi


Aos poucos os imperialistas foram ganhando terreno e o reinado do Shinsengumi foi acabando; muitos membros foram mortos em diversos embates, outros morreram de doenças ou emboscadas.
Como último suspiro, Toshijou Hijikata e alguns sobreviventes fundaram a República de Ezo, onde hoje fica Hokkaido.
Sobreviveram por algum tempo expulsando expedições do governo Meiji, mas na Batalha de Hakodate, a última da Guerra Boshin, Hijikata foi morto por tiros de metralhadora (em 11 de Maio de 1869).

Com Hijikata findava a história do Shinsengumi e também o samurai como meio de vida.
O Governo Meiji proibiu o porte das katanas, bem como modificou diversos hábitos do povo, muitos deles importados do Ocidente.
Em 1872 o governo criou o Iene (moeda vigente até os dias atuais), bem como o banco do Japão; estabeleceu-se o ensino primário obrigatório, o poder foi centralizado e um novo Japão nasceu, dominados pelas zaibatsus: clãs familiares que começaram a englobar diversos setores, ajudando na rápida industrialização japonesa.

KUROHYO: RYU GA GOTOKU SHINSHO (PSP)


Lançado apenas no Japão, em 22 de Setembro de 2010, Kuroyho é um spin-off da série, produzido pelo estúdio Syn Sophia (antigo AKI Corporation e The Man Breeze) para o PlayStation Portable e conta a história de Tatsuya Ukyo, um jovem gangster de Kamurocho que se faz passar por um membro do Clã Tojo para roubar a Tríade mas, durante sua fuga, acidentalmente mata Naoki Toda, um membro verdadeiro do Tojo.

Capturado, Tatsuya é levado ao patriarca de Toda, Ryutaro Kuki, que lhe oferece uma alternativa: participar do Dragon Heat, um circuito de lutas clandestinas e vencer dez lutas consecutivas em troca de sua liberdade, ou se recusar e ser entregue à polícia pelo assassinato.
Durante sua carreira pelo Dragon Heat, Tatsuya descobre uma conspiração no Tojo que está ligada há um crime de quinze anos atrás.

Tatsuya em ação

Grandes confusões, pequenos consoles 

O jogo possui as óbvias limitações do portátil, tendo câmera mais próxima e uma Kamurocho ligeiramente menor.
O combate tem menor escala na quantidade de inimigos, focando na luta um contra um, apesar de outros inimigos ainda poderem atacar.
Tatsuya possui estamina, que precisa ser observada para não perder o ritmo de combate e pode ter partes do corpo fraturadas (que requerem visitas ao hospital).
Nas atividades secundárias, temos os hostess clubs, karaoke e jogos de cassino, bem como trabalhos freelancer para conseguir um dinheiro extra.
Alguns personagens secundários da franquia principal fazem aparições, como Kage, o Florista de Sai.  

O jogo possui ainda um modo online, com criação de personagens, que permite missões solo ou coop, além de lutas contra outros jogadores e times.
Neste modo é possível desbloquear itens para a campanha e a evolução dos estilos de luta é compartilhada entre a campanha e o online.

KUROHYO 2: RYU GA GOTOKU ASHURA-HEN (PSP)

Lançado em 22 de Março de 2012, Ashura-Hen também é exclusivo do PlayStation Portable e igualmente ao seu antecessor, não foi localizado para o Ocidente.

Dois anos após o incidente Toda, o Dragon Heat é desafiado por outro circuito clandestino de lutas, o Ashura. Tatsuya precisa se aliar a outros jovens lutadores para salvar o Dragon Heat.

O já tradicional karakokê não poderia ficar de fora no PSP

Em Time Que Está Ganhando Não Se Mexe 

Ashura Hen é, sob muitos aspectos, uma evolução de Shisho, sem muitas novidades.
Afora o campo de visão um pouco maior durante a exploração, as lutas seguem o estilo de câmera próxima, bem como a história contada através de um “mangá animado“.O Syn Sophia conseguiu alguma melhoria gráfica, ainda que leve, dadas as capacidades do PSP.

FIST OF THE NORTH STAR: LOST PARADISE (PS4)


Hokuto Ga Gotoku foi lançado no Japão em 8 de Março de 2018 e em 2 de Outubro do mesmo ano no Ocidente.
Lost Paradise é baseado no mangá/anime Fist Of The North Star (Hokuto No Ken), obra escrita por Buronson e ilustrada por Tetsuo Hara.

Lost Paradise é o spin-off mais diferente dos demais, tendo uma estrutura básica semelhante, porém com diferenças no combate (bem mais violento que a série no geral) e ligação entre cidades através de um sistema de locomoção por carro (novidade na série).

O personagem controlável agora é Kenshiro, protagonista de Hokuto no Ken e sucessor do estilo Hokuto Shinken, que é focado em pontos de pressão.
Os minigames e atividades aqui são ligeiramente diferentes: temos um baseball em que Kenshiro rebate inimigos vindos em motos, usando uma viga de metal; um hostess club onde é possível matar clientes abusados; um minigame musical em que Kenshiro atua como médico em uma clínica de shiatzu; um minigame de barman, onde o Hokuto Shinken é utilizado em para confecção de drinks.
Além disso temos o cassino e as sidequests já tradicionais da série.

Os dubladores da franquia Yakuza fazem as vozes aqui, substituindo as originais do anime, incluindo Takada Kuroda (Kiryu) como Kenshiro.
A versão ocidental possui dual audio, tendo dublagem em inglês pela primeira vez na franquia desde Yakuza 1.

Kenshiro e Raoh disputam o título de sucessor do Hokuto Shinken

Eden – A Cidade Dos Milagres

O roteiro do jogo difere do mangá, mas ambos se passam em um mundo pós-apocalíptico após uma guerra nuclear.O mundo virou um grande deserto e gangues vagueiam pelas estradas, matando e pilhando quem encontrar pela frente.
No entanto, no jogo, a cidade Eden possui energia e água, providos por uma relíquia gigantesca do passado, a Sphere City.

Kenshiro começa o jogo derrotado por Shin, que sequestra sua noiva, Yuria. Viajando pelo mundo deserto em busca de seu paradeiro, ele ouve rumores sobre uma mulher chamada Yuria que estaria na cidade de Eden.

Mangá/Anime

Hokuto no Ken foi publicado pela revista Weekly Shonen Jump de 1983 a 1988. O anime foi transmitido pela Fuji TV e Animax, de 4 de Outubro de 1984 a 5 de Março de 1987; a “segunda parte” foi ao ar pela Fuji TV, de 16 de Março de 1987 a 18 de Fevereiro de 1988.

Kenshiro é o sucessor do estilo mortal Hokuto Shinken e vaga pelo mundo pós-nuclear defendendo os fracos e oprimidos e lutando contra seus “irmãos” do mesmo clã. Adotados pelo mestre Ryuken, que os treina nas técnicas do Hokuto Shinken, Kenshiro, Jagi, Toki e Raoh acabam tomando rumos diferentes na vida.

JUDGMENT (PS4)


Judge Eyes Shinigami no Yuigon foi lançado no Japão em 13 de Dezembro de 2018 e em 25 de Junho de 2019 no Ocidente.
Judgment conta a história de Takayuki Yagami, ex-advogado que se torna detetive e investiga uma série de mortes nas quais as vítimas tiveram seus olhos removidos.

O jogo se passa no já conhecido Kamurocho, num estilo bem semelhante ao gameplay da série Yakuza.
Yagami é interpretado pelo ator e músico Takuya Kimura e possui dois estilos distintos de kung fu: Grou (Crane) para combate contra múltiplos inimigos e Tigre para combates individuais. Bastante ágil, Yagami pode saltar e correr por paredes para escapar de golpes ou pegar impulso em alguns movimentos. Em diversas partes do jogo, é possível lutar ao lado de Masaharu Kaito, ex-membro da Yakuza e amigo/sócio de Takayuki no escritório de detetive. O Heat Mode se tornou Rage Mode, sendo em essência o mesmo modo.


Como detetive, existe agora um modo de investigação e perseguição de suspeitos, incluindo abertura de fechaduras com gazuas, uso de disfarces e reconhecimento de suspeitos através de retratos falados, ou mesmo o uso de um drone para observação aérea.
Além da trama principal e das sidequests comuns à série, existem casos investigativos especiais, desbloqueados ao longo do jogo. É possível também criar laços de amizade com NPC’s. 

Dentre os diversos minigames presentes usualmente na franquia, temos a estreias de Puyo Puyo e a volta de Virtua Fighter 5 Showdown (também presente em Yakuza 6).
Existe ainda um minigame de realidade virtual com tabuleiro e mesmo corrida de drones.

Um Mergulho Mais Profundo

Elogiado especialmente pelo roteiro, Judgment é um projeto mais ambicioso e sério de Toshihiro Nagoshi; apesar disto, não se engane, o humor habitual está lá, ainda que mais pontual (mas não menos caótico).

Em 2015, o então advogado Takayuki Yagami investiga o Centro Avançado de Desenvolvimento de Drogas (Advanced Drug Development Center) pela morte do paciente Koichi Waku. Ele consegue defender Shinpei Okubo da acusação de assassinato, mas ele é logo preso pelo assassinato da namorada. Consumido pela culpa de ter ajudado a absolver um assassino, Yagami (até então um prodígio da advocacia) se afasta da profissão.


Três anos depois, Yagami se torna um detetive particular e trabalha com seu sócio Masaharu Kaito, ex-membro do Clã Tojo. Enquanto um serial killer desconhecido vem matando uma série de membros da Yakuza, removendo seus olhos, Yagami aceita um caso de assassinato envolvendo Kyohei Hamura, capitão do clã Matsugane, acusado de ter matado um membro do clã Kyorei. Hamura se prova inocente do crime, mas Yagami suspeita que ele possua envolvimento com o serial killer Mole (Toupeira).

Durante o decorrer do jogo, as mortes do Mole parecem se ligar ao crime de Okubo no passado e ao ADDC (Advanced Drug Development Center) e ao desenvolvimento do AD-9, uma droga experimental para a cura do Alzheimer.

PARTICIPAÇÕES, APARIÇÕES ESPECIAIS E DEMAIS MÍDIAS


Além dos títulos acima citados, a franquia recebeu alguns remasters, incluindo relançamentos para plataformas não PlayStation:

 – Ryu Ga Gotoku 1 & 2 HD Edition foi lançado para o PS3 em 1º de Novembro de 2012; mais tarde o pacote seria portado para o Wii U, em 8 de Agosto de 2013; ambos os pacotes foram lançados apenas no Japão.

The Yakuza Remastered Collection foi lançado entre 2018 e 2019 no Japão e 2019 e 2020 no Ocidente, tendo lançamentos digitais paulatinos de Yakuza 3, 4 e 5 remasterizados; a edição ocidental física possui uma capa de PS3 para Yakuza 5.

–  Yakuza 0 recebeu versões para PC, via Steam (1º de Agosto de 2018) e Xbox One (26 de Fevereiro de 2020).

Yakuza Kiwami recebeu versão para PC, via Steam, em 19 de Fevereiro de 2019; já Kiwami 2 recebeu a sua versão PC, via Steam, em 9 de Maio de 2019; ambos deverão chegar ao Xbox One ainda em 2020.

Yakuza Like A Dragon recebeu recentemente um trailer de anúncio para o Xbox Series X (console da nova geração); o jogo também foi confirmado para PC e Xbox One.

Ryu Ga Gotoku Online foi lançado em 21 de Novembro de 2018, apenas no Japão, para Android, iOS e PC. Uma mistura de gacha e jogo de cartas, “Yakuza” Online é focado no combate, mas também possui a sua versão do minigame mobile de hostess club; foi o jogo introdutório de Kasuga Ichiban.
*gacha (ou gatcha) é uma modalidade popular de jogos mobile, focada em coletar e colecionar randomicamente personagens através de dinheiro virtual e real; o nome derivada das máquinas automáticas de Gachapon, onde se insere dinheiro e gira-se uma chave para ganhar um personagem ou veículo em miniatura (geralmente de plástico PVC).

– Kazuma Kiryu e cia. fazem participações em Binary Domain e Taiko No Tatsujin DX (jogo rítmico de tambores Taiko).

– Kiryu é um dos mais pedidos personagens como convidado em Tekken 7 (Harada, nunca te pedi nada!!!)

– Kiryu e Majima são um dupla jogável no RPG tático de 3DS Project X Zone 2.

– Kiryu aparece como skin para Kenshiro em Fist Of The North Star Lost Paradise.

Kurohyo Ryu Ga Gotoku Shinsho recebeu uma dramatização para TV, exibida pela TBS (Tokyo Broadcasting System), de 5 de Outubro a 21 de Dezembro de 2010. 

– Em 24 de Março de 2006 foi lançado Ryu Ga Gotoku Josho (Like A Dragon Prologue), filme dirigido por Takeshi Miyasaka, tendo o famoso diretor Takeshi Miike como produtor executivo.
O filme narra os acontecimentos até a morte de Dojima e a prisão de Kiryu, como no início de Yakuza 1, tendo no elenco Masakatsu Funaki (Kazuma Kiryu), Mikio Ohosawa (Akira Nishikiyama), Ayaka Maeda (Yumi), Harumi Sone (Sohei Dojima) e Hirotaro Honda (Shintaro Kazama).

– Já em 3 de Março de 2007 foi lançado Ryu Ga Gotoku Gekijoban (Like A Dragon: The Movie), dirigido por Takeshi Miike.
O filme continua a história de Yakuza 1, a partir do ponto de encerramento do filme prólogo, mostrando o roubo dos 10 bilhões de yenes e encerrando-se na climática batalha no topo da Millenium Tower (assim como no jogo).
A história é resumida em relação ao jogo, passando-se toda em uma única noite.
O elenco conta com Kazuki Kitamura (Kazuma Kiryu), Natsuo (Haruka Sawamura), Goro Kishitani (Goro Majima), Shun Shioya (Satoru), Saeko (Yui), Haruhiko Kato (Kazuki), Saki Takaoka (Yumi), Show Aikawa (Detetive Noguchi), Gong Yoo (Park), Yutaka Matsushige), Claude Maki (Akira Nishikiyama) e Sansei Shiomi (Shintaro Kazama).

E isso conclui este Descobrindo Franquias, obrigado pela leitura (e pela paciência, se chegou até aqui).
Nos vemos na próxima franquia!